Practical Biology activities: an Investigative Teaching Sequence about the Cell Cycle

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7801

Keywords:

Active Methodology; Mitosis; Didactic model; Allium cepa.

Abstract

The aim of this study was to develop and to analyze the use of an Investigative Teaching Sequence (ITS) about the cell cycle (mitosis), composed by a didactic model and by a practical class with Allium cepa L. with students from two public schools and from a particular one in Floriano (PI). Through the answers to the questioning of ITS, it was found that the students had disconnected and fragmented knowledge about the content of the cell cycle. The ITS application modified the attitude of the students of the three schools, which became more participative among themselves and with the teacher, corroborating with the data obtained from the comparison of pre and post-test questionnaires. The applied active methodologies were satisfactory and had great acceptance by the students. Therefore, it was found that the use of ITS facilitated the understanding of the dynamics surrounding the cell cycle and its implications for the constitution of living beings, minimizing the distance between theory and practice.

References

Ausubel, D. P. (2003). Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva.

Coimbra: Plátano.

Ayres, M., Ayres, J. M., Ayres, D. L., & Santos, A. S. (2007). Aplicações estatísticas

nas áreas das ciênicas biomédicas. Retirado de

https://www.mamiraua.org.br/ptbr/publicacoes/publicacoes/2007/livros/bioestat-50/

Barbosa, V. A. (2015). O ensino de Biologia na Educação de Jovens e Adultos: A concepção dos alunos sobre atividades investigativas e a percepção destes alunos a respeito das contribuições das atividades investigativas na aprendizagem da mitose e da meiose. Universidade Federal de Outro Preto.

Bianchi, J., Mantovani, M. S., & Marin-Morales, M. A. (2015). ScienceDirect analysis of the genotoxic potential of low concentrations of Malathion on the Allium cepa cells and rat hepatoma tissue culture. JES - Journal of Environmental Sciences, 36, 102–111. Retirado de: https://doi.org/10.1016/j.jes.2015.03.034

Borges, T. S., & Alencar, G. (2014). Metodologias ativas na formação crítica do estudante: o uso das metodologias ativas como recurso na formação crítica do estudante do ensino superior. Cairu Em Revista, 3(4), 119–143.

Braga, C. M. D. D. S., Gastal, M. L. D. A., & Ferreira, L. B. D. M. (2010). O Uso de Modelos em Uma Sequência Didática Para o Ensino dos Processos da Divisão Celular (Vol. 5). Universidade de Brasília.

Brito, B. W. D. C. S., Brito, L. T. S., & Sales, E. D. S. (2018). Ensino por investigação: uma abordagem didática no ensino de ciências e biologia. Revista Vivências Em Ensino de Ciências, 2(1), 54–60.

Carneiro, S. P., & Silva, J. da. (2007). O Teste Allium cepa no ensino de Biologia Celular : um estudo de caso com alunos da graduação. Acta Scientiae, 9 (June 2015).

Cobalchini, M. G. (2016). Elaboração de aulas práticas investigativas de Citologia para alunos do primeiro ano do Ensino Médio. Os Desafios Da Escola Pública Paranaense Na Perspectiva Do Professor PDE.

Duré, R. C., Andrade, M. J. D. de, & Abílio, F. J. P. (2018). Ensino de Biologoa e contextualização do conteúdo: quais temas o aluno de ensino médio relaciona com o seu cotidiano? Experiencias Em Ensino de Ciências, 13(1), 259–272.

Fernandes, M. G., Vaini, J. O., Crispim, B. do A., & Teixeira, T. Z. (2017). Práticas de biologia celular (C. C. Acadêmicos, Ed.). Dourados, MS: UFGD Editora.

Garofalo, D. (2018). Como as metodolgoias de ensino favorecem o aprendizado. Retrieved March 28, 2018, Retirado de Revista Nova Escola website: https://novaescola.org.br/conteudo/11897/como-as-metodologias-ativas-favorecem-o-aprendizado

Gonçalves, R. R., Martello, A. R., Epple, B., Laurence, C., Desbessel, J., & Post, P. (2014). Bingo da célula: uma ferramenta metodológica para o ensino de biologia celular. Ensino & Pesquisa, 12(1).

Griffin, V., Mcmiller, T., Jones, E., & Johnson, C. M. (2003). Identifying novel-helix-loop-helix in Caenorhabditis elegans through a classrom demonstration of functional genomics. Cell Biology Education, 2(1).

Hake, R. R. (1998). Interactive-engagement versus traditional methods: A six-thousand-student survey of mechanics test data for introductory physics courses. American Journal of Physics, 66(1), 64–74. Retirado de: https://doi.org/10.1119/1.18809

Kieling, K. M. C., Goulart, A. da S., & Roehrs, R. (2018). Ciclo celular : construção e validação de uma sequência didática pela metodologia da engenharia didática. Journal of Biochemistry Education, 16(2).

Krasilchik, M. (2016). Prática de Ensino em Biologia (4a). São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.

Krug, R. D. R., Vieira, M. S. M., Maciel, M. V. D. S. E., Erdmann, T. R., Vieira, F. C. D. F., Koch, M. C., & Grosseman, S. (2016). O “bê-á-bá” da aprendizagem baseada em equipe. Revista Brasileira de Educação Médica, 40(4), 602–610.

Leão, G. M. C., & Randi, M. A. F. (2017). Existe vida além da aula expositiva? um caso para a biologia celular. EDUCERE:XII Ccongresso Nacional de Educação.

Luo, P. (2012). Creating a Double-Spring Model to Teach Chromosome Movement during Mitosis & Meiosis Development of Materials Evaluation &. The American Biology Teacher, 74(4), 266–269. Retirado de: https://doi.org/10.1525/abt.2012.74.4.11

Macedo, K. D. D. S., Acosta, B. S., Silva, E. B. da, Souza, N. S. de, Beck, C. L. C., & Silva, K. K. D. da. (2018). Metodologias ativas de aprendizagem: caminhos possíveis para inovação no ensino em saúde. Escola Anna Nery, 22(3), 1–9. Retirado de: https://doi.org/10.1590/2177-9465-EAN-2017-0435

Miranda, E. S. D. A. (2017). A experimentação no ensino de Biologia: contribuições da teoria do ensino desenvolvimental para a formação do pensamento teórico. Universidade Federal de Goiás.

Monteiro, J. D. S., & Silva, D. P. da. (2015). A influência da estrutura escolar no processo de ensino-aprendizagem : uma análise baseada nas experiências do estágio supervisionado em Geografia. Ensino e Geografia, 19(3), 19–28. Retirado de: https://doi.org/10.5902/2236499414315

Moul, R. A. T. D. M., & Silva, F. C. da. (2017). A modelização em genética e biologia molecular: ensino de mitose com massa de modelar. Experiencias Em Ensino de Ciências, 12(2).

Peixe, P. D., Pinheiro, L. G., Araújo, M. F. F., & Moreira, S. A. (2017). Os temas DNA e Biotecnologia em livros didáticos de biologia : abordagem em ciência , tecnologia e sociedade no processo educativo. Acta Scientiae, 19(1), 177–191.

Pereira, M. B., & Miranda, A. F. de. (2017). O ensino de mitose para a geração Z: uma análise entre dois métodos. Revista Prática Docente, 2(2), 255–269.

Porto, M., Rizowy, G. M., & Cezar, S. (2015). Metodolgoias alternativas para o ensino de biologia celular e molecular para o ensino básico. Revista Ampliar, 2(2), 1–12.

Ramos, M. N. (2017). Ensino Médio na Rede Federal e nas Redes Estaduais : por que os estudantes alcançam resultados diferentes nas avaliações de larga escala ? Holos, 02. Retirado de: https://doi.org/10.15628/holos.2018.6976

Scarpa, D. L., & Campos, N. F. (2018). Potencializades do ensino de Biologia por investigação. Estudos Avançados, 32(94), 25–42. Retirado de: https://doi.org/10.1590/s0103-40142018.3294.0003

Silva, C. C. da, & Kalhil, J. B. (2017). A aprendizagem de genética à luz da Teoria Fundamentada : um ensaio preliminar. Ciência & Educação, 23(1), 125–140.

Silva, J. da, & Andrade Neto, A. S. de. (2004). DNA & ambiente: uso do ensaio cometa como ferramenta para discussão interdisciplinar de lesão e reparo do DNA na pó-s graduação em ensino de ciências. IV Encontro Nacional e Pesquisa Em Educação Em Ciências, 1–13.

SilvA, T. R. da, Silva, B. R. da, & Silva, B. M. P. da. (2018). Modelização didática como possibilidade de aprendizagem sobre divisão celular no ensino fundamental. Revista Thema, 15(4), 1376–1386.

Tanajura, V. S. (2017). Dificuldades no ensino de Biologia Celular na escola de educação média: considerações e apontamentos a partir de depoimentos de professores(as). Universidade Estadual Paulista.

Trivelato, S. L. F., & Tonidandel, S. M. R. (2015). Ensino por investigação: eixos organizadores para sequências de ensino de biologia. Revista Ensaio, 17, 97–114.

Vinholi-Júnior, A. J., & Princival, G. C. (2014). Modelos didáticos e mapas conceituais: biologia celular e as interfaces com a informática em cursos técnicos do IFMS. Holos, 02, 110–122.

Wons, J. R. (2012). A atividade prática como feramenta para abordagem do ciclo celular nas células somáticas. O Professor PDE e Os Desafios Da Escola Pública Paranaense, 2.

Zierer, M. de S. (2017). The construction and application of didactic models in Biochemistry teaching. Journal Os Biochemistry Education, 15. Retirado de: https://doi.org/10.16923/reb.v15i0.691

Published

01/09/2020

How to Cite

Lima, M. M. de O. ., Cardoso, T. C. ., Santos Filho, F. S. ., Martins, F. A., & Almeida, P. M. de . (2020). Practical Biology activities: an Investigative Teaching Sequence about the Cell Cycle. Research, Society and Development, 9(9), e611997801. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7801

Issue

Section

Education Sciences