When New Proletarians enter the scene: The brake (strike) of app delivery people in Brazil in July 2020

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v13i1.44896

Keywords:

Brake of apps; Fourth industrial revolution; Uberization; App delivery people; COVID-19 pandemic; Horizontalist unionism; Social networks.

Abstract

The objective of this article is to analyze the underlying reasons that caused the first strike(break) of app delivery drivers that took place in Brazil in July 2020, in the midst of the COVID-19 pandemic, which gave rise to new proletarians on the Brazilian political scene, having as general frameworks the international struggles of workers against large delivery platforms, which emerged from the fourth industrial revolution and expanded from the crisis of capitalism in the years 2007-2008, in the so-called “uberization” wave. The research had two moments: a review of the bibliography on platform capitalism and the “fourth industrial revolution”, in addition to strike movements in other countries and, in the second moment, the application of a Google form with 286 participants about working conditions and participation in the 2020 break, using the “snowball” method, in addition to two interviews with two main leaders of the movement that broke out in Brazil that year. The conclusion we reach is that this is a highly precarious, super-exploitation movement of workers, with long working hours and low income that objectively clashes with the large companies of platform capitalism, moving from the “class in itself” stage to “class for itself”, in addition to having a completely horizontalist character, bypassing the old Brazilian union structures and having social networks as its main support point and its leaders. But this is a movement in transition to social security and labor regulations.

References

Abílio, L. C. et al. (2020). Condições de trabalho de entregadores via plataforma digital durante a Covid-19. Revista Jurídica Trabalho e Desenvolvimento – Procuradoria Regional do Trabalho da 15ª Região, 3. (11/10/20). http://www.revistatdh.org/index.php/Revista-TDH.

Alexandre, R. (2023). Breque dos Apps e Condições de Trabalho. [Entrevista cedida a] João Santiago. Entrevista oral concedida para o Projeto de Pesquisa Quando Novos Proletários entram em cena: o breque dos apps no Brasil em Julho de 2020 da Faculdade de Ciências Sociais da UFPA. Duque de Caxias, Rio de Janeiro, agosto/23.

Amorim, H. & Moda, F. B. (2020). Trabalho por aplicativo: gerenciamento algorítmico e condições de trabalho dos motoristas da Uber. Revista Fronteiras – estudos midiáticos 22(1):59-71 janeiro/abril 2020, Unisinos.

Antunes, R. (1992). A Rebeldia do Trabalho: o confronto operário no ABC Paulista: as greves de 1978/80. (2a ed.). Editora da Unicamp.

Antunes, R. (2018). O Privilégio da Servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. Boitempo Editorial (Mundo do Trabalho).

Antunes, R. (2019). Proletariado digital, Serviços e Valor. In: Antunes, Ricardo (Org.). Riqueza e Miséria do Trabalho no Brasil: trabalho digital, autogestão e expropriação da vida. Boitempo. (mundo do Trabalho).

Antunes, R. (Org.). (2020.). Uberização, Trabalho Digital e Indústria 4.0. Boitempo Editorial (Mundo do Trabalho)

Antunes, R. (2022). Capitalismo Pandêmico. Boitempo (Mundo do Trabalho).

Antunes, R. (Org.), (2023). Icebergs à deriva: o trabalho nas plataformas digitais. Boitempo, Mundo do Trabalho.

Araújo Costa, R. C. & Araújo, N. R. (2020). Precarização do trabalho “uberizado” em tempos de pandemia: entre o vírus e a fome, uma análise da linha de frente invisibilizada. In: P189 Pandemia e Crises: Percepções Jurídicas e Sociais. Organizadores: Regina Alice Rodrigues Araujo Costa, Adrian Gabriel Serbim de Lima e Sérgio da Silva Pessoa. Even3 Publicações, 1 livro digital; 257 p.

Braga, R., & Santana, M. A. (2020). #Breque dos Apps, enfrentando o uberismo. https://blogdaboitempo.com.br/2020/07/25/brequedosapps-enfrentando-o-uberismo.

Cant, C. (2021). Delivery, a luta contra os patrões sem rosto. Veneta.

Carvalho, F. S. E, Pereira, S. S., Sobrinho, G. S. (2020). #Breque dos Apps e a organização coletiva dos entregadores por aplicativo no Brasil. Revista Jurídica Trabalho e Desenvolvimento Humano, 3, 1-29.

Chaves, A. (2020). Da planta taylorista/fordista ao capitalismo de plataformas: as engrenagens da exploração do trabalho. Research, Society and Development, 9(6). http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i6.3473

Coelho, B.P. M, Jesus, A. B. B., & Silva, M. E. P. S. (2021). A luta coletiva dos entregadores latino-americanos contra a pandemia do capitalismo – movimentos grevistas em tempos de covid-19. Middle Atlantic Review of Latin American Studies, 4(3), 31-48.

CUT (2021). Condições de trabalho, direitos e diálogo social para trabalhadoras e trabalhadores do setor de entrega por aplicativo em Brasília e Recife. CUT - Secretaria de Relações Internacionais e Instituto Observatório Social: Central Única dos Trabalhadores.

Delgado, G. N. & Carvalho, B. V. (2020). O Movimento Coletivo dos entregadores de plataformas digitais no contexto pandêmico. Revista eletrônica de Direito do Centro Universitário Newton Paiva, (42), 396-410. revistas.newtonpaiva.br/redcunp.

Desgranges, N. & Ribeiro, W. (2021). Narrativas em rede: O Breque dos Apps e as novas formas de manifestação de trabalhadores em plataformas digitais. Revista Movimentação, Dourados, MS, 8(14).

Engels, F. (2010). A Situação da Classe Trabalhadora na Inglaterra. Tradução B. A. Schumann. São Paulo: Boitempo (Mundo do Trabalho; coleção Marx-Engels).

Filho, R. L. (2021). Disputas sobre o direito e a constituição: “breque dos apps”, entregadores antifascistas e greve política. Revista Processus de Políticas Públicas e Desenvolvimento Social. Ano III, V. III(6).

Franco, D. S., & Ferraz, D. L. S. (2019). Uberização do trabalho e acumulação capitalista. Cadernos EBAPE.BR, (17).

Galvão, A. (2020). A greve, o breque, o trampo: a luta dos entregadores é a luta dos trabalhadores. https://www.eco.unicamp.br/remir/index.php/blog/188-a-greve-o-breque-o-trampo-a-luta-do-entregadores-e-a-luta-dos-trabalhadores

Galvão, A. (2020b). a greve e as perspectivas do movimento de entregadores. https://www.eco.unicamp.br/remir/index.php/sindicalismo/189-a-greve-e-as-perspectivas-do-movimento-entregadores.

Gil, A. C. (2017). Como elaborar projetos de pesquisa. (6a ed.), Atlas.

Gonsales, M. (2023). De mochila nas costas: uma experiência etnográfica como entregador de aplicativo. In: Antunes,a R. (Org.), (2023). Icebergs à deriva: o trabalho nas plataformas digitais. Boitempo, Mundo do Trabalho.

Grohmann, R. (2021). Laboratórios do Trabalho Digital, entrevistas. Boitempo.

Guimarães, J. (2019). Motoristas da Uber fazem paralisação mundial contra políticas de tarifas no aplicativo. https://www.brasildefato.com.br/2019/05/08/motoristas-de-uber-fazem-paralisacao-mundial-contra-politica-de-tarifas-do-aplicativo acesso em: 18/01/21.

Ianni, O. (1980). O ABC da Classe Operária. Hucitec.

Ifood. O que é o Ifood. Conheça a história e a operação da Empresa. https://institucional.ifood.com.br/noticias/o-que-e-o-ifood.

Ifood. Regulação espanhola do trabalho em plataformas digitais. https://institucional.ifood.com.br/estudos-e-pesquisas/regulacao-espanhola-do-trabalho-em-plataformas-digitais.

Leme, A. C. R., P, Rodrigues, B. A., & Chaves Junior, J. E. R. (2017) - Tecnologias Disruptivas e a Exploração do Trabalho Humano: a intermediação de mão de obra a partir das plataformas eletrônicas e seus efeitos jurídicos e sociais. LTr.

Machado, S. A greve dos entregadores e uma nova forma de organização na luta dos trabalhadores. Entrevista especial com Sidnei Machado. IHU On-line, 8 jul. 2020. http://www.ihu.unisinos.br/159-noticias/entrevistas/600717-a. Acesso em: 2 ago. 2020.

Marx, K. (2017). O Capital: crítica da economia política. Livro I. Tradução Rubens Enderle. (2a ed.), Boitempo.

Marx, K. (2018). A Miséria da Filosofia. La Fonte.

Moda, F., & Oliveira, M. A. G. (2019). Uber: assim começam as greves do futuro. https://www.ihu.unisinos.br/categorias/589453-uber-assim-comecam-as-greves-do-futuro.

Nicocceli, A. (2022). Ifood reajusta ganhos de entregadores e valores passam a valer a partir deste sábado. CNN, São Paulo, 02 de abril. https://www.cnnbrasil.com.br/economia/ifood-reajusta-ganhos-de-entregadores-e-valores-passam-a-valer-a-partir-deste-sabado.

Pereira, A. S. et al. (2028). Metodologia da Pesquisa científica. UFSM. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Científica.pdf?sequence=1.

Pereira, T. (2020). Aplicativos receberam mais de 50 mil avaliações negativas durante a greve dos entregadores. https://www.redebrasilatual.com.br/trabalho/aplicativos-receberam-mais-de-50-mil-avaliacoes-negativas-durante-a-greve-dos-entregadores.

Piaia, V., Matos, E. et al. (2021). “Breque dos Apps”: Uma Análise Temporal de Comunidades e Influenciadores no Debate Público Online no Twitter. Comunicação e Sociedade, 39, 57-8.

Poder360. Ifood lança campanha para rebater críticas em dia de greve de entregadores. https://www.poder360.com.br/economia/ifood-lanca-campanha-para-rebater-criticas-em-dia-de-greve-de-entregadores.

Ralf MT (2022). Ifood entregador anuncia aumento das taxas + KM Rodado. Youtube, 24 de março de 2022.https://www.youtube.com/watch?v=wSRVbXZpF10.

Sampaio, C. & Strapasolas, P. (2020). Entregadores de Aplicativos fecham a Ponte Estaiada em SP durante greve nacional. https://www.brasildefato.com.br/2020/07/01/entregadores-de-aplicativos-fazem-paralisacao-nacional-acompanhe-em-tempo-real.

Santana, M. A. (2023). As plataformas e as lutas: desafios para a ação digital da classe trabalhadora. In: Antunes, R. Org. (2023). Icebergs à deriva: o trabalho nas plataformas digitais. Boitempo.

Schwab, K. (2017). La Quatrième Révolution Industrielle. Traduit de l’anglais par Jean-Louis Clauzier et Laurence Coutrot. France, Dunod, Malakoff.

Schwab, K. (2016). A Quarta Revolução Industrial. Tradução Daniel Moreira Miranda. Edipro.

Silva, E. F., & Gringo (2023). Breque dos Apps e Condições de Trabalho. [Entrevista cedida a] João Santiago. Entrevista oral concedida para o Projeto de Pesquisa Quando Novos Proletários entram em cena: o breque dos apps no Brasil em Julho de 2020 da Faculdade de Ciências Sociais da UFPA. Vila Missionária, São Paulo, setembro/23.

Slee, T. (2017). Uberização: a nova onda do trabalho precarizado. Tradução João Peres. Editora Elefante.

Soprana, P, & Brigatti, F. (2020). Manifestação de entregadores de app dura sete horas em São Paulo. https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/07/protesto de entregadores começa com cerca de 1000 motoboys na marginal pinheiros.

Soupin, E. (2020) assédio, machismo, suspeita de boicote: a rotina das entregadoras de app. https://www.uol.com.br/universa/noticias/redacao/2020/07/05/assediomachismo-suspeita-de-boicote-a-rotina-das-entregadoras-de-app.htm?

Souza, F. & Machado, L. (2020). coronavírus: entregadores de aplicativo trabalham mais e ganham menos na pandemia, diz pesquisa. bbc news, 7 de maio. https://www.bbc.com/portuguese/brasil-52564246 (11/11/21).

Srnicek, N. (2018). Capitalismo de plataformas. Caja Negra.

Standing, G. (2020). O precariado: a nova classe perigosa. Tradução Cristina Antunes. 6ª reimpressão. Belo Horizonte: Autêntica Editora (Invenções Democráticas; v. IV)

Tebail, B. (2017). Robotariat: critique de l’automatisation de la société. Editions Kawa.

Toyama, L. & Prado, S. (2021). Capitalismo de Plataforma e a Luta de Classe (Entrevista com Callum Cant). https://diplomatique.org.br/capitalismo-de-plataforma-e-a-luta-de-classes.

Uber (2020). Fatos e dados sobre a Uber. https://www.uber.com/pt-BR/newsroom/fatos-e-dados-sobre-uber.

UGT (2019). El trabajo en las plataformas digitales de reparto. Estudios, (1), setembro de 2019. https://servicioestudiosugt.com/archivo-estudios.

UOL (2020). Galo de luta. https://www.uol.com.br/ecoa/reportagens-especiais/lider-dos-entregadores-antifascistas-paulo-galo-lima-quer-comida-e-melhores-condicoes-de-trabalho-para-o-grupo/index.htm#cover.

VidigaL, V. (2023). Capitalismo de Plataformas: as facetas e as falácias. Editora Mizuno (Direito, Tecnologia e Trabalho).

Vinuto, J. (2014). A Amostragem em Bola de Neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, 22(44), 203-220.

Published

31/01/2024

How to Cite

SANTIAGO, J. C. da S. When New Proletarians enter the scene: The brake (strike) of app delivery people in Brazil in July 2020. Research, Society and Development, [S. l.], v. 13, n. 1, p. e14913144896, 2024. DOI: 10.33448/rsd-v13i1.44896. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/44896. Acesso em: 27 may. 2024.

Issue

Section

Human and Social Sciences