Zé Maria from Tomé Camp: socio-environmental struggles and knowledge that are being built in Chapada from Apodi - CE

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7378

Keywords:

Education and social movements; Non-formal education; Learnings.

Abstract

In this research, we aim to identify the educational phenomenon expressed in the struggle of the socio-historical subjects of the Zé Maria from Tomé / Chapada from Apodi-Ceará Camp, evaluating the dialogues that are built between the popular knowledge of the campers and the academic academic groups in the exchange of knowledge that enable a process of awareness and unveiling of reality. The methodology consisted of direct observation of experiences of non-formal education in social movements, in the period between 2014 and 2019. For this, we developed a qualitative study, of the descriptive and explanatory type from field research, referenced in Freire (2019), Brandão (2007) and Gohn (1995 and 2001). We reflected on the socio-environmental struggles of Chapada from Apodi and its implication in the formation of the critical conscience of campers. As a result of the field research, we could perceive principles of social organization, struggle and resistance, from political awareness, allowing us to conclude that these subjects have been looking for forms of resistance and organization to overcome the adversities found in daily life, in the perspective of breaking with the contradictory development of capital in that territory, articulating these social practices to the construction of knowledge with university groups.

Author Biographies

João Paulo Guerreiro de Almeida, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

Doutorando em Educação pela Universidade Federal da Paraíba. Pedagogo e Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Ceará. Professor do curso de Licenciatura em Educação Física do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE, campus Limoeiro do Norte.

Lunian Fernandes Moreira, Universidade Estadual do Ceará

Graduado e Mestre em Tecnologia em Alimentos pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará – IFCE campus Limoeiro do Norte. Licenciando em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará - UECE.

Ângela Thaís da Silva Brito, Universidade Estadual do Ceará

Licenciada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará - UECE. Mestranda em Educação e Ensino no Mestrado Acadêmico Intercampi em Educação e Ensino - MAIE/UECE.

Sandra Maria Gadelha de Carvalho, Universidade Estadual do Ceará

Licenciada em Serviço Social pela Universidade Estadual do Ceará, Mestre e Doutora em Educação pelo PPGE/UFC.  Docente do curso de Licenciatura Plena em Pedagogia da Universidade Estadual do Ceará e do Mestrado Acadêmico Intercampi em Educação e Ensino - MAIE/UECE.

José Ernandi Mendes, Universidade Estadual do Ceará

Licenciado em Pedagogia pela Universidade Federal do Ceará, Mestre e Doutor em Educação pelo PPGE/UFC. Docente do curso de Licenciatura Plena em Pedagogia da Universidade Estadual do Ceará e do Mestrado Acadêmico Intercampi em Educação e Ensino - MAIE/UECE.

Diana Nara da Silva Oliveira, Universidade Estadual do Ceará

Licenciada em História pela Universidade Estadual do Ceará - UECE, mestre em Educação e Ensino pelo MAIE/UECE, doutoranda em Educação pelo PPGE/UFC. Docente do curso de Licenciatura Plena em Pedagogia da Universidade Estadual do Ceará.

References

Almeida, J. P. G. de, Carvalho, S. M. G. de, Oliveira, D. N. da S., & Nunes, L. C. de F. (2020). Juventude rural e escolarização: da negação de direitos às possibilidades de resistência na Chapada do Apodi-Ceará. Research, Society and Development, 9(8), e206985537. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i8.5537.

Almeida, J. P. G. & Carvalho, S. M. G. (2016). Movimento 21 (M21): Novas experiências de educação do campo e não-formal na Chapada do Apodi- CE. Encontros de Pesquisa - UNIFOR, Fortaleza. Disponível em: <https://goo.gl/ZFmiA0>. Acesso em: 07 jun. 2020.

Barbosa, L. P. (2015). Educación, resistencia y movimientos sociales: a praxis educativo-política de los sin tierra e los zapatistas. México: Colección Investigación Doctoral.

Brandão, C. R. (2007). O que é educação?. São Paulo: Brasiliense, 2007.

Brito, A. T. S. (2017). Práticas educativas do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra - MST no processo de (trans)formação das famílias do Acampamento Zé Maria do Tomé/Chapada do Apodi - CE. Trabalho de conclusão de curso de Pedagogia, Universidade Estadual do Ceará, Faculdade de Filosofia Dom Aureliano Matos, Limoeiro do Norte, CE, Brasil.

Carvalho, S. M. G. (2013). Movimento 21: Aprendizados em novas formas de resistência social à lógica do mercado. In: Palhares, J. A & Afonso, A. J. (Orgs.). Braga, Portugal: Universidade do Minho.

Carvalho, S. M. G. & Almeida, J. P. G. (2016). Movimento 21 (M21): Novas experiências de educação do campo e não-formal na Chapada do Apodi- CE. Encontros de Pesquisa - UNIFOR, Fortaleza. Disponível em: <https://goo.gl/ZFmiA0>. Acesso em: 07 abr. 2020.

Cavalcante, L. V. (2019). As firmas tomaram conta de tudo: agronegócio e questão agrária no Baixo Jaguaribe – CE. Tese de doutorado em geografia, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.

Cruz, J. A. (2009). O movimento social e a escola: da criação passada à invenção necessária. EccoS – Revista Científica. 11(1), 57-75.

Freire, P. (2019). Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freitas, B. M. C. (2010). Marcas da modernização da agricultura no território do perímetro irrigado Jaguaribe-Apodi: uma face da atual reestruturação socioespacial do Ceará. Dissertação de mestrado em geografia, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.

Gohn, M. G. (2005). Educação não-formal e cultura política. São Paulo: Cortez.

______. (2001). Educação Não-Formal e Cultura Política. São Paulo: Cortez.

______. (1995). Movimentos e lutas sociais na História do Brasil. São Paulo: Loyola.

Lima, L. C; Vasconcelos, T. S. L. & Freitas, B.M.C. (2011). Os Novos Espaços seletivos no Campo. Fortaleza: EdUECE.

Oliveira, M. J. A. F. (2016). Educação, trabalho e resistência da agricultura familiar camponesa na Chapada do Apodi – Ceará. Dissertação de mestrado em educação e ensino, Universidade Estadual do Ceará, Limoeiro do Norte, CE, Brasil.

Sampaio Jr, P. A. (2012). Desenvolvimentismo e neodesenvolvimentismo: tragédia e farsa. Serviço Social e Sociedade. 11, 672-688.

Silva, M. N. (2019). Aprendizados e Insurgências das mulheres na luta pela terra. Dissertação de mestrado em educação e ensino, Universidade Estadual do Ceará, Limoeiro do Norte, CE, Brasil.

Silva, M. L. V. (2014). Gritos, silêncios e sementes: as repercussões do processo de des-re-territorialização empreendido pela modernização agrícola sobre o ambiente, o trabalho e a saúde de mulheres camponesas na Chapada do Apodi/CE. Dissertação de Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.

Streck, D. R. (2006). Práticas educativas e movimentos sociais na América Latina: aprender nas fronteiras. Séries-estudos. 11(22), 99-111.

Vendramini, C. R. (2000). Terra, trabalho e educação: experiências sócio-educativas em assentamentos do MST. Ijuí: Ed. UNIJUÍ.

Published

17/08/2020

How to Cite

Almeida, J. P. G. de ., Moreira, L. F. ., Brito, Ângela T. da S. ., Carvalho, S. M. G. de ., Mendes, J. E. ., & Oliveira, D. N. da S. . (2020). Zé Maria from Tomé Camp: socio-environmental struggles and knowledge that are being built in Chapada from Apodi - CE. Research, Society and Development, 9(9), e277997378. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7378

Issue

Section

Education Sciences