The (re) invention interfaces of undergraduate teaching in nursing in time of COVID-19

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4190

Keywords:

Teaching; Students; Nursing; Education; Distance; Higher.

Abstract

The present study aimed to socialize the experience of a group of academics and nursing professors about the transition from face-to-face study to distance learning in times of COVID-19 pandemic. This is an account of the experience of academics and professors from different periods of undergraduate nursing, in a private higher education institution, located in the West of the State of Rio de Janeiro, from March to April 2020. The experience lived in these pandemic times corroborates that, no matter how much information and communication technologies we have, none of them has the power to replace the teacher's presence in the classroom. In addition, teaching-learning in the areas of health sciences involves and requires a diversity of complex factors inherent to the teaching process. In the area of nursing, this is proven mainly by the dichotomy between face-to-face and distance learning, which highlights the central pillar for our propositions. Thus, when understanding that this complexity is composed of innumerable factors, we must direct our efforts towards academic, personal and institutional particularities, in order to detect critical nodes that prevent the advance or integration of contents, and the development of teaching skills undergraduate nursing courses.

Author Biographies

Cláudio José de Souza, Universidade Federal Fluminense

Graduado em Enfermagem e Obstetrícia (1997) pela Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac (FELM) e Nutrição (2018) pela Faculdade Bezerra de Araújo (FABA). Pós Doutor, Doutor e Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências do Cuidado em Saúde, pela Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa (EEAAC) da Universidade Federal Fluminense (UFF). Atualmente Professor Adjunto A da Universidade Federal Fluminense na Graduação em Enfermagem na disciplina Unidades de Maior Complexidade: Emergência, Nefrologia e CTI, Coordenador e Docente da Pós-Graduação em Enfermagem em Terapia Intensiva e Professor Titular na Graduação em Enfermagem (FABA). Especialista nas áreas de: Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana; Docência do Ensino Superior, Educação Profissional na Área de Saúde: Enfermagem; Gestão de Recursos Humanos; Pedagogia Social e Elaboração de Projetos; Coordenação Pedagógica e Planejamento e em enfermagem, Enfermagem em Urgência e Emergência e em Unidade de Terapia Intensiva. Tem experiencia em Unidades de Terapia Intensiva Adulto, Unidade Coronariana, Pós Operatório de Cirurgias Cardíacas, Educação com ênfase em Enfermagem e Ensino por Competências e no Gerenciamento dos Cuidados de Enfermagem a nível organizacional, assistencial e educacional. . Membro do Grupo de Pesquisa: Cidadania e Gerência na Enfermagem -(NECIGEN - UFF). Colunista do Sistema de Educação Continuada (Secad). Autor do Livro: Manual de Rotina em Enfermagem Intensiva.

Thais Rezende Bessa Guerra, Faculdade Bezerra de Araújo

Graduada em Nutrição, Enfermagem e Licenciada em Ciências Biológicas. Especialista em Vigilância Sanitária; Especialista em Ética e Bioética; Especialista Internacional em Qualidade em Saúde e Segurança do Paciente. Mestre e Doutora em Ciências da Saúde com ênfase em psiquiatria nutricional associada às doenças cardiovasculares e comorbidades associadas, pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Membro fundadora do Instituto de Nutrição do Cérebro & Coração (INCCOR), Diretora Científica do Hospital Municipal Souza Aguiar; Professora da graduação e pós graduação da Faculdade Bezerra de Araújo. Membro da Society for the Advancement of Kinanthropometry (ISAK). Membro do International Society for Nutritional Psychiatry Research (ISNPR). Participa do grupo de pesquisa na área da Insuficiência Cardíaca - da bancada á população, na linha de pesquisa dos cuidados em saúde e biomarcadores, na linha de alimentos e saúde e na linha de estudos sobre a sistematização da assistência (UFF/RJ- INCCOR/RJ). Possui experiência profissional na área de Gestão do cuidado, da assistência e do ensino; na área Clínica atua na terapia nutricional para prevenção e tratamento das comorbidades psiquiátricas,doenças cardíacas e obesidade; Semiologia e Avaliação Nutricional. Possui experiência com orientações de trabalhos acadêmicos e possui prêmios e publicações

Denise da Silva Carvalho, Faculdade Bezerra de Araújo

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Gama Filho (1987). Pós graduação UERJ. Pós em Qualidade em Saúde e Segurança do Paciente pela FIOCRUZ. Especialista em Neonatologia pela SOBEP. Cursando Mestrado em Desenvolvimento Local pela UNISUAM. Atualmente é Coordenadora de Enfermagem do Serviço de Neonatologia e Pediatria do HMRF. Coordenadora da Pós Graduação em Enfermagem Neonatal e Pediátrica da FABA. Professora de Saúde da Criança da Faculdade Bezerra de Araújo (FABA). Professora da pós nível médio do Colégio Bezerra de Araújo (CBA). Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem Pediátrica e Neonatal. 

Reniani Vargas Lami de Jesus, Faculdade Bezerra de Araújo

Possui graduação em Enfermagem pela Faculdade Bezerra de Araujo,aperfeiçoamento em Facilitador de Educação Permanente em Saúde,Especialização em gestão em saúde pela ENSP/Fiocruz e Mestrado em Saúde Pública pela ENSP/Fiocruz

Lucia Helena Oliveira da Costa, Faculdade Bezerra de Araújo

Possui graduação em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1989) e mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002). Atuou como enfermeira do Hospital Estadual Pedro II e do CTQ do Hospital Estadual Melchíades Calazans ( sala de balneoterapia); na qualidade de docente da Faculdade Bezerra de Araújo ministrou as seguintes disciplinas:História da Enfermagem; Semiologia e Semiotécnica; Administração em Enfermagem I; Enfermagem Cirúrgica; atualmente docente 20h, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no curso de Graduação em Enfermagem e Obstetrícia (Eixo de Enfermagem Médico Cirúrgica) e Docente Da Escola Técnica Santa Cruz/RJ da rede FAETEC nas disciplinas de Anatomia e Fisiologia; Projeto de Pesquisa Aplicada á Saúde I, II e III e Enfermagem Cirúrgica.

Michele Kikuko Issobe, Faculdade Bezerra de Araújo

Acadêmica de Enfermagem

Helen Leôncio de Souza Vieira, Faculdade Bezerra de Araújo

Academica de Enfermagem Faculdade Bezerra de Araújo

Daiana Alves dos Santos, Faculdade Bezerra de Araújo

Atualmente acadêmica do sétimo período de Enfermagem na Faculdade Bezerra de Araújo-FABA. Atuo como técnica de laboratório em análises clínicas no laboratório de Separação de Hemocomponentes no Instituto Estadual de Hematologia Arthur de Siqueira Cavalcanti. Venho por meio deste solicitar uma oportunidade de estágio em Enfermagem.

Caio Fabio dos Santos Zamba, Faculdade Bezerra de Araújo

Possui ensino-medio-segundo-graupelo Colégio Bezerra de Araújo(2014). Atualmente é Técnico em enfermagem da Prefeitura Municipal de Mangaratiba. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem técnica.

References

Bondia, JL. (2002). Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, (19), 20-28.

Brasil. (2019). Ministério da Educação. Portaria n. 2.117, de 06 de dezembro de 2019. Dispõe sobre a oferta de carga horária na modalidade de Ensino a Distância - EaD em cursos de graduação presenciais ofertados por Instituições de Educação Superior - IES pertencentes ao Sistema Federal de Ensino. Acesso em 10 maio 2020, em: http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-2.117-de-6-de-dezembro-de-2019-232670913

Costa, ITLG. (2016). Metodologia do ensino a distância. Salvador: UFBA.

Fabbro, MRC, Salim, NR, Bussadori, JCC, Okido, ACC & Dupas, G. (2018). Estratégias ativas de ensino e aprendizagem: percepções de estudantes de enfermagem. Revista Mineira em Enfermagem. 22, e-1138.

Fernandes, WS, Barros Júnior, MC, Cortelli, AFD, Miranda, PE & Lapena, SAB. (2018). Educação a distância: principais aspectos positivos e negativos. Revista Brasileira de Educação e Saúde, 8(4), 41-47.

Franco, M. (2016). Prática pedagógica e docência: um olhar a partir da epistemologia do conceito. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 97(247), 534-551.

Frota, M. Albuquerque., Wermelinger, M.C. M.W., Vieira, L.J.E.S., Ximenes Neto, F. R. G., Queiroz, RSM & Amorim, RF. (2020). Mapeando a formação do enfermeiro no Brasil: desafios para atuação em cenários complexos e globalizados. Ciência & Saúde Coletiva, 25(1), 25-35.

Haubrich, DB, Froehlich, C. (2020). Benefícios e Desafios do Home Office em Empresas de Tecnologia da Informação. Revista Gestão & Conexões, 9(1), 167-184.

Karpinski, JÁ, Del Mouro, NF, Castro, M. & Lara, LF. (2017). Fatores críticos para o sucesso de um curso em EAD: a percepção dos acadêmicos. Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, 22(2), 440-457.

Lobo, ASM & Maia, LCG. (2015). O uso das TICs como ferramenta de ensino-aprendizagem no Ensino Superior. Caderno de Geografia, 25(44), 17-26.

Muñoz, R. (2020). A Experiência internacional com os impactos da COVID-19 na educação. Nações Unidas do Brasil. Acesso em 05 de maio, 2020 em: https://nacoesunidas.org/artigo-a-experiencia-internacional-com-osimpactos-da-covid-19-na-educação

Oliveira, GG. (2014). Neurociências e os processos educativos: um saber necessário na formação de professores. Educação Unisinos, 18(1),13-24.

Pereira, AS, Pareira, FJ, Silveira, SR & Bertagnolli, SC. (2017). Metodologia da aprendizagem em EAD [recurso eletrônico]. 1ed. – Santa Maria, RS : UFSM, NTE, 2017. Acesso em 10 maio 2020 em: https://nte.ufsm.br/images/identidade_visual/ Metodologiaaprendizagem.pdf

Pereira, AS, Shitsuka, DM, Parreira, FJ & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Acesso em: 10 Maio 2020. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_ Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Pinheiro, RM. (2016). A Contribuição da Educomunicação para o ensino superior. In: Nagamini, E. (org). Questões teóricas e formação profissional em comunicação e educação [online]. Ilhéus, BA: Editus. Disponível em: https://static.scielo.org/scielobooks/yc8gx/pdf/nagamini-9788574554396.pdf

Quadros, JS & Colomé, JS. (2016). Metodologias de ensino-aprendizagem na formação do enfermeiro. Revista Baiana de Enfermagem, 30(2), 1-10.

Souza, C. J., Carvalho, M. E. S., & Paula, S. M. B. A. (2020). Vivências e possibilidades em um estágio curricular em saúde coletiva na nutrição. Research, Society and Development, 9(6),e80963576.

Souza, CJ & Valente, GSC. (2015). O ensino de enfermagem e sua complexidade: uma questão de competência. Revista de Enfermagem UFPE on line. 9(Supl. 4), 8038-43.

Souza, CJ & Valente, GSC. (2017). Formação pedagógica do enfermeiro docente baseada em competências: exigência ou necessidade? European Journal of Education Studies, 3(3), 241-251.

Valente, JA. (2014). Blended learning e as mudanças no ensino superior: uma proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, (spe 4), 79-97.

Velasco, MTQ. (2015). Aprendizagens na era digital: dentro e fora da escola. In: Comunicação & Educação / Revista do Departamento de Comunicações e Artes da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. 20(1). São Paulo : CCA-ECA-USP.

Weber, APT, Firmini, F, & Weber, LC. (2019). Metodologias ativas no processo de ensino da enfermagem: revisão integrativa. Revista Saúde Viva Multidisciplinar da Ajes. 2(2), 82-114.

Published

12/05/2020

How to Cite

SOUZA, C. J. de; BESSA GUERRA, T. R.; CARVALHO, D. da S.; JESUS, R. V. L. de; COSTA, L. H. O. da; ISSOBE, M. K.; VIEIRA, H. L. de S.; SANTOS, D. A. dos; ZAMBA, C. F. dos S. The (re) invention interfaces of undergraduate teaching in nursing in time of COVID-19. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 7, p. e289974190, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i7.4190. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/4190. Acesso em: 2 oct. 2022.

Issue

Section

Education Sciences