Nursing performance in Elderly Health: perspectives of intersectoral and multiprofessional actions for improving lifestyle

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.11536

Keywords:

Aging; Elderly health; Society.

Abstract

The National Health Promotion Policy pointed to the explanation of mechanisms that would reduce situations of vulnerability, radically defend equity and incorporate participation and social control in the management of public policies, thus there was an increase in the number of elderly people, among other factors , needing to resume the discussions that permeate the crisis in the health sector. This study aims to discuss the role of the nursing professional in providing health care to the elderly in a perspective of intersectoral and multiprofessional actions to improve the lifestyle of this public. The methodology is of narrative review, through bibliographic survey in secure data sources, without restriction of year of publication of the works. As presented results, it is shown that nurses are extremely important in the multiprofessional team in health units in the development of prevention, promotion and recovery actions for the health of the elderly, in addition to disease prevention. Through a bibliographic survey, it is concluded that in order to have a qualified, resolutive and effective attention to the elderly, it is necessary to train professionals, including nurses, duly qualified to glimpse the tenacity of the installation of pathological processes in the elderly, you can often change them from independent to dependent.

References

Achutti, A., & Azambuja, M. I. R. (2004) Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: repercussões do modelo de atendimento à saúde sobre a seguridade social. http://www.scielo.br/pdf/csc/v9n4/a02v9n4.pdf.

Brasil. (2010). Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Série A. Normas e Manuais Técnicos Cadernos de atenção básica, 19. Brasília – DF.

Lei Nº 5095/73, de 12 de julho de 1973. (1973) Dispõe a criação do Conselho Federal e Conselho Regional de enfermagem e dá outras providencias. <http://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/128479/lei-5905-73>.

Ministério da Saúde (2003). Estatuto do Idoso. Brasília: Ministério da Saúde.

Ministério da Saúde (2013). Revista Brasileira Saúde da Família Nº33 /23 de abril. Ministério da Saúde – Ano 13, n. 33(2012). Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

Ministério da Saúde (2006). Revista Brasileira Saúde da Família Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica. Brasília.

Ministério da Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. 9, Brasília, 2009. http://portal.anvisa.gov.br/documents/33856/396770/Pol%C3%ADtica+Nacional+de+Educa%C3%A7%C3%A3o+Permanente+em+Sa%C3%BAde/c92db117-e170-45e7-9984-8a7cdb111faa.

Ceccim, R. B. (2005). Educação Permanente em Saúde: desafio ambicioso e necessário. Revista Interface (Botucatu), Botucatu, 9(16).

Carvalho, Y. M. (2006). Promoção da Saúde, Práticas Corporais e Atenção Básica. USP São Paulo.

Figueiredo, E. N. Estratégia Saúde da Família e Núcleo de Apoio à Saúde da Família: diretrizes e fundamentos. Módulo Político Gestor, UNASUS, unifesp, 2015. http://www.unasus.unifesp.br/biblioteca_virtual/esf/1/modulo_politico_gestor/Unidade_5.pdf.

Gil, A. C. (2011). Método e Técnicas de Pesquisa Social. (6a ed.), São Paulo: Atlas, 2011.

Joia, L. C., et al. (2013). Condições associadas ao grau de satisfação com a vida entre a população de idosos. Cad. Saúde Pública. 29(1).

Leopardi, M. T., Santos, I., & Sena, R. R. (2000). Tendências de enfermagem no Brasil: tecnologias do cuidado e valor da vida. Anais 51º CBEn, 10º Congresso Panamericano de Enfermería. ABEn. 147-73.

Lakatos, E. M., & Marconi, M. A. (2010). Fundamentos da metodologia científica. (7a ed.), São Paulo: Atlas.

Matsudo, S. M. (2001). Atividade física e envelhecimento: aspectos epidemiológicos Revista Brasileira de Medicina sporte. 7(1).

Oliveira, J. C. A., & Tavares, D. M. S. (2010). Atenção ao idoso na estratégia de Saúde da Família: atuação do enfermeiro. Rev Esc Enferm USP; 44(3), 774-8. www.ee.usp.br/reeuspdf.

Sardinha-Peixoto, L., et al., Educação Permanente, continuada e em serviço: desvendando seus conceitos. Revista eletrônica trimestral de enfermagem. 2013. 29, 324-340.

Silva. M. F., et al. (2012). Relação entre os níveis de atividade física e qualidade de vida de idosos sedentários e fisicamente ativos. Rev. bras. Geriatria gerontologia. 15(4).

Siqueira, F. V. (2008). Atividade física em adultos e idosos residentes em áreas de abrangência de unidades básicas de saúde de municípios das regiões Sul e Nordeste do Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 24(1),39-54.

Tannure, M. C. (2010). SAE: sistematização da assistência de enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Published

02/01/2021

How to Cite

GUERRA, M. de F. S. de S. .; ARAUJO , A. M. B. .; SOUZA, J. P. de .; PORTO, M. de J. .; NASCIMENTO , M. B. .; ANDRADE, W. B. de .; SANTANA , W. N. B. de .; SANTOS, G. P. .; SANTANA , A. F. de .; SILVA, S. R. S. . Nursing performance in Elderly Health: perspectives of intersectoral and multiprofessional actions for improving lifestyle. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e11210111536, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.11536. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/11536. Acesso em: 24 jan. 2021.

Issue

Section

Health Sciences