Beyond the walls of the school: the role of the educator in non-formal education- The Hippotherapy

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v8i5.903

Keywords:

Social Pedagogy; Ludicity; Creativity; Interdisciplinarity.

Abstract

This paper aims to present and discuss an experience report, under the discipline of Internship in Social Spaces, of the Pedagogy course of the Franciscan University (UFN), based on the qualitative approach and the autobiographical method (JOSSO, 2004). The internship took place in the Riograndense Association of Equine Therapy and Equilibrium known as Hippos Equoterapia and unfolded in two moments: a) attendance to a practitioner with Down Syndrome (SD), in which he worked with activities related to Portuguese, mathematics and psychomotricity within the context of equine therapy, and b) cataloging of the educational and pedagogical games of Hippos Equoterapia, being carried out based on the System of Classification of Games and Toys (CUNHA, 2007). Therefore, it is concluded that the activities proposed to the practitioner with SD had positive effects. Regarding the cataloging of games, it is important to provide an organizational culture in the institution. Thus, it is evident the important role that the pedagogue has in non-formal education institutions.

References

Ande-Brasil. Associação Nacional de Equoterapia. Brasília – DF.

Ausubel, D. P. A (1982). Aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes.

Bonomo, L. M. M., & Rosseti, C. B. (2010). Aspectos percepto-motores e cognitivos do desenvolvimento de crianças com Síndrome de Down. Crescimento Desenvolvimento Humano, São Paulo, vol. 20, nº. 3, p. 723-734. Recuperado de: https://www.revistas.usp.br/jhgd/article/view/19980/22066.

Bueno, B. O. (2002). O método autobiográfico e os estudos com histórias de vida de professores: a questão da subjetividade. Educação e Pesquisa, São Paulo, vol. 28, nº. 1, p. 11-30, jan./jun.

Cunha, N. H. S. (2007). Brinquedoteca: um mergulho no brincar. 4. ed. São Paulo: Aquariana.

Cunningham, C. (2008). Síndrome de Down: uma introdução para pais e cuidadores. 3. ed. Porto Alegre: Artmed.

Ferreiro, E. (2011). Reflexões sobre alfabetização. 26. ed. São Paulo: Cortez.

Ferreiro, E., & Teberosky, A. (1999). Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artmed.

GOHN, M. da. G. (2006). Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, vol. 14, nº. 50, p. 27-38, jan./mar.

Josso, M. C. (2004). Experiência de Vida e Formação. São Paulo: Cortez.

Libâneo, J. C. (2001). Pedagogia e pedagogos: inquietações e buscas. Educar, Curitiba, nº. 17, p. 153-176.

Libâneo, J. C., & Pimenta, S. G. (2002). Formação dos profissionais em educação: visão crítica e perspectiva de mudança. In: PIMENTA, S. G. Pedagogia e Pedagogos: caminhos e perspectivas. São Paulo: Cortez,. cap. 1. p. 11-58.

Libâneo, J.C. (2007). Pedagogia e pedagogos, pra quê? 9. ed. São Paulo: Cortez.

Medeiros, M., & Dias, E. (2008). Equoterapia: noções elementares e aspetos neurocientíficos. Rio de Janeiro: Revinter.

Montevechi, W. R. A. (2005). Educação não-formal no brasil: 1500-1808. 2005, 133 fs. (Dissertação de Mestrado). Centro Universitário Salesiano de São Paulo, UNISAL, Americana, São Paulo. Recuperado de: https://unisal.br/wp-content/uploads/2013/04/Disserta%C3%A7%C3%A3o_-Wilson-Montevechi_2005.pdf.

Ramos, R. M. (2007). A equoterapia e o brincar – relações transferenciais na equoterapia e o cavalo como objeto transicional. 2007, 46 fs. (Dissertação de Mestrado). Centro Universitário de Brasília, Brasília.

Santos, S, M. P. dos. (Org.). (2007). Brinquedoteca: o lúdico em diferentes contextos. Rio de Janeiro: Vozes. Recuperado de: http://docplayer.com.br/29525874-Rodrigo-maciel-ramos-a-equoterapia-e-o-brincar-relacoes-transferenciais-na-equoterapia-e-o-cavalo-como-objeto-transicional.html.

Silveira, D. T., & Córdova, F. P. (2009). A pesquisa científica. In: GERHARDT, T. E., SLVEIRA, D. T. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Uzun, A. L. de L.(2005). Equoterapia: Aplicação em distúrbios do equilíbrio. São Paulo: Vetor.

Voivodic, M. A. M. A. (2004). Inclusão escolar de crianças com Síndrome de Down. Petrópolis, RJ: Vozes.

Walter, G. B. (2013). Equoterapia: fundamentos científicos. São Paulo: Atheneu.

Published

26/02/2019

How to Cite

RIGÃO, A. R.; VIDIKIM, L. S.; MARQUEZAN, F. F. Beyond the walls of the school: the role of the educator in non-formal education- The Hippotherapy. Research, Society and Development, [S. l.], v. 8, n. 5, p. e585903, 2019. DOI: 10.33448/rsd-v8i5.903. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/903. Acesso em: 27 sep. 2021.

Issue

Section

Education Sciences