Delight training in practice scenarios: sizing of curricular internships vacancies at the Health Department of the state of Mato Grosso

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v12i4.41202

Keywords:

Work process; Training; Sizing; Permanent education; Teaching.

Abstract

This article aims to describe the process of collective construction of the methodology of sizing curricular internships vacancies conducted by the School of Public Health for the scenarios of health services practices of the Mato Grosso State Department of Health considering the diversity of knowledge, the importance of complementarity of training and practices of health services. This is an experience report that occurred with the participation of the authors, managers and workers between October 2021 and September 2022, through virtual workshops involving 176 participants with the objective of elaborating and validating the methodology. Indicators and parameters were selected to represent the diagnosis of direct or indirect care services, consisting of hospitals, deconcentrated areas, superintendences and regional offices. The variables used to elaborate the calculation formulas were the number of beds, the rate of hospital occupancy and the number of workers in each service. The elaboration of this tool made it possible to highlight creativity, criticality, plurality of knowledge, collective construction from empirical and scientific knowledge, resulting in a singular and innovative method for the Unified Health System of Mato Grosso.  Considering the scarcity of national and international productions and the novelty of the developed method, it is intended that the report of this experience produces concerns and interest of new publications, allowing expansion and qualification of the theme addressed for the strengthening of public policies of Teaching Service.

Author Biographies

Elisabet Pereira Lelo Nascimento, Escola de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso

Enfermeira sanitarista, mestra em Enfermagem pela Faculdade de Enfermagem
da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), doutora em Saúde Coletiva
pela Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, atuou como apoio técnico do Departamento
de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de
Campinas, pesquisadora convidada da Universidade Federal de Goiás e docente externa da Escola de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso.

Aline Nogueira Olivé, Escola de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso

Graduada em biomedicina pelo Centro Universitário do Sul de Minas (UNIS-MG), mestrado (USP), trabalhou com modulação da expressão gênica utilizando técnicas de transfecção plasmidial, silenciamento gênico e controle da expressão de microRNA, no carcinoma papilífero de tiroide, docente externa da Escola de Saúde Publica do Estado de Mato Grosso.

Maria Luiza Fonseca do Valle, Escola de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso

Licenciada em Educação Física, mestra em Ciências da Educação pela
Universidade Internacional de Lisboa (Portugal), docente externa da Escola de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso.

Silvia Aparecida Maria Lutaif Dolci Carmona, Escola de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso

Enfermeira, especialista em Processos Educacionais em Saúde com ênfase em
Avaliação de Competência pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio
Libanês, especialista em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde e em Saúde da
Família pela Universidade Estadual de Campinas. Pesquisadora convidada da Universidade Federal de Goiás. Docente externa da Escola de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso.

Vânia Maria Corrêa Barthamann, Escola de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso

Cirurgiã-dentista, sanitarista, especialista em Gestão Estratégica Pública para
Governantes pela Universidade Estadual de Campinas, Especialista em Gestão da
Clínica nas Redes Metropolitanas e em Processos Educacionais na Saúde com
ênfase em Facilitação de Metodologias Ativas de Ensino-Aprendizagem e
Avaliação de Competências pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio
Libanês, pesquisadora convidada Universidade Federal de Goiás e docente externa da Escola de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso.

Silvia Aparecida Tomaz, Escola de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso

Graduação em Serviço Social pela Universidade Federal de Mato Grosso, Mestre em Saúde Pública em Gestão do Trabalho e Educaação na Saúde pela Fiocruz, especialista em Política de Recursos Humanos em Saúde pela Fiocruz, e em Comportamento Humano naas Organizações pela UFMT. Diretora da Escola de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso.

References

Barthmann, V. M. C., Carmona, S. A. M. L. D., Piovesan, M. C. D., Valle, M. L. F., & Nascimento, E. P. L. (2020). Experiência da formação de facilitadores para implantação da metodologia de dimensionamento da força de trabalho em saúde. Revista Brasileira de Educação e Saúde, 10(4), 27-34. https://doi.org/10.18378/rebes.v10i4.8167

Brasil (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF. Presidência da República.

Brasil (1990). Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, DF. Presidência da República.

Brasil (2008). Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008. Dispõe sobre o estágio de estudantes. Brasília, DF. Presidência da República.

Carvalho, C. A., Gonçalves, A. C. S., & Castro, V. C. G. (2022). Trabalhadores administrativos em saúde: Observatório dos técnicos em saúde. Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). http://www.observatorio.epsjv.fiocruz.br/

Ceccim, R.B. (2005). Educação Permanente em Saúde: desafio ambicioso e necessário. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, 9(16), 161-177. https://doi.org/10.1590/S1414-32832005000100013/

Colliselli, L., Tombini, L. H. T., Lepa, M. E., & Reibnitz, K. S. (2009). Estágio curricular supervisionado: diversificando cenários e fortalecendo a interação ensino-serviço. Revista Brasileira de Enfermagem, 62(6), 932-937. https://doi.org/10.1590/S0034-71672009000600023

Corrêa, A. K., Clapis, M. J., & Moraes, S. H. M. (2022). Perfis profissionais de planos de cursos técnicos em saúde: mercado, SUS e formação humana. Trabalho, Educação e Saúde, 20(e00237183). https://doi.org/10.1590/1981-7746-ojs237

Couto, V. B. M., Santos, C. M. B., Sampaio, B. P., Almeida, I. S., Medeiros, S. C., Santos, N. G. S., Menezes, T. A. N., Santos, D. C., Coelho, F. L. P., Correia, G. S., & Gusman, J. L. D. (2018). Vivenciando a Rede: Caminhos para a Formação do Médico no Contexto do SUS. Revista Brasileira de Educação Médica, 42 (2), 4-14. http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v42n2RB2016107

Duarte, E. R. M., Kaiser D. E., Ferla A. A., & Ferreira, G. E. (2020). Olhares de saúde coletiva à covid-19: interprofissionalidade e reorientação das profissões para produção da saúde na pandemia. In: Dias, M. T. G. (org.). Desenvolvimento do trabalho e formação na saúde: diálogos e artesanias. Evangraf, 31-91.

Emmi, D. T., Silva, D. M. C. D., & Barroso, R. F. F. (2017). Experiência do ensino integrado ao serviço para formação em Saúde: percepção de alunos e egressos de Odontologia. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, 22(64), 223-236. https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0655

Gil, A.C. (2002). Com elaborar projetos de pesquisas. Atlas. 176. https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/150/o/Anexo_C1_como _elaborar_projeto_de _pesquisa_ -_antonio_carlos_gil.pdf

Jesus, J. M., & Rodrigues, W. Trajetória da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde no Brasil. Trabalho, Educação e Saúde, 20(e001312201). https://doi.org/10.1590/1981-7746-ojs1312

Lopes, E. S. F., & Machado, C. L. B. (2021). Formação de trabalhadores para o Sistema Único de Saúde: a historicidade da proposição e criação de um Programa de Residência Multiprofissional em Saúde num Hospital Público da Região Sul. Brazilian Journal of Development, 7(8), 78144-78160. https://doi.org/10.34117/bjdv7n8-166/

Machado, C. R., & Dal Poz, M. R. (2015). Sistematização do conhecimento sobre as metodologias empregadas para o dimensionamento da força de trabalho em saúde. Saúde em Debate. 39(104), 239-254. https://doi.org/10.1590/0103-110420151040498

Mato Grosso (2011). Lei Complementar nº 441, de 24 de outubro de 2011. Institui a Carreira dos Profissionais do Sistema Único de Saúde-SUS da Secretaria de Estado de Saúde - SES do Poder Executivo do Estado de Mato Grosso, e dá outras providências. Diário Oficial. Mato Grosso. Governo do Estado.

Mato Grosso (2019). Portaria nº 472, de 27 de dezembro 2019. Normatiza o estágio e/ou a prática curricular no âmbito da Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso. Diário Oficial. Mato Grosso. Governo do Estado.

Merhy, E. E. (1997). Em busca do tempo perdido: a micropolítica do trabalho vivo em saúde. In: Merhy, E. E. & Onocko, R. (orgs.). Agir em saúde. Um desafio para o público. Hucitec, 71 -112.

Merhy, E. E. (2005). O desafio que a educação permanente tem em si: a pedagogia da implicação. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, 9(16), 161-177. https://doi.org/10.1590/S1414-32832005000100015

Nascimento, E. P. L., Carmona, S. A. M. L. D., & Barthmann, V. M. C. (2020). Planejamento e dimensionamento da força de trabalho dos estabelecimentos da atenção primária à saúde. In: Nascimento, E. P. L., Carvalho, D. S., Carmona, S. A. M. L.D., & Barthmann, V. M.C. (Orgs.). Planejamento e dimensionamento da força de trabalho em saúde: material didático para secretarias de saúde. IBICT, 49-84.

Oliveira, S. R., Batista, S. S. S. & Almeida, I. B. P. (2019). Teorias e práticas curriculares na educação profissional e tecnológica. Research, Society and Development, 9(1), 1-13. https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/1807/1564

Ribeiro, K. R. B., & Prado, M. L. (2013). A prática educativa dos preceptores nas residências em saúde: um estudo de reflexão. Revista Gaúcha Enfermagem, 34(4), 161-165. http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2014.01.43731/

Rodrigues, C. D. S., & Witt, R. R. (2022). Mobilização e estruturação de competências para a preceptoria na residência multiprofissional em saúde. Trabalho, Educação e Saúde, 20(e00295186). https://doi.org/10.1590/1981-7746-ojs295

Rossoni, E., & Müller, M. M. (2022). Gestão do cuidado em saúde nos Estágios Curriculares de Odontologia no SUS. Revista da ABENO, 22(2), 1688-1702. https://doi.org/10.30979/revabeno.v22i2.1688/

Santos, B. S. (2007). Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Novos estudos CEBRAP, (79), 71-94. https://doi.org/10.1590/S0101-33002007000300004

Silva, E. F.; Trajano, A. S.; Nascimento, A. C.; Ferreira, A. C. G.; Carneiro, C. B. C. M. & Santos, A. N. (2021). Estágio curricular de graduação em Serviço Social: experiência em um hospital na região metropolitana do Recife. Research, Society and Development, 10(12), 1-7. https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20648/18419

Sousa, S. V., & Ferreira, B. J. (2019). Preceptoria: perspectivas e desafios na Residência Multiprofissional em Saúde. ABCS Health Sciences, 44(1), 15-21. https://dx.doi.org/10.7322/abcshs.v44i1.1074

Souza, L. B., & Bonamigo, A. W. (2019). Integração ensino-serviço na formação de profissionais para sistemas públicos de saúde. Trabalho, Educação e Saúde, 17(3), 1-20. http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sol00217

Vilasbôas, A. L.Q. (2019). Modelos de Atenção. In: Paim, J. S. SUS - Sistema Único de Saúde: Tudo o que você precisa saber. Atheneu,173-185.

Published

15/04/2023

How to Cite

NASCIMENTO, E. P. L. .; PEREIRA LELO NASCIMENTO, E.; OLIVÉ, A. N. .; VALLE, M. L. F. do .; CARMONA, S. A. M. L. D. .; BARTHAMANN, V. M. C.; TOMAZ, S. A. . Delight training in practice scenarios: sizing of curricular internships vacancies at the Health Department of the state of Mato Grosso. Research, Society and Development, [S. l.], v. 12, n. 4, p. e22312441202, 2023. DOI: 10.33448/rsd-v12i4.41202. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/41202. Acesso em: 27 feb. 2024.

Issue

Section

Health Sciences