Grandmothers and grandchildren in front of new technologies in Brazil and Portugal

Authors

  • Maria Natália Pereira Ramos Universidade Aberta https://orcid.org/0000-0002-2531-6664
  • Elaine Pedreira Rabinovich Universidade Católica de Salvador
  • Rosa Maria da Motta Azambuja Universidad de la Empresa

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i8.5615

Keywords:

Grandparents; Grandchildren; New technologies; Intergenerational relations.

Abstract

Two of the outstanding characteristics of society in the 21st century have been the progressive increase in the elderly population and the increasingly intense advance of information and communication technologies. This study aimed to present an integrative review of the scientific literature on the theme of the relationship between grandparents and grandchildren in the face of new technologies in Brazil and Portugal, seeking to learn about information technologies for grandchildren and grandparents; describe the relationship of grandparents who accompany the growth of grandchildren through the virtual space; and identify the perception of grandchildren in relation to the behavior of grandparents as to new technologies. It was used articles published in sources of impact in order to enable a greater direction of research on this theme and discuss the trends pointed out by these publications as well as the production prospects in the area. Articles indexed were selected from data base nationals and internationals, from 2011 to 2019. It was observed that the use of these tools turns possible approximation and promotes affective relationships and solidarity between the two generations; provides the acquisition of basic skills for interaction / communication; it develops cooperation and trust, which makes this relationship stronger over time due to proximity and complicity between family actors, who dialogue in cyberspace and strengthen affective and intergenerational ties.

References

Amaral, C., Behar, P. & Dornelles, L. (2007). Ciberinfância: um desafio para os planejamentos pedagógicos. Renove: Novas Tecnologias na Educação, 2 (5): 23-33.

Arenosa, S.V.C., Benitez, L.B. & Wichmann, F.M.A (2012). Relações familiares e convívio social entre idosos. Textos & Contextos, Porto Alegre, 11(1): 184-92.

Azambuja, R.M.M. & Rabinovich, E.P. (2017). A convivência com os avós: um estudo exploratório na perspectiva das crianças. Research, Society and Development. 5 (1): 02-17.

Cardos, A.R. (2011). Avós no século XXI, mutações e rearranjos na família contemporânea. Curitiba: Juruá.

Carleto, D. G. & Santana, C. S. (2017). Relações intergeracionais mediadas pelas tecnologias digitais. Revista Kairós Gerontologia, São Paulo, 20 (1): 73-91.

Castells, M. (2007). A Sociedade em Rede. A Era da Informação: economia, sociedade e cultura. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Cunha, U.C.C. (2017). Idosos que chefiam lares multigeracionais por recoabitação: escolha ou falta de opção? Dissertação de Mestrado em Psicologia, Universidade Católica de Pernambuco, Recife.

Deus, M. D. & Dias, A. C G.. (2016). Avós Cuidadores e Suas Funções: Uma Revisão Integrativa da Literatura. Pensando famílias, 20 (1): 112-125.

European Commission (2011). Key Data on Learning and Innovation through ICT at School in Europe 2011. Brussels: EACEAP9 Eurydice,

European Commission (2012a). Active ageing and solidarity between generations: A statistical portrait of the European Union 2012. Luxembourg: Publications Office of the European Union.

European Commission (2012b). ICT for seniors’ and intergenerational learning. Brussels: Publications Office of the European Union.

Gaggioli, A. et al. (2014). Intergenerational Group Reminiscence: A Potentially Effective Intervention to Enhance Elderly Psychosocial Wellbeing and to Improve Children’s Perception of Aging. Educational Gerontology, 40 (7): 486–498.

Gonçalves, V. & Patrício, M. R. (2010). TINA: um projecto para netos e avós. In I Encontro Internacional TIC e Educação. Lisboa, Universidade de Lisboa, pp. 287-291

Gonzalez, A., Ramirez, M. & Viadel, V. (2012). Attitudes of the elderly toward information and communications technologies. Educational Geronthology, 38 (9): 585-594.

Harper, S. (2006). Papéis dos avós nas famílias multigeracionais dos nossos dias. Povos e Culturas, Universidade Católica Portuguesa, 1 (10): 25-38.

IBGE (2015). Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Disponível em:

https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv95011.pdf

Loos, E., Haddon, L. & Mante-Meijer, E. (2012). Generational use of new media. Ashgate: Aldershot.

Kachar, V. 2010. Envelhecimento e perspectivas de inclusão digital. Revista Kairós Gerontologia, S. Paulo, 13(2): 131–147.

Melca, F.M.A. (2013). Ser uma avó cuidadora: um estudo de caso. Tese Doutorado em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Psicologia, RJ.

Mendes, K. D. S., Silveira, R. C. C. P., & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto - Enfermagem, 17(4): 758-764.

Oliveira, A., Vilas Boas, S. & Ramos, N. (2017). Envelhecimento, apoio social e programas intergeracionais: um estudo sobre actividades de voluntariado. In L. Moreira, E. Rabinovich , C. B. Dias (Org.), A voz dos avós: Familia e sociedade. V. 4. Curitiba, Ed. CRV, pp.259-269.

Organização Mundial de Saúde (2015). Relatório mundial de envelhecimento e saúde.

Recuperado em 25 de maio, 2020. https://sbgg.org.br/wp-content/uploads/2015/10/OMS-ENVELHECIMENTO-2015-port.pdf

Pacheco, M.E.A. & Alves, S.M.M. (2012). A função social dos idosos avós na contemporaneidade: uma análise preliminar da estrutura familiar. Revista Conhecimento e Diversidade. Niterói, 1 (8): 93-103.

Pasqualotti, A., Barone, D. & Doll, J. (2012). As tecnologias de informação e comunicação na vida de idosos com sintomas de depressão: significado, experiências e relacionamentos. Saúde Sociedade, 21 (2): 435-445.

Pereira, C. & Neves, R. (2011). Os idosos e as TIC - competências de comunicação e qualidade de vida. Revista Kairós Gerontologia, S. Paulo, 14 (1): 5-26.

Pereira A.S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria, Ed. UAB/NTE/UFSM. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Pessoa, J.H. (2020). Coronavírus: Como fica a relação de avós e netos? Sociedade de Pediatria de São Paulo. Disponível em: https://www.spsp.org.br/2020/04/08/coronavirus-como-fica-a-relacao-de-avos-e-netos/

Pires, L. (2013). Envelhecimento, tecnologias e juventude: caminhos percorridos por alunos de cursos de informática e seus avós. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, UFRGS, 18(2): 293–309.

Rabinovich, E. P. & Azambuja, R.M.M. (2017). Reconfigurando a imagem de avós na literatura infantil brasileira contemporânea. In L.Moreira, E. Rabinovich, C.B.Dias (Org.), A voz dos avós: Família e Sociedade, v. 4. Curitiba, Ed. CRV, pp. 93-110.

Ramos, A.C. (2011). Meus avós e eu: relações intergeracionais entre avós e netos na perspectiva de crianças. Tese de Doutorado em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Ramos, N. (2005). Relações e solidariedades intergeracionais na família- Dos avós aos netos. Revista Portuguesa de Pedagogia, UC, 39 (1):195-216.

Ramos, N. (2012). Avós e netos através da(s) imagem (s) e das culturas. In A Voz dos Avós. Migrações, Memória e Património Cultural. Ramos, N., Marujo, M. & Batista, A. (org.). Coimbra, Gráfica de Coimbra e CEMRI e ProDignitate, pp 3-56

Ramos, N. (2013). Relationships and Intergenerational Solidarities – Social, educational and health challenges. In Promoting conscious and active learning and aging: How to face current and future challenges? Oliveira, A. (Coord). Coimbra, Imprensa da Universidade de Coimbra, University Press, pp. 129- 145.

Ramos, N. (2014). Canções de embalar: Comunicação intergeracional, desenvolvimento humano e património cultural. In A Voz dos Avós: Gerações e Migrações. Simas, R. (Coord.). Lisboa, Colibri, pp. 147-161.

Ramos, N. (2016a). Tecendo laços e solidariedades entre gerações. In Aprender, Envelhecer, Ser. Agenda de Gerontologia 2017. Barradas, S. & Oliveira, A. (org.). Coimbra, Alma Letra, pp.63-78.

Ramos, N. (2016b). Tecnologias digitais de informação e comunicação, interculturalidade e formação docente. EDAPECI, Revista de Educação a Distância, Práticas Educativas, Comunicacionais e Interculturais. Aracaju, 16 (1): 9-30

Ramos, N. (2017). Família, solidariedade e relações intergeracionais e de gênero: Avós e netos na contemporaneidade. In Pais, avós e relacionamentos intergeracionais na família contemporânea. Moreira, L. V. C., Rabinovich, E. P. & Ramos, M. N. (Org.), v 5, Curitiba, Ed. CRV, pp. 227-247.

Roberto, M.S., Fidalgo, A. & Buckingham, D. (2014). O papel da solidariedade intergeracional no âmbito da literacia digital. Revista Kairós Gerontologia, S. Paulo, 17(2): 9–25.

Rocha, S. (2013). Laços afetivo-virtuais entre avós e netos. In Congresso Internacional Interdisciplinar em Sociais e Humanidades. Anais CONINTER, II, Belo Horizonte, UFMG.

Sánchez, M., Kaplan, M.S., & Bradley, L. (2015). Usando la tecnología para conectar las generaciones: consideraciones sobre forma y función. Comunicar, 23 (45): 95–104.

SEI - Superintendência de Estudos Econômicos (2013) Projeções demográficas apontam mudança de estrutura da população baiana até 2030. Disponível em: http://www.sei.ba.gov.br/images/publicacoes/download/projecoes_populacionais/projecoes_populacionais.pdf

Tint, S. (2008). Cartoon Network divulga pesquisa sobre as crianças “multitarefa. Revista Crescer On-line. Disponível em: http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI11262-10540,00.html

United Nations (2019). Report on the Open – ended Working Group of ageing on its tenth working session. New York: UN.

Villas-Boas, S., Oliveira, A., Ramos, N. & Montero, I. (2017a). A educação intergeracional no quadro da educação ao longo da vida e do envelhecimento ativo. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación. Universidad de Coruña, vol. Extr., 5, A5-189.

Villas-Boas, S., Ramos, N., Amado, J., Oliveira, A. & Montero, I. (2017b). A redução de estereótipos e atitudes negativas entre gerações: O contributo da educação intergeracional. Laplage em Revista (Sorocaba), 3 (3): 206-220.

Villas-Boas , S., Oliveira , A. L., Ramos, N. & Montero, I. (2019a) Predictors of Quality of Life in Different Age Groups Across Adulthood. Journal of Intergenerational Relationships, 17 (1): 42-57.

Villas-Boas S, Oliveira A, Ramos N. & Montero, I. (2019b). Intergenerational education as a strategy for promoting active ageing. MOJ Gerontol Ger., 4 (3):77‒79.

World Health Organization (2017). Global strategy and action plan on ageing and health. WHO.

Published

17/07/2020

How to Cite

RAMOS, M. N. P.; RABINOVICH, E. P.; AZAMBUJA, R. M. da M. Grandmothers and grandchildren in front of new technologies in Brazil and Portugal. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 8, p. e581985615, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i8.5615. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/5615. Acesso em: 9 may. 2021.

Issue

Section

Review Article