In search of humanization in the neonatal ICU: kangaroo mother method

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9631

Keywords:

Kangaroo method; Humanization of assistance; Neonatal nursing.

Abstract

Technological advances in neonatology have contributed a lot to the reduction of infant mortality, mainly of premature extremes. According to data from the World Health Organization, 20 million premature babies are born worldwide every year, and of these, more than a third do not survive. In the last decades, several countries have adopted the Kangaroo Mother Method as a perinatal care strategy, with the intention of humanization within the Neonatal Intensive Care Units. This article aims to carry out a historical study of the origins until the implantation in Brazil of the Kangaroo Mother Method and reflect on the use of this therapy. This is a descriptive study, with a qualitative approach, in the reflexive modality. Although the method appeared at the end of the 1970s, its practice is still not fully disseminated, even though there is evidence of low cost, high benefit and resolution in hospitals that have implemented this type of assistance. With that, we conclude that it is extremely important to popularize and bring more elements to enrich the knowledge of professionals in the area to continue guaranteeing the success of the kangaroo mother method.

References

Brasil. Ministério da Saúde. (2007). Portaria nº 1.683, de 12 de julho de 2007. Norma de Orientação para a implementação do Método Canguru. Brasília: Ministério da Saúde. Recuperado de: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2007/prt1683_12_07_2007.ht ml#:~:text=Aprova%2C%20na%20forma%20do%20Anexo,a%20Implanta%C3%A7%C3%A3o%20do%20M%C3%A9todo%20Canguru.&text=Art%201%C2%BA%20%2D%20Aprovar%20a%20Norma,rec%C3%A9m%2Dnascido%20de%20baixo%20peso>.

Brasil. Ministério da Saúde. (2013). Atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso – Método Mãe Canguru: manual do curso. (2a ed.), Brasília: Editora do Ministério da Saúde. Recuperado de: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_humanizada_recem_ nascido_canguru.pdf>.

Caetano L. C., Scochi, C. G. S., & Angelo, M. (2005). Vivendo no método canguru uma tríade mãe-filho-família. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 13(4), 562-568.

Cardoso, A. C. A., Romiti, R., Ramos, J. L. A., Issler, H., Grassiotto, C., & Sanches, M. T. C. (2006). Método Mãe Canguru: aspectos atuais. Pediatria (São Paulo). 28(2):128-34.

Colameo, A. J., & Rea, M. F. (2006). O Método Mãe Canguru em hospitais públicos do Estado de São Paulo, Brasil: uma análise do processo de implantação. Cad. Saúde Pública. 22(3):597-607.

Ferreira, T. M. D., & Souza, N. B. (2019). Assistência de enfermagem na humanização do atendimento neonatal: método mãe canguru. UniAtenas. 11(2). 1-18.

Furlan, C. E. F. B., Scochi C. G. S., & Furtado, M. C. C. (2003). Percepção dos pais sobre a vivência no método mãe-canguru. Revista Latino-Americana de Enfermagem. 11(4), 444-452.

Lamy, Z. C., Gomes, M. A. S. M., Gianini, N. O. M., & Hennig, M. A. S. (2005). Atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso - Método Canguru: a proposta brasileira. Ciência & Saúde Coletiva, 10(3), 659-668.

Linhares, M. B. M., & Martins, C. B. S. (2015). O processo da autorregulação no desenvolvimento de crianças. Estudos de Psicologia (Campinas), 32(2), 281-293.

Moreira, M. A. D. M., Lustosa, A. M., Dutra, F., Barros, E. O., Batista, J. B. V., & Duarte, M. C. S. (2015). Políticas públicas de humanização: revisão integrativa da literatura. Ciência & Saúde Coletiva, 20(10):3231-3242.

Netto, L., Silva, K. L., & Rua, M. S. (2018). Prática reflexiva e formação profissional. Esc Anna Nery. 22(1), e20170309.

Pereira, A. S. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Recuperado de: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/hándle1/15824/ Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Sales, I. M. M., Santos, J. D. M., Rocha, S. S., Gouveia, M. T. O., & Carvalho, N. A. R. (2018). Contribuições da equipe enfermagem na segunda etapa do Método Canguru: Implicações para a alta hospitalar do recém-nascido. Escola Anna Nery, 22(4), e20180149.

Silva, H. L. L., Ferreira, A. A., Vale, W. R., Silva, J. P. A., Alencar, T. E., Santos, W. N., & Ribeiro, I. A. P. (2020). Maternal perception regarding the use of the kangaroo method: an integrative review. Research, Society and Development, 9(7), e886975146.

Stelmak, A. P. (2014). Algoritmos de cuidado de enfermagem fundamentados no método canguru: uma construção participativa. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil.

Tamez, R. N. (2017). Enfermagem na UTI Neonatal: assistência ao recém-nascido de alto risco. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Toma, T. S. (2003). Método Mãe Canguru: o papel dos serviços de saúde e das redes familiares no sucesso do programa. Cad Saúde Pública. 9(suppl 2), S233-42.

Venâncio, S. I., & Almeida, H. (2004). Método Mãe Canguru: aplicação no Brasil, evidências científicas e impacto sobre aleitamento materno. Jornal de Pediatria. 80 (5 supl).

Published

15/11/2020

How to Cite

Ferreira, M. B., Monteiro, D. da R., & Souza, T. de C. (2020). In search of humanization in the neonatal ICU: kangaroo mother method. Research, Society and Development, 9(11), e3089119631. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9631

Issue

Section

Health Sciences