Short distribution channels of horticulture produce in Open-air markets in the City of Iporá-GO, Brasil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4035

Keywords:

Territory; Commercialization; Development.

Abstract

The short distribution channel main characteristics are the interaction between actors within the scope of value chains, the reduction of intermediaries’ agents, the product valuation, and, in addition to all of this, the promotion of the local culture. In the city of Iporá-Go, the open-air markets play an important role in the economic and social development of the region, by using short distribution channels. Within this perspective, the following article aims to present the socioeconomic diagnosis of stallholders who are part of these distribution channels. The methodologies used for the analysis on Iporá’s open-air markets case study were both qualitative and quantitative. The primary data survey was carried out through forms and questionnaires that 35 stallholders filled out and answered, from April to June of 2019.  The research is identified, regarding its objectives, as descriptive and exploratory. Analyzing the results, it can be observed that 41.75% of the stallholders produce the food they sell at the open-air markets; 42.85% of the total make an amount of money that is above four minimum wages; when it comes to the education level, 31.42% of the interviewees have finished elementary school. The approach of these themes allows the understanding of the conjuncture in which the actors that participate in these short distribution channels in Iporá-GO are inserted, as well as their capillarity in the development of the region.

Author Biographies

Najla Kauara Alves do Vale, Instituto Federal Goiano - Campus Iporá

Doutoranda do programa de pós graduação em Agronegócio da UFG, docente no Instituto Federal Goiano-Campus Iporá.

Sarah Nascimento Santana, Instituto Federal Goiano - Campus Iporá

Atualmente é graduanda do curso de Tecnologia em Agronegócio do Instituto Federal de Ciência Educação e Tecnologia Goiano - Campus Iporá, no qual, desde de 2018 é monitora das disciplinas de Fundamentos do Agronegócio e Contabilidade no Agronegócio. Além disso, tem experiência em Administração, com ênfase em Ciências Contábeis, em função de ser aluna participante de projetos de pesquisa, ensino e extensão, nas áreas de gestão, comercialização, gargalos administrativos (econômico-financeiros) de propriedades rurais e contabilidade aplicada ao meio rural.

Cleonice Borges de Souza, Universidade Federal de Goiás

Doutora em Ciências Ambientais Universidade Federal de Goiás, Mestre em Agronegócios Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Professor Adjunto na Universidade Federal de Goiás (UFG) e Membro efetivo do Programa de Pós-Graduação em Agronegócio da UFG. Dentre as várias temáticas de atuação tem-se: Agronegócio, Sustentabilidade, Empreendedorismo, Network, Participação Social, Administração e Gestão Empresarial.

Daline Benites Bottega, Instituto Federal Goiano - Campus Iporá

Doutora em Agronomia (Entomologia Agrícola) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Atualmente é professora do Instituto Federal Goiano. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fitossanidade, atuando principalmente nos seguintes temas: Resistência de Plantas a Insetos e Produtos Naturais no Controle de Pragas.

References

Aguiar, L. C., DelGrossi, M. E., & Thomé, K. M. (2018). Short food supply chain: characteristics of a family farm. Ciência Rural, 48(5), e20170775. Epub May 21, 2018.

Andrade, D. P. (2016). Ação coletiva de agroextrativistas em circuitos curtos de comercialização de produtos do cerrado: estudo de caso em pirenópolis – go. 2016; Dissertação. (Mestrado em Agronegócio) – Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Universidade de Brasília, Brasília, Brasil.

Castro, A. M. G. de, Lima, S. M. V. & Cristo, C. M P. N. (2002). Cadeia Produtiva: Marco Conceitual para Apoiar a Prospecção Tecnológica. XXII Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica. Acesso em: 16 de outubro de 2019, em: https://fcf.unse.edu.ar/archivos/posgrado/2002.cadeiaprodutiva.marcoconceitual.prospeccaotecnologica.pdf.

Cervo, A. L., Bervian, P.A. & Silva, R. Da. (2007). Metodologia Científica. 6 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Darolt, M. R., Lamine, C., Brandenburg, A., Alencar, M. De C. F. & Abreu, L. S. (2016). Redes alimentares alternativas e novas relações produção-consumo na França e no Brasil. Ambiente & Sociedade, 19(2), 1-22.

Duarte, S. C. De L. & Thomé, K. M. (2015). Short food supply chain: estado da arte na academia brasileira. Estud. Soc. e Agric., Rio de Janeiro, 23(2), 315-340.

Marconi, M. A & Lakatos, E. M. (2010). Fundamentos de Metodologia Científica. 7º ed. São Paulo: Atlas, 2010.

Fernandes, R. J. A. & Coelho, A. L. A. (2018). Por dentro das “margens”: os circuitos produtivos de um território local e a importância das feiras livres em Iporá, Goiás. Élisée, Rev. Geo. UEG – Porangatu, 7(2), 136-161.

Goodman, D. (2017). Espaço e lugar nas redes alimentares alternativas: conectando produção e consumo. In Gazolla, M. & Schneider, S. (Eds), Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas: negócios e mercados da agricultura familiar (pp. 59-82). Porto Alegre: UFRGS.

Marsden, T. & Renting, H. (2017). Uma réplica do artigo:”Compreendendo as redes alimentares alternativas: o papel de cadeias curtas de abastecimento de alimentos no desenvolvimento rural. In Gazolla, M. & Schneider, S. (Eds), Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas: negócios e mercados da agricultura familiar (pp. 59-82). Porto Alegre: UFRGS.

Menezes, S. De S. M. (2013). Alimentos identitários: uma reflexão para além da cultura. Geonordeste, Ano XXIV, (2).

Ochoa, C. Y., Matarán, A., Olmo, R. M., López, J. M. & Fuentes-Guerra, R. (2019). The Potential Role of Short Food Supply Chains in Strengthening Periurban Agriculture in Spain: The Cases of Madrid and Barcelona. Sustainability, (11).

Pachoud, C. & Coy, M. Relações de proximidade entre atores locais e as dinâmicas de desenvolvimento territorial: análise da cadeia produtiva do queijo artesanal serrano nos campos de cima da serra/rs. G&DR, 4(2), 157-182.

Renting, H., Marsden, T. K. & Banks, J. (2003). Understanding alternative food networks: exploring the role of short food supply chains in rural development. Environment and Planning, 35, 393 – 411.

Renting, H., Marsden, T. & Banks, J. (2017). Compreendendo as redes alimentares alternativas: o papel de cadeias curtas. In Gazolla, M. & Schneider, S. (Eds), Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas: negócios e mercados da agricultura familiar (pp. 59-82). Porto Alegre: UFRGS.

Severino, A. J. (2016) Metodologia do Trabalho Científico. 24º ed. rev. e atual. São Paulo: Cortez.

Silvestre, L. H. A., Ribeiro, Á. E. M. & Freitas, C da S. (2011). Subsídios para a construção de um programa público de apoio à feira livre no Vale do São Francisco, MG. Organizações Rurais & Agroindustriais, Lavras, 13(2), 186-200.

Published

08/05/2020

How to Cite

VALE, N. K. A. do; SANTANA, S. N.; DE SOUZA, C. B.; BOTTEGA, D. B. Short distribution channels of horticulture produce in Open-air markets in the City of Iporá-GO, Brasil. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 7, p. e223974035, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i7.4035. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/4035. Acesso em: 24 may. 2024.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences