Gender, Sexuality, Heteronormativity: reports of young people in the school context through vlogs

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9893

Keywords:

Heteronormativity; School Context; Vlogs; Teaching.

Abstract

The present work approaches a subject that has not been clearly discussed by the schools and teachers: the questions of gender and sexuality. Our objective was to explore elements related to the young people in vlogs, keeping in mind to analyze the experience of gender and sexuality in a school environment. We intended to investigate the effects of the non-existence of this kind of policy in the school context, through analysis of vlogs. The research was of the qualitative nature, through the study exploratory character, and documental research utilizing vlogs of the internet. The results suggest that the internet is used as a support network, and the themes discussed by the young ones can be grouped in three axes: pedagogical control, deconstruction of heteronormativity culture and expression of fragilities.

Author Biography

Luana Galleano Mello, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Psichology Social Department

References

Andrade, C. L. R. (2015). Vlog como gênero da indústria audiovisual. XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Rio de Janeiro, RJ. Intercom. Retrieved from https://portalintercom.org.br/anais/nacional2015/resumos/R10-2096-1.pdf

Beauvoir, S. (1980). O Segundo Sexo, vI, II. Tradução Sérgio Milliet. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Borges, Z. N, & Meyer, D. E. (2008). Limites e possibilidades de uma ação educativa na redução da vulnerabilidade à violência e à homofobia. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 16(58), 59-76. https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362008000100005

Branco, A. L. C., Santos, S. J. da S., & Amaral, S. C. S. (2015). Escola sem Homofobia: Analisando um discurso da ideologia conservadora. Revista Philologus, Ano 21, N° 63. Rio de Janeiro: CiFEFiL. Retrieved from http://www.filologia.org.br/rph/ANO21/63supl/058.pdf .

BRASIL (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais: Orientação Sexual. Secretaria de Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria de Educação Fundamental. Retrieved from http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/orientacao.pdf

BRASIL (1998). Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação de temas transversais. Secretaria de Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação. Retrieved from http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ttransversais.pdf

Butler, J. (2003). Problemas de gênero: feminismo e subversão identidade / Judith Butler; tradução, Renato Aguiar. — Rio de janeiro: Civilização Brasileira.

Ferrari, A., & Almeida, M. A. de. (2012). Corpo, gênero e sexualidade nos registros de indisciplina. Educação & Realidade, 37(3), (pp. 865-885). https://dx.doi.org/10.1590/S2175-62362012000300009

Foucault, M. (1988). História da sexualidade: A vontade de saber, tradução de Maria Thereza da Costa. Rio de Janeiro, Edições Graal.

Gesser, M., Oltramari, L. C., & Panisson, G. (2015). Docência e concepções de sexualidade na educação básica. Psicologia & Sociedade, 27(3), pp. 558-568. https://doi.org/10.1590/1807-03102015v27n3p558

Jesus, J. G. de. (2012). Orientações sobre Identidade de Gênero: Conceitos e termos. Guia técnico sobre pessoas transexuais, travestis e demais transgêneros, para formadores de opinião. 2.ed. Brasília. Retrieved from <http://www.diversidadesexual.com.br/wp-content/uploads/2013/04/G%C3%8ANERO-CONCEITOS-E-TERMOS.pdf>

­­­­­­­­­­­­­Louro, G. L. (1997). Gênero, Sexualidade e Educação: Uma perspectiva pós-estruturalista. Rio de Janeiro: Vozes.

Louro, G. L. (2000). O Corpo Educado: Pedagogias da Sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica.

Louro, G. L. (2008) Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica.

Molina, L. P. P. (2011). A homossexualidade e a historiografia e trajetória do movimento homossexual. Antíteses, v. 4, n. 8, p. 949-962. http://dx.doi.org/10.5433/1984-3356.2011v4n8p949

Narvaz, M. G., & Koller, S. (2006). Metodologias feministas e estudos de gênero: articulando pesquisa, clínica e política. Psicologia em Estudo,11(3), 647-654.

Pedro, J. M. (2005). Traduzindo o debate: o uso da categoria gênero na pesquisa histórica. História (São Paulo), 24(1), 77-98. https://dx.doi.org/10.1590/S0101-90742005000100004

Pereira, AS. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [eBook]. Santa Maria. Ed. UAB / NTE / UFSM. Retrieved from: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Rago, M. (2013). Descobrindo historicamente o gênero. Cadernos Pagu, 0(11), 89-98. Retrieved from https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8634465

Reis, C., & Paraíso, M. A. (2014). Normas de gênero em um currículo escolar: a produção dicotômica de corpos e posições de sujeito meninos-alunos. Revista Estudos Feministas, 22(1), 237-256. https://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2014000100013

Seffner, F. (2013). Sigam-me os bons: apuros e aflições nos enfrentamentos ao regime da heteronormatividade no espaço escolar. Educação e Pesquisa, 39(1), 145-159. https://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022013000100010

Tardif, M. (2000). Saberes Profissionais dos Professores e Conhecimentos Universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação. ANPED, São Paulo, n. 13, p. 5-24. Retrieved from <http://www.anped.org.br/rbe/rbedigital/RBDE13/RBDE13_05_MAURICE_TARDIF.pdf

Downloads

Published

17/11/2020

How to Cite

Mello, L. G. ., & Guimarães, C. F. (2020). Gender, Sexuality, Heteronormativity: reports of young people in the school context through vlogs. Research, Society and Development, 9(11), e3549119893. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9893

Issue

Section

Human and Social Sciences