Lichens used as bioindicator of air quality in mining town of Itabira

Authors

  • Rosiane Kátia dos Santos Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira
  • Neliam Cristina Gomes Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira
  • Gisely de Assis Oliveira Universidade Federal de Itajubá campus Itabira
  • Josiano Josiel Rodrigues Silva Universidade Federal de Itajubá
  • Cibele Andrade Alvarenga Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira https://orcid.org/0000-0001-7161-2782
  • Rose-Marie Belardi Universidade Federal de Itajubá campus Itabira

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v7i12.480

Keywords:

Biomonitoring; Index of atmospheric purity; Biological indicators.

Abstract

Air pollution is a recurring problem in urban and industrial centers and causes impacts on the environment and mainly on public health. In an attempt to monitor these impacts, the use of air bioindicators was very effective, especially since bioindicators have a great sensitivity to air pollutants. The objective of this paper was to evaluate the air quality in three distinct points in Itabira town/MG, using lichens as bioindicators. The methodology used in this research was passive biomonitoring, where the study of the lichen community was associated to the Air Purity Index – (IPA). The three sampled points were defined according to the proximity of the iron ore mines and near the local vehicles flow. The results of the IPA showed that Itabira has an acceptable air quality and the lowest IPA value was obtained for the location closest to the mine.

References

AGÊNCIA NACIONAL DAS ÁGUAS (ANA). Uso e Ocupação do Solo em alta resolução espacial (1m) da Zona Urbana dos municípios com mais de 50.000 habitantes na Bacia do Rio Doce. 2016. Disponível em: <http://metadados.ana.gov.br/geonetwork/srv/pt/metadata.show?uuid=7e4929ae-a1a3-4800-8e0f-b111835d8295>. Acesso em 02.dez.2017

ALVARES, C.A., STAPE, J.L., SENTELHAS, P.C., GONÇALVES, J.L.M.; SPAROVEK, G., 2013. Köppen’sclimateclassificationmap for Brazil. MeteorologischeZeitschrift, DOI: http://dx.doi.org/10.1127/0941-2948/2013/0507

BRAGA, A. L. F.; PEREIRA, L. A. A.; PROCÓPIO, M.; ANDRÉ, P. A.; SALDIVA, P. H. N. Associação entre poluição atmosférica e doenças respiratórias e cardiovasculares na cidade de Itabira, Minas Gerais. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 23 Sup4:S570-S578, 2007.

BRASIL, MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Cidades Sustentáveis. Poluentes atmosféricos. 2018. Disponível em http://www.mma.gov.br/cidades-sustentaveis/qualidade-do-ar/poluentes-atmosf%C3%A9ricos

CARNEIRO, R. M. A. TAKAYANAGUI, A. M. M. Estudos sobre bioindicadores vegetais e poluição atmosférica por meio de revisão sistemática da literatura. Revista Brasileira de Ciências Ambientais. n. 13. agosto. 2009.

CONSÓRCIO ECOPLAN LUME. Plano Integrado de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio Doce e Planos de Ações para as Unidades de Planejamento e Gestão de Recursos Hídricos no âmbito da Bacia do Rio Doce. Volume 1. Disponível em: <http://www.cbhdoce.org.br//wp-content/uploads/2016/12/PIRH_Doce_Volume_I.pdf>. Acesso em 09.nov.2017.

DAVIS, M. L.; MASTEN, S. J. Princípios de Engenharia Ambiental. Tradução: Félix Nommembacher. 3 ed. Porto Alegre: AMGH, 2016

ENGECORPS. Plano Municipal de Saneamento Básico do Município de Itabira: Produto 3 – Diagnóstico Técnico Participativo dos Serviços de Saneamento Básico. Itabira. 2015. Disponível em: <http://www.itabira.mg.gov.br/portal/wp-content/uploads/2015/09/Produto-3.pdf>. Acesso em: 01 fev. 2018.

FERREIRA, E. J. P. D. Biomonitorização da qualidade do ar: Caso-estudo na envolvente da fábrica de celulose do Caima. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Ciências e Tecnologia. Universidade Nova de Lisboa. 2008.

FERREIRA, R. L.; OLIVATI, F. N. A utilização de bioindicadores como instrumento de perícia ambiental. Meio Ambiente e Sustentabilidade, v. 5, n. 3, 2014. Disponível em: <https://www.uninter.com/cadernosuninter/index.php/meioAmbiente/article/view/460/386 >. Acesso em 03.11.2017.

GONÇALVES, Vanessa F. et al., Utilização de Líquens como Bioindicadores da Qualidade Atmosférica na Cidade de Uberlândia, MG. In: Anais do VIII Congresso de Ecologia do Brasil, resumo 1185, 23 a 28 de Setembro, Caxambu – MG, 2007.

GOOGLE. Google Maps. Nota (Itabira, Minas Gerais). Disponível em: <https://www.google.com.br/maps>. Acesso em: 02.12.2017.

GOOGLE. Google Earth. Itabira, Minas Gerais. Disponível em: <https://www.earth.google.com. Acesso em: 12.10.2017.

HONDA, N. K. VILEGAS, W. A química dos liquens. Química Nova, São Paulo, v.21, n.6. 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/%0D/qn/v22n1/1145.pdf . Acesso em: 08.jun.2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Informações estatísticas – Cidades: Itabira. Disponível em: <http://cod.ibge.gov.br/2VVIW>. Acesso em: 09.11.2017

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Malhas digitais. 2015. Disponível em: <https://mapas.ibge.gov.br/bases-e-referenciais/bases-cartograficas/malhas-digitais.html>. Acesso em: 09.11.2017

KÄFFER, M. I. Biomonitoramento da qualidade do ar com uso de liquens na cidade de Porto Alegre, RS. Tese (Doutorado em Ciências com Ênfase em Ecologia), UFRGS, Porto Alegre, 2011. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10183/30187>. Acesso em: 10.10.2017

KLUMPP, A. ANSEL, W. KLUMPP, G. FOMIN. A. Um novo conceito de monitoramento e comunicação ambiental: a rede europeia para a avaliação da qualidade do ar usando plantas bioindicadoras (EuroBionet). Revista brasileira de Botânica, São Paulo, v.24, n.4 (suplemento), p. 511-518, dez. 2001.

MAKI, E. S. SHITSUKA, R. BARROQUEIRO, C. H. SHITSUKA, D. M. Utilização de bioindicadores em monitoramento de poluição. Biota Amazônica. v.3, n.2. 2013. Disponível em: https://periodicos.unifap.br/index.php/biota/article/view/705/v3n2p169-178.pdf. Acesso em 25.04.2017.

MARTINS, S. M. de A.; KÄFFER, M. I.; LEMOS, A. Liquens como bioindicadores da qualidade do ar numa área de termoelétrica, Rio Grande do Sul, Brasil. Hoehnea, Porto Alegre, p. 425-433, 2008.

MARTINS, S. M. Ecologia de liquens e aplicações no monitoramento ambiental. Ecol. Appl, v. 6, p. 68. Disponível em: <http://orbi.ulg.ac.be/bitstream/2268/176925/1/Anais64CNB_2013.pdf#page=68>. Acesso em: 03.11.2017.

MELLER, G. S.; OLIVEIRA, K. F.; STEIN, R. T.; MACHADO, V. S.Controle da poluição. Porto Alegre: SAGAH, 2017.

METEOBLUE. Clima Itabira. Disponivel em: <https://www.meteoblue.com/pt/tempo/previsao/modelclimate/itabira_brasil_3460960>. Acesso em 03.12.2017.

MOREIRA, F. D. FONSECA, M. M. FERREIRA, L. AGUIAR, R. A. SANTOS, S. C. CARPENEZ, T. G. SANTIAGO, I. F. Uso de liquens como bioindicadores da qualidade do ar em centro urbano, Juiz de Fora, MG. 6º Sipósio de Gestão Ambiental e Biodiversidade. 20 a 23 de junho. 2017.

PEREIRA, H. R.; QUINTÃO, P. L. Poluição atmosférica: Uma análise comparativa entre a atividade mineradora no município de Itabira/MG e a atividade siderúrgica no município de Barão de Cocais/MG utilizando líquens como bioindicadores, 2013. Trabalho de conclusão de curso Engenharia Ambiental. FUNCESI. Itabira, MG.

PIQUÉ, M. P. R., PALHARES, J. B., PINTO, R. A., FEITOSA, H. C. A. A., SILVA, R. A. Biomonitoramento, instrumento pedagógico a serviço da sustentabilidade urbana. IN: XXXIII CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO DE ENGENHARIA, 2005, Campina Grande/PB (anais eletrônico). Disponível em: <http://198.136.59.239/~abengeorg/CobengeAnteriores/2005/artigos/SP-5-92636934804-1118243323383.pdf>. Acesso em: 27.10.2017.

RAVEN, P.H., EVERT, R.F. & EICHHORN, S.E. 2007. Biologia Vegetal, 7a. ed. Coord. Trad. J. E. Kraus. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro.

SANTI, A. M. M.; SUZUKI, R. Y.; OLIVEIRA, R. G. de. Monitoramento da qualidade do ar no município de Itabira, MG: avaliação dos resultados em anos recentes (1997/99) e das perspectivas de modernização da rede de monitoramento no contexto do licenciamento ambiental corretivo da CVRD. In: XXVII Congresso Interamericano de IngenieriaSanitariay Ambiental, 2000, Porto Alegre. p.1-12. Disponível em: <http://www.bvsde.paho.org/bvsaidis/impactos/vi-029.pdf>. Acesso em: 09.08. 2012

SANTONI, C. S; LIJTEROFF, R. Evaluación de lacalidaddel aire mediante el uso de bioindicadoresenlaprovincia de San Luis, Argentina. Revista internacional de contaminación ambiental, v. 22, n. 1, 2006. Disponível em: <http://www.revistascca.unam.mx/rica/index.php/rica/article/viewFile/22522/21666>. Acesso em 03.12.2017.

SPIELMANN, A. A.; MARCELLI, M. P. Fungos liquenizados (liquens). Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente: Instituto de Botânica, São Paulo, out.2006.

ZEE. Zoneamento Ecológico Econômico de Estado de Minas Gerais. Disponível em: <http://geosisemanet.meioambiente.mg.gov.br/zee/>. Acesso em 09.nov.2017.

Published

23/08/2018

How to Cite

SANTOS, R. K. dos; GOMES, N. C.; OLIVEIRA, G. de A.; SILVA, J. J. R.; ALVARENGA, C. A.; BELARDI, R.-M. Lichens used as bioindicator of air quality in mining town of Itabira. Research, Society and Development, [S. l.], v. 7, n. 12, p. e4712480, 2018. DOI: 10.33448/rsd-v7i12.480. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/480. Acesso em: 24 oct. 2021.

Issue

Section

Articles