Epidemiological profile of the elderly affected by dengue in the State of Pará in the historical series 2013-2017, Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7324

Keywords:

Dengue; Aging; Epidemiology; Elderly.

Abstract

Introduction: The elderly population is part of a group more susceptible to contracting dengue and being more vulnerable to developing the severe form of the disease, due to the constant presence of diseases. In addition, half of the dengue death cases affect the population over 60 years of age. Objective: To trace the clinical and epidemiological profile of the elderly patient affected by dengue in the State of Pará, in the historical series from 2013 to 2017. Methodology: Quantitative, retrospective study, descriptive-exploratory aims to investigate in the scientific literature the behavior of dengue infections in the elderly population of Pará, in the 2013-2017 historical series. Results: A total of 2,215 dengue cases were found in the elderly from 2013 to 2017, with 1,393 (62.89%) of the public aged 60-69 years, followed by 615 (27.77%) cases from elderly people aged 70 -79 years old and 207 (9.35%) over 80 years old. Discussion: Brazil represents 390 million people infected by dengue annually. It is a disease that is directly related to behavioral circumstances. It is worth noting that some research variables showed significant values ​​of ignored / blank numbers, this allowed for reflection based on the literature, on the low degree of precision in the reported data. Conclusion: The infection causes a number of relevant cases, being relevant that the individuals who are part of the academic body and, especially, the health professionals have rigorous knowledge about the disease, considering its biological and social aspect, in order to provide a broader and humanized treatment.

Author Biographies

Dayara de Nazaré Rosa de Carvalho, Universidade do Estado do Pará (UEPA)

Enfermeira. Especialista em Enfermagem do Trabalho. Pós-graduanda em Enfermagem em Geriatria e Gerontologia. Mestranda pelo Programa de Pós Graduação em Enfermagem pela Universidade do Estado do Pará (PPGENF/UEPA).

Viviane Ferraz Ferreira de Aguiar, Universidade Federal do Pará

Enfermeira. Doutoranda pelo Programa de Pós Graduação em Doenças Tropicais (PPGDT-UFPA). 

References

Assis, V. C., Amaral, M. da P. H., & Mendonça, A. E. (2014). Análise da qualidade das notificações de dengue informadas no sistema de informação de agravos de notificação, na epidemia de 2010, em uma cidade polo da zona da mata do estado de minas gerais. Revista de Atenção Primária à Saúde, 17 (4), 429-437.

Brasil. (2016). Dengue: diagnóstico e manejo clínico: adulto e criança [recurso eletrônico], 5. ed. Brasília. Recuperado de: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2016/janeiro /14/dengue-manejo-adulto-crianca-5d.pdf.

Chaves, E. C., Costa, S. V., Flores, R. L. R., & Bernardes, A. C. (2018) Condições de vida populacional e incidência de dengue no estado do Pará, Brasil. Para Research Medical Jornal, 2, 1-4.

Cruz, J. S. (2014). Avaliação de testes diagnósticos para a identificação da infecção pelo vírus da dengue em pacientes com síndrome febril aguda. Centro de pesquisas Gonçalo Moniz, 67 f. il.

Esperón, J. M. T. (2017). Pesquisa Quantitativa na Ciência da Enfermagem. Rev.Anna Nery, 21(1), e20170027.

Fantinati, A. M. M., Inumaru, S. S., Santos, A. C. A., & Valério, V. T. D. (2013). Perfil epidemiológico e demográfico dos casos de dengue na região central de Goiânia – Goiás: de 2008 a março de 2013. Revista Tempus Actas de Saúde Coletiva, 7 (2).

Fernandes, S. C de A., Figueiredo, D. L. A., Lopes, G. V. B., & Fonseca, H. M. E da. (2016). Dengue, zika e chikungunya na perspectiva da terceira idade – um enfoque em diabéticos e hipertensos: vivência e experiência com um grupo de idosos de uma unidade básica de saúde de mossoró/rn. Revista Extendere, 4 (1).

Ferreira, A. C., Chiaravalloti, N. F., & Mondini, A. (2018). Dengue em Araraquara, SP: epidemiologia, clima e infestação por Aedes aegypti. Revista de Saúde Pública, 52 (18).

Fonseca, L. R. M., Barros, L. S., & Gomes, L. T. (2016). Perfil clínico-laboratorial dos pacientes com infecção pelo vírus da dengue atendidos em um serviço de urgência e emêrgencia da cidade de Cacoal-Ro. Revista Eletrônica FACIMEDIT, 5 (2).

Graciano, A. R., Assis, L. P. F., Cozer, A. M., Amâncio, V. C., & Oliveira, J. M. R de. (2017). Morbimortalidade da dengue em idosos no Brasil. Revista de educação em Saúde, 5 (1), 56-65.

Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística. (2010). Resultado da amostra do censo demográfico 2010 [Internet]. Recuperado de https://censo2010.ibge.gov.br/.

Jassen, M. E. (2017). Fatores associados ao óbito por dengue no Distrito Federal, Brasil, no período de 2007 a 2015: um estudo de caso-controle de base hospitalar. Universidade de Brasília, Brasília.

Katzelnick, L. C., Coloma, J., & Harris, E. (2017). Dengue: knowledge gaps, unmet needs, and research priorities. The Lancet. Infectious diseases, v.17 (3).

Pereira, A. S., et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Recuperado de https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle /1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Rocha, C. A. (2013). Avanços e limites na classificação diagnóstica da dengue. In: Congresso Brasileiro de Medicina de Família e Comunidade, 12, 1266.

Rosa, G. P., Santos, V. A., Silva, B. C. S., & Coimbra, N. S. (2019). Distribuição espacial da dengue em belém do pará, no período de 2015 a 2016. In: xix simpósio brasileiro de sensoriamento remoto, 2019, santos.

Santos, C. A., Macedo, M. R. A., Rocha, J. F., & Miranda, R. S. (2013). Epidemiologia Espacial para Casos de Dengue no Estado do Pará. In: XVI Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto.

Vanzella, E., Nascimento, J. A., & Santos, S. R. dos. (2018). O envelhecimento, a transição epidemiológica da população brasileira e o impacto nas hospitalizações. Revista Estácio Saúde, 7 (1).

Viana, L.R de C., Pimenta, C. J. L., Araújo, E. M. N. F de., Teófilo, T. J. S., Costa, T. F., & Costa, K. N. F. M. (2018). Arboviroses reemergentes: perfil clínico-epidemiológico de idosos hospitalizados. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 52, e03403.

Published

20/08/2020

How to Cite

Carvalho, D. de N. R. de, Amaral, M. C. G. do ., Rocha, L. S. da ., Neves, L. N. A. ., Bendelaque, D. de F. R. ., Sobrinho, C. R. O. ., Costa, R. E. A. R. da ., Souza, S. dos S. B. de ., Santos, C. C. dos ., Silva, K. S. O. e ., Aires, R. di K. D. ., Castro, R. G. de ., Nascimento, C. E. M. do ., Magalhães, W. T. T. de ., Carneiro, D. M. M. ., Fernandes, D. de S. ., & Aguiar, V. F. F. de . (2020). Epidemiological profile of the elderly affected by dengue in the State of Pará in the historical series 2013-2017, Brazil. Research, Society and Development, 9(9), e319997324. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7324

Issue

Section

Health Sciences