Tearcher’s Formation-Action in Creative Schools and its reflexes in reading activities, textual production, and interpretation

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7546

Keywords:

Teaching formation; Pedagogical practice; Transdisciplinarity.

Abstract

This text systematizes one part of a research bound to the Programa de Mestrado Profissional em Educação Básica [Program of Professional Master in Basic Education] (PPGEB) from Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (UNIARP), whose purpose was to analyse the contributions of the Programa de Formação-Ação em Escolas Criativas [Program of Formation-Action in Creative Schools] towards a new meaning of the teachers pedagogical practices of the Escola Municipal de Educação Básica Gleidis Rodrigues [Gleidis Rodrigues Basic Education City School], in Timbó Grande (Santa Catarina), by means of the students’ perceptions of the first years of the Ensino Fundamental [Elementary School] about the reflexes upon the reading activities, textual production and interpretation. Methodologically, the study is featured by a research-action, anchored by a qualitative approach. The data collection was done by means of an interview applied to 12 students of the first years of the Ensino Fundamental [Elementary School]. The results highlighted the influence of the proposal in building the transdisciplinary possibilities, identified on the records about the mobilization of knowledge which was not covered within the Ensino Fundamental [Elementary School] syllabus, within the amplification of knowledge on the local reality and in the binding of field lessons with the the reading practices, textual production and interpretation.

Author Biographies

Marlene Zwierewicz, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP

Doutora em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (2013) e Doutora em Educação pela Universidade de Jaén - UJA - Espanha (2012), Mestre em Educação pela Universidade do Contestado - UnC (2002), Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC (1990). Coordenadora, professora e pesquisadora do Programa de Mestrado Profissional em Educação Básica e Coordenadora do Curso de Pedagogia a Distância da Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP. Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Complexidade, Ecoformação e Transdisciplinaridade - GCET. Coordenadora - com Saturnino de la Torre - da Rede Internacional de Escolas Criativas - RIEC. Responsável com Saturnino de la Torre (Universidade de Barcelona - UB) pela criação da metodologia dos Projetos Criativos Ecoformadores - PCE. Em 2019, recebeu na Espanha, o prêmio Docente Ecoformadora Creativa pelo compromisso com uma educação transformadora. Editora no Brasil da Revista Electrónica de Investigación y Docencia - REID, com sede na Espanha. Atuou como Reitora Interina do (07-12/2012) e Pró-Reitora de Ensino de Graduação (2010-2012) e (2015-2016) no UNIBAVE. Tem experiência na área de educação, com ênfase na formação docente e metodologias inovadoras. Suas pesquisas, produção técnica e tecnológica estão focadas na formação docente, planejamento educacional e metodologias transdisciplinares e ecoformadoras.

Helena Castilho Zielinski, Escola Municipal de Educação Básica Gleidis Rodrigues

ossui Mestrado Profissional em Educação Básica pela Universidade Ato Vale do Rio do Peixe - UNIARP (2019), Graduação em Pedagogia pela Universidade do Contestado - UnC (2002). Atualmente é gestora da EEB Gleides Rodrigues, vinculada à Rede Municipal de Ensino de Timbó Grande. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em prática pedagógica, planejamento e metodologias inovadoras.

Maria José de Pinho, Universidade Federal do Tocantins

Possui graduação em História e graduação em Pedagogia. Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco. Doutorado em Educação e Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Pós - Doutorado em Educação pela Universidade do Algarve-Portugal. É professora Associado e Bolsista Produtividade do CNPq categoria 2. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Política Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, política educacional, profissionalização docente, avaliação institucional, Metodologia de Pesquisa; Estudos contemporâneo. Avaliadora do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior do INEP /MEC.É professora na graduação Curso de Jornalismo, no Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado em Ensino de Língua e Literatura.Também é professora no Programa de Pós-Graduação Mestrado em Educação a partir de 2012. É membro da Rede Internacional de Escolas Criativas: construindo a escola do século XXI (RIEC Coord. UB/Espanha). Orienta mestrado e doutorado sobre formação de professores; práticas educativas;política educacional; teoria da complexidade. Desenvolve pesquisa sobre escolas criativas; educação e formação de professor. Tem livro e capítulos de livros publicados versando sobre o tema Formação de Professor

Vera Lúcia Simão, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe

Possui Doutorado em Educação e Sociedade pela Universidade de Barcelona - UB - Espanha (Reconhecido pela UFPR); Professora Visitante do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Naturais e Matemática ? PPGECIM da FURB. Professora Visitante e Investigadora da Universidade de Barcelona - UB, por meio da Oficina de Mobilidat i Programas Internacionais. Professora do Programa de Pós-Graduação do Mestrado Profissional em Educação Básica da Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP. Membro da Rede Internacional de Escolas Criativas - RIEC BRASIL, RIEC ADEC, Vice Coordenadora do Núcleo RIEC ECOFOR e membro da RIEC FURB. Membro do Programa de Pesquisa em Formação de Professores e Práticas Educativas - GPFORPE FURB. Em julho de 2019 recebeu o Diploma de Distinción y Reconocimiento como Docente Ecoformadora Creativa, por haver contribuído com a transformação de Escolas Criativas Municipais, ativamente implicada nos Núcleos ECOFOR e FURB orientando a transformação da Educação por meio da Formação-Ação. Sua pesquisa, produção técnica e tecnológica estão focadas na Ecoformação, Transdisciplinaridade, Criatividade, Formação Docente, Educação Básica e Ensino Superior.

References

Almeida, A. L. R. (2018). Influência do programa de formação-ação em escolas criativas na transformação das práticas pedagógicas em uma escola do campo. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Básica) – Universidade Alto Vale do Rio do Peixe, Caçador, 2018.

Alvarenga, A. T., Sommerman, A., & Alvarez, A. M. S. (2005). Congressos internacionais sobre transdisciplinaridade: reflexões sobre emergências e convergências de idéias e ideais na direção de uma nova ciência moderna. Saúde e Sociedade, 14 (3), 9-29. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902005000300003.

Botelho, A. C. R. (2007). Teologia na Complexidade: do racionalismo teológico ao desafio transdisciplinar. Tese (Doutorado em Teologia) – Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Brasil. (2017). Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília: MEC, 2017. Recuperado de http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf.

Brasil. (2005). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Senado Federal/Secretaria Especial de Editoração e Publicações Subsecretaria e Edições Técnicas. Recuperado de https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/70320/65.pdf.

Brasil. (2013). Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília: MEC/SEB/DICEI. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15548-d-c-n-educacao-basica-nova-pdf&Itemid=30192.

Ciurana, E-R. (2003). Complexidade: elementos para uma definição. In: E. A. Carvalho, & Mendonça, T. Tereza (org.). Ensaios de complexidade 2. (pp. 48-63). Porto Alegre: Sulina.

Gatti, B. A., Barreto, E. S. S., & Amndré, M. E. D. A. (2011). Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO.

Minayo, M. C. S. (2010). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 29ª. ed. Petrópolis: Vozes.

Moraes, M. C. (2012). O Paradigma Educacional Emergente. 16ª. ed. Campinas: Papirus.

Morin, E. (1998). Ciência com Consciência. 2ª. ed. Rio de Janeiro: Berhand.

Morin, E. (2007). Os sete saberes necessários à educação do futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. da Silva e Jeane sawaya. 12ª. ed. São Paulo: Cortez. Brasília: UNESCO.

Morin, E. (2015). Ensinar a viver: manifesto para mudar a educação. Tradução de Edgard de Assis Carvalho e Mariza Perassi Bosco. Porto Alegre: Sulina.

Morin, E., & Delgado, C. J. (2016). Reinventar a Educação: abrir caminhos para a metamorfose da humanidade. São Paulo: Pala Athena.

Nicolescu, B. (2005). O Manifesto da Transdisciplinaridade. Tradução de Lucia Pereira de Souza. 3ª. ed. São Paulo: TRIOM.

Nicolescu, B. (2014). Transdisciplinariedad: pasado, presente y futuro. In: A. C. Espinoza Martinez & P. Galvani (Org.). Transdisciplinariedad y formación universitária: teorias y prácticas emergentes (pp. 45-90). Puerto Vallarta: CEUArkos.

Nóvoa, A. (2017). Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, 47 (166), 1106-1133. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/cp/v47n166/1980-5314-cp-47-166-1106.pdf.

Nóvoa, A. (2002). Formação de Professores e Trabalho Pedagógico. Lisboa: Educa.

Peixoto, E. R. B., & Pinho M. J. (2019). O caráter transdisciplinar da criatividade e do letramento: perspectivas à luz do pensamento complexo. Revista Electrónica de Investigación y Docencia – REID. Monográfico 4, 37-51. Doi: http://dx.doi.org/10.17561/reid.m4.3.

SÁ, R. S. (2019). Contribuições teórico-metodológicas do pensamento complexo para a construção de uma pedagogia complexa. In: R. A. Sá, & Behrens, M. A. (Org.). Teoria da complexidade: contribuições epistemológicas para uma pedagogia complexa. (pp. 17-64). Curitiba: Appris.

Santos, A. (2009). Complexidade e transdisciplinaridade em educação: cinco princípios para resgatar o elo perdido. In: A. Santos, & A. Sommerman (Coord.). Complexidade e transdisciplinaridade: em busca da totalidade perdida (pp. 15-38). Porto Alegre: Sulina.

Santos, A. (2005). O que é transdisciplinaridade. Rural Semanal, 28 (31). Recuperado de http://www.ufrrj.br/leptrans/arquivos/O_QUE_e_TRANSDISCIPLINARIDADE.pdf.

Thiollent, M. (2000). Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez.

Torre, S. (2009). Escolas Criativas: escolas que aprendem, criam e inovam. In: M. Zwierewicz, & S. Torre (Org.). Uma escola para o século XXI: escolas criativas e resiliência na educação. (pp. 55-69). Florianópolis: Insular.

Torre, S.,& Zwierewicz, M. (2009). Projetos Criativos Ecoformadores. In: M. Zwierewicz, & S. Torre (Org). Uma escola para o século XXI: escolas criativas e resiliência na educação (pp. 153-176). Florianópolis: Insular.

Zielinski, H C. (2019). Indicadores de práticas transdisciplinares de leitura, produção e interpretação textual detectados no Programa de Formação-Ação em Escolas Criativas. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Básica) – Universidade Alto Vale do Rio do Peixe, Caçador.

Zwierewicz, M. (2018) Formação docente transdisciplinar e suas implicações no desenvolvimento de Escolas Criativas. In: J. M. González Velasco (Org.). Transdisciplinariedad en educación: docência, escuela y aula (pp. 173-185). La Paz: Prisa.

Zwierewicz, M. (2017). Programa de Formação-Ação em Escolas Criativas: matizes da pedagogia ecossistêmica na formação de docentes da Educação Básica. In: M. G. Dittrich et al. (Org.). Políticas Públicas na contemporaneidade: olhares cartográficos temáticos (pp. 217-231). Itajaí: Univali, 2017.

Published

05/09/2020

How to Cite

Zwierewicz, M., Zielinski, H. C. ., Pinho, M. J. de ., & Simão, V. L. (2020). Tearcher’s Formation-Action in Creative Schools and its reflexes in reading activities, textual production, and interpretation . Research, Society and Development, 9(9), e742997546. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7546

Issue

Section

Education Sciences