Psychoanalysis, cinema and subjectivity: how seventh art interfers in the construction and reconstruction of subjectivit

Authors

  • Indianandra Thomasi Duarte Universidade Franciscana
  • Janaína Pereira Pretto Carlesso Universidade Franciscana

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v8i4.820

Keywords:

Cinema; Subjectivity; Friends.

Abstract

The objective of this study was to verify the influence of the American series Friends in the viewer subjects, analyzing the emotional reactions that it can mobilize in the individual and their contributions in the process of construction and reconstruction of the subjectivity through the conceptions of Psychoanalysis. The methodology used to evaluate the episodes was the film analysis. Through the analyzes and interpretations of the series it can be observed that both the episodes that mobilize positive emotions and those that manifest negative reactions tend to generate important reflections in the viewer (a) that may have important repercussions on the subjectivity of the subject. It is concluded that the cinema especially the series analyzed, can mobilize emotional reactions and broaden the field of subjective experience of the spectator, important factors that may contribute in the processes of subjectivation of the individual.

References

Bardin, L.(2009). Análise de Conteúdo. Lisboa.

Baudry, J.L. (1983). Cinema: efeitos ideológicos produzidos pelo aparelho de base. In: Xavier, I. A experiência do cinema. Rio de Janeiro: Graal.

Bento, G. (2008). O espectador e os efeitos da experiência cinematográfica. Revista Ciências & Cognição, Rio de Janeiro, 13: 235-242. Disponível em: http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/231. Acesso: 21 de janeiro de 2019.

Bersani, L.; & Dutoit, U. (2004). Forms of Being: Cinema, Aesthetics, Subjectivity. London: British Film Institute.

Betton, G.(1987). Estética do cinema. Tradução de Marina Appenzeller. São Paulo: Martins Fontes.

Fernandes, A. L.S. (2005). Cinema e psicanálise. Estudos de Psicanálise, 28. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-34372005000100008. Acesso: 21 de janeiro de 2019.

Froemming, L.S. (2002). A Montagem no Cinema e a Associação - Livre na Psicanálise. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Psicologia. Porto Alegre. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/2905. Acesso: 21 de janeiro de 2019.

Gabbard, G. (1997). The Psychoanalyst at the movies. International Jounal of Psychoanalysis, 78: 429-434. Disponível em: https://psycnet.apa.org/record/1997-05029-001. Acesso: 21 de janeiro de 2019.

Garcia, M. L.(2015). Cuidado em saúde: abordagem clínico-institucional junto à população em situação de vulnerabilidade social. Projeto de estágio do curso de Psicologia da Universidade Federal de São Paulo – Campus Baixada Santista, Santos.

Gerhardt, T.E.; & Silveira, D.T (2009). Métodos de Pesquisa. 1ª Ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Grimm, E. (1997). Humor and equivalence at the level of words, expressions, and grammar in an episode of The Nanny. Cadernos de Tradução. Florianópolis: NUT, 2: 379-399. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/5238/4625. Acesso: 21 de janeiro de 2019.

Karpinski, M.; & Tomita, I. (2015). Construção da subjetividade da personagem Rachel Green na série Friends. In: VII ENPE COM – Encontro de Pesquisa e Comunicação.

Koglin, A. (2008). A tradução de metáforas geradoras de humor na série televisiva Friends: um estudo de legendas. Dissertação (Mestrado) – Centro de Comunicação e Expressão, UFSC, Florianópolis, 2008. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/90889. 21 de janeiro de 2019.

Lellis, M.M.H. (2011). Cinema e o Sonho numa Perspectiva Psicanalítica. Dissertação (Mestrado) - Universidade Vale do Itajaí, UNIVALI. em: https://slidex.tips/download/universidade-do-vale-do-itajai-centro-de-ciencias-da-saude-curso-de-psicologia-m 21 de janeiro de 2019.

Medeiros, A.B.A.; & Ferreira, R.M.C. (2015). Friends: sobre a audiência nos dias atuais . Anagrama: Revista Científica Interdisciplinar da Graduação, 9(2). Disponível em: http://www.revistas.usp.br/anagrama/article/view/100251 21 de janeiro de 2019.

Metz, C. (1980). O significante imaginário. Psicanálise e Cinema. Lisboa: Livros Horizonte.

Minayo, M. C. S (2007). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes.

Neves, E. S. (2005). Tudo que você gostaria de saber sobre Lacan e ousou perguntar a Slavoj Žižek: psicanálise e cinema. Estudos de Psicanálise, 28. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-34372005000100004. 21 de janeiro de 2019.

Parente, A.A.M. (2014). A Encenação dos Sonhos: Imagens de Freud e Benjamin. Revista Ágora, 18 (1). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-14982014000100001. 21 de janeiro de 2019.

Penafria, M. (2009). Análise de Filmes - conceitos e metodologia(s). In: VI Congresso SOPCOM. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/bocc-penafria-analise.pdf . 21 de janeiro de 2019.

Penha, D.A. (2016). Psicanálise e Cinema: Efeitos e Riscos em Intervenções Psicanalíticas com Dispositivos Cinematográficos. Pontifíca Universidade Católica de São Paulo – PUC- SP. São Paulo. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/17138. 21 de janeiro de 2019.

Penna, T. (2009). Cinema e a Percepção Sensível. In: Cadernos de Walter Benjamin, revista do grupo de pesquisa Walter Benjamin e a Filosofia Contemporânea. 2. Disponível em: http://gewebe.com.br/pdf/cinema.pdf. 21 de janeiro de 2019.

Rivera, T. (2007). Conexões: Cinema, arte & psicanálise. Módulo III. Minicurso. Tribunal de Contas da União. Brasília-DF. Disponível em: https://psiligapsicanalise.files.wordpress.com/2014/09/tania-rivera-cinema-imagem-e-psicanc3a1lise.pdf. 21 de janeiro de 2019.

Santos, E.A.; & Budag, F.E. (2018). A série Friends e as relações de comportamento e consumo. Revista Comfilotec, 7:1-20. Disponível em: https://www.fapcom.edu.br/wp-content/uploads/2018/04/5-Edylene_Budag.pdf. 21 de janeiro de 2019.

Young, S. D. (2014). A Psicologia Vai ao Cinema: O Impacto Psicológico da Sétima Arte em Nossa Vida e da Sociedade Moderna. Tradução Claudia Gerpe Duarte & Eduardo Gerpe Duarte. - 1 ed.- São Paulo: Cultrix.

Published

22/02/2019

How to Cite

DUARTE, I. T.; CARLESSO, J. P. P. Psychoanalysis, cinema and subjectivity: how seventh art interfers in the construction and reconstruction of subjectivit. Research, Society and Development, [S. l.], v. 8, n. 4, p. e2384820, 2019. DOI: 10.33448/rsd-v8i4.820. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/820. Acesso em: 24 sep. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences