Epidemiological profile of suicides in a brazilian county in the Amazon region

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i8.6140

Keywords:

Mortality; Suicide; External causes; Epidemiology; Public health.

Abstract

Objective: Analyze the profile of suicides in the county of Marabá-PA, between 2015 and 2019. Methods: Quantitative, cross-sectional, retrospective study, which used information from the medical records and death certificates of the Instituto Médico Legal de Marabá-PA, which took place from January 1, 2015 to December 31, 2019. Descriptive and analytical statistics were performed in BioEstat® software 5.4. For decision-making, the significance level α = 0.05 or 5% was adopted. Results: There was a higher incidence of suicides in 2017, single men were the most identified victims. The highest frequency of suicides occurred in the age group of 30 to 39 years, in the color / brown race, in people with complete high school education, in the urban area and in their own residence. The main mechanism was mechanical asphyxiation. Most deaths involved a single injury. Conclusion: Mortality in young male adults stood out, highlighting the relevance of this investigation, as it allows the subsidy of campaigns to prevent the mental health of target audiences in the creation of coping strategies for this population.

References

Bahia, C. A., et al. (2017). Lesão autoprovocada em todos os ciclos da vida: perfil das vítimas em serviços de urgência e emergência de capitais do Brasil. Ciênc. saúde coletiva, 22 (9), 2841-2850.

Brasil. (2006). Ministério da Saúde. Portaria nº 1.876, de 14 de agosto de 2006. Diretrizes Nacionais para Prevenção do Suicídio, a ser implantadas em todas as unidades federadas, respeitadas as competências das três esferas de gestão. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília (DF), Seção 1 de 15.08.2006, p. 65. Acesso em 12.03.2020 às 18h32 em, http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt1876_14_08_2006.html.

Brasil. (2011). Ministério da Saúde. Portaria nº 3.088 de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema único de Saúde (SUS). Diário Oficial da República Federativa do B1rasil, Brasília (DF), Seção 1, de 26 de dezembro de 2011, p. 230. Acesso em 12.03.2020 às 23h12 em, http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt3088_23_12_2011_rep.html.

Brasil. (2017). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Agenda de Ações Estratégicas para a Vigilância e Prevenção do Suicídio e Promoção da Saúde no Brasil: 2017 a 2020. [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília: Ministério da Saúde. Acessado em 01.04.2020 em, https://www.neca.org.br/wp-content/uploads/cartilha_agenda-estrategica-publicada.pdf.

Brasil. (2019). Lei 13.819 de 26 de abril de 2019. Institui a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio, a ser implementada pela União, em cooperação com os Estados, o Distrito Federal e os Municípios; e altera a Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998. Brasília, 26 de abril de 2019; 198o da Independência e 131o da República. Acessado em 23.03.20 às 19h45, em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2019-2022/2019/Lei/L13819.htm.

Brasil. (2020). Decreto nº 10.225 de 05 de Fevereiro de 2020. Institui o Comitê Gestor da Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio, regulamenta a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio e estabelece normas relativas à notificação compulsória de violência autoprovocada. Acessado em 23.03.20 às 15h33 em, http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/decreto/D10225.htm.

Cano-Montalban, I.; Quevedo-Blasco, R. (2018). Variáveis sociodemográficas mais associadas ao comportamento suicida e métodos de suicídio na Europa e na América. Uma revisão sistemática. Jornal Europeu de Psicologia Aplicada ao Contexto Jurídico. 10(1), 15-25.

DATASUS. (2020). Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil. Óbitos por causas externas – Brasil. Acessado em 12.03.2020 às 23h11 em https://datasus.saude.gov.br/informacoes-de-saude-tabnet/.

Girianelli, V. R., et al. (2018). Qualidade das notificações de violências interpessoal e autoprovocada no Estado do Rio de Janeiro, Brasil, 2009-2016. Cad. Saúde Colet. 26(3), 318-326.

Godim, A. P. S., et al. (2017). Tentativas de suicídio por exposição a agentes tóxicos registradas em um Centro de Informação e Assistência Toxicológica em Fortaleza, Ceará, 2013. Epidemiol. Serv. Saúde. 26(1), 109-119.

IBGE. (2020). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Marabá (PA)/Cidades e Estados. 2020. Acessado em 04.11.2019 às 10h45 em, https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/pa/maraba.html.

Moreira, L. C. de O.; Bastos, P. R. H. de O. (2015). Prevalência e fatores associados à ideação suicida na adolescência: revisão de literatura. Revista Quadrimestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, 19(3), 445-453.

Navarro-Gómez, N. (2017). El suicidio en jóvenes en Espa˜na: cifras y posibles causas. Análisis de los ultimos datos disponibles. Clínica y Salud. 28, 25-31.

Nunes, A. M. (2018). Suicídio em Portugal: um relato do país. J Bras Psiquiatr. 67(1), 25-33.

OMS. (2014). Organização Mundial de saúde. World Health Organization - WHO. Preventing Suicid: A global imperative. Acesso em 06.10.2019 às 13h16, em, https://www.who.int/mental_health/suicide-prevention/world_report_2014/en/.

OPAS. (2018). Organização Pan-Americana de Saúde. Folha Informativa Suicídio. Acesso em 17.10.2019 às 10h41, em https://www.paho.org/bra/index.php? option=com_content&view=article&id=5671:folha-informativa-suicidio&Itemid=839.

OPAS. (2018). Organização Pan-Americana de Saúde. Uma pessoa morre por suicídio a cada 40 segundos, afirma OMS. Acessado em 17.10.2019 às 13h09 em, https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6017:suicidio-uma-pessoa-morre-a-cada-40-segundos-afirma-oms&Itemid=839.

Pedrosa, N. F. C., et al. (2018). Análise dos principais fatores epidemiológicos relacionados ao suicídio em uma cidade no interior do Ceará, Brasil. J. Health Biol. Sci. 6(4), 399-404.

Pereira A.S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/ 1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Polit, D. F., et al. (2018). Fundamentos de pesquisa em enfermagem: avaliação de evidências para a prática da enfermagem. Porto Alegre. Ed. Artmed.

Rosa, N. M., et al. (2017). Mortalidade por suicídio no Estado do Paraná segundo meios utilizados: uma análise epidemiológica. J Bras Psiquiatr.66(2) 73-82.

Rossi, L. M., et al. (2019). Crise e saúde mental na adolescência: a história sob a ótica de quem vive. Cad. Saúde Pública. 35(3), 1-12.

Sánchez-Teruel, D., et al. (2018). Variables relacionadas con la tentativa suicida en una provincia de España durante tres años (2009-2011). Ciência & Saúde Coletiva. 23(1), 227-286.

Silva, E. S., Marques Júnior, J.., Suchara, E. A. (2018). Perfil de suicídio em município da Amazônia Legal. Cad. Saúde Colet. 26(1), 84-91.

Souza, J. S., et al. (2020). Ações de Promoção à saúde sobre suicídio no município de Campo Grande/MS: relato de experiência. Revista Sociedade e Desenvolvimento, 9(7), 1-16.

Published

19/07/2020

How to Cite

CARVALHO, M. B. de; GUIMARÃES, G. P.; LIMA, K. P.; BARBOSA, G. S. Epidemiological profile of suicides in a brazilian county in the Amazon region. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 8, p. e761986140, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i8.6140. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/6140. Acesso em: 28 jan. 2022.

Issue

Section

Health Sciences