Agronomic potential and genetic dissimilarity among coffee cultivars: Hierarchical method and optimization

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7468

Keywords:

Multivariate analysis; Genetic variability; Coffea arabica L.

Abstract

The coffee growing in Minas Gerais has been outstanding due to the high quality in the production and the cultivar choice is very important during the culture implantation process. Genetic dissimilarity studies are very important to make further advances in breeding programs to obtain more adapted cultivars. Thus, the objective of this work was to evaluate the agronomic potential and genetic dissimilarity among coffee cultivars based on hierarchical and optimization methods. The experiment was installed at the Federal University of Uberlândia, Campus - Monte Carmelo. The planting was carried out in December 2015, using a randomized block design with four replications. A spacing of 3.5 m between rows and 0.6 m between plants was adopted. The treatments consisted of the Coffea arabica cultivars: Acaiá Cerrado - MG 1474; Mundo Novo IAC 379-19; Bourbon Amarelo IAC J10; Catuaí Vermelho IAC 99; Topázio MG 1190; Acauã Novo and IAC 125 RN. Growth, crop yield and physical classification were evaluated for type, size and shape of coffee beans. There was consistency between hierarchical and optimization methods in the groups formation. The cultivar Mundo Novo IAC 379-19 showed the highest vegetative vigor. The cultivar Acaiá Cerrado MG 1474 was the one that obtained the highest yield in the first crop. The cultivar Topázio MG 1190 showed higher genetic dissimilarity compared to the other cultivars. UPGMA multivariate analysis and Tocher optimization methods indicated that the cultivars have genetic variability for the region under study.

Author Biographies

Bruno Amâncio da Cunha, Universidade Federal de Uberlândia

Graduando em Agronomia na Universidade Federal de Uberlândia - Campus Monte Carmelo.

Gleice Aparecida de Assis, Universidade Federal de Uberlândia

Docente na Universidade Federal de Uberlândia - Campus Monte Carmelo.

Gabriel Mascarenhas Maciel, Universidade Federal de Uberlândia

Docente na Universidade Federal de Uberlândia - Campus Monte Carmelo.

Marco Iony dos Santos Fernandes, Universidade Federal de Uberlândia

Graduando em Agronomia na Universidade Federal de Uberlândia - Campus Monte Carmelo.

Ana Laura Campos Airão, Universidade Federal de Uberlândia

Graduanda em Agronomia na Universidade Federal de Uberlândia - Campus Monte Carmelo.

Letícia Gonçalves do Nascimento, Universidade Federal de Uberlândia

Graduanda em Agronomia na Universidade Federal de Uberlândia - Campus Monte Carmelo.

Renato Aurélio Severino de Menezes Freitas, Universidade Federal de Uberlândia

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Agricultura e Informações Geoespaciais da Universidade Federal de Uberlândia - Campus Monte Carmelo.

References

Almeida, R. D., K Peluzio, J. M., & Afférri, F. S. (2011). Divergência genética entre cultivares de soja, sob condições de várzea irrigada, no sul do Estado do Tocantins. Revista Ciência Agronômica, 42(1), 108-115.

Assis, G. A., Guimarães, R. J., Scalco, M. S., Colombo, A., Morais, A. R., & Carvalho, J. P. S. (2014). Correlação entre crescimento e produtividade do cafeeiro em função do regime hídrico e densidade e de plantio. Bioscience Journal, 30(3), 666-676.

Carvalho, C.H. S. (2008). Cultivares de café: origem, características e recomendações. Brasília: Embrapa Café.

Carvalho, A. M., Mendes, A. N. G., Carvalho, R. C., Botelho, C. E., Gonçalves, F. M. A., & Ferreira, A. D. (2010). Correlação entre crescimento e produtividade de cultivares de café em diferentes regiões de Minas Gerais, Brasil. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 45(3), 269-275.

Celestino, S.M. C., Malaquias, J.V., & Xavier, M.F. F. (2015). Agrupamento de acessos de café irrigado com melhores atributos para bebida. Coffee Science, 10(1) 131 - 137.

Companhia Nacional de Abastecimento – CONAB. (2020, dezembro). Acompanhamento da safra brasileira de café - Primeiro levantamento. Recuperado de https://www.conab.gov.br/info-agro/safras/cafe

Correa, A. M., & Gonçalves, M. C. (2012). Divergência genética em genótipos de feijão comum cultivados em Mato Grosso do Sul. Revista Ceres, 59(1), 206-212.

Cruz, C. D. (2013). Genes: a software package for analysis in experimental statistics and quantitative genetics. Acta Scientiarum, 35(3), 271-276.

Cruz, C. D., Carneiro, P.C. S., & Regazzi, A. J. (2014). Modelos biométricos aplicados ao melhoramento genético. Viçosa: UFV.

Ferreira, M. G., Salvador, F. V., Lima, M. N. R., Azevedo, A. M., Lima Neto, I. S., Sobreira, F. M. & Silva, D. J. H. (2016). Parâmetros genéticos, dissimilaridade e desempenho per se em acessos de abóbora. Horticultura Brasileira, 34(4), 537-546.

Finzi, R. R., Marquez, G. R., Maciel, G. M. M., Momesso, M. P., Pereira, L. M., & Silveira, A. J. (2019). Soluble solids monitored in the clusters in minitomato hybrids from dwarf lines. Revista Agrarian, 12(43), 33-39.

Franco Junior, K. S., Brigante, G. P., Silva, T. M., & Soares, W.L. (2019). Qualidade do café arábica por diferentes granulometrias. Ciência Agrícola, 17(1), 31-35.

Guedes, J. M., Vilela, D. J. M., Rezende, J. C., Silva, F. L., Botelho, C. E., & Carvalho, S. P. (2013). Divergência genética entre cafeeiros do germoplasma Maragogipe. Bragantia, 72(2), 127-132.

Ivoglo, M. G., Fazuoli, L. C., Oliveira, A. C. B., Gallo, P. B., Mistro, J. C., Silvarolla, M. B., & Thoma-Braguini, M. (2008). Divergência genética entre progênies de Café Robusta. Bragantia, 67(4), 823-883.

Kloster, G.S., Barelli, M. A. A., Silva, C. R., Neves, L. G., Paiva Sobrinho, S., & Luz, P. B. (2011). Análise da divergência genética através de caracteres morfológicos em cultivares de feijoeiro. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 6 (3), 452-459.

Maciel, G.M., Finzi, R. R., Carvalho, F. J., Marquez, G. R., & Clemente, A. A. (2018). Agronomic performance and genetic dissimilarity among cherry tomato genotypes. Horticultura Brasileira, 36 (2), 167-172.

Marchi, E.C. S., Campos, K. P., Corrêa, J. B. D., Guimarães, R. J., & Souza, C. A. S. (2003). Épocas de plantio de mudas de cafeeiro produzidas em sacos plásticos e tubetes e plantadas em duas classes de solo. Revista Ceres, 50(290), 499-508.

Matiello, J. B., Almeida, S. R., Silva, M. B., Carvalho, C. H. S., & Grossi, J. C. (2010). Adaptação de variedades de café na região do Alto Paranaíba e Triângulo, em Minas Gerais. Congresso Brasileiro de Pesquisas Cafeeiras. Guarapari, ES, Brasil, 36.

Matiello, J. B., Santinato, R., Almeida, S. R., & Garcia, A. W. R. (2015). Cultura do Café no Brasil: manual de recomendações. Fundação Procafé.

Ministério da agricultura, pecuária e abastecimento – MAPA. (2020). Registro nacional de cultivares – RCN. Recuperado de http://sistemas.agricultura.gov.br/snpc/cultivarweb/cultivares_registradas.php

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA. (2003). Instrução Normativa nº 8, de 11 de Junho de 2003. Regulamento Técnico de Identidade e de Qualidade para a Classificação do Café Beneficiado Grão Cru. Recuperado de http://www.ministerio.gov.br

Moura, W.M., Soares, Y. J. B., Amaral Júnior, A. T., Lima, P. C., Martinez, H. E. P., & Gravina, G. A. (2015). Genetic diversity in arabica coffee grown in potassium-constrained environment. Ciência e Agrotecnologia, 39 (1), 23-31.

Nardino, M., Baretta, D., Carvalho, I. R., Follmann, D. N., Ferrari, M., Pelegrin, A. J., Szareski, V. J., Konflanz, V. A., & Souza, V. Q. (2017). Divergência genética entre genótipos de milho (Zea mays L.) em ambientes distintos. Revista de Ciências Agrárias, 40(1), 164-174.

Ortega, C. A., & Jesus, M. C. (2011). Território, certificação de procedência e a busca da singularidade: o caso do Café do Cerrado. Política & Sociedade, 10(19), 305-330.

Pedrosa, A., W., Martinez,H. E. P., Cruz, C. D., Matta ,F. M., & Clemente, J. M.(2013). Crescimento de cultivares de café em resposta a doses contrastantes de zinco. Coffee Science, 8 (3), 295-305.

Pereira, S.P., Bartholo, G. F., Baliza, D. P., Sobreira, F. M., & Guimarães, R. J. (2011). Crescimento, produtividade e bienalidade do cafeeiro em função do espaçamento de cultivo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 46 (2), 152-160.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J. & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. (1.ed). Santa Maria, RS: UFSM, NTE. Recuperado de https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Ribeiro, A. C., Guimarães, P. T. G., & Alvarez, V. H. (1999). Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais. 5ª Aproximação. Viçosa, MG.

Silva, F. L., Baffa, D. C. F., Oliveira, A. C. B., Pereira, A. A., & Bonomo, V. S. (2013). Integração de dados quantitativos e multicategóricos na determinação da divergência genética entre acessos de cafeeiro. Bragantia, 72(3), 224-229.

Silva, V.A., Machado, J. L., Rezende, J. C., Oliveira, A. L., Figueiredo, U. J., Carvalho, G. R., & Ferrão, M. A. G. (2017). Adaptability, stability, and genetic divergence of conilon coffee in Alto Suaçuí, Minas Gerais, Brazil. Crop Breeding and Applied Biotechnology, 17(1), 25-31.

Singh, D. (1981). The relative importance of characters affecting genetic divergence. Indian Journal of Genetic and Plant Breeding, 41(2), 237-245.

SISMET COOXUPÉ. Dados das Estações Meteorológicas. (novembro, 2019). Recuperado de: http://sismet.cooxupe.com.br:9000.

Viana, M. T. R., Guedes, J. M., Mauri, J., Silva, E. A., Castanheira, D. T., Gama, T. C. P., & Guimarães, R. J. (2018). Variabilidade genética em genótipos de café resistentes à ferrugem utilizados em programas de melhoramento. Scientia Agraria Paranaensis, 17(1), 80-89.

Downloads

Published

30/08/2020

How to Cite

Cunha, B. A. da, Assis, G. A. de, Maciel, G. M., Fernandes, M. I. dos S., Airão, A. L. C., Nascimento, L. G. do, & Freitas, R. A. S. de M. (2020). Agronomic potential and genetic dissimilarity among coffee cultivars: Hierarchical method and optimization . Research, Society and Development, 9(9), e561997468. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7468

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences