Tactical Interventions in the Urban Space

Authors

  • Maria Fernanda Paim Vieira Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Paulo Ricardo Bavaresco Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Leandra Daiprai Universidade do Oeste de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v8i5.979

Keywords:

Tactical Urbanism; Public Spaces; Intervention.

Abstract

The following study discusses, as its main purpose, the occupation of the urban area through tactical interventions. In order to do so, it presents a synthesis of part of the urban problematic in what concerns to the user/space relation, later elucidating the role of tactical interventions in this context, analysis provided by bibliographical research. These interventions are temporary and aim to re-signify and give back the vitality to degraded spaces, acting through punctual, short-term, low-cost and local labor actions. Lastly, it has been found that as the occupation of urban areas and the enjoyment of its landscape gets more intense, the more evident the problems related to the lack of basic infrastructure become. In this context, tactical “solutions” come in hand, they do not solve deep urban problems, but supply the immediate needs, empower the community as a group and reinforce the sense of security and vitality of the city.

References

Abascal, E. H. S. (2005). Cidade e arquitetura contemporânea: uma relação necessária. Vitruvius. Recuperado em maio, 2018, de http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/06.066/410

Benevolo, L. (2012). História da cidade. São Paulo: Perspectiva.

Boin, N. H. D. (2016). Cortes no Tempo Contínuo: a vida urbana como partido. (Trabalho de Conclusão de Curso) Curso de Arquitetura e Urbanismo, FAU Mackenzie, São Paulo.

Bourdin, A. (2005). La metropole des individus. Paris: Éditions de l’Aube.

Borja, J. (2006). Espaço público, condição da cidade democrática. A criação de um lugar de intercâmbio. Vitruvius. Recuperado em maio, 2018, de http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/06.072/353

Brenner, N. (2016). Seria o "urbanismo tático" uma alternativa ao urbanismo neoliberal? E-metropolis, 27(27), 6-18. Recuperado em janeiro, 2018, de http://emetropolis.net/system/edicoes/arquivo_pdfs/000/000/027/original/emetropolis27.pdf?1485998410

Carlos, A. F. A., Souza, M. L., & Sposito, M. E. B. (2011). A produção do espaço urbano: agentes e processos, escalas e desafios. São Paulo: Contexto.

Castro, I. R. (2016) Cidade e Educação: uma experiência de urbanização no benfica. (Trabalho de Conclusão de Curso) Curso de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza.

Conexão Cultural. (2016). Guia do Espaço Público.

Dias, F. (2005). O desafio do espaço público nas cidades do século XXI. Vitruvius. Recuperado em maio, 2018, de http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/06.061/453

Diez, M. (2016). Ensaios Entópicos: urbanismo tático em SP. (Trabalho de Conclusão de Curso) Curso de Arquitetura e Urbanismo, FAU USP, São Paulo.

Ferreira, J. S. W. (2005) A cidade para poucos: breve história da propriedade urbana no Brasil. Anais do Simpósio “Interfaces das representações urbanas em tempos de globalização”, UNESP Bauru e SESC Bauru. São Paulo.

Gehl, J. (2013). Cidades para pessoas. São Paulo: Perspectiva.

Gil, A. C. (2002) Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Jacobs, J. (2001) Morte e vida de grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes.

Lerner, J. (2015). Acupuntura urbana. Rio de Janeiro: Record.

Montaner, J. M., & Dias, M. S. (2017). O direito ao espaço público. Princípios e exemplos. Vitruvius. Recuperado em maio, 2018, de http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/17.203/6517

Montuori, B. et al. (2015) Ocupe o Largo da Batata: Como fazer ocupações regulares no espaço público. Recuperado em abril, 2018, de http://largodabatata.com.br/publicacao/

Project for Public Spaces. (2016). A case for heatlhy places. Recuoperado em abril, 2018, de https://www.pps.org/article/pps-releases-new-report-the-case-for-healthy-places-how-to-improve-health-through-placemaking

Rogers, R. (2012). Cidades para um pequeno planeta. Barcelona, Espanha: GG.

Sansão, A. (2013). Intervenções temporárias no Rio de Janeiro contemporâneo. Novas formas de usar a cidade. Vitruvius. Recuperado em maio, 2018, de http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/13.154/4678

Santiago, P. C., & Marchesano, T. (2016). Guia do Espaço Público. Recuperado em junho, 2018, de https://www.mobilize.org.br/midias/pesquisas/guia-do-espaco-publico.pdf

Sato, B. (2016). Impermanências: ensaios de urbanismo tático no centro de São Paulo. (Trabalho de Conclusão de Curso) Curso de Arquitetura e Urbanismo, FAU USP, São Paulo.

Sposito, M. E. B. (2011) A produção do espaço urbano: escalas, diferenças e desigualdades socioespaciais. In Carlos, A. F. A., Souza, M. L, & Sposito, M. E. B. (Org.). A produção do espaço urbano: agentes escalas e processos, escalas e desafios. São Paulo: Contexto.

Strieder, R. (2009). Diretrizes para elaboração de projetos de pesquisa. Joaçaba: Ed. Unoesc.

Vargas, H. C., & Castilho, A. L. H. (2015). Intervenções em centros urbanos: objetivos, estratégias e resultados. São Paulo: Manole.

Wall, E., & Waterman, T. (2012). Desenho urbano. Porto Alegre: Bookman.

Published

01/03/2019

How to Cite

VIEIRA, M. F. P.; BAVARESCO, P. R.; DAIPRAI, L. Tactical Interventions in the Urban Space. Research, Society and Development, [S. l.], v. 8, n. 5, p. e1485979, 2019. DOI: 10.33448/rsd-v8i5.979. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/979. Acesso em: 26 sep. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences