Transexuality: playing related to gender identity

Authors

  • Fernanda Dornelles Universidade Franciscana
  • Larissa Perini Serpa Universidade Franciscana
  • Felix Miguel Nascimento Guazina Universidade Franciscana
  • Cristina Saling Kruel Universidade Franciscana
  • Janaína Pereira Pretto Carlesso Universidade Franciscana

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v8i5.833

Keywords:

Play; Kid; Transgender

Abstract

The objective of this article is to present a study on transsexuality from the perspective of children's play and how it affects the issue of social and self acceptance through cinematographic analysis and bibliographic studies. The concept of play based on Winnicott's theories. It will raise questions about gender identity from the problematic brought by Judith Butler in conjunction with the definition of the gender roles attributed to definitive cultural constructions that are imposed in childhood and how this would apply in the experience of a transsexual child. It can be observed through the analysis of the scenes of the films: Tomboy (2011), Ma Vie En Rose (1997) and A Kid Like Jake (2018), each of which has as main theme a developing child oscillating among gender scripts. With exploratory research and a qualitative methodological approach, it was possible to conclude that play is directly related to the child's play dimension, through which it ends up demonstrating how it understands the world around it. It is in this game that the child will identify himself and those around him, making the fantasy his way of expression.

References

Bello, A.T. (2006). Sujeitos infantis masculinos: homens por vir? Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Bento, B. (2011). Na Escola se Aprende que a Diferença faz a Diferença. Estudos Feministas. Santa Catarina, pp. 549-559. Disponível em: <https://www.jstor.org/stable/24327956>. Acesso em: 17 de Out. 2018.

Butler, J. (2003). Problemas de gênero: feminismo e subversão identidade. (R.A, Trad.). Rio de janeiro: Civilização Brasileira, pp. 30-40.

Couvreur, B. (Produtor) & Sciamma, C. (Diretor) (2012). Tomboy. [DVD]. França: Canal+.

Felipe, J. (2016). Scripts de gênero na educação infantil. In: Revista Pátio – educação infantil. Ano XIV, n 48 jul/set 2016. P. 5-7. Acesso em: 17 de Out. 2018.

Felipe, J. (2012). Sexualidade na infância: dilemas da formação docente. In: Xavier Filha, C. (Org.). Sexualidades, gênero e diferenças na educação das infâncias. Campo Grande, MS: Ed: UFMS, pp. 47-58. Acesso em: 17 de Out. 2018.

Felipe, J., & Guizzo, B. (2004). Entre batons, esmaltes e fantasias. In: Meyer, Dagmar; Soares, & Rosângela (org.). Corpo, gênero e sexualidade. Porto Alegre: Mediação, pp. 32-40. Acesso em: 17 de Out. 2018.

Felipe, J; Guizzo, B. S.; & Beck, D. Q. (2013). Infâncias, gênero e sexualidade: articulações possíveis. In: Felipe, J; Guizzo, B. S.; Beck, D. Q. Infâncias, gênero e sexualidade nas tramas da cultura e da educação. Canoas: Ed. Ulbra. Acesso em: 17 de Out. 2018.

Gerhardt, T. A.; Silveira, D. T. Métodos de Pesquisa. Ead Série Educação à Distância, Porto Alegre, pp. 31-35, 2009.

Gonçalves, M. C. Scripts de gênero e as Brincadeiras na Educação Infantil. Lume, Porto Alegre, 2017. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10183/174370>. Acesso em: 22 out. 2018.

Guerra, Judite. Dos “segredos sagrados”: gênero e sexualidade no cotidiano de uma escola infantil. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

Jesus, J. G. Orientações Sobre a Identidade de Gênero: Conceitos e Termos. Ser-tão, Brasília, pp. 1-23, 2012. Disponível em: <http://www.sertao.ufg.br/n/35655-orientacoes-sobre-identidade-de-genero-conceitos-e-termos>. Acesso em: 29 out. 2018.

Parson, J., Spiewak, T., & Bernon, P. (Produtores) & Howard, S (Diretor). (2018). A Kid Like Jake. [DVD] Estados Unidos: Ifc Films.

Penafria, M. - “Análise de Filmes - conceitos e metodologia(s)”. Academia.edu. 2009. Disponível em: <https://www.academia.edu/18338415/An%C3%A1lise_de_Filmes_-_conceitos_e_m etodologia_s_> Acesso em: 17 de Out. 2018.

Pluciennik, G. A.; Lazzari, M. C; Chicaro, M. F. Fundamentos da família como promotora do desenvolvimento infantil: parentalidade em foco. São Paulo: Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal - FMCSV, 2015, pp. 34-47.

Reidel, Marina. A pedagogia do salto alto: histórias de professoras transexuais e travestis na Educação Brasileira. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

Scotta, C. (Produtor) & Berliner, A. (Diretor). (1997). Ma Vie En Rose. [DVD]. França: REUX.

Winnicott, D. W. O brincar e a realidade. Trad. José Octavio de Aguiar Abreu e Vanede Nobre. Rio de Janeiro: Imago, 1971/1975. pp. 88-152.

Zanette, J. E.; Felipe, J. Dos Enigmas da Infância: Quando a Transexualidade Tensiona os Scripts de Gênero. Lume, Porto Alegre, pp. 19-38, 2016. Disponível em: <https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/152906>. Acesso em: 22 out. 2018.

Published

26/02/2019

How to Cite

DORNELLES, F.; SERPA, L. P.; GUAZINA, F. M. N.; KRUEL, C. S.; CARLESSO, J. P. P. Transexuality: playing related to gender identity. Research, Society and Development, [S. l.], v. 8, n. 5, p. e185833, 2019. DOI: 10.33448/rsd-v8i5.833. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/833. Acesso em: 24 sep. 2021.

Issue

Section

Health Sciences