Psychological effects of congenital heart disease in family members of children with heart disease

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v12i1.39657

Keywords:

Child; Hospitalization; Family; Congenital heart disease; Psychology.

Abstract

Congenital heart disease is any abnormality in the formation of a baby's heart that occurs during pregnancy, influencing the structural and functional development of the circulatory system. The main point of this article is to address the psychological effects of the situation of congenital heart disease in children/adolescents, focusing mainly on how this reflects on their caregivers (in general, their parents). This is an narrative review focused on publications in the field of psychology about the effects of having a child who undergoes hospitalizations, invasive surgeries and the possibility of death on family’s relationships. It was observed that mothers are, in general, the main affected and that there is a change in family dynamics, sometimes permanently and difunctionally. The multidisciplinary work of psychologists and others from the hospital network are the main allies in the treatment of these families.

References

Afonso, S. (2013). Resenha Sobre a morte e o morrer. Ciência & Saúde Coletiva, 18 (9), p.2781-2782. doi: 10.1590/S1413-81232013000900033

Altamira, L. (2011). A Criança Hospitalizada: Um estudo sobre a atuação do psicólogo hospitalar. WebArtigos. Retrieved from https://www.webartigos.com/artigos/a-crianca-hospitalizada-um-estudo-sobre-a-atuacao-do-psicologo-hospitalar/56348/

Alves, E. (2012). A morte do filho idealizado. O Mundo da Saúde, 36 (1), 90-97. Retrieved from https://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/mundo_saude/morte_filho_idealizado.pdf

Amorim, F., & Bomtempo, E. (1970). O Brinquedo Terapêutico Como Apoio emocional a cirurgia Cardíaca em Crianças Pequenas. Boletim Academia Paulista de Psicologia, 24 (1), 35-41. Retrieved from https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=94624112

Barreto, T., Sakamoto, V., Magagnin, J., Coelho, D., Waterkemper, R., & Canabarro, S. (2016). Vivência de Pais de Crianças Com Cardiopatia Congênita: Sentimentos e Obstáculos. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, 17 (1), 128-136. Retrieved from https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=324044160017

Begossi, J. (2003). O Luto do Filho Perfeito: Um estudo psicológico sobre os sentimentos vivenciados por mães com filhos portadores de paralisia cerebral. Universidade Católica Dom Bosco. Retrieved from https://site.ucdb.br/public/md-dissertacoes/7825-o-luto-do-filho-perfeito-um-estudo-psicologico-sobre-os-sentimentos-vivenciados-por-maes-com-filhos-portadores-de-paralisia-cerebral.pdf

Sociedade de Pediatria de São Paulo. (2020, 2020) Boletim da Sociedade de Pediatria de São Paulo Cardiopatias. Retrieved March, 21, 2021, from https://www.spsp.org.br/site/asp/boletins/AtualizeA5N6.pdf

Brotto, A., & Guimarães, A. (2017). A influência da família no tratamento de pacientes com Doenças Crônicas. Psicologia Hospitalar, 15(1), 43-68. Retrieved from http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1677-74092017000100004

Carneiro, D. (2009). Mudanças no sistema familiar após o surgimento de doença crônica. Psicologia. Retrieved from https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0507.pdf

Castro, L, Oliveira, L., Reis, C., Jurema, B., Assis, C., Bambino, R., Donadoni, G., & Toledo, J. (2019). O impacto emocional da Cirurgia Cardíaca. Revista Científica UNIFAGOC – Multidisciplinar, 4(1). https://revista.unifagoc.edu.br/index.php/multidisciplinar/article/view/496

Dórea, A. (1970). Efeitos Psicológicos em irmãos saudáveis de crianças portadoras de cardiopatias congênitas. Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. doi: 10.11606/D.47.2010.tde-30072010-111538

Finkel, L. (2000). A Ausculta e a Escuta: Reflexões sobre a psicodinâmica da criança cardiopata. Sociedade Brasileira de Cardiologia, 13(1), 30-33. Retrieved from http://sociedades.cardiol.br/socerj/revista/2000_01/a2000_v13_n01_art03.pdf

Hockenberry, M., & Wilson, D. (2011). Fundamentos de Enfermagem Pediátrica. São Paulo: Elsevier Editora.

Júnior, V., Daher, C., Sallum, F., Jatene, M., & Croti, U. (2004). Situação das Cirurgias Cardíacas Congênitas no Brasil. Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery, 19(2). doi: 10.1590/S0102-76382004000200002

Katina, T. (n.d.). Cardiopatia congênita: Sintomas, Causas, incidência e tratamentos. IPEMED. Retrieved from https://www.ipemed.com.br/blog/cardiopatia-congenita

Magalhães, F., Gusmam, D., & Grecca, K. (2010). Preparo psicológico em pacientes submetidos a cirurgia cardíaca pediátrica. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas, 6(2). doi: 10.5935/1808-5687.20100019

Mannoni, M. (1991). A criança atrasada e a mãe. São Paulo: Martins Fontes.

Monteiro, M. (2004). Um coração para dois: a relação mãe-bebê cardiopata. Coleção Digital PUC-Rio. doi: 10.17771/PUCRio.acad.4350

Motta, A., & Enumo, S. (2004). Brincar no hospital: Estratégia de Enfrentamento da Hospitalização infantil. Psicologia em Estudo, 9(1). doi: 10.1590/S1413-73722004000100004

Pavão, T., & Montalvão, T. (2016). Mães Acompanhantes de Crianças Cardiopatas: Repercussões Emocionais Durante A Hospitalização. Revista Psicologia e Saúde, 8(2). doi: 10.20435/2177-093X-2016-v8-n2(06)

Queiroga, A., Araújo, H., Gomes, E., Belo, R., Figueirêdo, T., & Bezerra, S. (2017). Estratégias educativas para Redução da Ansiedade dos Cuidadores de Crianças Com Cardiopatia Congênita. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, 9(4). doi: 10.9789/2175-5361.2017.v9i4.1061-1067

Reze, B. (2014). O processo de decisão da mãe sobre a cirurgia cardíaca para o filho. Psicologia: Ciência e Profissão, 34(2). doi: 10.1590/1982-3703000072012

Rocha, D., & Zagonel, I. (2009). Modelo de cuidado transicional à mãe da criança com cardiopatia congênita. Acta Paulista de Enfermagem, 22(3), 243-249. Retrieved from https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=307023837002

Rother, E. (2007). Revisão sistemática x revisão narrativa. Acta Paulista de Enfermagem, 20(2). doi: 10.1590/S0103-21002007000200001

Schneider, C., & Medeiros, L. (2011). Criança Hospitalizada e o Impacto emocional Gerado Nos Pais. Unoesc & Ciência – ACHS, 2(2). Retrieved from https://periodicos.unoesc.edu.br/achs/article/view/741

Winnicott, D. (1975). O Brincar e a Realidade. Rio de Janeiro: Imago Editora.

Published

10/01/2023

How to Cite

SILVA, L. A. D. da .; MACEDO, B. C. .; FREIRE, R. M. A. de C. . Psychological effects of congenital heart disease in family members of children with heart disease. Research, Society and Development, [S. l.], v. 12, n. 1, p. e25112139657, 2023. DOI: 10.33448/rsd-v12i1.39657. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/39657. Acesso em: 27 jan. 2023.

Issue

Section

Human and Social Sciences