Schistosomiasis mansoni: an analysis of epidemiological indicators in the City of Bacuri, Maranhão, Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7091

Keywords:

Bacuri; Schistosomiasis mansoni; Epidemiology; Parasitic infection.

Abstract

Objective: to describe the main epidemiological indicators for Schistosomiasis mansoni (MS) in the municipality of Bacuri, Maranhão, Brazil. Methodology: For this, a documentary and quantitative research of these MS indicators was carried out in the chosen municipality. The time frame chosen for the research was from 2007 to 2016. The data used were collected from the Schistosomiasis Control Program (PCE) that is contained in the Health Information section of the Generic Public Domain Tabulator (TABNET) of the Department of Informatics of the Unified Health System (DATASUS). Results and Discussion: It was found that the year 2007 had the highest number of people with suspected Schistosoma infection (n = 8123). As for exams for suspected cases of Schistosoma mansoni infection, the years 2017 (n = 7237), 2009 (n = 4805), 2010 (n = 4789) and 2014 (n = 6443) were the ones with the highest amount. In 2007, 1166 (16.10%) positive cases were registered, followed by 2009 with 1122 (23.30%) and 2014 with 901 (13.90%). The low parasitic load (1 to 4 eggs) represented 68% (n = 3,947) of all cases, with treatment coverage for these individuals exceeding 95%. Conclusion: Based on the results obtained, it is worth noting that Schistosomiasis mansoni still has an endemic focus in municipalities far from urban centers, such as the city evaluated in this study. Thus, it is necessary to conduct the government in order to reduce these cases.

References

Almeida, R. M., Reis, R. B., Araújo, P. S. R. (2020). Sanitation and Environmental Health in the surroundings of areas with social habitation in Salvador-BA. Research, Society and Development, 9(7). https://rsd.unifei.edu.br/index.php/rsd/article/view/4657/4184.

Amorim, M. A. L. (2017). Esquistossomose Mansonica em Borda da Mata localidade do Município de Canhoba/SE [Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre/RS]. CVSP – Brasil. https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/9138.

Barreto, M. S., Gomes, E. C. S., Barbosa, C. S. (2016). Turismo de risco em áreas vulneráveis para a transmissão da esquistossomose mansônica no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 32(3), 1-3. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00190815.

Brasil (2011). Sistema Nacional de Vigilância em Saúde: relatório de situação. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/sistema_nacional_vigilancia_saude_sc_5ed.pdf.

Brasil (2019). Esquistossomose: causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção. Ministério da Saúde. https://saude.gov.br/saude-de-a-z/esquistossomose.

Costa, S. P. (2006). Análise da sustentabilidade dos ecossistemas relacionada às políticas públicas no município de Bacuri, área de proteção ambiental das reentrâncias maranhenses, Brasil [Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Maranhão]. Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações. http://tedebc.ufma.br:8080/jspui/handle/tede/1220

Correia Filho, F. L., Gomes, E. R., Nunes, O. O. & Lopes Filho, J. B. (2011). Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, Estado do Maranhão: relatório diagnóstico do município de Governador Archer. Ministério de Minas e Energia, Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, Serviço Geológico do Brasil. http://rigeo.cprm.gov.br/xmlui/bitstream/handle/doc/15415/rel-bacuri.pdf?sequence=1.

Gemma, S., Federico, S., Brogi, S., Brindisi, M., Butini, S., Campiani, G. (2019). Dealing with schistosomiasis: Current drug discovery strategies. Annual Reports in Medicinal Chemistry, 53, 107-138. http://dx.doi.org/10.1016/bs.armc.2019.06.002.

Gomes, A. C. L., Galindo, J. M., Lima, N. N., Silva, É. V. G. (2016). Prevalência e carga parasitária da esquistossomose mansônica antes e depois do tratamento coletivo em Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 25(2), 243-250. http://dx.doi.org/10.5123/s1679-49742016000200003.

Gross, N. R. (2018). Avaliação das condições higiênico-sanitárias da feira livre do município de Capanema – PR [Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Tecnológica Federal do Paraná]. Repositório de Outras Coleções Abertas (ROCA). http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/10877.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2010). Panorama Bacuri MA – IBGE Cidades. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ma/bacuri/panorama.

Jordão, M. C. C., Macêdo, V. K. B., Lima, A. F., Xavier Júnior, A. F. S. (2014). Caracterização do perfil epidemiológico da esquistossomose no estado de Alagoas. Cadernos de Graduação - Ciências Biológicas e da Saúde, 2(2), 175-188. https://periodicos.set.edu.br/index.php/fitsbiosaude/article/viewFile/1785/1053.

Lindholz, C.B. (2019). Avaliação e descrição comparativa de métodos diagnósticos da esquistossomose e estudos de variabilidade genética de Schistosoma mansoni. (Tese de doutorado). Escola de Ciências da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Brasil. http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8685

Lira, M. G. S., Miranda, G. S., Rodrigues, J. G. M., Nogueira, R. A., Gomes, G. C. C., Silva-Souza, N. (2017). Ocorrência de Schistosoma mansoni no município de São Bento, Baixada Ocidental Maranhense, estado do Maranhão, Brasil. Revista Pan-Amazônica Saúde, 8(4), 45-51. http://dx.doi.org/10.5123/s2176-62232017000400009.

Morais, I. T. S., Freitas, M. S., Pereira Filho, J. L., Gerônimo Neto, P. S., Luz, A. L. R., Nascimento Júnior, W., Meirelles, L. M. A. (2019). Análise epidemiológica da esquistossomose mansoni no município de Bacuri – MA nos anos de 2007 a 2016. Revista Integrada de Ciências Farmacêuticas e Saúde, 8(1). http://uifarpi.com.br/sistemas/arquivo.php?id_arq=10278.

Silva, C. M. R. S. (2019). Esquistossomose mansônica no município Pureza–RN entre o período de 2008 a 2017 [Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Federal do Rio Grande do Norte]. Biblioteca Digital de Monografia – UFRN. https://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/8981.

Terra, M. R., Silva, R. S., Gonçalves, C. S. F., Pereira, J. A. R., Zanardo, J. (2018). Levantamento Epidemiológico de Esquistossomose Mansoni em Londrina-PR. Revista Uningá, 55(3), 208-217. http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/2551.

Published

16/08/2020

How to Cite

Pereira Filho, J. L., Gerônimo Neto, P. da S., Azevedo, G. C. A. ., Ferreira, T. de C. A., Alcobaça, V. M. L. de ., Resplandes, L. L. S. ., Pereira, L. F. ., Freitas, M. de S. ., Souza, L. de F. L. de ., & Silva, A. Z. (2020). Schistosomiasis mansoni: an analysis of epidemiological indicators in the City of Bacuri, Maranhão, Brazil. Research, Society and Development, 9(9), e236997091. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7091

Issue

Section

Health Sciences