Performance of the physiotherapist and the Pilates technique in the gestational and postpartum period

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9703

Keywords:

Pregnancy; Physical therapy specialty; Postpartum period.

Abstract

Pregnancy is a physiological process understood by the sequence of adaptations in the woman's body from fertilization to birth, which, being a physiological characteristic of the woman, her reproductive functions require an intensification and adaptation of the body's metabolic and physiological processes accordingly with fetal growth. This research is an integrative literature review that seeks to demonstrate the importance of the physiotherapist during the gestational period and the postpartum period. The physiotherapist should guide the patient in general, as to a correct adaptation to the bed, about early walking, how to avoid analgesic postures, consequently reducing muscle tension promoting analgesia, providing physical comfort, individualized care, attention to their needs. It is concluded through the results obtained in the present study, that the physiotherapist has an important action both in the gestational period and in the postpartum period, since the physiotherapist when integrated in the multidisciplinary team, acts directly in the family planning, to carry out obstetric monitoring.

Author Biography

Anne Karynne da Silva Barbosa , Universidade Federal do Maranhão

Mestre em Saúde do Adulto

Membro do grupo de pesquisa em futebol e futsal do Maranhão - GPEF.

Membro do Laboratório de Fisiologia e Prescrição de Exercício do Maranhão - LAFIPEMA.

References

Andrade, R. D., et al. Fatores relacionados à saúde da mulher no puerpério e repercussões na saúde da criança. (19a ed.), Rio de Janeiro-RJ: Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, 2015. 181-186.

Andreazza, E. I., Serra, E. A influência do método pilates no fortalecimento do assoalho pélvico. Cascavel-PR: Faculdade Assis Gurgacz, 2014. 01-19.

Arruda, E. M. Benefícios dos exercícios de pilates para a postura na gestação. Goiânia - GO: Faculdade Ávila, 2010. 4-12.

Baracho, E. Fisioterapia aplicada à obstetrícia: Aspectos da ginecologia e neonatologia. (3a ed.), Rio de Janeiro: Medsi, 2008

Beleza, C. Atuação fisioterapêutica no puerpério. Rev Hispeci e Lema, SP, 2009.

Burti, J. S., et al. Assistência ao puerpério imediato: o papel da fisioterapia. (18a ed.) Sorocaba-SP: Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba, 2016. 4 p.

Carvalho, M. E. C. C., et al. Lombalgia na gestação. (63a ed.) Botafogo-RJ: Revista Brasileira de Anestesiologia, 2017. 266-270.

Comunello, J. F. Benefícios do método pilates e sua aplicação na reabilitação. Passo Fundo-RS: Instituto Salus, 2011. 1-12.

Dorado, C., Calbet, J. A., Lopez-Gordillo, A., Alayon, S., SanchisMoysi, J. Marked effects of pilates on the abdominal muscles: a longitudinal magnetic resonance imaging study. Med Sci Sports Exerc. 2012;44(8), 1589-94.

Fernandes, K. T. M. S., Santos, R. N. dos. Os benefícios do método pilates no fortalecimento do assoalho pélvico no período gestacional: uma revisão bibliográfica. (3a ed.) Escola Estadual Saúde Pública Cândido Santiago: Revista de Ciência, 2016. 152-162.

Fontes, T. A., Mejia, D. P. M. A importância da reeducação postural em mulheres no puerpério. Goiânia: Faculdade Ávila, 2016. 1-13.

Franceschet, J., Sacomori, C., Cardoso, F. L. Força dos músculos do assoalho pélvico e função sexual em gestantes. São Carlos-SP: Revista Brasileira de Fisioterapia, 2009. 01-07.

Galiotto, R., Meneghini, G. Avaliação de dor, alterações musculoesqueléticas, posturais e cicatriciais de puérperas após cesareana. Belo Horizonte-MG: Revista Interdisciplinar Ciências Médicas, 2017. 57-65.

Godinho, J. M., et al. Prevalência de desconfortos musculoesqueléticos no puerpério. Caxias do Sul – RS: Centro Universitário da Serra Gaúcha, 2017. 01-12.

Gynecol Scand. 2004; 83:928-36. ologia. (4a ed.), Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2008. 241-50.

Hartmann, J. M., Mendoza-Sassi, R. A., Cesar, J. A. Depressão entre puérperas: prevalência e fatores associados. (33a ed.) Rio de Janeiro-RJ: Caderno Saúde Pública, 2017. 02-10.

Kolyniak, et al Avaliação isocinética damusculatura envolvida na flexão e extensão do tronco: efeito do método Pilates. RevBrasMed Esporte. 10(6).

Kroetz, D. C., Santos, M. D. Benefícios do método pilates nas alterações musculoesqueléticas decorrentes do período gestacional. Cassilândia-MS: Visão Universitária, 2015. 3, 72-89.

Lima, M. do C. C. de. Alterações posturais e sintomas depressivos em puérperas. 2014. 77 p. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde), Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Pernambuco, Recife-PE, 2014.

Marés, G., et al. A importância da estabilização central no método Pilates: uma revisão sistemática. (2a ed.), Curitiba - PR: Fisioterapia Em Movimento, 2012. 25, 445-451.

Martinho, K. O., et al. Importância do perfil gestacional de puérperas, para aplicação adequada da fisioterapia em obstetrícia. Viçosa-MG: Fiep Bulletin, 2011. 81, 01-05.

Martins, R. A. de S. Método pilates: histórico, benefícios e aplicações revisão sistemática da literatura. 2013. 12 p. Dissertação (Especialização em Pilates)- Centro de Estudos Avançados e Formação Integrada, Universidade Católica de Goiás, Goiânia - GO, 2013.

Mesquita, L. A., Machado, A. V., Andrade, A. V. Fisioterapia para Redução da Diástase dos Músculos Retos Abdominais no Pós-Parto. 21. ed. Rio de Janeiro-RJ: Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, 2015. 5, 267-272.

Morari-Cassol, E. G. Amamentação e desconforto músculo-esquelético da mulher. 2007. 191 f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) -Universidade de Brasília, Brasília, 2008

Moura, T. N. B. de et al. Educação em saúde como ferramenta para o cuidado à gestante, puérpera e recém-nascido: uma abordagem multidisciplinar. Brasília-DF: Revista Eletrônica Gestão & Saúde, 2014. 5, 52-2343.

Nascimento, S. L. do et al. Recomendações para a prática de exercício físico na gravidez: uma revisão crítica da literatura. Campinas-SP: Revista Brasileira de Ginecologia Obstetetrícia, 2014. 01-09.

Pacheco, J. F. R., et al. Pilates e Flexibilidade: Uma Revisão. (3a ed.), Revista Brasileira de Ciências da Saúde, 2017. 275-280, 21.

Pereira, C. L., Mejia, D. P. M. Método pilates e seus benefícios nas alterações osteomusculares do período gestacional. Goiânia - GO: Faculdade Ávila, 2014. 1-13.

Rett, M. T., et al. Atendimento de puérperas pela fisioterapia em uma maternidade pública humanizada. (4a ed.), São Paulo-SP: Fisioterapia e Pesquisa, 2008. 15, 6-361.

Schytt E, Lindmark G, Waldenstrom U. Symptoms of stress incontinence 1 year after childbirth: prevalence and predictors in a national Swedish sample. Acta Obstet

Silva, A. C. L. G., Mannrich, G. Pilates na reabilitação: uma revisão sistemática. (3a ed.), Curitiba: Fisioterapia Em Movimento, 2009. 22, 449-455.

Souza, M. T., Silva, M., Carvalho, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, Morumbi, 8(1), 102-106.

Vasconcelos, É. H., et al. A intervenção fisiorepêutica na diástase do musculo reto abdominal (DMRA). São Paulo-SP: Revista Saberes, 2017. 6, 01-13.

Vieira, T. M. da C., Fleck, C. S. A influência do método pilates na dor Lombar crônica: uma revisão integrativa. (2a ed.) Santa Maria - RS: Disciplinarum Scientia, 2013. 14, 285-292.

Wajswelner, H. W., et al. Clinical Pilates versus general exercise for chronic low back pain: randomized trial. Med Sci Sports Exerc. 2012; 44(7), 1197-205. PMid:22246216.

Zambiazzi, J. M. Percepções das gestantes em relação à Fisioterapia na saúde da materna. 2012. 59 p. Monografia (Bacharel em Fisioterapia), Centro Universitário UNIVATES, Lajeado-RS, 2012.

Published

04/11/2020

How to Cite

Sousa, T. A. de ., Silva , L. C. P. da, Prado, J. X. do ., Silva, E. R. do M. ., Sousa, A. K. C. L. Q. de ., & Barbosa , A. K. da S. . (2020). Performance of the physiotherapist and the Pilates technique in the gestational and postpartum period. Research, Society and Development, 9(11), e449119703. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9703

Issue

Section

Review Article