Family health strategy: Problems with the health of the mother and baby caused by non-compliance with the vaccination schedule

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13772

Keywords:

Health education; Immunization schemes; Vaccination coverage; Family Health Strategy.

Abstract

In general the most reliable way to improve public health is vaccination. But her inaction has been marking high growth rates around the world. The World Health Organization (WHO) has listed denial of the vaccine as one of ten global health threats. The objective of this study was to verify the knowledge of puerperal women about the importance of vaccination during pregnancy and throughout the child's life. This is a cross-sectional, exploratory, descriptive study with a quantitative approach, conducted at the Freedom Family Health Unit, located in the municipality of Tracunhaém located in the North Forest of Pernambuco. The sample consisted of 80 puerperum women who had prenatal care at the unit, who wanted to participate in the research, and data collection was performed from September to October 2020. It was observed in the data that most of the research participants knew the relevance of vaccination for the prevention of diseases in their children, however 43.7% stated that they did not know the benefits, but that they knew the importance of immunization for children and during pregnancy. Regarding the data discussed, it was observed that there is a great projection of continuity in the vaccination schedule of children, according to the report of the puerperal women. Taking into account also, information about possible preventable injuries through vaccination, and also irreversible problems caused by the lack of immunization during the pregnancy period and its continuity during the life of the mother and child.

References

Brasil. Secretaria de Atenção à Saúde. (2011). Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher: princípios e diretrizes. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde. (2020). Vacinar pode causar impactos sociais e econômicos.

Bricks, L. F. (2003). Vacinas na gravidez: uma revisão de sua importância no Brasil. Rev. Hosp. Clín, 58(5), 263-274. https://.org/10.1590/S0041-87812003000500006.

Homma, A., et al. (2010). Atualização em vacinas, imunizações e inovação tecnológica. Ciência & Saúde Coletiva.

Lopes, E., et al. (2013). Situação vacinal de recém-nascidos de risco e dificuldades vivenciadas pelas mães. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 66, ed. 3. https://.org/10.1590/S0034-71672013000300006.

Ludke, M., & Andre, M. E. D. A. (2013). Pesquisas em educação: uma abordagem qualitativa. E.P.U.

Maia, C. J. F. S., et al. (2020). Principais complicações do puerpério. Revista das Ciências da Saúde e Ciências aplicadas do Oeste Baiano-Higia. Brasil. 5(1): 347-358.

Miyachi, T., et al. (2020). Menor confiança nos vínculos do governo nacional com nenhum histórico de vacinação. The Lancet, 396(10217), 31-32. https://.org/10.1016/S0140-6736(19)32686-8.

Mizuta, A. H. et al. (2019). Percepções acerca da importância das vacinas e da recusa vacinal numa escola de medicina. Rev. paul. pediatr. 37(1), 34-40. http://dx.org/10.1590/1984-0462/,2019,37,1,00008.

Moraes, L., et al. (2018). Eventos adversos de vacinas e as consequências da não vacinação: uma análise crítica Eventos adversos de vacinas e as consequências da não vacinação: uma análise crítica. Revista de Saúde Pública. https://.org/10.11606/S1518-8787.2018052000384.

Nascimento F, J. M. (2020). Depressão no período pré-parto: rastreio em mulheres primíparas de alto risco - análise de fatores hormonais, clínicos e epidemiológicos. 81f. Dissertação (Mestrado em Neurociências) - Instituto do Cérebro, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Neto, L. H. T. S. (2020). Perfil socioeconômico e gestacional de gestantes de um município da Amazônia Brasileira. Brazilian Journal of Development. Curitiba, 6(10), 82253-82269. 10.34117/bjdv6n10-598.

Neto, E., et al. (2012). O que os cartões de pré-natal das gestantes revelam sobre a assistência nos serviços do SUS da Região Metropolitana da Grande Vitória, Espírito Santo, Brasil? Caderno de Saúde Pública, [s. l.].

OMS. (2019). Dez ameaças á saúde global. https://www.who.int/news-room/feature-stories/ten-threats-to-global-health-in-2019.

Osmo, A., et al. (2014). O campo da Saúde Coletiva no Brasil: definições e debates em sua constituição. Saúde Sociedade, 24, 205-2018. 10.1590/S0104-12902015S01018.

Pereira, A. S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Pereira, B., et al. (2011). Motivos que levaram as gestantes a não se vacinarem contra H1N1. Ciência & Saúde Coletiva, [s. l.].

Porto, M., et al. (2003) uma revolta popular contra a vacinação. Ciência e Cultura, 55.

Pugliesi, M., et al. (2009). Mães e vacinação das crianças: estudo de representações sociais em serviço público de saúde. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, v. 10, ed. 1. https://.org/10.1590/S1519-38292010000100008.

Ribeiro, W. A., et al. (2019). A gravidez na adolescência e os métodos contraceptivos: a gestação e o impacto do conhecimento. Revista Nursing, 22(253), 2990-2994.

Scavone, L. (2017). Dossiê: aborto, objeto da pesquisa social. Estud Sociol. 17 (32):15-9.

Sousa, J. J. (2011). Circunstâncias da ocorrência da gravidez não planejada em mulheres adultas. [Dissertação]. Bahia: Universidade Federal da Bahia.

Succi, R. C. M. (2018). Recusa de vacina - o que precisamos saber. J. Pediatr. 94(6), 574-581. https://.org/10.1016/j.jped.2018.01.008.

Viegas, S., et al. (2019). Preciso mesmo tomar vacina? Informação e conhecimento de adolescentes sobre as vacinas. Avances em Enfermería, 37(2), 01-02. http://dx..org/10.15446/av.enferm.v37n2.76713.

Yang, J., et al. (2020). Eficácia, imunogenicidade e segurança de vacinas contra influenza com adjuvante MF59 em pessoas saudáveis de diferentes faixas etárias. revisão sistemática e meta-análise, 99. 10.1097/MD.0000000000019095.

Published

27/03/2021

How to Cite

OLIVEIRA, J. V. L. .; BONIFÁCIO, J. R. B.; COSTA, R. M. F. .; SILVA, M. M. M. da .; CUNHA, A. B. de O. C. da .; SILVA, N. C. da; NASCIMENTO, V. de J. O. A. do .; FRANÇA, A. M. M. de .; MELO, M. L. da R. S. .; SILVA, R. F. C. da .; COSTA, F. B. da; CAVALCANTI, F. M. da C. . Family health strategy: Problems with the health of the mother and baby caused by non-compliance with the vaccination schedule. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e58710313772, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13772. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13772. Acesso em: 14 apr. 2021.

Issue

Section

Education Sciences