Blended learning in Higher Education: the scenery of national and international research

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9828

Keywords:

Blended Learning; Higher Education Training Spaces; Teaching; Information and communication technologies (ICT).

Abstract

The thematic focus of this study is the Systematic Literature Review (RSL) movement carried out in Education Research, whose focus of the RSL practice was to contemplate the reference axes of the investigation, embodied in the possibilities found in the theoretical-conceptual-methodological context of the Blended Learning (BL), at the national and international level based on the referring researchers on the topic; in order to list educational research on the subject in Higher Education. The results show the BL beyond a pedagogical-technological tendency to think about the training spaces in Higher Education, connecting and questioning what, with what, how and who to teach/train. It is essential to highlight the little scientific production in national journals on the subject and, consequently, rare Brazilian theorists addressing BL in education, at any level of education. The BL is today one of the most accentuated trends in the teaching and learning process, reconfiguring the educational possibilities of training spaces (face-to-face and virtual).

Author Biographies

Fabiane da Rosa Dominguez , Universidade Federal de Santa Maria

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Santa Maria-UFSM (2015). Especialista em Gestão Educacional-UFSM (2017), Mestra em Educação (2019) e Doutoranda em Educação (2020) no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UFSM na Linha de Pesquisa 1- Docência, saberes e desenvolvimento profissional. Recentemente ao final do mês de julho de 2020 encerrou as atividades temporárias como Docente da carreira do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT) na UFSM, com exercício profissional em turmas de multi-idade na Unidade de Educação Infantil Ipê Amarelo (UEIIA). Vem desenvolvendo pesquisas na área das Tecnologias na educação, ambientes virtuais de aprendizagem (MOODLE), tendências nacionais e internacionais de metodologias ativas e sistemas de aprendizagem como o Blended Learning (Ensino Híbrido-Aprendizagem combinada) e seus impactos diretos à Docência e a Formação de professores da Educação Básica e Superior. É Pesquisadora do GPkosmos - Grupo de Pesquisa sobre Educação Digital e Redes de Formação, participante do "Projeto de Extensão- Inovar: Universidade e Comunidade Educativa em (Inter) Ação", do Projeto de ensino "Moodle Presencial como dispositivo pedagógico-tecnológico na docência universitária: formação para o ensino B-Learning" e professora Colaboradora no Grupo de Investigación en Multiculturalidad, Innovación y Tecnologías Aplicadas (MITA) da Universidad de Salamanca (USAL)-Espanha. 

Adriana Moreira da Rocha Veiga, Universidade Federal de Santa Maria

Licenciada em Pedagogia (1985), Especialista em Psicopedagogia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Imaculada Conceição, Santa Maria, RS (1992); Mestre em Educação Brasileira pela Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS (1995); Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP (2000); atualmente é acadêmica do Bacharelado em Psicopedagogia, no Centro Universitário Internacional (UNINTER) e Professora Associada na Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Fundamentos da Educação, Centro de Educação. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação, atuando na Linha de Pesquisa “ Formação, Saberes e Desenvolvimento Profissional” e do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Gestão Educacional, atuando na linha de pesquisa Gestão Pedagógica e Contextos Educativos. Em sua trajetória, vem desenvolvendo a docência em sua complexidade (ensino, pesquisa, extensão e gestão), tendo significativa participação em diferentes momentos: desenho e implantação de projetos institucionais; cursos de graduação e pós-graduação; construção de redes de formação presenciais e virtuais; construção e aprofundamento de constructos, tais como ambiência, aprendizagem na/da docência digital; saberes da docência digital; mediação pedagógica virtual; coreografias didáticas digitais; complexidade da docência e da gestão; biossistemas digitais; dentre outros. Lidera, desde 2002, o grupo de pesquisa, GPKosmos – Grupo de Pesquisas sobre Educação na Cultura Digital e Redes de Formação, certificado pela UFSM e registrado no Diretório dos Grupos de Pesquisa do CNPq, constituindo Rede com o GTFORMA - Grupo de Pesquisa Trajetórias de Formação/ CNPq/UFSM, o GPFOPE - Grupo de Pesquisa Formação de Professores e Práticas Educativas: Ensino Básico e Superior/CNPq/UFSM e o GEU/UFSM – Grupo de Estudos sobre Universidades, ligado à Rede GEU UFRGS. Lidera o GEPEPP – Grupo de Estudos e Práticas em Educação e Psicopedagogia, certificado pela UFSM e registrado no Diretório dos Grupos de Pesquisa do CNPq, participando da Rede Interinstitucional de Pesquisadores em Formação e Práticas Docentes – RIPEFOR e membro da Associação Brasileira de Psicopedagogia Seção RS – ABPpRS. Em seus estudos e orientações, prioriza as seguintes temáticas: ensinantes e aprendentes em contextos bioecológicos; ambiência (bioecológica; institucional, docente, discente, formativa, digital); resiliência (docente, discente, digital); aprendizagens na era digital; aprendizagem na/da docência digital; ensino e aprendizagem em ambientes virtuais, presenciais e combinados (híbridos); redes de formação; desenvolvimento profissional docente; pedagogias universitárias e inovação; gestão educacional e inovação. 

Mario Vásquez Astudillo, Universidade Federal de Santa Maria

Doutor em educação (Formação em Espaços Virtuais) pela Universidade de Salamanca, Espanha. Pós-Doutor em educação, Programa de Pós-Graduação, Centro de Educação, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Professor de Espanhol e Literatura pela Pontifícia Universidade Católica do Chile. Professor na Universidade Tecnológica do Chile INACAP; Professor visitante estrangeiro no Programa de Pós-Graduação, Centro de Educação, Universidade Federal de Santa Maria. Líder do Grupo de Pesquisa em Educação na Cultura Digital e Redes de Formação GPKOSMOS (UFSM). Tem experiência na área de educação, com ênfase em ensino-aprendizagem, uso de tecnologia, e-learning, b-learning, EaD e direção de projetos de inovação educacional. 

References

Adell, L., & Castañeda, L. (2012). Tecnologias emergentes, pedagogia emergentes. Em: J. Hernández, M. Pennesi, D. Sobrino y A. Vázquez (coord.). Tecnologias emergentes em educación com TIC. Barcelona. Revista Associación Espiral, Educación y tecnologia. 13-32.

Arregui, E., Martín, A., & Gonçalves, F. (2013). Ecosistemas de formación blended learning en la práctica universitaria. Valoración de los estudiantes sobre su implementación y efectos en los estilos de aprendizaje. Revista Portuguesa de Educação, 26(1), 143-177.

Andrade, M., & Coutinho, C. (2016). Implementing flipped classroom in Blended learning environments: a proposal based on the cognitive flexibility theory. Revista Journal of Interactive Learning Research, 1115-1125.

Bolzan, D., Isaia, M., & Maciel, A. (2013). Formação de professores: a construção da docência e da atividade pedagógica na Educação Superior. Revista Diálogo Educacional, 13(38), 49-68.

Carvalho, E. T., & Oliveira, F. (2020). O MOODLE como ferramenta de apoio à modalidade presencial no Campus Bela Vista: Percepção dos professores do Curso de Licenciatura em Química. Research, Society and Development, 9(1), e04911521-e04911521.

Christensen, C., Horn, M., Staker, H. (2016). Ensino híbrido: uma Inovação Disruptiva? Uma introdução à teoria dos híbridos. Clayton Christensen Institute for disruptive innovation.

Costa, R., Fernandes, J., & Peres, P. (2016). Putting order into our universe: the concept of Blended Learning. Special Issue" e-Vocabularies and e-Learning", Education Sciences–Open Access Journal, Educ. Sci. 2016, 6 (2), 15, 1-18.

Dominguez, F. (2019). Formação inicial de professores com enfoque no sistema Blended Learning em ambiente virtual de aprendizagem. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal de Santa Maria, Brasil.

ECAR, EDUCAUSE Center for Analysis and Research. (2017). Faculty use of course management systems. Study Faculty e Graduate Student Information Technology. Colorado: 97 p.

Garrison, D. R., Anderson, T., & Archer, W. (2001). Critical inquiry in a text-based environment: Computer conferencing in higher education. The Internet and Higher Education, 2 (2-3), 87-105.

Garrison, D. R., & Kanuka, H. (2004). Blended learning: Uncovering its transformative potential in higher education. Internet and Higher Education, 7(2), 95-105.

Garrison, D. R., & Vaughan, N. D. (2008). Blended Learning in Higher Education: Framework, principles and Guidelines. San Fransisco, CA: Jossey-Bass.

Graham, C. R. (2019). Blended learning systems: definition, current trends, and future directions. In: Bonk, C. J., Graham, C. R., Cross, J., Moore. M. J. (eds.) The handbook of blended learning: global perspectives, local designs. São Francisco: EFeiffer Publishing, 30-41.

Horn, M. B., & Staker, H. (2015). Blended: Usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Tradução: Maria Cristina Gularte Monteiro. Porto Alegre: Penso.

Kenski, V. (2003). Tecnologias e ensino presencial e a distância. Campinas: Papirus Editora.

Martín, A., Sánchez, M. (2014). Modelo predictivo de la intención de adopción de Blended learning en profesores universitarios. Universitas Psychologica, 13(2), 601-614.

Mattar, J., Piovezan, M. B., Souza, S., Santos, C. C., & Santos, A. I. dos. (2020). Critical presentation of the European Digital Competence Framework (DigComp) and related frameworks. Research, Society and Development, 9(4), e172943062. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i4.3062.

Padilla-Beltrán, J., & Rincón-Caballero, D. (2017). Aspectos psicosociales del rol docente en la modalidad B-Learning de la Universidad Militar Nueva Granada. Revista de Ciencias Sociales: El Ágora USB, 17(2).

Padilla-Beltrán, J., & Silva, W. (2017). Impacto de las TIC en las representaciones sociales de los docentes en la modalidad B-Learning. Revista Civilizar Ciencias Sociales y Humanas, 17(32), 161-170.

Pasin, D., Delgado, H. (2017). O ensino híbrido como modalidade de interação ativa e reflexão crítica: relato de uma experiência docente no Brasil. Revista Texto Livre: Linguagem e Tecnologia. 10(2).

NMC Horizon (2017). NMC Horizon Report: 2017 Higher Education Edition. Austin, Texas: New Media Consortium.

Santos, L. H. A., Carvalho, D. F., Silva, A. F. G., & Rossetto, H. H. P. (2020). Blended learning: pratical experience in the classroom. Research, Society and Development, 9(7), 1-13, e462974332.

Souza, P., La Torre, O., & Peixoto, G. (2020). Rotação por estações: experimentação de uma proposta didática a alunos do ensino médio, no estudo de progressões por meio dos fractais. Research, Society and Development, 9(10), e4219108804-e4219108804.

Tori, R. (2009). Cursos híbridos ou blended learning. In: Litto, F. M.; Formiga, M. (Org.). Educação a Distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education Hall, 121-128.

Valente, J. (2014). Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, Edição Especial (4), 79-97, Curitiba.

Vaughan, N. D. (2010). Blended community of inquiry approach: linking student engagement and course redesing. Internet and Higher Education, (13), 60-65.

Published

15/11/2020

How to Cite

Dominguez , F. da R. ., Veiga, A. M. da R. ., & Astudillo, M. V. . (2020). Blended learning in Higher Education: the scenery of national and international research. Research, Society and Development, 9(11), e3159119828. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9828

Issue

Section

Review Article