Syphilis in pregnant women residing in Vilhena and Rondônia: epidemiological profile and detection rate (2010-2020)

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v12i4.40795

Keywords:

Sexually Transmitted Infections; Pregnancy; Treponemal Infections; Congenital syphilis.

Abstract

Objective: to describe the epidemiological profile, rate and trend of detection of syphilis during pregnancy in the municipality of Vilhena and in the state of Rondônia, from 2010 to 2020. Methodology: This is a descriptive, cross-sectional, retrospective epidemiological study with a quantitative approach, based on secondary sources of information, aiming to analyze the detected cases of syphilis during pregnancy notified in the period from 2010 to 2020 in the municipality of Vilhena and in the state of Rondônia. Results and Discussion: From the data analyzed, the age group of pregnant women detected with syphilis aged 20 to 39 years, self-declared brown, in which they did not complete elementary school and who were diagnosed in the primary clinical phase of the infection, had higher detection rates in the study period. In general, a growing trend was also identified in cases of syphilis in pregnant women over the years, where the municipality of Vilhena presented a RPV 4332.5%, and the state of Rondônia 719.62%. Conclusion: It is necessary to invest in actions and strategies that efficiently achieve the reduction of cases of syphilis in pregnant women, such as training professionals to guarantee the quality of prenatal care, and health education in the prevention of Sexually Transmitted Infections, as well as the serious implications of syphilis infection in pregnancy.

Author Biography

Magda da Silva de Oliveira, Faculdade Uninassau de Vilhena

Bachelor of Nursing from the State University of Mato Grosso (2014-2019). Postgraduate Latu Sensu: Public Health with Emphasis on Family Health from Universidade Pitágoras UNOPAR. Resident in the Uniprofessional Program in Obstetric Nursing (Mar/2021 - Feb/2023) - by Faculdade Uninassau de Vilhena (Vilhena-RO).

References

Bertusso, T. C. B., Obregón, P. L., Moroni, J. G., Silva, E. B., Silva, T. A. A. L., Wagner, L. D. & Piazza, T. (2018). Características de Gestantes com Sífilis em um Hospital Universitário do Paraná. Revista de Saúde Pública do Paraná. 1(2), 129-140. http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/59/42

Brasil. (2021). Boletim Epidemiológico de Sífilis. Número Especial | Out. 2021. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis – DCCI. https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/boletins/epidemiologicos/especiais/2021/boletim_sifilis-2021_internet.pdf

Brasil. (2022a). Boletim Epidemiológico de Sífilis. Número Especial | Out. 2022 Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis – DCCI.

https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/boletins/epidemiologicos/especiais/2022/boletim-epidemiologico-de-sifilis-numero-especial-out-2022/view

Brasil. (2022b). Manual de gestação de alto risco. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/atencao-mulher/manual-de-gestacao-de-alto-risco-ms-2022/

Brasil. (2004). Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. https://conselho.saude.gov.br/ultimas_noticias/2007/politica_mulher.pdf

Brasil. (2012). Portaria nº 77, de 12 de janeiro de 2012. (Dispõe sobre a realização de testes rápidos, na atenção básica, para a detecção de HIV e sífilis, assim como testes rápidos para outros agravos, no âmbito da atenção pré-natal para gestantes e suas parcerias sexuais). Diário Oficial da República Federativa do Brasil. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt0077_12_01_2012.html

Brasil. (2022c). Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_clinico_atecao_integral_ist.pdf

Brasil. (2006). Sistema de Informação de Agravos de Notificação - Sinan: normas e rotinas. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica.

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/sistema_informacao_agravos_notificacao_sinan.pdf

Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia. (2019). Tratado de Obstetrícia. 1. Ed. Elsevier.

Domingues, C. S. B., Duarte, G., Passos, M. R. L., Sztajnbok, D. C. N. & Menezes, M. L. B. (2021). Protocolo Brasileiro para Infecções Sexualmente Transmissíveis 2020: sífilis congênita e criança exposta à sífilis. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 30(Esp.1). https://www.scielo.br/j/ress/a/SwXRF6pXG3hX58K86jDSckv/?format=pdf&lang=pt

Guimarães, T. A., Alencar, L. C. R., Fonseca, L. M. B., Gonçalves, M. M. C. & Silva, M. P. (2018). Sífilis em Gestante e Sífilis Congênita no Maranhão. Arquivos Ciências da Saúde. 25(2) 24-30. https://docs.bvsalud.org/biblioref/2019/12/1046449/a5.pdf

Lima, V. C., Mororó, R. M., Martins, M. A., Ribeiro, S. M. & Linhares, M.S. C. (2017). Perfil Epidemiológico dos casos de sífilis congênita em um município de médio porte no nordeste brasileiro. Jounal of Health and Biological Sciences, 5 (1), 56-61. https://periodicos.unichristus.edu.br/jhbs/article/view/1012/406

Yoshimoto, C. E., Okada, G. G. O. & Diniz, E. M. A. (2020). Sífilis congênita. In Melo, A. M. A. G. P., Schvartsman, B. G. S., Maluf Jr, P. T., Carneiro-Sampaio, M. ... Carvalho, W. B. Neonatologia. 2ª ed. (Coleção Pediatria) – Barueri (SP): Manole.

Miranda, B. L., Marçal, F. A., Coelho, H. P., Sales, J. K. D., Melo, C. S. & Feitosa, A. C. (2020). Perfil Epidemiológico de Gestantes Portadoras de Sífilis em um Município da Região do Cariri. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção, 10 (2). https://online.unisc.br/seer/index.php/epidemiologia/article/view/14066

Moreira, D. (2019). Epidemiologia da Sífilis Congênita e Materna em um Hospital Público do Município de Carapicuíba – SP. Journal Health NPEPS. 4 (2), 200-214. https://periodicos.unemat.br/index.php/jhnpeps/article/view/3633/3354

Moreira, K. F. A., Oliveira, D. M., Alencar, L. N., Cavalcante, D. F. B.; Pinheiro, A. S. & Orfão, N. H. (2017). Perfil dos Casos Notificados de Sífilis Congênita. Revista Cogitare Enfermagem, 22 (2). https://docs.bvsalud.org/biblioref/2017/10/859854/48949-200945-1-pb.pdf

Moroskoski, M., Rozin, L., Batista, M.C., Queiroz, R.O. & Silva, S. P. (2018). Perfil de Gestantes Adolescentes Diagnosticadas com Sífilis em Curitiba-PR. Revista de Saúde Pública, 1 (1), 47-58. http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/39/12

Mozzatto, L., Izolan, T. N., Francescon. H. T., Batista, G. N., Garcia, G. M., Serafini, J. C. ... Malacarne, G. D. (2021). Sífilis congênita e gestacional: indicadores temporais entre 2008-2018, no Rio Grande do Sul, Brasil. Revista da Associação Médica do Rio Grande do Sul, 65 (4). https://docs.bvsalud.org/biblioref/2022/06/1373185/ao-29171.pdf

Organização Mundial da saúde / Organização Panamericana de Saúde (OMS/OPAS). (2017). Marco para la eliminación de la transmisión maternoinfantil del VIH, la sífilis, la hepatitis y la enfermedad de Chagas. https://www.paho.org/hq/dmdocuments/2017/2017-cha-etmi-plus-marco-vih-hep-chagas.pdf

Padovani, C., Oliveira, R. R. & Pelloso, S. M. (2018). Sífilis na Gestação: associação das características maternas e perinatais em região do sul do Brasil. Revista Latino Americana de Enfermagem, 9 (26). https://www.scielo.br/j/rlae/a/KXZGyqSjq4kVMvTL3sFP7zj/?format=pdf&lang=pt

Peeling, R., Mabey, D., Kamb, M., Chen, X. S., Radolf, J. D. & Benzaken, A. S. (2017). Sífilis. Nature Reviews Disease Primers, 3 (17073), 1-21. https://doi.org/10.1038/nrdp.2017.73

Ramos, M. G. & Boni, S. M. (2018). Prevalência da Sífilis Gestacional e Congênita na População do Município de Maringá – PR. Revista Saúde e Pesquisa, 11 (3), 517-526. https://periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/saudpesq/article/view/6695/3285

Santos, M. D., Silva, F. A. F. L., Rigo, F. L., Silveira, T. V. L., Sacramento, S. C. & Camponêz, P. S. P. (2022). Perfil Epidemiológico dos Casos Notificados de Sífilis Materna e Congênita em uma Maternidade Referência em Belo Horizonte. Revista Médica de Minas Gerais, (32). https://rmmg.org/artigo/detalhes/3917

Santos, V. F., Albuquerque, A. C. D., Lages, C. M., Pereira, L. C., Cunha, K. J. B. & Silva, D. P. (2019). Perfil Epidemiológico de Casos de Sífilis em Gestantes em uma Maternidade Pública. Cultura de los Cuidados, 23, (54), 396-406. http://rua.ua.es/dspace/handle/10045/96350

Silva, G. A., Noronha, C. P., Santos, M. de O. & Oliveira, J. F. P. (2008). Diferenças de gênero na tendência de mortalidade por câncer de pulmão nas macrorregiões brasileiras. Revista Brasileira de Epidemiologia, 11(3), 411–419. https://doi.org/10.1590/s1415-790x2008000300008

Silva, L. C. V. G., Teodoro, C. J., Silva, J. K., Santos, D. A. S. & Olinda, R. A. (2017). Perfil dos Casos de Sífilis Congênita em um Município do Sul de Mato Grosso. Jornal Health NPEPS, 2 (2), 380-390. https://periodicos.unemat.br/index.php/jhnpeps/article/view/2656/2148

Silveira, B. J., Rocha, B. P. C., Silveira, A. A. D., Fagundes, L. C., Silveira, A. V. D., Abreu, C. D. D. ... Rocha, W. N. F. (2021). Perfil Epidemiológico dos Casos Notificados de Sífilis em Gestantes em Minas Gerais, de 2013 a 2017. Revista Médica de Minas Gerais, (31). https://docs.bvsalud.org/biblioref/2021/09/1291250/e31104.pdf

Sousa, A. C. F., Rende, V. F., Almeida, D. C., Rezende, S. C. & Oliveira, S. V. (2022a). Análise epidemiológica dos casos de sífilis na gestação em Uberlândia (MG) de 2011 a 2020. Journal Health NPEPS, 7 (1). https://docs.bvsalud.org/biblioref/2022/08/1380536/document-5.pdf

Sousa, S. S., Silva, Y. B., Oliveira, H. F. C., Castro, A. G. S. & Filho, A. C. A. A. (2022b). Aspectos clínico-epidemiológicos da sífilis gestacional no nordeste do Brasil. Revista Ciência Plural, 8 (1). https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/22522/14893

Soares, K. K. S., Prado, T. N., Zandonade, E., Moreira-Silva, S. F. & Miranda, A. E. (2020). Análise espacial da sífilis em gestantes e sífilis congênita no estado do Espírito Santo, 2011-2018. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde, 29 (1). https://doi.org/10.5123/S1679-49742020000100018

Soares, M. A. S. & Aquino, R. (2021). Completude e caracterização dos registros de sífilis gestacional e congênita na Bahia, 2007-2017. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde, 30 (4). https://www.scielo.br/j/ress/a/zDffptPDS8JRtYD8GnBH4Tc/?format=pdf&lang=pt

Published

23/03/2023

How to Cite

OLIVEIRA, M. da S. de .; ZOCHE, T. L. .; SOUZA, S. C. de . Syphilis in pregnant women residing in Vilhena and Rondônia: epidemiological profile and detection rate (2010-2020). Research, Society and Development, [S. l.], v. 12, n. 4, p. e1612440795, 2023. DOI: 10.33448/rsd-v12i4.40795. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/40795. Acesso em: 2 jun. 2023.

Issue

Section

Health Sciences