Biotechnology as instrument to bring High School students closer to Scientific Initiation

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.5643

Keywords:

Education; High school; Biotechnology; Sciences; Scientific Research.

Abstract

The present work aims to understand which aspects can contribute to broaden or awaken the interest of high school students in Biotechnology and Science, based on formal and non-formal teaching strategies. The research methodology is of a qualitative nature, involving action research. In the first stage of the study, a questionnaire was applied to 300 students from the 1st, 2nd and 3rd grades of a state school in Mauá - São Paulo, and 30 students were chosen with availability to participate in the second stage of the study (action research). The hypothesis of the study is that the incorporation of practical activities to the Science curriculum, added the opportunity to include experiences in non-formal spaces, as well as the debate in the classroom, could contribute to bring high school students closer to a more realistic notion of Biotechnology and its importance to society. As result of the study 73% of students expressed greater interest in knowing more about the subject after the interventions, indicative of motivation and satisfaction with new forms of learning. As a conclusion, from the data collected and analyzed it was possible to notice the importance of the diversity of learning situations and didactic resources used. The application of practical activities, allowed students to develop the capacity of observation, inference, measurement, communication, classification and prediction, integrated to the formulation of hypotheses, data interpretation and conclusion to the scientific process, promoting reflections and deeper debates among high school students of a public school.

Author Biographies

Écio Ribeiro Verissimo, Universidade Anhanguera de São Paulo

Graduado em Biologia - Licenciatura e Bacharelado pela Universidade do Grande ABC (1998), Doutor em Biotecnologia Saúde Inovação pela Universidade Anhanguera de São Paulo (2019), Mestre em Biotecnologia Inovação em Saúde pela Universidade Anhanguera de São Paulo (2014), Especialização em Arte pela Faculdade Futura (2018), Graduado em Pedagogia - Licenciatura Plena, pela Faculdade de Vale Elvira Dayrelli (2014) ), Especialista em História Regional com ênfase em seres vivos pela Universidade do Grande ABC (UNIABC) (2003). Atualmente é Professor da Faculdade FAMA de Mauá / Uniesp e Professor Coordenador Pedagógico, lotado na escola EE Prof. Luiz Rosanova / 2020 Tem experiência na área de Biologia Geral, com ênfase em Educação e Saúde. Trabalhei como Assessor Parlamentar na Prefeitura de Mauá de abril de 2005 a junho de 2008, Coordenador do CRAS (centro de assistência social) de Mauá de julho de 2008 a julho de 2009 e Coordenador de Políticas Públicas para a Educação Infantil na Prefeitura de Mauá desde agosto 2009 a setembro de 2011, Coordenador de Planejamento da Secretaria Municipal de Educação de Mauá de janeiro de 2017 a maio de 2018.

Maria Elisabette Brisola Brito Prado, Universidade Anhanguera de São Paulo

formada em Licenciatura em Ciências e Matemática (1974), possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Campinas (1984), mestrado em Educação na área de Psicologia Educacional pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e doutorado em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2003). Atualmente é professora doutora do Programa de Pós Graduação em Educação Matemática da Universidade Anhanguera de São Paulo (UNIAN Brasil), pesquisadora colaboradora do Núcleo de Informática Aplicada à Educação (NIED) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e do Projeto UCA da SEB-MEC. Membro do Comitê Científico Pedagógico do Projeto Educação na Cultura Digital do Programa Proinfo/MEC. Desenvolve trabalhos de consultoria e de pesquisas com publicações nas áreas de Formação de Professores, Educação Matemática, Tecnologia e Mídias na Educação e Educação a Distância.

Regina Mara Silva Pereira, Universidade Anhanguera de São Paulo

Possui graduação em Química, doutorado em Ciências pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e doutorado em Estágio de doutorado sanduiche - University of Kent (1994). É professora de cursos de graduação da Universidade Anhanguera de São Paulo (UNIAN-SP) desde 2000, atuando também no Programa de Mestrado Profissional em Farmácia e Mestrado e Doutorado em Biotecnologia, na mesma instituição. Atualmente é coordenadora do programa de Mestrado Profissional em Farmácia. Tem experiência de pesquisa na área de Química de Coordenação e Bioinorgânica, com ênfase em complexos de produtos naturais como flavonoides e cumarinas com potencial atividade antitumoral e antiparasitário. Em 2019 inicou sua participação como docente permanente do progrma de Mestrado em Ensio de Ciencia e da Saúde  na UNIAN

References

Antunes, A., Pereira Jr., N., Ebole, M. F. (2006). Gestão em biotecnologia. São Paulo: Editora E-Papers.

Ayuso, E., & Banet, E. (2002). Alternativas a la enseñanza de la genética em educación secundaria. Enseñanza de las Ciencias. 20(1), 133-157.

Bogdan, R. C., & Biklen, S. K. (1994). Investigação Qualitativa em Educação. Porto: Porto Editora.

Brasil. (2013). Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília, DF: MEC/SEB.

Brasil. (2006). Ministério da Educação. Orientações Curriculares para o Ensino Médio. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Ministério da Educação. Brasília, DF: MEC/SEB.

Brasil. (2018). Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular – BNCC. Brasília, DF: MEC/SEB. Recuperado de: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/>

Carvalho, A. M. P., Vannucchi, A. I., Barros, M. A., Gonçalves, M. E. R., & Rey, R. C. (1998). Ciências no ensino fundamental: o conhecimento Físico. São Paulo: Editora Scipione.

Carvalho, L. M. O., & Martinez, C. L. P. (2005). Avaliação formativa: a auto-avaliação do aluno e a autoformação de professores. Revista Ciência & Educação. São Paulo. 11(1).

Cipolini, A. (2008). Não é fita, é fato: tensões entre instrumento e objeto – Um estudo sobre a utilização do cinema na educação. Dissertação de mestrado. Faculdade de Educação. Universidade de São Paulo. São Paulo- USP. São Paulo.

Dewey, J. (1978). Experiência e Educação. Tradução de Anísio Teixeira. (11a ed.), São Paulo: Melhoramentos.

Jiménez, M. P., & Díaz, J. B. (2003). Discurso de aula y argumentación en la clase de ciencias: cuestiones teóricas y metodológicas. Enseñanza de las Ciencias. 21(3), 359-370.

Lima, M. E. C. (2011). Feiras de ciências: o prazer de produzir e comunicar. In: Pavão, A. C., & Freitas, D. (Org.). Quanta ciência há no Ensino de Ciências? São Carlos: Edufscar, 195-205.

Maldaner, O. A., Zanon, L. B., & Auth, M.A. (2006). Pesquisa sobre educação em ciências e formação de professores. In: Santos, F. M. T., dos & Greca, J. M. (Org.) A pesquisa em Ensino de Ciências no Brasil e suas Metodologias. Ijuí: Editora UNIJUÌ.

Moreira, M. A., Caballero, M. C., & Rodriguez, M. L. (1997). Actas del Encuentro Internacional sobre el Aprendizaje Significativo. Espanha: Burgos.

SetubaL, F. A. R., & Bejarano, N. R. R. (2009). Modelos Didáticos com conteúdo de genética e a sua importância na formação inicial de professores para o ensino de Ciências e Biologia. VII Enpec – Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Florianópolis.

Smith, M. U. (1988). Successful and unsuccessful problem solving in classical Genetic Pedigrees. Journal of Research in Science Teaching, 25(6), 411-433.

Trivelato, S. L. F. (2011). Ensino de ciências. São Paulo: CENGAGE Learning.

Verissimo, E. R. (2019). A biotecnologia como ferramenta de aproximação de alunos do ensino médio à iniciação científica. Tese no Programa de Biotecnologia e Inovação em Saúde, Universidade Anhanguera de São Paulo - UNIAN-SP.

Viana, M. C. V. (2010). O Cinema na Sala de Aula e a Formação de Professores de Matemática. Mini-curso oferecido aos alunos do Curso de Matemática na UFRRJ. Dia de Atividades Acadêmico-Científico-Culturais.18 de maio de 2010. Seropédica- RJ.

Witter, C. (1996). Psicologia escolar: produção científica, formação e atuação (1990-1994). Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo – USP. São Paulo.

Published

09/08/2020

How to Cite

Verissimo, Écio R., Prado, M. E. B. B., Carrilho, M. R. de O., Santos, M. L. dos, & Pereira, R. M. S. (2020). Biotechnology as instrument to bring High School students closer to Scientific Initiation. Research, Society and Development, 9(9), e06995643. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.5643

Issue

Section

Education Sciences