Analysis of the determinants of healthy aging in a group of elderly people assisted by the Strategy Health of Family

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7083

Keywords:

Health of the elderly; Health promotion; Geriatric nursing.

Abstract

The aim of this study was to analyze the determinants of healthy aging in a group of elderly people assisted by the Family Health Strategy in Belém/Pará. Cross-sectional study carried out with 279 elderly people registered in a Family Health Strategy in the city of Belém-PA, from January to March 2014. Data were collected according to the determinants of healthy aging (cross-sectional and economic, social, environmental and Cheers). For the analysis of the data, the Statistical Package for Social Science Program version 20.0 was used. Among the results obtained, among the elderly, 65.2% were female and 34.8%, male. The largest proportion of them were in the 60 to 69 age group; 53.0% had low income and 59.5% had low education. As risk factors for aging, falls were identified in 52.0%, more than 75% had some health problem; 70.3% of women were sedentary and about 63.7% of them were hospitalized. It was evidenced in this study that the majority of the elderly presented damage to healthy aging, such as risk of falls, physical inactivity and low income, especially among women. In this sense, the manuscript's contribution to collective health consists of presenting the scenario that outlines healthy aging within an FHS, allowing the planning of specific interventions.

References

Bolsoni, C. C, Coelho, E. B. S., Giehl, M. W. C., & D’Orsi, E. (2016). Prevalência de violência contra idosos e fatores associados, estudo de base populacional em Florianópolis, SC. Revista Brasileira de Geriatria Gerontologia, 19(4): 671-82.

Brasil. Portaria n. 2.528, de 19 de Outubro de 2006. (2006). Dispões sobre a aprovação da Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Diário Oficial da União, Brasília, DF.

Brasil. Resolução n. 466, de 12 de Dezembro de 2012. (2012). Dispõe sobre a aprovação de diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, Brasília, DF.

Deponti, R. N., Acosta, M. A. F. (2010). Compreensão dos idosos sobre os fatores que influenciam no envelhecimento saudável. Estudos interdisciplinares sobre o envelhecimento, 15(1), 33-52.

Faller, J. W., Melo, W. A., Versa, G. L. G. S., & Marcon, S. S. (2010). Qualidade de vida de idosos cadastrados na Estratégia Saúde da Família de Foz do Iguaçu-PR. Escola Anna Nery, 14(4), 803-10.

Gratão, A. C. M., Talmelli, L. F. S., Figueiredo, L. C., Rosset, I, Freitas, C. P., & Rodrigues R. A. P. (2013). Dependência funcional de idosos e a sobrecarga do cuidador. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 47(1), 137-44.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2017). Projeção da população do Brasil por sexo e idade: 2000-2060. Recuperado de http://www.ibge.gov.br/home/estatistica /populacao/projecao_da_populacao/2013/default_tab.shtm

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2018a). Número de idosos cresce 18% em 5 anos e ultrapassa 30 milhões em 2017. Recuperado de https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/ agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/20980-numero-de-idosos-cresce-18-em-5-anos-e-ultrapassa-30-milhoes-em-2017

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2018b) Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Recuperado de https://biblioteca. ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101629.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2018c). Tábua completa de mortalidade para o Brasil – 2017. Recuperado de ftp://ftp.ibge.gov.br/Tabuas_Completas_de_Mortalidade /Tabuas_Completas_de_Mortalidade_2017/tabua_de_mortalidade_2017_analise.pdf

Joia, L. C., & Ruiz, T. (2013). Satisfação com a vida na percepção dos idosos. Revista Kairós Gerontologia, 16(6), 79-102.

Luz, E. P., Dallepiane, L. B., Kirchner, R. M., Silva, LAA, Silva, FP, Kohler, J, Gapinger, E, & Carlot, JM. (2014). Perfil sócio-demográfico e de hábitos de vida da população idosa de um município da região norte do Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 17(2), 303-14.

Miranda-Ribeiro, A., Garcia, R. A., & Faria, T. C. de A. B. (2019). Baixa fecundidade e adiamento do primeiro filho no Brasil. Revista Brasileira de Estudos de População, 36, e0080.

Monteiro, A. J. da C., Lobato, M. de N. A., Borges, G. O., Silva, J. M. L. da, Souza, L. N. de, Quaresma, M. de S., & Augusto, H. P. (2020). Enfermagem em Saúde Coletiva e os determinantes sociais da saúde: relato de experiência. Research, Society and Development, 9(8), e136984948.

Muniz, E. A., Aguiar, M. F. S., Brito, M. C. C., Freitas, C. A. S. L., Moreira, A. C. A., & Araújo, C. R. C. (2016). Desempenho nas atividades básicas de vida diária de idosos em atenção domiciliar na estratégia saúde da família. Revista Kairós Gerontologia, 19(2), 133-46.

Organização Mundial da Saúde. (2015). Relatório mundial de envelhecimento e saúde. Recuperado de https://sbgg.org.br/wp-content/uploads/2015/10/OMS-ENVELHECIMENTO-2015-port.pdf

Reis, L. A., & Flôres, C. M. R. (2014). Avaliação do risco de quedas e fatores associados em idosos. Revista Baiana de Enfermagem, 28(1), 42-9.

Ribeiro, P. C. C. (2015). A psicologia frente aos desafios do envelhecimento populacional. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, 8(2), 269-83.

Rodrigues, L. R., Nader, I. D., Silva, A. T. M., Tavares, D. M. S., Assunção, L. M., & Molina, N. P. F. M. (2017) Espiritualidade e religiosidade relacionadas aos dados sociodemográficos de idosos. Revista Rene, 18(4), 429-36.

Rodrigues, R. A. P., Kusumota, L., Marques, S., Fabrício, S. C. C., Cruz, I. R., & Lange, C. (2007). Política Nacional de Atenção ao Idoso e a Contribuição da Enfermagem. Revista Texto e Contexto Enfermagem, 16(3), 536-45.

Santos, M. I. P. O., & Griep, R. H. (2013). Capacidade funcional de idosos atendidos em um programa do SUS em Belém (PA). Ciência & Saúde Coletiva, 18(3), 753-761.

Santos, M. I. P. O., & Portella, M. R. (2016). Condições do letramento funcional em saúde de um grupo de idosos diabéticos. Revista Brasileira de Enfermagem, 69(1), 156-64.

Santos, M. I. P. O., Raymond, T. G., Chaves, E. C., & Silva, M. C. P. (2017). Acessibilidade e acolhimento: estratégias potenciais para qualificação da assistência à saúde do idoso. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde, 18(2), 42-51.

Serrano, J., Faustino, A., Rato, V., Petrica J., Paulo, R., Mendes, P., & Batista, M. (2015). O perfil comum dos programas de atividade física das academias seníores. Revista de Ciencias del Deporte, 11(2), 135-36.

Sousa, F. J. D., Gonçalves, L. H. T., & Gamba, M. A. (2018). Capacidade funcional de idosos atendidos pelo programa saúde da família em Benevides, Brasil. Revista Cuidarte, 9(2), 2135-2144.

Souza, A., Pelegrini, T. S., Ribeiro, J. H. M., Pereira, D. S., & Mendes, M. A. (2015). Conceito de insuficiência familiar na pessoa idosa: análise crítica da literatura. Revista Brasileira de Enfermagem, 68(6), 1176-1185

Vicente, F. R. (2012). Validação de conteúdo de um instrumento para avaliação multidimensional do envelhecimento ativo. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

World Health Organization. (2005). Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/envelhecimento_ativo.pdf

Published

14/08/2020

How to Cite

Costa, P. . V. D. P. ., Chaves, E. C. ., Santos, M. I. P. de O. ., Silva, J. M. L. da ., & Monteiro, A. J. da C. . (2020). Analysis of the determinants of healthy aging in a group of elderly people assisted by the Strategy Health of Family. Research, Society and Development, 9(9), e153997083. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7083

Issue

Section

Health Sciences