Rural sanitation: Strategies for sanitation in communities in the Municipality of Itaúna - MG

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v13i1.44738

Keywords:

Technological solutions; Local conditions; Conception Study; Feasibility analysis.

Abstract

The lack of sanitary sewage systems has caused numerous negative consequences to the environment and the integrity of human health in urban areas; and especially in rural areas where this deficit is even greater. In this sense, this research sought to study strategic and technological solutions for sewage services for the rural population of the municipality of Itaúna. This study is guided by the strategies guided by the National Rural Sanitation Program (PNSR), which consider local conditions for choosing solutions, through a technological matrix; and the reference for choosing UNICAMP solutions. With these documents as a theoretical basis, the design study and feasibility analysis for sewage treatment in the rural communities of Carneiros and São José de Pedras in the Municipality of Itaúna were developed. In the design study, a comparative table was drawn up between all possible technological solutions, including efficiency, implementation and maintenance costs, advantages and disadvantages. The feasibility analysis, which considers the importance of continuity of services after implementation, highlighted an individual solution, the evapotranspiration tank for fecal water and the banana tree cycle for gray water. For a collective solution, involving fecal water and ash, the septic tank followed by an anaerobic filter stood out for its efficiency and low maintenance cost. The methodology used in this study, based on local conditions for choosing solutions, appears appropriate to be replicated in other rural locations with a deficit in sanitation.

References

ABNT. (1997). NBR 13969: Tanques sépticos – Unidades de tratamento complementar disposição final dos efluentes líquidos – Projeto, construção e operação. Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

ABNT. (1993). NBR 7229: Projeto, Construção e operação de sistemas de tanques sépticos. Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Rio de Janeiro: ABNT.

Bos, R. (2017). Manual Sobre os Direitos Humanos à Água Potável e Saneamento para Profissionais. IWA Publishing.

Brasil. (2020). Decreto nº 10.588, de 24 de dezembro de 2020. Dispõe sobre o apoio técnico e financeiro de que trata o art. 13 da Lei nº 14.026, de 15 de julho de 2020.

Brasil, Fundação Nacional de Saúde. (2021b). Programa Nacional de Saneamento Rural: Análise Situacional do Saneamento Rural no Brasil. Brasília: Funasa.

Brasil, Fundação Nacional de Saúde. (2021c). Programa Nacional de Saneamento Rural PNSR: eixos estratégicos, aspectos teóricos, conceituais da gestão, educação e participação social. Brasília: Funasa.

Brasil, Fundação Nacional de Saúde. (2019). Programa Nacional de Saneamento Rural: Eixos Estratégicos - Matrizes Tecnológica. Brasília: Funasa.

Brasil. (2007). Lei nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007. Brasília, DF: Brasil.

Brasil. (2020). Lei nº 14.026, de 15 de julho de 2020. Brasília, DF.

Brasil, Ministério da Saúde, Fundação Nacional de Saúde. (2015). Manual de saneamento. (4a ed.), Funasa.

Brasil, Ministério da Saúde. (2018). CataloSan: catálogo de soluções sustentáveis de saneamento - gestão de efluentes domésticos. Campo Grande: UFMS.

Brasil, Ministério das Cidades. (2013). PLANSAB - Plano Nacional de Saneamento Básico. Brasília - DF.

Brasil, Ministério das Cidades. (2018a). Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento: Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgotos – 2016. Brasília: SNSA/MCIDADES.

Brasil, Ministério do Desenvolvimento Regional, Secretaria Nacional de Saneamento. (2021a). Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento: Diagnóstico Temático Serviços de Água e Esgoto – 2020. Brasília, DF.

Brasil, Ministério da Saúde, Fundação Nacional de Saúde. (2019). Programa Nacional de Saneamento Rural. Brasília: Funasa.

Brasil. (2011). Resolução CONAMA Nº 430, de 13 de maio de 2011. Brasília: Ministério do Meio Ambiente - CONAMA.

CBH PIRACICABA-MG. (2017).

Cidade-Brasil. (2021).

Climate-Data. (2019).

Freitas, F. G., & Magnabosco, A. L. (2018). Benefícios econômicos e sociais da expansão do saneamento no Brasil. Instituto Trata Brasil.

Fundação Nacional de Saúde - FUNASA. (2006). Manual de saneamento. (3a ed.) rev. Fundação Nacional de Saúde.

Galvão Junior A. C. (2009). Desafios para a universalização dos serviços de água e esgoto no Brasil. Rev Panam Salud Publica, 25(6), 548-556.

IAS - Instituto Água e Saneamento. (2021).

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2006). Geomorfologia.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). IBGE Cidades – População.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2019). IBGE Cidades - Biomas.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2021). IBGE Cidades - Área territorial.

Infosanbas. (2022). Visualização de dados abertos sobre Saneamento.

Instituto Trata Brasil. (2021). Esgoto. Instituto Trata Brasil.

Kligerman, D.C. (1995). Esgotamento Sanitário - De alternativas Tecnológicas a Tecnologias Apropriadas - Uma análise do contexto brasileiro. Dissertação (Mestrado em Planejamento Urbano e Regional) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ/IPPUR, Rio de Janeiro.

Ondas Brasil. (2019). Relatório 70/203. AG Index: A/70/203, vinte e sete de julho de 2015b.

ONU – Organização das Nações Unidas. (2015a). Transformando nosso mundo: a Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável.

ONU. OHCHR. (2015). Direito ao saneamento, um direito humano distinto – Mais de 2,5 bilhões de pessoas não têm acesso ao saneamento.

PMSB - Plano Municipal de Saneamento Básico. Itaúna- MG. (2018, v.1).

PMSB - Plano Municipal de Saneamento Básico. Itaúna- MG. (2018, v.2).

Refworld. (2013). Resolução 24/18. AG Index: A/HRC/RES/24/18, oito de outubro de 2013.

SHS Consultoria e Projetos de Engenharia LTDA. EPP. (2017b).

Silva, T. V. G. (2016). O Direito Humano de acesso à Água potável e ao Saneamento básico. Análise da posição da corte interamericana de direitos humanos. São Paulo.

SINAPI – Sistema Nacional de pesquisa de custos e índices da construção civil. (2020).

Tonetti, A. L., 1973. Tratamento de esgotos domésticos em comunidades isoladas: referencial para a escolha de soluções. Biblioteca/Unicamp, 2018.

Tsutiya, M. T., & Além Sobrinho, P. (2011). Coleta e Transporte de Esgoto Sanitário. (3a ed.), ABES - Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental.

UN. (2015c). Relatório 30/39. AG Index: A/HRC/30/39, cinco de agosto de 2015c.

Universidade Federal de Minas Gerais. (2014). (4a ed.).

Vieira, I. (2010). BET - Bacia de Evapotranspiração. Setelombas.

Vieira, I. (2006). Círculo de bananeiras. Setelombas.

Von Sperling, M. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. Belo Horizonte: Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental, Universidade.

Published

12/01/2024

How to Cite

ASSIS , K. K. V. de .; COSTA, J. de S. .; GONTIJO, H. M. . Rural sanitation: Strategies for sanitation in communities in the Municipality of Itaúna - MG. Research, Society and Development, [S. l.], v. 13, n. 1, p. e5413144738, 2024. DOI: 10.33448/rsd-v13i1.44738. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/44738. Acesso em: 27 may. 2024.

Issue

Section

Engineerings