Nutritional quality of dry feeds from different commercial segments for dogs

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9590

Keywords:

Bromatology; Dog food; Feed quality.

Abstract

The objective was to determine the chemical composition of dry dog food by comparing the results analyzed with the information declared on their respective labels. 21 complete foods for dogs were purchased in feed houses and pet shops in the city of São João del Rei in order to assess the nutritional composition, 15 for adult dogs and six for puppies, manufactured by 14 different companies. Bromatological analyzes were performed to determine the levels of crude protein (CP), ether extract (EE), mineral matter (MM), dry matter (DM) and crude fiber (CF). The maximum humidity guarantee levels proved to be 100% within the standards in all commercial segments. However, MM levels resulted in 85.7%; 57.1% and 100% within the standards for the Standard, Premium and Super premium segments respectively. For CP the results were 100% compliance, for Super premium and 71.4% compliance for Standard and Premium. The results of EE compared to the values observed on the labels, were Standard with 71.4%, Premium 54.1% and Super premium with only 28.5% of compliance. Finally, for CF, 85.7% of the Standard samples and also, the same value for Premium were shown within the comparison standards label / analyzes. It can be concluded that dry dog food for puppies and adults meets most of the maximum and minimum limits required by MAPA. However, there is a deficiency in the labeling in relation to the information provided of the guarantee levels, which can lead consumers to error when choosing the ration.

References

Bertolino, M. T. (2010). Gerenciamento da qualidade na indústria alimentícia: ênfase na segurança dos alimentos. Artmed Editora. 320p.

Brasil. Decreto nº 76.986, de 06 de janeiro de 1976. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Brasil. Instrução Normativa nº 30, de 05 de agosto de 2009. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa Nº 9, de 09 de julho de 2003. Regulamento técnico sobre fixação de padrões de identidade e qualidade de alimentos completos e de alimentos especiais destinados a cães e gatos. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, 14 de julho de 2003.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Portaria Nº 3, de 22 de Janeiro de 2009. Secretaria de Defesa Agropecuária. Recuperado de http://sistemasweb.agricultura. gov.br/sislegis/action/detalhaAto.do?method=visualizarAtoPortalMapa&chave=764311575

Carciofi, A. C., Vasconcellos, R. S., Borges, N. C., Moro, J. V., Prada, F., & Fraga, V. O. (2006). Composição nutricional e avaliação de rótulo de rações secas para cães comercializadas em Jaboticabal-SP. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, 58(3), 421-426.

Carpim, W. G., & de Oliveira, M. C. (2009). Qualidade nutricional de rações secas para cães adultos comercializadas em Rio Verde–GO. Biotemas, 22(2), 181-186.

CDC – Código de Defesa do Consumidor. Lei nº 8.078/1990. Previdência da República, Casa Civil.

Cowell, C. S., Stout, N. P., Brinkmann, M. F., Moser, E. A., & Crane, S. W. (2000). Making commercial pet foods. Small animal clinical nutrition. 4th edition. Topeka (KS): Mark Morris Institute, 127-46.

Eyng, C., Nunes, C. G. V., Nunes, R. V., Rostagno, H. S., Albino, L. F. T., Vieites, F. M., & Pozza, P. C. (2011). Composição química, valores energéticos e digestibilidade verdadeira dos aminoácidos de farinhas de carne e ossos e de peixe para aves. Revista Brasileira de Zootecnia, 40(3), 575-580.

Ferreira, J. M. C. C., Cruz, V. C., & Calvo, L. A. (2010). Composição nutricional e avaliação de rótulo de rações secas para cães comercializadas na cidade de Dracena – SP. VI Simpósio de Ciências da UNESP – Dracena; VII Encontro de Zootecnia – UNESP Dracena, São Paulo.

Fortes, M. L. S. (2005) Congresso Brasileiro de Zootecnia, Campo Grande - Mg. Formulação de Rações para Cães. Jaboticabal: 12.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Recuperado de https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_MetodologiaPesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Pires, P. G. S., Teixeira, L., & Mendes, J. V. (2014). Composição nutricional e avaliação rótulo de rações secas para cães e gatos adultos comercializadas em Pelotas-RS. Enciclopédia biosfera, Centro Científico Conhecer-Goiânia, 10(18), 1001.

Silva, C. V., Barros, F., & Souza F.V. (2010). Qualidade nutricional das rações secas para cães adultos comercializadas em Lajeado – RS. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial, 04(2), 153-160.

Silva, D. J., & Queiroz, A. C. (2002). Análise de alimentos: métodos químicos e biológicos. (3a ed.), Viçosa: Editora Universidade Federal de Viçosa, 235p.

Troni, A. R., Gomes, P. C., Mello, H. H. D. C., Albino, L. F. T., & Rocha, T. C. D. (2016). Composição química e energética de alimentos para frangos de corte. Revista Ciência Agronômica, 47(4), 755-760.

Volpato, P. M. (2014). Qualidade de rações para cães adultos armazenadas em recipientes abertos e fechados. Trabalho de Conclusão de Curso, UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina.

Wortinger, A. (2009). Nutrição para cães e gatos. Tradução: Marcelo Larami Santoro. 59. Roca. São Paulo.

Published

08/11/2020

How to Cite

Provenzano, A. C. G., Diana, T. F., Marques, K. C., Teixeira, A. de O. ., & Reis, R. de S. . (2020). Nutritional quality of dry feeds from different commercial segments for dogs. Research, Society and Development, 9(11), e1469119590. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9590

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences