The role of nursing in assisting victims of rape

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.13895

Keywords:

Nursing; Rape; Nursing care.

Abstract

Introduction: Brazilian law defines rape as the most serious type of sexual abuse. Rape consists of any act performed, for sexual purposes without the consent of one of the parties involved, violating the right of the other. Objectives: To identify the role of the nurse in the assistance provided to the rape victim and to analyze the nursing assistance in relation to the rape victims. Methodology: This is a study with a qualitative approach, of the integrative review type, which had as a database the Virtual Health Library Nursing using the Health Sciences Descriptors (DeCS Nursing; Rape; Nursing assistance. Articles were selected complete, in Portuguese and English, published between 2011 and 2021. At the end of the application of the criteria, 6 articles emerged for thorough reading and construction of the content. Results and discussion: Two categories were developed for data analysis Category I - Socio-cultural aspects of rape; Category II -The nursing professional facing the victims of rape. Final considerations: It is concluded that the nurse is a leading professional in assisting the rape victim and that it is necessary to constantly carry out training to improve care.

References

Acosta, D. F., Gomes, V. L. O., &Barlem, E. L. D. (2013). Perfil das ocorrências policiais de violência contra a mulher. Acta Paul Enferm, 26(6), 547-53.

Arend, E., Maw, A., Swardt, C., Denny, L., & Roland, M. (2012) Experiências de sobreviventes de violência sexual sul-africanos com profilaxia pós-exposição e cuidados de enfermagem individualizados: um estudo qualitativo. Revista da Associação de Enfermeiros em Aids Cuidado,24 (2), 154-165.

Bardin, L. (2016). Análise de conteúdo. São Paulo: Almedina Brasil.

BRASIL. Lei nº 12.015 de 07 de agosto de 2009. Dispõe sobre os crimes contra a dignidade sexual. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/lei/l12015.htm

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Prevenção e tratamento dos agravos resultantes da violência sexual contra mulheres e adolescentes. Brasília - DF: MS, 2012. 126 p.

Saúde, M., Justiça, M. d., & para mulheres, S. d. P. (2015). Norma Técnica Atenção Humanização às Pessoas em Situação de Violência Sexual com Registro de Informações e Coleta de Vestígios. MS.

Saúde, M. (2001). Política Nacional de Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violências. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/acidentes.pdf

Carr, M., Thomas, A., Atwood, D., Muhar, A., Jarvis, K., &Wewerka, S. (2014) Desmascarando três mitos de estupro. Journal of Forensic Nursing, p 217-225.

Dempsey, M. (2002).Negative coping as mediator in there lation between violence and outcomes: Inner-city African American youth. American Journal of Orthopsychiatry, 72(1), 102-109. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_nlinks&ref=101548&pid=S1413-0394201300010000600009&lng=pt

Ferrante, F. G., Santos, M. A. d., & Vieira, E. M. (2009). Violência contra a mulher: percepção dos médicos das unidades básicas de saúde da cidade de Ribeirão Preto, 13(31), 287-299. https://doi.org/10.1590/S1414-32832009000400005

Fontenot, H. (2013) Interseção de HPV e agressão sexual. Journal of Forensic Nursing, 146-154.

Ganong, L.H. (1987). Integrative reviews of nursing research. New Tork, 10(11), 1-11.

Gomes, N. P., Freire Diniz, N. P., dos Santos, L. A., &Erdmann, A. L. (2015). The social network for confronting conjugal violence: representations of women who experience this health issue, 24(2), 316-324. https://doi.org/http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072015002140012

Mendes, K., Silveira, R. C., & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enfermagem, Florianópolis, 17(4): 758-64.

Ruxana, J., & Thomas, L. S. (2013). Health consequences of sexual violence against women, 27(1), 15-26. https://doi.org/10.1016/j.bpobgyn.2012.08.012

Saúde, M. (2012). Prevenção e tratamento dos agravos resultantes da violência sexual contra mulheres e adolescentes: Norma Técnica. Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas, (3). https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/prevencao_agravn o_violencia_sexual_mulheres_3ed.pdf

Saúde, M. (2015). Estabelece orientações para a organização e integração do atendimento às vítimas de violência sexual pelos profissionais de segurança pública e pelos profissionais de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS) quanto à humanização do atendimento e ao registro de informações e coleta de vestígios. Gabinete do Ministro. Portaria Interministerial n.288.

Saúde, O. M. (2010). Prevenindo a violência sexual contra a mulher por parceiro íntimo: atuando e gerando evidências. OMS.

Sena, C. A., da Silva, M. A., &Falbo Neto, G. H. (2018). Incidência de violência sexual em crianças e adolescentes em Recife/Pernambuco no biênio 2012- 2013, 23(5). https://doi.org/10.1590/1413-81232018235.18662016

Trigueiro, T. H., da Silva, M. H., de Oliveira, D. M., Pinto de Jesus, M. C., & Barbosa Merighi, M. A. (2018). Não Adesão ao seguimento ambulatorial por mulheres que Experienciaram a violência sexual, 27(1). https://doi.org/10.1590/0104-07072018006490015

Published

04/04/2021

How to Cite

SANTOS, L. L. dos .; OLIVEIRA, R. de C. M. .; ALMEIDA, B. G. R. F. de .; RIBEIRO, E. A. .; BARBOSA, V. V. da S. .; SILVA, A. F. P. M. da .; MOREIRA, T. P. .; ESTEVES, M. V. B. .; RODRIGUES, T. C. de C. .; JIQUIRIÇA, K. M. .; ALMEIDA, L. P. de .; SANTOS, L. R. de O. .; PITOMBEIRA, P. de C. P. . The role of nursing in assisting victims of rape. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e15610413895, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.13895. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13895. Acesso em: 20 apr. 2021.

Issue

Section

Review Article