First psychiatric hospitalization: a perspective of the care based on the patient's experience

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7402

Keywords:

Hospitalization; Mental disorders; User embracement.

Abstract

This work analyzes the patient’s first hospitalization in a specialized psychiatric hospital, their arrival, stay, and the care received during the hospitalization. Qualitative, descriptive and analytical research, with consultation of statistic, medical records and semi-structured interviews of these patients in their first hospitalization. Patients report an idle routine during hospitalization, passiveness, lack of knowledge regarding the received treatment, short duration of care received by professionals and low autonomy over the prescribed medication. The patients do not recognize workshops or similar activity as treatment. They highlight the nursing station as a place where they feel safe, and point out the use of the clinical beds as a favorable and reassuring place for the first hospitalization. We recommended that the first hospitalization is performed by a multidisciplinary team which acts in accordance with territorial services, in direct partnership with the Psychosocial Care Center (CAPS) for joint action in the face of new crises.

Author Biographies

Vivian dos Santos Teixeira , Universidade Federal do Rio de Janeiro

Enfermeira; Mestre em Atenção Psicossocial no Instituto de Psiquiatra na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Claudia Barbastefano Monteiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Graduação em Enfermagem pela Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac (1986), Habilitação em Enfermagem de Saúde Pública pela Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac (1987), Licenciatura pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1995), pós-graduação lato sensu em Assistência ao Psicótico, pelo Instituto de Psiquiatria da UFRJ/IPUB (2000) e mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2004). Doutora em Ciências pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2019). Servidora  do Instituto de Psiquiatria da Universidade do Brasil/UFRJ no cargo de enfermeira assistencial das enfermarias e  preceptora da Escola de Enfermagem Anna Nery e da Residência Multiprofissional do IPUB/UFRJ. Atualmente no Polo de assistência em saúde mental dos trabalhadores da UFRJ - SAPS.  Experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem Psiquiátrica, atuando principalmente nos seguintes temas: enfermagem, enfermagem psiquiátrica, psiquiatria, saúde pública, atenção à saúde mental e saúde do trabalhador.

Emiliane Cunha Ferreira, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Enfermeira; Mestre em Enfermagem na Universidade Federal do Rio de Janeiro

Marcos Antônio Barbosa Pacheco, Universidade Federal do Maranhão

Dr. Em Políticas Públicas pela Universidade Federal do Maranhão - Ufma

Marilaine Pereira Santiago, Universidade Ceuma

Especializanda em Magistério Superior e graduada em Letras pela Universidade Ceuma

Cristina Maria Douat Loyola, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestrado Profissional em Gestão de Programas e Serviços de Saúde – Universidade CEUMA

Profa. colaborador do mestrado em Saúde Mental do IPUB/ UFRJ

Pós-doutorado no Center for Addiction and Mental Health / CAMH da Universidade de Toronto-Canadá

References

Atria, M. J. (2019). Comunicación en salud: procesos interdisciplinarios y prácticas comunicativas. Revista Confluencia, 1(1), 55–57.

Batista, C. F., Bandeira, M., & Oliveira, D. R. (2015). Fatores associados à sobrecarga subjetiva de homens e mulheres cuidadores de pacientes psiquiátricos Factors associated with the overburden of male and female caregivers of psychiatric patients. Ciênc. saúde coletiva, 20(9), 2857–2866. https://doi.org/10.1590/1413-81232015209.03522014

Benini, I. S. P., & Leal, E. M. (2016). A experiência subjetiva do uso de psicotrópicos na perspectiva de pessoas com diagnóstico de esquizofrenia. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, 19(1), 30–42. https://doi.org/10.1590/1415-4714.2016v19n1p30.3

Brasil, M. da saúde. Portaria no 3.088, de 23 de dezembro de 2011 (2011).

Brasil, M. da saúde. Portaria No 3.588, de 21 de dezembro de 2017 (2017).

Cardoso, A., Byrne, M., & Xavier, M. (2016). Adesão ao tratamento nas perturbações psiquiátricas: o impacto das atitudes e das crenças em profissionais de serviços de psiquiatria e saúde mental em Portugal. Parte I: aspetos conceptuais e metodológicos. Revista Portuguesa de Saude Publica, 34(3), 209–219. https://doi.org/10.1016/j.rpsp.2016.05.004

Ely, G. Z., Terra, M. G., Silva, A. A. da, Freitas, F. F. De, Leite, M. T., & Brum, B. de N. (2017). Percepção do ser humano internado em unidade psiquiátrica sobre viver com a doença mental. Texto & Contexto - Enfermagem, 26(3), 1–10. https://doi.org/10.1590/0104-07072017000280016

Flores, B. C., & Pinheiro, A. S. (2019). Pulando muros e portões: a voz de Stela do Patrocínio. In Unioeste (Org.), Redes do imaginário: Literatura, memória e resistência (p. 58–78). Cascavél PR.

Humerez, D. C., Ohl, R. I., & Siva, M. C. N. da. (2020). Saúde mental dos profissionais de enfermagem do brasil no contexto da pandemia covid-19: ação do conselho federal de enfermagem. Cogitare Enfermagem, 25(4). https://doi.org/10.1590/0102-311X00063520

Ibiapina, A. R. de S., Monteiro, C. F. de S., Alencar, D. de C., Fernandes, M. A., & Costa Filho, A. A. I. (2017). Therapeutic Workshops and social changes in people with mental disorders. Escola Anna Nery, 21(3), 1–8. https://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2016-0375

Li-Quiroga, M.-L., Alipázaga-Pérez, P., Osada, J., & León-Jiménez, F. (2015). Nivel de sobrecarga emocional en familiares cuidadores de personas con esquizofrenia en un hospital público de Lambayeque-Perú . Rev Neuropsiquiatria, 78(4), 232–239.

Lima, M., & Dimenstein, M. (2016). O apoio matricial em saúde mental: uma ferramenta apoiadora da atenção à crise. Interface - comunicação saúde educação, 20(58), 625–636. https://doi.org/10.1590/1807-57622015.0389

Loyola, C. M. D. (2017). Mental health and psychiatric nursing: contributions to the resocialization of person in psychic suffering. Escola Anna Nery, 21(3), Editorial. https://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2017-0003-0001

Minayo, M. C. S. (2016). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. (Editora Vozes, Org.), Minayo, M.C.S (Org.) Pesquisa Social: teoria,método e criatividade (34a ed.). Petropolis.

Nascimento, G. B., & Paes, S. (2015). Gicelma Barreto Nascimento Rogério da Silva Paes Henriques. SPAGESP, 16(2), 120–135.

Paula, G. S., & Oliveira, E. B. (2017). Violência relacionada ao trabalho na psiquiatria: percepção de trabalhadores de enfermagem. Revista Smad, 2(21), 34–39.

Queiroz, I. S. de, Jardim, Ô. M., & Alves, M. G. de D. (2016). “Escuta no pátio”: cuidado e vínculo como práticas de redução de danos. Pesqui. prát. psicossociais, 11(3), 650–668. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-89082016000300010

Rocha, R. M. (2019). Enfermagem em Saúde Mental. (E. Senac, Org.) (2a). São Paulo.

Rodrigues, Â. A. P., Xavier, M. L., Figueiredo, M. A. G. de, Filho, A. J. de, Almeida, & Peres, M. A. A. (2016). Influências da reforma psiquiátrica no cuidado de enfermagem na casa de saúde esperança em juiz de fora. Texto & Contexto - Enfermagem, 25(2). https://doi.org/10.1590/0104-07072016001450014 Artigo

Saraceno, B. (2001). Libertando identidades: da reabilitação psicossocial à cidadania possível. (T. C. Editora, Org.). Rio de Janeiro.

Silva, T. A. da, & Júnior, J. D. de P. (2019). O diálogo necessário : clínica e saúde mental. Analytica, 8(15), 1–16.

Published

15/08/2020

How to Cite

Teixeira , V. dos S. ., Monteiro, C. B. ., Ferreira, E. C., Pacheco, M. A. B., Santiago, M. P. ., & Loyola, C. M. D. . (2020). First psychiatric hospitalization: a perspective of the care based on the patient’s experience. Research, Society and Development, 9(9), e171997402. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7402

Issue

Section

Health Sciences