Relationships between perceived motor competence and socioeconomic status of High School students

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6684

Keywords:

Motor competence; Physical education; Perception of competence.

Abstract

The research aimed to analyze the relationship between perceived motor competence and socioeconomic level of high school students of a State College of Maringá-PR. The sample consisted of 41 adolescents, 22 males and 19 females. The quantitative research, with descriptive character, had as instrument the Questionnaire for The Evaluation of Adolescent Motor Competence and the Protocol Criterion of Economic Classification Brazil (CCEB) of the Brazilian Association of Research Companies (ABEP). The data were analyzed by descriptive and inferential statistics with the aid of the SOFTWARE SPSS 22.0. The results indicated that 51.2% of the students fit into low perception levels of motor competence; there is no relationship between perceived level of motor competence and sex; there is a relationship between perceived motor competence and socioeconomic status, indicating that the higher the socio-economic level, the better the perceived motor competence. In light of the findings, it is concluded that, in this reality, there was a relationship between perceived motor competence and socioeconomic level in high school students.

Author Biographies

Ana Luiza Ribeiro Barros, Universidade Estadual de Maringá

Licenciada em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá.

Francielli Ferreira da Rocha Romero, Universidade Estadual de Maringá

Formada em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá. Mestre em Educação Física. Doutorado em Educação Física pelo Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física- UEM / UEL

Ana Luiza Barbosa Anversa, Universidade Estadual de Maringá

Doutora em Educação Física pelo Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física- UEM / UEL. Professora do curso de Educação Física da Universidade Estadual de Maringá e do Centro Universitário de Maringá.

Leonardo Cordeiro de Queiroz, Universidade Estadual de Maringá

Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá

Marcos Antonio dos Santos, Universidade Estadual de Maringá

Formado em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá. Mestre em Educação Programa de Pós-Graduação em Educação UEM

Anderson Cristian Barreto, Universidade Estadual de Maringá

Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá

Luciana Ferreira, Universidade Estadual do Paraná

Doutora em Educação Física pelo Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física- UEM / UEL. Professora do curso de Educação Física da Universidade Estadual do Paraná.

Amauri Aparecido Bássoli de Oliveira, Universidade Estadual de Maringá

Pós-Doutor em Educação Física (UFRGS). Professor do Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física- UEM / UEL e Universidade Católica do Maule

Vânia de Fátima Matias de Souza, Universidade Estadual de Maringá

Doutora em Educação. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá.

References

Abep. (2018). Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Critério de classificação econômica Brasil.

Almeida, G., Valentini, N. C., & Berleze, A. (2009). Percepções de competência: um estudo com crianças e adolescentes do ensino fundamental. Movimento (ESEFID/UFRGS), 15(1), 71-97.

Bandeira, P. F. R., de Souza, M. S., Zanella, L. W., Nobre, G. C., & Valentini, N. C. (2014). Percepção de competência motora e nível de atividade física: estudo comparativo entre sexos. Cinergis, 15(4).

Barbanti, V. (2006). O que é esporte? Revista brasileira de atividade física & saúde, 11(1), 54-58.

Barnett, L. M., Morgan, P. J., Van Beurden, E., Ball, K., & Lubans, D. R. (2011). A reverse pathway? Actual and perceived skill proficiency and physical activity. Medicine & Science in Sports & Exercise, 43(5), 898-904.

Bronfenbrenner, U. Morris, P.A The ecology of developmental process. In: Damon, W.; Lerner, R. M. (1998). Handbook of child psychology: Theoretical models of human development. New York: Jhon Wiley, 1(1), 993-1028.

Candéa, G. B., Silva, J. G., Candéa, A. L. P., Vidal, J. M., & Telles, S. C. C. (2017). A influência do status socioeconômico sobre as habilidades motoras grossas nas crianças em idade escolar. Fisioterapia Brasil, 18(6), 757-766.

Cools, W., Martelaer, K., Samaey, C., Andries, C. (2011). Fundamental movement skill performance of preschool children in relation to family context. J Sports Sci., 29(7), 649–60.

Ferreira, C. R. (2008). Análise da Interação dos Padrões Fundamentais de Movimento e Variáveis Socioculturais em Crianças de 7 e 8 Anos de Idade em Cidades Pequenas (Master's thesis). Vila Real: Universidade Trás-os-Montes.

Gallahue, D., Ozmun, J., & Goodway J. (2016) Compreendendo o desenvolvimento motor: Bebês, crianças, adolescentes e adultos. AMGH.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa, 4, 175. São Paulo: Atlas.

Morais, R. L. S., Carvalho, A. M., & Magalhães, L. C. (2016). O contexto ambiental e o desenvolvimento na primeira infância: estudos brasileiros. Journal of Physical Education, 27(1), 1-14.

Ré, A. H. N., Tudela, M. A., Monteiro, C. B. M., Antonio, B. A., Silva, M. M. L. M., Campos C. M. C., et al. (2018). Competência motora em crianças do ensino público da cidade de São Paulo. J Phys Educ. 29 (1), 29-55.

Rodrigues, F. P. (2019). Desmotivação em discentes do ensino médio para a prática das aulas de educação física. Revista Científica UMC, 4(3).

Santos, C. B. D. (2020). Percepção de competência, de desempenho escolar e performance motora de estudantes do ensino fundamental em situação de vulnerabilidade social. [dissertação]. Marília: Universidade Estadual Paulista.

Santos, C. F., Feitoza, A. H. P., Ré, A. H. N., Tudela, M. C., Cattuzzo, M. T., & Santos, R. H. (2017). Efeito da maturação como covariável da diferença entre sexos na competência motora em adolescentes. Journal of Physical Education, 28(1), 1–9.

Souza, M. S., Spessato, B. C., & Valentini, N. C. (2014). Habilidades motoras fundamentais e as possíveis relações com níveis de atividade física, estado nutricional e sexo. ACTA Brasileira do Movimento Humano, 4(1), 41-51.

Timler, A., McIntyre, F., Cantell, M., Crawford, S., & Hands, B. (2016). Development and evaluation of the psychometric properties of the Adolescent Motor Competence Questionnaire (AMCQ) for Adolescents. Research in developmental disabilities, 59, 127-137.

Venetsanou, F., & Kambas A. (2010). Environmental Factors Affecting Preschoolers' Motor Development. Early Child Educ J., 37(1), 319-327.

Published

14/08/2020

How to Cite

Barros, A. L. R., Romero, F. F. da R., Anversa, A. L. B., Queiroz, L. C. de, Santos, M. A. dos, Barreto, A. C., Ferreira, L., Oliveira, A. A. B. de, & Souza, V. de F. M. de. (2020). Relationships between perceived motor competence and socioeconomic status of High School students. Research, Society and Development, 9(9), e120996684. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6684

Issue

Section

Education Sciences