Epidemiology of leprosy indicators in the Municipality of Crato, Ceará

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.13720

Keywords:

Mycobacterium leprae; Crato; SINAN; Bacillus.

Abstract

Leprosy is a comorbidity that affects numerous people all over the world, which is characterized by its affinity for the skin and peripheral nerves. The objective of this research was to carry out an analysis of the epidemiological aspects and temporal trends of leprosy indicators in the municipality of Crato. To achieve these objectives, a qualitative and quantitative research was carried out, based on data from the Notifiable Diseases Information System. Between 2007 and 2017, 477 new cases of leprosy were reported in the municipality of Crato, highlighting the year 2012 with the highest number of new cases of the disease, with emphasis on the incidence of cases in men (59.1%), while in women it was 40.8%. Of these, with a predominance of the age group between 50 to 59 years (20.7%), followed by 60 to 69 years (18.6%). According to the results proposed by this research, it can be observed that, in the last few years, there has been a significant reduction in the number of cases. To maintain this index, political commitment and quality health services for effect the service of secondary care in the municipality.

References

Amaral, E. P., & Lana, F. C. F. (2008). Análise espacial da Hanseníase na microrregião de Almenara, MG, Brasil. Revista Brasileira de Enfermagem, 61(SPE), 701-707.

Boigny, R. N., Souza, E. A. D., Ferreira, A. F., Cruz, J. R., García, G. S. M., Prado, N. M. B. D. L., ... & Ramos Júnior, A. N. (2020). Falhas operacionais no controle da hanseníase em redes de convívio domiciliar com sobreposição de casos em áreas endêmicas no Brasil. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 29, 1-14.

Brasil. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis Coordenação Geral de Hanseníase e Doenças em Eliminação. Banco de dados do programa: 2017(SINAN Nacional). Brasília (DF), 2017b.

Brasil. Ministério da Saúde (2018). Caracterização da Situação epidemiológica da hanseníase e diferenças por sexo, Brasil, 2012- 2016. Boletim epidemiológico, 22, 1-55.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde (2017). Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. Guia de Vigilância em Saúde. 1a ed. Brasília, s/v, 222 p.

Brasil. Secretaria de Vigilância em Saúde. Ministério da Saúde. (2018). Caracterização da situação epidemiológica da hanseníase e diferenças por sexo, Brasil, 2012-2016. Boletim Epidemiológico, 49, 1-12.

Dias, J. L., Godoy, G. M. S., Aguiar, R. S., & Gomes, G. P. L. A. (2013). Características determinantes entre portadores de hanseníase em uma área hiperendêmica. Revista de Atenção à Saúde, 11(38), 32-37.

Fernandes, T. R. M. D. O., Pereira, A. D. A., Cardoso, L. S., Alves Filho, V. P., Rezende Junior, L. S. N. D., & Souza, C. D. F. D. (2020). The hidden prevalence of leprosy: a comparative study between two Brazilian cities. Revista da Associação Médica Brasileira, 66(10), 1338-1343.

Fischer, M. (2017). Leprosy–an overview of clinical features, diagnosis, and treatment. JDDG: Journal der Deutschen Dermatologischen Gesellschaft, 15(8), 801-827.

Gonçalves, S. D., Sampaio, R. F., & Antunes, C. M. D. F. (2008). Ocorrência de neurite em pacientes com hanseníase: análise de sobrevida e fatores preditivos. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 41(5), 464-469.

Lana, F. C. F., Amaral, E. P., Lanza, F. M., Lima, P. L., Carvalho, A. C. N. D., & Diniz, L. G. (2007). Hanseníase em menores de 15 anos no Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais, Brasil. Revista Brasileira de Enfermagem, 60(6), 696-700.

Leano, H. A. D. M., Araújo, K. M. D. F. A., Bueno, I. D. C., Niitsuma, E. N. A., & Lana, F. C. F. (2019). Factores socioeconómicos relacionados con la lepra: revisión integrativa de la literatura. Revista Brasileira de Enfermagem, 72(5), 1405-1415.

Lira, T. B., Rocha, F. C. V., Sá Martins, D. M., Lopes, T. P., Sousa Oliveira, K. M., Santos, B. L., ... & Lemos, N. A. F. (2019). Hanseníase no Piauí: uma investigação epidemiológica. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 1(24), e499-e499.

Marciano, L. H. S. C., Prado, R. B. R., Quaggio, C. M. D. P., & Nardi, S. M. T. (2008). Proposta pedagógica para aprimorar os conceitos básicos em Hanseníase: álbum seriado como um recurso no processo de orientação. Hansenologia Internationalis, 33(2), 17-24.

Mizoguti D.F., Hungria E.M., Freitas A.A., Oliveira R.M., Cardoso L.P., Costa M.B., (2015). Pacientes com hanseníase multibacilar com anticorpos séricos elevados e persistentes para hanseníase IDRI diagnostic-1 / LID-1: maior suscetibilidade para desenvolver reações do tipo 2. Mem Inst Oswaldo Cruz. 110, 914-920.

Monteiro, B. R., Ataíde, C. A. V., Assis Silva, C. J., Neres, J. N. S., Medeiros, E. R., & Simpson, C. A. (2018). Educação em saúde para a hanseníase: experiência da enfermagem. Saúde (Santa Maria), 44(1), 1-5.

Monteiro, L. D., Alencar, C. H. M. D., Barbosa, J. C., Braga, K. P., Castro, M. D. D., & Heukelbach, J. (2013). Incapacidades físicas en personas afectadas por la hanseniasis en el período post alta de la poliquimioterapia en un municipio en el norte de Brasil. Caderno de Saúde Pública, 29(5), 909-920.

OMS - Organização Mundial da Saúde. Global leprosy update, 2017: reducing the disease burden due to leprosy. The Weekly Epidemiological Record, 93, pp. 445–456.

Organização Mundial da Saúde (OMS). Atualização global sobre hanseníase, 2017: reduzindo a carga de doenças devido à hanseníase. Registro epidemiológico semanal, 35, pp. 444-456.

Ramos, A. R. D. S., Ferreira, S. M. B., & Ignott, E. (2013). Óbitos por hanseníase como causa básica em residentes no estado de Mato Grosso, Brasil, no período de 2000 a 2007. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 22(2), 273-284.

Ramos, B.S., Marisco G., Costa, D.J., (2020). Perfil epidemiológico e sociodemográfico dos pacientes com hanseníase, no período de 2001 a 2017, em Vitória da Conquista, Bahia, Brasil. Revista Saúde.Com, 16, 1710 – 1720.

Santos, Á. N., Costa, A. K. A. N., Souza, J. É. R. D., Alves, K. A. N., Oliveira, K. P. M. M. D., & Pereira, Z. B. (2020). Perfil epidemiológico e tendência da hanseníase em menores de 15 anos. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 54, 1-8.

Souza, C. D. F., Oliveira Fernandes, T. R. M., Matos, T. S., Ribeiro Filho, J. M., Almeida, G. K. A., Lima, J. C. B., ... & Oliveira, D. J. (2017). Grau de incapacidade física na população idosa afetada pela hanseníase no estado da Bahia, Brasil. Revista Acta Fisiatrica, 24(1), 27-32.

Talhari, S, Neves R.G., Penna G.O., Oliveira, M.L.V., Hanseníase. 4ª ed. Manaus: Gráfica Tropical; 2006.

WHO. Weekly epidemiological record. global leprosy update, 2018: moving towards a leprosy-free world. Nova Deli: World Health Organisation. 2019: [s.n.]. Disponível em: <http://www.who.int/wer>.

Downloads

Published

30/03/2021

How to Cite

COSTA, A. R. de S. .; FIDELIS, K. R. .; OLIVEIRA, M. G. de .; SANTOS, L. T. dos .; SANTOS, M. A. F. dos .; MATOS, Y. M. L. S. de; CRUZ NETO, J. .; RIBEIRO, T. G. .; VIEIRA, D. S. .; BRAGA, C. R. da S. .; SILVA, M. R. F. da .; FERREIRA, R. J. .; OLIVEIRA, M. A. S. de .; CANDIDO, A. S. .; ARRAIS, F. M. de A. .; SILVA, A. R. da .; PEREIRA, C. T. de A. .; SAMPAIO, R. S. L. .; SILVA, V. B. da .; NUNES, B. E. M. de B. .; PEREIRA, F. D. .; ALMEIDA-BEZERRA, J. W. Epidemiology of leprosy indicators in the Municipality of Crato, Ceará. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e5010413720, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.13720. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13720. Acesso em: 11 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences