Variant hemoglobin in the caian quilombola community of Creoles in the State of Paraíba, Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9892

Keywords:

Hemoglobinopathies; Sickle cell trait; Sickle cell anemia.

Abstract

Among the group of excluded individuals in Brazilian society, most are still being marginalized blacks. In this group, blacks from rural areas are the most disenfranchised of new processes of social construction. The UN declared that the black communities rural remaining quilombo, called, quilombolas is today one of the most active social agents of the black population in Brazil. The production of scientific knowledge is critical to the health of the black population for that question it is necessary to include in the National Agenda of Priorities in Health Research linked to the themes of this population. This research aims to present the prevalence of sickle cell trait in one quilombola community in the state of Paraíba. Cross-sectional study where the target population was 76 in a quilombola community members identified in the state of Paraíba. The average age was 31.4 years. Female gender was 84.2% male and 15.8% of the population. The presence of four consanguineous marriages among the families studied was detected. Based on the high prevalence of sickle cell trait (17.1%) in the quilombola community studied, it is necessary and urgent continuing research in other communities in the state of Paraíba.

Author Biography

Evaldo Hipólito de Oliveira, Universidade Federal do Piauí

Possui graduação em Farmácia pela Universidade Federal da Paraíba (1990), graduação em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Federal da Paraíba (1991), graduação em Direito pela Universidade Federal do Piauí (1999), Doutorado em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários (2010), mestrado em Administração pela Universidade Federal da Paraíba (2002), especialização em Vigilância Sanitária e Epidemiológica (1997) e Citologia Clínica (2005). Foi Diretor do Laboratório Central de Saúde Pública do Estado do Piauí-LACEN-PI (2003 a 2007). Atualmente é professor Associado da Universidade Federal do Piauí de microbiologia clínica e imunologia clínica (1994). Tem experiência na área de Farmácia (Interdisciplinaridade), atuando principalmente nos seguintes temas: análises clínicas ( bacteriologia, virologia, imunologia, citologia e hematologia ) e Vírus Linfotrópico de Células T Humanas-1/2-HTLV-1/2, HIV, HBV e HCV (Epidemiologa, Imunologia e Análise Molecular).

References

Auricchio, M. T. B. M., Vicente,. JP., Meyer, D. & Migronni-Netto, C. (2007). Frequency and origins of hemoglobin S mutation in African-derived brazilian populations. Hum Biol; 79(6): 667-677.

Barboza da Silva, N. C., Delfino Regis, A. C., Esquibel, M. A., Santos, J. E. S., Almeida, M. Z. (2012). Uso de plantas medicinais na comunidade quilombola da Barra II – Bahia, Brasil. Bol latinoam Caribe plantas med aromát; 11(5):435-453.

Brasil. (2004). Ministério da Saúde. Seminário Nacional de Saúde da População Negra. Brasília.

Brasil. (2005). Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Subsecretaria de Planejamento e Orçamento. A saúde da população negra e o SUS: ações afirmativas para avançar na eqüidade/Secretaria-Executiva, Subsecretaria de Planejamento e Orçamento. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde.

Brasil. (2007). Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. I Seminário Nacional de Saúde da População Negra: síntese do relatório: 18 a 20 de agosto de 2004: Brasília – DF, 2. ed. – Brasília : Editora do Ministério da Saúde.

Cançado, R. D. & Jesus, J. A. (2007). A doença falciforme no Brasil. Rev Bras Hematol Hemoter; 29(3): 203-204.

Cunha, E. M. G. P. (2010). Condições socioeconômicas e epidemiológicas da população quilombola: potencialidades e limitações das bases de dados secundárias. In: XVII Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP, Caxambú- MG, Brasil.

Di Nuzzo, D. V. P. & Fonseca, S. F. (2004). Anemia falciforme e infecções. J Pediatr (Rio J); 80(5): 347-54.

Galiza, G. C. N., Pitombeira, M. S., Vieira, H. F., Vieira, M. L. C., Farias, D. A. B. (2003). Analysis of betaS-globin gene haplotypes in Ceará, Brazil. J Bras Patol Med Lab; 41(5): 315-321.

Laguardia, J. (2006). No fio da navalha: anemia falciforme, raça e as implicações no cuidado à saúde. Rev Est Fem; 14(1):246-261.

Lobo, C., Marra, V. & Rugan, M. A. (2008). Consenso Brasileiro sobre atividades esportivas e militares e herança falciforme no Brasil 2007. Rev Bras Hematol Hemoter; 30(6): 488-495.

Munanga, K. (1996). Origem e histórico do quilombo na África. Revista USP; 28:56-63.

Naoum, P. (2000). Prevalência e controle da hemoglobina S. Rev Bras Hematol Hemoter; 22(2):142-8.

Oliveira, M. F. (2003). Saúde da população negra: Brasil ano 2001. 1ª Edição Organização Pan-Americana da Saúde, Brasília.

ONU. (2010) Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD. Disponível em http://www.pnud.org.br (Acesso em: Agosto de 2014).

Paiva e Silva, R. B., Ramalho, A. S. & Cassorla, R. M. S. (1993). A anemia falciforme como problema de Saúde Pública no Brasil. Rev Saude Publica; 27(1):54-8.

Pedrosa, M. A. F., Ferreira, L. B. & Oliveira, S. F. (2004). Anemia falciforme em antigos quilombos. Revista Ciência Hoje; 36(211):84-85.

Steinberg, M. H. (2008). Sickle cell anemia, the first molecular disease: overview of molecular etiology, pathophysiology, and therapeutic approaches. ScientificWorldJournal; 8:1295-1324.

Valente, A. L. P., Collins, C. H. & Manfredi, J. E. (1983). Conceitos básicos de cromatografia líquida de alta eficiência. Química Nova; 6(3):103-109.

Published

15/11/2020

How to Cite

Nascimento, M. do S. V. do ., Oliveira, E. H. de ., Nogueira Júnior, F. de A. ., Albuquerque, V. L. M. de ., Soares, . C. V. D. ., Tenório, M. D. F. de C. ., Lima, E. M. ., & Soares, L. F. . (2020). Variant hemoglobin in the caian quilombola community of Creoles in the State of Paraíba, Brazil. Research, Society and Development, 9(11), e3239119892. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9892

Issue

Section

Health Sciences