The practice of the fourth and fifth steps of the children's friendly hospital initiative

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7695

Keywords:

Breastfeeding; Child; Maternal and Child Health.; Breastfeeding; Child; Maternal and Child Health

Abstract

Objectives: to verify the fulfillment of the fourth and fifth steps of the Baby-Friendly Hospital Initiative in a reference maternity hospital in northeastern Brazil. Methodology: Descriptive research of quantitative nature, conducted between March and July 2019, with 380 puerperal women interviewed in the hospital wards to fill out a form. The data were tabulated according to absolute and relative frequencies. Results: It was found that 17% of the babies were placed to breastfeed in the delivery room in fulfillment of the fourth step of the Baby-Friendly Hospital Initiative, 82% of the mothers received help to breastfeed in fulfillment of the fifth step; 79% of mothers were between 20 and 30 years old, 61% were mixed, 71% were married, 57% attended high school, 69% were housewives, 48% with income between 1 and 2 minimum wages, 42% had 2 children, 54% did not have their own residence, all had prenatal care, 66% had more than 6 consultations, 79% was oriented about breastfeeding. Conclusion: The indexes found for the fourth and fifth steps of the Baby-Friendly Hospital Initiative are below those recommended by the Ministry of Health. These results reinforce the importance of effective support and promotion of breastfeeding as the focus of the nursing team.

Author Biographies

Floriacy Stabnow santos, Federal University of Maranhão

Nurse. Doctor of Science. Professor of the Nursing course at the Federal University of Maranhão. Empress, MA, Brazil (UFMA). Professor of the Graduate Program in Health and Technology of the Federal University of Maranhão. Imperatriz, MA, Brazil (PPGST/UFMA).

Antonia Vilquenia da Silva Mesquita, Federal University of Maranhão

Nurse graduated from the Federal University of Maranhão.

Narcisa Gomes Ribeiro, Federal University of Maranhão

Nurse graduated from the Federal University of Maranhão

Francisca Bruna Arruda Aragão, Ribeirão Preto School of Nursing. University of São Paulo

Nurse. PhD student in the Nursing Program - Interunit in Nursing - EERPUSP.

Ms. Adult and Child Health (PPSAC) - UFMA.

Graduated in Nursing - UNICEUMA.

Romila Martins de Moura Stabnow Santos, Imperatriz Adventist College

Physical Education Professional. Professor at The Adventist College of Empress

Iolanda Graepp Fontoura, Federal University of Maranhão

Nurse, PhD in Health Sciences. Professor of the Nursing Course of the Federal University of Maranhão

Sergiane Maia Maciel, Federal University of Maranhão

Nurse. PhD in Public Policy. Professor of nursing at the Federal University of Maranhão (UFMA)

Marcelino Santos Neto, Federal University of Maranhão

Biochemical Pharmacist. Doctor of Science. Professor of nursing at the Federal University of Maranhão (UFMA) and of the Graduate Program in Health and Technology of the Federal University of Maranhão (PPGST/UFMA) and of the Graduate Program in Nursing at the Federal University of Maranhão (PPGENF/UFMA).

References

Adamy, E. K., Lopes, P.L., Goulart, M. P., Frigo, J., & Zanotelli, S. S. (2016). Amamentação no puerpério imediato: relato de experiência da implementação do processo de enfermagem. Rev Enferm UFPE online, 11(Supl. 1):462-9. Recuperado em 13 junho, 2020, de DOI: 10.5205/reuol.7995-69931-4-SM.1101sup201728.

Andrade, L. F. B., Rodrigues, Q. P., & Silva, R. D. C. V. (2017). Boas Práticas na atenção obstétrica e sua interface com a humanização da assistência. Revista Enfermagem UERJ, 25, 26442. Recuperado em 13 junho, 2020, de Doi: https://doi.org/10.12957/reuerj.2017.2644.

Agência Saúde. (2018). Nicole Beraldo. Brasil. Ministério da Saúde lança Campanha de Amamentação. Recuperado em 13 junho, 2020, de http://www.saude.gov.br/noticias/ agencia-saude/43891-ministerio-da-saude-lanca-nova-campanha-de.

Brasil. Ministério da Saúde. (2012). Conselho Nacional de Saúde, Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Resolução Nº 466 de 12 de dezembro de 2012: aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília. Recuperado em 13 junho, 2020, de http://abracro.org.br/images/legislacao/Reso466.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. (2015). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: aleitamento materno e alimentação complementar/Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. (Cadernos de Atenção Básica; n. 23) – 2. ed. – Brasília: Ministério da Saúde. Recuperado em 14 novembro, 2019, de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/iniciativa_hospital_amigo_crianca.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde. (2017). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Bases para a discussão da Política Nacional de Promoção, Proteção e Apoio ao Aleitamento Materno/Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília: Ministério da

Saúde. Recuperado em 14 novembro, 2019, de https://rblh.fiocruz.br/sites/rblh.fiocruz.br/files/usuario/8/bases_para_a_discussao_da_politica_nacional_de_promocao_protecao_e_apoio_ao_aleitamento_materno.pdf

Campos, A. M., Chauol, C. O., Carmona, C.V., Higa, R., & Vale IN. (2015). Práticas de aleitamento materno exclusivo informado pela mãe e oferta de líquidos aos seus filhos. Rev Latinoam Enferm, 23(2):283-90. Recuperado em 13 junho, 2020, de DOI: 10.1590/0104-1169.0141.2553

Campos, P. M., Gouveia, H. G., Strada, J. K. R., Moraes, B. A. (2020). Contato pele a pele e aleitamento materno de recém-nascidos em um hospital universitário. Rev Gaúcha Enferm, 41(esp):e20190154. Recuperado em 13 junho, 2020, de DOI: https://doi.org/10.1590/1983- 1447.2020.20190154

Dadalto, E. C. V., & Rosa, E. M. (2017). Conhecimentos sobre benefícios do aleitamento materno e desvantagens da chupeta relacionados à prática das mães ao lidar com recém-nascidos pré-termo. Rev. paul. pediatr., 35(4): 399-406. Recuperado em 13 junho, 2020, de https://doi.org/10.1590/1984-0462/;2017;35;4;00005.

Ferreira, M. G. C., Gomes, M. F. P., Fracolli, L. A. (2017). Aleitamento materno: orientações recebidas por gestantes acompanhadas pela estratégia saúde da família. Revista de Atenção à Saúde,16(55):36-41. Recuperado em 13 junho, 2020, de DOI: 10.13037/ras.vol16n55.4888

Guimarães, C. M. S., Conde, R. G., Gomes-Sponholz, F. A., Oriá, M. O. B., & Monteiro, J. C. S. (2017). Fatores relacionados à autoeficácia na amamentação no pós-parto imediato entre puérperas adolescentes. Acta Paulista de Enfermagem, 30(1), 109-115. Recuperado em 13 junho, 2020, de https://doi.org/10.1590/1982-0194201700016

Medronho RA. Epidemiologia. (2006). São Paulo: Atheneu. 2ª ed.

Mesquita, A. L., Sousa, V. A. B., Moraes Filho, I. M., Santos, T. N., & Santos, O. P. (2016). Atribuições de enfermeiros na orientação de lactantes acerca do aleitamento materno. Revista de Divulgação Científica Sena Aires, 5(2): 158-70. Recuperado em 19 junho, 2020, de http://revistafacesa.senaaires.com.br/index.php/revisa/article/view/267/140

Netto, A., Sphor, F. A., Zilly, A., França, A. F. O., Rocha-Brischiliari, S. C., & Silva, R. M. M. (2016). Amamentação na primeira hora de vida em uma instituição com iniciativa Hospital Amigo da Criança. Cienc Cuid Saude,15(3):515-521. Recuperado em 13 junho, 2020, de DOI: 10.4025/cienccuidsaude.v15i3.31508.

OPAS (Organización Panamericana de laSalud). (2016). La Iniciativa hospital amigo del niño en América Latina y el Caribe: Estado actual, retos y oportunidades. Washington, DC: OPS. Recuperado em 13 junho, 2020, de https://iris.paho.org/bitstream/handle/10665.2/18829/9789275318775_spa.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., Shitsuka, R. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Recuperado em 18 agosto, 2020 de https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Quental, L. L., Nascimento, L. C. C. C., Leal, L. C., & Davim, R. M. B. (2017). Práticas educativas com gestantes na atenção primária à saúde. Revista de Enfermagem UFPE On Line, 11(12):5370. Recuperado em 05 maio, 2020 de http://dx.doi.org/ 10.5205/1981-8963-v11i12a23138p5370-5381-2017.

Reis, J. T. S., Saraiva, F. O., Ferraresi, M. F., & Vieira, M. A. S. (2014). Perfil Epidemiológico Das Parturientes Atendidas Em Uma Maternidade De Alto Risco De Goiânia-Go. Estudos, Goiânia, 41(2):329-339, abr./jun. 2014. Recuperado em 15 julho, 2020, de https://pdfs.semanticscholar.org/3bbd/f46d1ca1e4223a7f08ee6119b579ac5a8d96.pdf

Ribeiro, J. F., Luz, V. L., Sousa, A. S., Silva, G. L. L., Feitosa, V. C., & Sousa, M. F. A. (2016). Contribuição do pré-natal para o parto normal na concepção do enfermeiro da estratégia saúde da família. Revista Interdisciplinar, 9(1):161-170. Recuperado em 15 julho, 2020, de file:///C:/Users/Flor/AppData/Local/Temp/521-2393-1-PB.pdf

Rocha, L. B., Araújo, F. A. M. S., Rocha, N. C. O., Almeida, C. D., Santos, M. O., & Rocha, C. H. R. (2017). Aleitamento materno na primeira hora de vida: uma revisão da literatura. Revista de Medicina e Saúde de Brasília, 3(6):384- 394. Recuperado em 13 junho, 2020, de http://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/28694/3/Pr%c3%a1ticas MaternasRotinas.pdf.

Rodrigues, C. S. F., Santos, B. Z., Lipnski, J., Costenaro, R. G. S., & Zamberlan, C. (2020). Amamentação exclusiva durante o primeira hora da vida: uma revisão integrativa . Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, 9 (7): 1- 21, e799974799. Recuperado em 15 julho, 2020 de DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4799

Sampaio, Á. R. R., Bousquat, A., & Barros, C. (2016). Contato pele a pele ao nascer: um desafio para a promoção do aleitamento materno em maternidade pública no Nordeste brasileiro com o título de Hospital Amigo da Criança. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 25(2), 281-290. Recuperado em 15 julho, 2020 de https://doi.org/10.5123/s1679-49742016000200007

Santos, M. P., Moreira, R. J. O., Ramos, W. A., Figueiredo, A. S., Jesus, L. M. S., Gomes, W. L. N., Salgado, R. D. C., Monari, F. F., Januário, P. O. S., Torres, M. D., & Sousa, M. A. (2019). Influência Dos Bicos Artificiais Sobre o Aleitamento Materno Em Crianças De Creches Do Município de Imperatriz - MA. International Journal Of Development Research, 9(4):27264-27270. Recuperado em 11 agosto, 2020, de https://www.journalijdr.com/sites/default/files/issue-pdf/15769_0.pdf

Santana, J. M., Brito, S. M., Santos, D. B. (2013). Amamentação: conhecimento e prática de gestantes. Mundo Saúde, 37(3): 259-267. Recuperado em 11 agosto, 2020, de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/mundo_saude/amamentacao_conhecimento_praticas_gestantes.pdf

UNICEF/OMS. (2009). Iniciativa Hospital Amigo da Criança: revista, atualizada e ampliada para o cuida¬do integrado. Módulo 2. Fortalecendo e sustentando a iniciativa hospital amigo da criança: um curso para gestores. Brasília: Editora MS, Ministério da Saúde. Recuperado em 11 agosto, 2020, de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/iniciativa_hospital_amigo_crianca_modulo2.pdf

UNICEF/OMS. (2018). Três em cada cinco bebês não são amamentados na primeira hora de vida. Jul. 2018. Recuperado em 18 maio, 2020, de https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content& view=article&id=5726:tres-em-cada-cinco-bebes-nao-sao-amamentados-na-primeira-hora-de-vida&Itemid=820.

UNICEF - Fundo das Nações Unidas para a Infância. (2019). UNICEF: apenas 40% das crianças no mundo recebem amamentação exclusiva no início da vida. Recuperado em 18 maio, 2020, de https://nacoesunidas.org/unicef-apenas-40-das-criancas-no-mundo-recebem-amamentacao-exclusiva-no-inicio-da-vida/.

Vilar, T. M., Oliveira, I. K. F., Monteiro, N. V. N., Araújo, F. Y. G., Carvalho, C. M. R. G. (2020). Educação em saúde e direito: em busca da proteção do aleitamento materno e dos direitos das gestantes em uma maternidade pública. Research, Society and Development, 9(1), e22911552. Recuperado em 15 julho, 2020 de doi.org/10.33448/rsd-v9i1.1552

Victora, C., Bahl, R., Barros, A. J. D., França, G. V. A., Horton, S., & Krasevec, J. (2016). Breastfeeding in the 21st century: epidemiology, mechanisms, and lifelong effect. The Lancet, 387(10017):475-490. Recuperado em 17 maio, 2020, de http://dx.doi.org/10.1016/s0140-6736(15)01024-7.

Vieira, F. S., Costa, E. S., Sousa, G. C., Oliveira, T. M. P., Neiva, M. J. L. M. Childbirth Influence Towards the Weaning During Puerpe rium Period. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental [Online]. 2019; 11(2): 425-431. Recuperado em 17 maio, 2020, de DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v11.6361.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. NationalImplementation of the Baby-friendly Hospital Initiative,Geneva. 2017. Recuperado em 18 maio, 2020, de http://www.who.int/nutrition/publica tions/infantfee ding/bfhi-national-implementation2017/en/.

Published

01/09/2020

How to Cite

santos, F. S., Mesquita, A. V. . da S., Ribeiro, N. G., Aragão, F. B. A., Santos, R. M. de M. S., Fontoura, I. G. ., Maciel, S. M., & Santos Neto, M. (2020). The practice of the fourth and fifth steps of the children’s friendly hospital initiative. Research, Society and Development, 9(9), e651997695. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7695

Issue

Section

Health Sciences