The supervised internship as space for reflection on teaching practices in the initial training of chemistry teachers at Federal Institute of Rio de Janeiro (IFRJ) – Nilópolis

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6918

Keywords:

Supervised internship; Teacher training; Teaching praxis.; Teaching.

Abstract

Teacher training, specifically, the supervised internship, has been the subject of discussion among several researchers in the fields of teaching and education in Brazil for a long time. In order to understand the perception that graduates of the Chemistry Degree course at IFRJ, Nilópolis campus, have on the contribution and importance of the Supervised Internship in their teacher training, in several aspects, this work was carried out. This research is a qualitative investigation carried out with students who attended at least one of the three mandatory supervised internships offered in the course. The data collection instrument used was an open questionnaire, consisting of five open questions, and the methodology used in the research was Content Analysis, according to Bardin, which predicts the categorization of the content of the answers obtained by the frequency of the appearance of terms equal to or terms with the same semantic content. Through the analysis of the research results it was possible to conclude that the future teachers understand the supervised internship, in most cases, as the practical part of their training course. The supervised internship should be understood by future teachers as a space that allows the construction of the teaching identity and moments of reflection on the teaching practice.

Author Biography

Victor Hugo Paes de Magalhães dos Santos, IFRJ-NILÓPOLIS

Ensino de Qúmica/Ciências

Educação

Química

References

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Brasil. (2015). Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP nº 2, de 1º de julho de 2015. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Ministério da Educação, Brasília, DF. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002- 03072015-pdf/file.

Brasil. (1996). Congresso. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em 24/04/2019.

Caldeira, A. M. S.; & Zaidan, S. (2013). Práxis pedagógica: um desafio cotidiano. Paidéia, 10 (14), 15- 32.

Carvalho, A. M. (2001) A influência das mudanças da legislação na formação de professores: as 300 horas de estágio supervisionado. Ciência e Educação, 7 (1), 113-122.

Darsie, M. M. P.; & Carvalho, A. M. P. (1996). O início da formação do professor reflexivo. Revista Faculdade de Educação, 22 (2), 90-108.

Diniz pereira, J. E. (2014). Da racionalidade técnica à racionalidade crítica: formação docente e transformação social. Perspectiva em Diálogo Revista de Educação e Sociedade. 01 (01), 34-32.

Echeverría, A. R.; & Belisário, C. M. (2008). Formação inicial e continuada de professores num núcleo de pesquisa em ensino de Ciências. Revista Brasileira de Pesquisa de Educação em Ciências,8 (3).

Endo, A. C. B., Roque, M. A. B. (2017). Atenção, memória e percepção: uma análise conceitual da Neuropsicologia aplicada à propaganda e sua influência no comportamento do consumidor. Intercom, 40 (1), 76-77.

Figueiredo, W. N.; & Laitano, A. D. C.; & Santos, V. P. F. A.; & Dias, A. C. S.; & Silva, G. T. R.; & Teixeira, G. A. S. (2017). Formação didático- pedagógica na pós-graduação stricto sensu em Ciências da Saúde nas Universidades Federais do Nordeste do Brasil. Acta Paulista de Enfermagem, 30 (5), 497-503.

Freire, P. (1979). Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Cortez & Moraes Ltda.

Gatti, B. A. (2016). Formação de professores: condições e problemas atuais. Revista Internacional de Formação de Professores, 1 (2), 161-171.

Lima, M. S. L.(2008). Reflexões sobre o estágio/ prática de ensino na formação de professores. Revista Diálogo Educacional, 8 (23), 195-205.

Lüdke, M. (2009). Universidade, escola de educação básica e o problema do estágio na formação de professores. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente, 01 (01), 95 – 108.

Macedo, E. F.(1998). Parâmetros curriculares nacionais: a falácia dos temas transversais. Revista de Educação AEC, 27 (108).

Marandino, M. (2003). A prática de ensino nas licenciaturas e a pesquisa em ensino de ciências: questões atuais. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 20, 168-193.

Messer, B.; & Harter, S.(2012). The Self-perception profile for adults: Manual and Questionnaires. Denver: Universidad de Denver.

Nardi, R. (2009). Ensino de Ciências e Matemática I: temas sobre formação de professores. São Paulo: Cultura Acadêmica.

Pimenta, S. G. (1996). Formação de professores – saberes da docência e identidade do professor. Revista da Faculdade de Educação, 22 (2), 72 – 89.

Pimenta, S. G.; & Lima, M. S. L (2006). Estágio e docência: diferentes concepções. Revista Poíesis, 3 (3-4), 5- 24.

Rosa, M. I. F. P. S.; & Schnetzler, R. P. (2003). A investigação – ação na formação continuada de professores de Ciências. Ciência e Educação, 9 (1), 27-39.

Saviani, D. (2009). Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, 14 (40).

Silva, M. L. S. F. (2005). Estágio curricular: contribuições para o rendimento de sua prática. Natal: Editora da UFRN.

Silva, R. M. G., & Schnetzler, R. P. (2011). Estágios Curriculares Supervisionados de Ensino: partilhando experiências formativas. EntreVer, 01 (01), 116-136.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

VÁZQUEZ, A. S. Filosofia da práxis. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

Published

22/08/2020

How to Cite

Santos, V. H. P. de M. dos, & Souza, T. B. de. (2020). The supervised internship as space for reflection on teaching practices in the initial training of chemistry teachers at Federal Institute of Rio de Janeiro (IFRJ) – Nilópolis. Research, Society and Development, 9(9), e391996918. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6918

Issue

Section

Education Sciences