Treatment and abandonment of notified cases of Tuberculosis in the State of Rio Grande do Sul

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7659

Keywords:

Tuberculosis; Primary Health Care; Health information system; Notification.

Abstract

The objective is to verify the cure rate and treatment abandonment rate of people with tuberculosis notified in the State of Rio Grande do Sul from 2006 to 2016. Methodology; retrospective cross-sectional study through the Health Information:System using the Information and Diseases of Notifications, including notifications for tuberculosis in the period from 2006 to December 2016 and residents in Rio Grande do Sul. Results: the closure of cases classified as abandonment was 16%, the average cure rate was 76%, deaths from other causes a average rate of 18% and the rate of deaths from tuberculosis in the analyzed period was 4%. Conclusion; it that the majority of gauchos notified by tuberculosis are undergoing treatment and have consequently been cured, however, the dropout rate is high. It is necessary to rethink strategies as recommended by the Ministry of Health to control this disease.

Author Biography

Elenir Terezinha Rizzetti Anversa, Faculdade Integrada de Santa Maria-FISMA

Departamento de Enfermagem

References

Antunes, J. L., Waldman, E. A. & Morais, M. (2000). A tuberculose através do século: ícones canônicos e signos do combate à enfermidade. Ciência e Saúde Coletiva, 5(2), 367-79.

Barros, P. G., Pinto, M. L., Silva, T. C., Silva, E. L. & Figueiredo, T. R. (2014). Perfil Epidemiológico dos casos de Tuberculose Extrapulmonar em um município do Estado da Paraíba, 2001–2010. Caderno de Saúde Coletiva, 22(4),343-350.

Belchior, A. S., Arcêncio, R. A. & Mainbourg, E. M. T. (2016). Diferenças no perfil clínico-epidemiológico entre casos novos de tuberculose e casos em retratamento após abandono. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 50(4),622-627.

Brasil. (2010). Manual de Recomendações para o Controle da Tuberculose no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (2011). Manual de recomendações para o controle da tuberculose no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (2017). Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (2018). Boletim Epidemiológico. Brasília: Ministério da Saúde.

Lima, L. M., Harten, J., Tomberg, J. O., Vieira, D. A., Antunes, M. L. & Cardozo-Gonzales, R. I. (2016). Avaliação do acompanhamento e desfecho de casos de tuberculose em município do sul do Brasil. Revista Gaúcha de Enfermagem, 37(1): e51467, 1-7.

Maciel, M. S., Mendes, P. D., Gomes, A. P. & Batista R. S. (2012). A história da tuberculose no Brasil: os muitos tons (de cinza) da miséria. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, 10(3),226-630.

Oliveira, L. Braz., Costa, C. R. B., Queiroz, A. A., Araujo, T. M. E., Sousa, K. A. A. & Reis, R. K. (2018). Análise epidemiológica da coinfecção tuberculose/HIV. Cogitare Enfermagem, 23(1), 510-516.

Oliveira Júnior, H.S., Mendes, D. H. C., Almeida, R. B. (2015). Prevalência de casos de tuberculose durante anos de 2002 a 2012, no município de Palmas-Paraná, Brasil. Revista de Saúde Pública, 8(1),43-57.

Paz, L. N. F., Ohnishi, M. D. O., Barbagelata, C. M., Bastos, F. A., Oliveira, J. A. F. & Parente, I. C. (2012). Efetividade do tratamento da tuberculose. Jornal Brasileiro de Pneumologia, 38(4), 503-10.

Portela, N. L. C. (2015). Fatores associados ao abandono do tratamento da tuberculose: uma revisão integrativa da literatura. Revista UNIVAP, 21(38), 15-25.

Prado Junior, J. C., Virgilio, T. C. & Medronho, R. A. (2016). Comparação da proporção de cura por tuberculose segundo cobertura e tempo de implantação de Saúde da Família e fatores socioeconômicos e demográficos no município do Rio de Janeiro, Brasil, em 2012. Ciência & Saúde Coletiva, 21(5), 1491-1498.

Rasia, I. C. R., Rosa, A. C. & Rediss, A. N. (2012). A utilização dos sistemas de informação em uma instituição de saúde de Pelotas/RS. Revista Saúde.Com, 8(2), 32-42.

Rocha, M. S., Oliveira, G. P., Aguiar, F. P., Saraceni, V. & Pinheiro, R. S. (2015). Do que morrem os pacientes com tuberculose: causas múltiplas de morte de uma coorte de casos notificados e uma proposta de investigação de causas presumíveis. Caderno de Saúde Pública, 31(4), 709-721.

Sanchez, A. I. & Munhoz, B. M. R. (2009). Além da DOTS (Directly Observed Treatment Short-course) no controle da tuberculose: interface e compartilhamento de necessidades. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 17(5), 1-6..

Silva, P. F., Moura, G. S. & Caldas, A. J. M. Fatores associados ao abandono do tratamento da tuberculose pulmonar no Maranhão, Brasil, no período de 2001 a 2010. Cadernos de Saúde Pública, 30(8), 1745-1754.

Viana, P. V. S., Redner, P. & Ramos, J. P. (2018). Fatores associados ao abandono e ao óbito de casos de Tuberculose Drogarresistente (TBDR) atendidos em um centro de referência no Rio de Janeiro, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 34(5), e00048217. 1-11.

Yamamura, M., Santos Neto, M., Freitas, I. M., Rodrigues, L. B. B., Popolin, M. P., Uchoa, S. A. C., Fronteira, I. & Arcêncio, R. A. (2014). Tuberculose e iniquidade social em saúde: uma análise ecológica utilizando técnicas estatísticas multivariadas. Revista Panamericana de Salud Pública, 35(4), 270-277.

Published

02/09/2020

How to Cite

Deus, A. P. L. D. ., Goerch , H. G. C. ., Noal, H. C. ., Megier, E. R. ., & Anversa, E. T. R. (2020). Treatment and abandonment of notified cases of Tuberculosis in the State of Rio Grande do Sul. Research, Society and Development, 9(9), e669997659. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7659

Issue

Section

Health Sciences