Invisible in the open: street pregnant woman

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14061

Keywords:

Street population; Pregnant; Social vulnerability; Street office.

Abstract

In Brazil, the reality experienced by homeless people is marked by great social inequality. The uncertainty generated by living on the streets is due to constant exposure to dangers. It is a heterogeneous group, linked to extreme poverty, including pregnant women. The objective of this research is to characterize the vulnerabilities experienced by pregnant women living on the streets. It is a qualitative descriptive research of an integrative review; whose aspects facilitate the identification of relevant results. The collection of information for bibliographic research was done through the databases of the Virtual Health Library (VHL), accessed through the Nursing Database (BDENF); Virtual Electronic Scientific Library (SCIELO), Latin American and Caribbean Literature in Health Sciences (LILACS) and Google scholar. From this research it is expected to contribute and expand the debate on the difficulties of pregnant women on the street, the obstacles faced by the multiprofessional teams of the street office. The search found 16 articles on the topic, published between 2015 and 2019. These were divided into three categories: pregnant women who use drugs, their daily lives and the importance of prenatal care, and access to health for this group. It was concluded that the little knowledge of health professionals, about the difficulties faced by these pregnant women, interferes in the segment and adherence to prenatal care. Building a relationship with these pregnant women is essential, as it helps to improve the service that serves this audience.

References

Almeida, D. J. R. & Quadros, L. C. T. ( 2016). A pedra que pariu: Narrativas e práticas de aproximação de gestantes em situação de rua e usuárias de crack na cidade do Rio de Janeiro. Pesquisa prática psicossociais, São João Del-Rei, 11, ( 1), 225-237.

Araújo, A. S., Santos, A. A. P., Lúcio, I. M. L., Tavares, C. M. &Fidélis, E. P. B.(2017). O contexto da gestante na situação de rua e vulnerabilidade: seu olhar sobre o pré-natal. Revista de enfermagem. UFPE . 11(supl.10), 4103-4110.

Biscotto, P. R., Jesus, M. C. P., Silva, M. H., Oliveira, D. M. & Merighi, M. A. B.(2016). Compreensão da vivência de mulheres em situação de rua. Revista da escola de enfermagem. USP. 50(5). 749-755.

Cardoso, A. C., Santos, D. S., Mishima, S. M., Anjos, D. S. C., Jorge, J. S. & Santana, H.P.(2018). Desafios e potencialidades do trabalho de Enfermagem em Consultório na Rua. Revista Latino-Americano de Enfermagem. Ribeirão Preto. (26). 3045.

Costa, S. L., Costa, C. P. V., Gama, I. A., Ping, B. J.K.C.T., Massari, M. G., Paula, T. B. & Bernardes, A. F. M.(2015). Gestantes em situação de rua no município de Santos, SP: reflexões e desafios para as políticas públicas. Saúde social. São Paulo. 24(3). 1089-1102.

Hallais, J. A. S. & Barros, N. F. (2015). Consultório na Rua: visibilidades, invisibilidades e hipervisibilidade. Cad. Saúde Pública. Rio de Janeiro. 31(7). 1497-1504.

Lima, L. P. M., Santos, A. A. P., Póvoas, F. T. X. & Silva, F. C. L.(2015).O papel do enfermeiro durante a consulta de pré-natal a gestante usuária de drogas. Espaço da saúde. Londrina. 16 (3). 39-46.

Lira, C. D. G., Justino, J. M. R., Paiva, I. K. S., Miranda, M. G. O. & Saraiva, A. K. M.(2019). O acesso da população em situação de rua é um direito negado? REME Revista Mineira de Enfermagem. ( 23). 1157.

Medeiros, C. R. S. & Cavalcante, P.(2018). A implementação do programa de saúde específico para a população em situação de rua - Consultório na rua: barreiras e facilitadores. Saúde soc. São Paulo. 27(3). 754-768.

Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. (2020), https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2019/junho/pessoas-em-situacao-de-rua sao-vitimas-em-889-denuncias-recebidas-pelo-disque-100

Paula, H. C., Daher, D. V., Koopmans, F. F., Faria, M. G. A., Brandão, P. S. & Scoralick, G. B. F.(2018). A implantação do consultório na rua na perspectiva do cuidado em saúde. Revista Brasileira de Enfermagem. Brasília. 71(supl 6). 2843-2847.

Rizzini, I. & Couto, R. M. B. (2018). Maternidade adolescente no contexto das ruas. Desidades. Rio de Janeiro. (19). 9-19.

Rosa, A. S. & Bretas, A. C. P.(2015). A violência na vida de mulheres em situação de rua na cidade de São Paulo. Interface. 19(53). 275-285.

Santana, C. S., Freitas, I. L. S., Mesquita, K. S. F. de., Araújo, B. R. O. de., Melo, G. B. de.& Almeida, A. V. A.(2019). Assistência de Enfermagem a Mulher em Situação de Rua no Ciclo Gravídico- Puerperal: Uma Revisão de Literatura. Ciências Biológicas e de Saúde UNIT.Alagoas.5( 2). 71-82.

Silva, F.L. (2019). A cobertura do programa consultório na rua e o impacto no acesso da população em situação de rua aos serviços de saúde. Lume. UFRGS.

Souza, M.T.,Silva, M.D. & Carvalho, R. (2010). Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein. 8 (1 Pt 1). 102-6.

Vale, A. R. & Vecchia, M. D. (2019). UPA é nós aqui mesmo”: as redes de apoio social no cuidado à saúde da população em situação de rua em um município de pequeno porte.Saúde social, São Paulo. 28( 1). 222-234.

Published

08/04/2021

How to Cite

LIMA, D. G. da R. .; SANTOS, A. M. dos .; MARTINS, S. C. . Invisible in the open: street pregnant woman. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e22910414061, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.14061. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14061. Acesso em: 16 may. 2021.

Issue

Section

Review Article