Specialized ducational care in the development of the student with autism

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v12i4.41080

Keywords:

Specialized educational service; Multifunctional resource room; Autism Spectrum Disorder; School inclusion.

Abstract

The Specialized Educational Service - AEE is ensured by law through the Multifunctional Resource Rooms - SRM through federal resolution, to meet students with different disabilities, in a complementary and supplementary way, which includes neurodevelopmental disorder, where the Autism Spectrum Disorder - ASD is located. Aiming to contribute and participate in the process of inclusion of the student with autism, the teacher of the Specialized Educational Service has different and arduous functions within the school environment, which go through the limits of the school. This teacher of the special education modality should articulate intersectoral dialogues in favor of the students, involving therapists, clinicians, family and other care. This article shows, through the field research, carried out in the municipality of Itaboraí/RJ, in 2019, the time of work and the academic training of the professionals who make up the special education, being these those who work in the Multifunctional Resource Rooms, and those who perform the school mediation, assisting the students with autism. In this, through the answers of the interviewees, it is possible to evidence the need and importance of qualification and specific complementary training, taking into account the aspects that make up the disorder and the specificities of each individual within the spectrum.

References

Braun, P. & Marin, M. (2016). Ensino colaborativo: uma possibilidade do Atendimento Educacional Especializado. Revista Linhas. (17) 35, 193-215.

Brasil. (2009). Lei Nº 11.947, de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola aos alunos da educação básica. Brasília.

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília.

Brasil. (2009). Resolução Nº 04, de 02 de outubro de 2009. Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Brasília.

Brasil. (2011). Decreto Nº 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília.

Brasil. (2012). Lei nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista. Brasília.

Brasil. (2015). Lei Nº 13.146, de 6 de julho 2015. Institui a lei brasileira de inclusão da pessoa com deficiência (estatuto da pessoa com deficiência). Brasília.

Brasil. (1996). Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília.

Brasil. (2013). Nota técnica Nº 24, de 21 de março de 2013. Orientação aos sistemas de ensino para a implementação da Lei nº 12.764/2012. Brasília.

Brasil. (2015). Lei Nº 2.556, de 22 de junho de 2015. Adequa o Plano Municipal de Educação, em consonância com as Diretrizes, Metas e Estratégias previstas no Plano Nacional de Educação, aprovado pela lei federal nº 13.005 de 25 de junho de 2014. Itaboraí.

Gil, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa. (5a ed.), Atlas.

IBGE. (2023). Itaboraí. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rj/itaborai/pesquisa/23/23612?detalhes=true.

Libâneo, J. C. (2004). A aprendizagem escolar e a formação de professores na perspectiva da psicologia histórico-cultural e da teoria da atividade. Educar em Revista. (24), 113-47.

Johnson, R. B.& Onwuegbuzie, A. J. (2004). Mixed methods research: a research paradigm whose time has come. Educational Researcher, Washington. (33) 7, 4-26.

APA. (2014). Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. DSM-5 / American Psychiatric Association (APA). (5a ed.), Artmed.

Mantoan, M. T. É; & Santos, M. T. T. (2010). Atendimento educacional especializado: políticas públicas e gestão nos municípios. Moderna.

Mantoan, M. T. É. (2006). Igualdade e diferenças na escola como andar no fio da navalha. Educação. 1 (58), 55-64.

Minayo, M. C. & Sanches, O. (1993). Quantitativo-qualitativo: oposição ou complementaridade? (9) 3, 239-262.

Mousinho, R. et al. (2010). Mediação escolar e inclusão: revisão, dicas e reflexões. Revista Psicopedagia,

Prodanov, C. C & Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. Feevale.

UNESCO. (1994). Declaração de Salamanca. Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. Unesco.

Severino, A. J. (2013). Metodologia do Trabalho Científico. Cortez Editora.

Tardif, M. (2014). Saberes docentes e formação profissional. Vozes.

Tardif, M. & Lessard, C. (2014). O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Vozes.

Published

07/04/2023

How to Cite

BRAGANÇA, A. de C. F. .; LIONE, V. de O. F. .; CAVALCANTI, D. N. . Specialized ducational care in the development of the student with autism. Research, Society and Development, [S. l.], v. 12, n. 4, p. e16112441080, 2023. DOI: 10.33448/rsd-v12i4.41080. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/41080. Acesso em: 20 may. 2024.

Issue

Section

Human and Social Sciences