Quantitative and qualitative evaluation of fish waste in three open markets, Marabá, Pará

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14417

Keywords:

Environmental impacts; Environmental diagnosis; Marketers.

Abstract

The objective of this research was to evaluate the generation of fish waste and the environmental perception of fishmongers regarding the environmental impacts caused by temporary storage and final disposal of waste generated in three open markets in the city of Marabá - Pará. The method used was inductive with quantitative and qualitative comprehensiveness. Four in loco visits were made to obtain primary data. The secondary data were obtained from free access electronic links. The analysis of data obtained indicated that nine kinds of fish are commercialized; the largest quantity occurred at the fair of 28 (2. 114.9 kg/month); three types of organic waste were identified and quantified: one (skins: 77.4±0.0); two (carcass, 14.0±4.7) and three (others 88.4±21.6); temporary storage is done in buckets (8.3±1.5) and 100 L plastic bags (2.3±1.5), it was observed that there is no residual segregation (6.7±3.1); all sampled individuals (n = 36: 100%) reported that the waste collected by the municipality, is destined to the controlled landfill without proper treatment. Regarding the environmental perception of impacts caused by improper disposal, there is still ignorance about it (7.0±2.0); the vast majority of them have no knowledge about the sustainable alternatives for organic waste (7.3±0.6), but the minority knows (3.7±2.9), and they cited animal feed (5.0±2.7) and organic manure (2.0±3.1) as appropriate solutions. Therefore, the hygienic and sanitary conditions in the three markets are not adequate and urgently need corrections to adapt to the sanitary and environmental laws, such as Resolution CONAMA 275/01.

Author Biographies

Mikaele Machado Oliveira, Universidade do Estado do Pará

Environmental and Sanity Engineering

Stephani Gomes Feitosa, Universidade do Estado do Pará

Environmental and Sanity Engineering

References

Adame, C. R. (2014) Utilização de composto orgânico de peixe em adubação de capim-marandu. (Dissertação de mestrado). Universidade Estadual Paulista. https://repositorio.unesp.br/handle/11449/115951

ABNT NBR n.º 10004, de 31 de maio de 2004. Esta Norma classifica os resíduos sólidos quanto aos seus riscos potenciais ao meio ambiente e à saúde pública, para que possam ser gerenciados adequadamente. https://www.abntcatalogo.com.br/norma.aspx?ID=936

Amorim, R.G.O. (2014). Hidrolisado proteico dos resíduos de corvina (Micropogonias furnieri) como forma de agregar valor ao pescado e reduzir o passivo ambiental das indústrias de pesca no município de Itajaí – SC. (Dissertação de Mestrado). Universidade do Vale do Itajaí. Santa Catarina, SC, Brasil. http://siaibib01.univali.br/pdf/Ricardo%20Gaya%20Oliveira%20de%20Amorim.pdf

Barbetta, P. A. (2002). Estatística aplicada às Ciências Sociais. (5a ed). Santa Catarina: UFSC,

Barreto, N. S. E., Moura, F. C. M., Teixeira, J, A., Assim, D. A., & Miranda, P. C. (2012). Avaliação das condições higiênico sanitárias do pescado comercializado no município de Cruz das Almas, Bahia. Revista Caatinga, 25(3),86-95. https://periodicos.ufersa.ed u.br/index.php/caatinga/article/view/2209/pdf_14

Bendito, B.P.C., Souza, P. A., Picanço, A. P., Silva, R, R, & Sciebeneichier, S. (2017). Diagnóstico da degradação ambiental na área de deposito inadequado de resíduos sólidos de Porto Nacional – TO. Revista Gaia Scientia, 11(3), 129-151. periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/29908. http://doi.org/10.22478/ufpb.1981-1268.2017v11n3.29909

Bery, C.C.S. (2012). Estudo da viabilidade do óleo de vísceras de peixes marinhos ((Seriola Dumerlii (Arabaiana), Thunnus ssp (ATUM), Scomberomorus cavala (Cavala) e Carcharrhinus spp (Cação)) Comercializados Em Aracajú-SE para a produção de biodiesel. Revista Geintec, 2(3), 297-306. http://dx.doi.or/10.7198/S2237-0722201200030009

Besen, G. R., Ribeiro, H., Gunther, W. M. R., & Jacobi, P. R. (2014). Selective waste collection in the São Paulo metropolitan region impacts of the national solid waste policy. Revista Ambiente & Sociedade, 17(3), 253-272. https://www.scielo.br/pdf/asoc/v17n3/en_v17n3a15.pdf. https://doi.org/10.1590/S1414-753X2014000300015

Boscolo, W. R. (2012). Sistema orgânico de produção de pescado de água doce. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, (2), 578-590. https://www.scielo.br/pdf/rbspa/v13n2/a25v13n2.pdf. http://dx.doi.org/10.1590*S1519-99402012000200025.

Brito, M. A., & Mello, A.H. (2019). Diversificação da produção e seus efeitos no Assentamento Piquiá I – Marabá. Agenda Social, 12(2),11 – 24. file:///D:/Downloads/374-1271-1-PB%20(1).pdf.

Bruno, F.H.S. (2013). Avaliação da composição mineral do adubo orgânico produzido a partir de resíduos de pescados e vegetais no desenvolvimento da cultura da cebolinha. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal, 7(2), 106-125. http://www.higieneanimal.ufc.br/seer/index.php/higieneanimal/article/view/105. http://dx.doi.org/10.5935/1981-2965.20130013

Cândido, M. G., Meira, J. C. (2017). Impactos ambientais: análise da geração e destinação dos resíduos sólidos produzidos na feira livre do município de Caldas Novas/GO. Simpósio Interdisciplinar em Ambiente e Sociedade. Anais do Simpósio Interdisciplinar em Ambiente e Sociedade, Goiânia, Goiás, 1. file:///D:/Downloads/12036-Texto%20do%20artigo-35342-1-10-20181116%20(3).pdf

Carvalho, E. N., Silva, F. Q., Sardinha, A. S., Bispo, C. J. C., Souza, H. N., Rocha, M. C., & Santos, S. N (2019). Geração e coleta de resíduos sólidos urbanos (RSU) em Marabá – Pa. Anais do Fórum Internacional de Resíduos Sólidos. 10. João Pessoas, PB, Brasil. file:///D:/Downloads/1452-Texto%20do%20artigo-5404-1-10-20191013.pdf

Chiarelotto, M. Bottini, W, C., Spicker, C. E., Duarte, S. S., Chiarelotto, M., & Bortoli, M. (2018). Composting of household organic waste: effect on control parameters and final compound quality. Revista Agro@mbiente online, 12(4), 272-287. https://revista.ufrr.br/agroambiente/article/view/5126. http://dx.doi.org/10.18227/1982-8470rGRO.V12I4.5126

Conceição, M. M. M., Pereira Junior, A. (2020). Plano de gerenciamento de residuos sólidos em uma instituição de ensino superior. Brazilian Journal of Development, 6(7), 45643-45675. https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/13043. http://dx.doi.org/10.34117/bjdv6n7-261

Costa, S. R., & Souza, P. A. R. O. (2012). Impacto dos resíduos de pescado: o caso da “feira do bagaço”! no município de Parintins no Amazonas. Desarrollo local Sostenible, 5(14), 1-11. https://ideas.repec.org/a/erv/deloso/y2012i1411.html

Costa, W. M. Vidal, J. M., A., Veiga, M. C. M., Rodrigues, J. M., Santos, J. F. (2016). Aproveitamento de resíduos de pescado: o artesanato com escamas de peixe. Revista Ciência em Extensão, 12(2), 8-17. file:///D:/Downloads/1239-10519-1-PB.pdf

Cunha, E. L A. B. (2013) Aspectos sanitários e de gestão ambiental do setor de pescado em uma feira livre no município de Manaus – AM. [Dissertação de Mestrado]. Universidade Federal do Pará, Belém, Pará, Brasil. http://ppcs.propesp.ufpa.br/ARQUIVOS/dissertacoes/2013/esther.pdf.

Decker, A.T., Rodrigues, E. A., Almeida, J. C., Quadro, M. S. S., Leandro, D., Andreza, R., Barcelos, A. A. (2016). Avaliação dos possíveis impactos ambientais dos resíduos de pescado na localidade de Pelotas/RS. Revista Brasileira de Engenharia e Sustentabilidade,2(1), 1-10. file:///D:/Downloads/6186-34396-1-PB%20(2).pdf

Decreto n.º 9,013. Inspeção Industrial Sanitária de Produtos de Origem Animal. http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2017/decreto-9013-29-marco-2017-784536-publicacaooriginal-152253-pe.html

Dias, M. (2018). 9 tipos de amostragem probabilística e não probabilística. http://www.opuspesquisa.com

Felici, E. M., Kuroda, E. K., Yamashita, F., & Silva, S. M. C. P. (2013). Remoção de carga orgânica recalcitrante de lixiviado de resíduos sólidos urbanos pré-tratado biologicamente por coagulação química-floculação-sedimentação. Revista Engenharia Sanitária e Ambiental, 18(2), 177-184. https://www.scielo.br/pdf/esa/v18n2/a10v18n2.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-41522013000200010

Ferri, G. L., Chaves, G. L. D., & Ribeiro, G. M. (2015). Análise e localização de centros de armazenamento e triagem de resíduos sólidos urbanos para a rede de logística reversa: um estudo de caso no município de São Mateus, ES. Revista Production, 25(1), 27-42. https://www.scielo.br/pdf/prod/v25n1/0103-6513-prod-0103-6513-2014-138913.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/s0103-651320114005000014

Galvão, J.; Oetterer, M. (2017). Qualidade e processamento de pescado. Elsevier

Gibaldi, N. S., Bueno, C., Olifiers, N. (2020). Perfil dos visitantes e seus impactos negativos no Parque Natural Municipal Chico Mendes, Rio de Janeiro – RJ. Research, Society and Development, 9(10), e584910794. file:///D:/Downloads/7904-Article-124628-1-10-20201009.pdf.

http://dx.doi.org/10.22448/rsd-v9i10.7904

Glowka, R. P., Weingartner, M., & Muelbert, B. (2018). Produção e comercialização de pescado no município de Laranjeiras do Sul, Paraná. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 13(4), 531-543. file:///D:/Downloads/Dialnet-ProducaoEComercializacaoDePescadoNoMunicipioDeLara-7083422%20(2).pdf. http://dx.doi.org/10.18378/rvads.v13i45764

Godoy, M. R. B. (2013). Dificuldades para aplicar a Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos no Brasil. Caderno de Geografia, 23(39), 1-12. http://periodicos.pucminas.br/index.php/geografia/article/view/4784#:~:text=Inexistia%20um%20órgão%20central%20que,oficial%20como%20no%20setor%20privado.

Gonçalves, A. A. (2011). Tecnologia do Pescado: Ciência, Tecnologia, Inovação e Legislação. Atheneu.

Higuchi, L.H. (2015). Produção, caracterização nutricional e utilização de farinhas e óleos de resíduos de peixes neotropicais em dietas para Tilápia do Nilo. (Tese de Doutorado) Universidade Estadual Paulista. São Paulo, SP, Brasil. https://repositorio.unesp.br/handle/11449/132803

IBGE. (2013). Normas de apresentação tabular. (3a ed.). IBGE.

Jesus, T. B., Santos, T. N., & Carvalho, C. R. V. (2018). Aspectos da comercialização de pescado em feiras livres do município de Feira de Santana-Ba. Revista Gestão & Sustentável Ambiental, 7(2), 159-179. http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/gestao_ambiental/article/view/6205

http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v7e22018159-179

Kefalas, H.C. (2011). Resíduos Orgânicos Da Atividade Pesqueira No Município De Pontal Do Paraná: Geração, Destinação Atual e Alternativas. (Monografia, Graduação em Oceanografia). Universidade Federal do Paraná, Pontal do Paraná, PR, Brasil. https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/36472

Lei n. 11.959, de 29 de junho de 2009. Dispõe sobre a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável da Aquicultura e da Pesca, regula as atividades pesqueiras, revoga a Lei no 7.679, de 23 de novembro de 1988, e dispositivos do Decreto-Lei no 221, de 28 de fevereiro de 1967, e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L11959.htm

Lei n. 12.305 de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a lei n.9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providencias. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm

Lima, L. K. F. (2013). Reaproveitamento de resíduos sólidos na cadeia agroindustrial do pescado, Palmas: Embrapa Pesca e Aquicultura.

Lins, J. A. P. N. (2010). Uso de peixes como biomarcadores para monitoramento ambiental aquático. Revista Acadêmica de Ciências Agrárias e Ambientais, 8(4), 469-484. https://periodicos.pucpr.br/index.php/cienciaanimal/article/view/11018. http://dx.doi.org/10.7213/cienciaanimal.v8i4.11018

Lopes, B. S., Alves, J. P. (2020). Ciclo do PDCA na indústria do pescado. Brazilian Journal of Animal and Environmental Research, 3(3), 1370-1379. https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJAER/article/view/14444. http://dx.doi.og/10.34188/bjaerv3n3-054

Lucena, M. M. A. (2010). Percepção Ambiental por uma comunidade rural do entorno de uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), semiárido brasileiro. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Norte. file:///D:/Downloads/MycarlaMAL_DISSERT.pdf

Martins, C. W.S. (2015). A comercialização de peixes em feiras públicas, nos municípios de Feira de Santana e Cruz Das Almas, Bahia. (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Salvador, BA. http://www.repositoriodigital.ufrb.edu.br/handle/123456789/1056?mode=full.

Matias-Pereira, J. (2016). Manual de Metodologia da Pesquisa Científica. (4a ed). Atlas

Matos, J. C., Benvindo, L. R. S., LVA, T, O., & Carvalho, L. M. F. (2015). Condições higiênico-sanitárias de feiras livres: uma revisão integrativa, Revista Eletrônica Gestão & Saúde, 6(3),2884-2893. https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/3281

Medeiros Junior, E. F., Eiras, B. J. C. F., Rodrigues, E. C. & Alves, M. M. (2015). Avaliação higiênico-sanitária do pescado comercializado na cidade de Bragança Pará. Nutritime Revista Eletrônica, 12(5), 4237-4243.Recperado de https://www.nutritime.com.br/arquivos_internos/artigos/323_-_4237-4243_-_NRE_12-5_set-out_2015.pdf

Melo, F. O., Alves, M. M., Guimarães, M. D. F., Carlos, F., & Holanda, F. (2011). Aproveitamento do resíduo a partir do beneficiamento de pescado de uma indústria pesqueira no norte do Brasil. Revista Arquivos de Ciência do Mar, 44(3), 5-11. http://www.periodicos.ufc.br/arquivosdecienciadomar/article/view/148. http://dx.doi.org/10.32360/acmar.v44i3.148

Mendonça, D. S. M., Zang, J. K., Fonseca-Zang, W. A. (2017). Efeitos e danos da disposição de resíduos sólidos na área de lixão e aterro controlado no município de Inhumas – GO. Caderno de Geografia, 27(50), 486-499. http://periodicos.pucminas.br/index.php/geografia/article/view/p.2318-2962.2017v27n50p486. http://doi.org/10.5752/p.2318-2962.2017v27n50p486

MICROSOFT CORPORATION (2016). Project for Windows 10. Version 4.1. https://www.ebay.com/itm/Microsoft-Project-Version-4-1-/174300951199?_ul=BR

Mota, J. L., Ferreira, S. D., & Morales, U. S. (2020). As feiras livres: um estudo sobre a comercialização de pescado nas áreas urbanas do município de Macapá – PA. Brazilian Journal of Development, 6(10), https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/17822. http://doi.org/10.34117/bjdv6n10-099

Nascimento, M. S., Pereira, S. J. B., Santos, R. F., & Vieira, A. M. (2018). Avaliação e caracterização do processo de compostagem de resíduos de peixes. PUBVET, 12(11),1-7. https://www.pubvet.com.br/artigo/5329/avaliaccedilatildeo-e-caracterizaccedilatildeo-do-processo-de-compostagem-de-resiacuteduos-de-peixes#:~:text=Avaliação%20e%20caracterização%20do%20processo%20de%20compostagem%20de%20resíduos%20de%20peixes,-Marcelo%20 dos%20 Santos&text=Os%20parâmetros%20avaliados%20foram%3A%20temperatura,N%20e%20índice%20de%20mineralização. https://doi.org/10.31 533/Pubvet.v12n11a217.1-7

Oliveira, A. L. T., Sales, R. O., Freitas, J. B. S., & Lopes, J. E. (2012). Alternativa sustentável para descarte de resíduos de pescado em Fortaleza. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal. 6(2), 1-16. file:///D:/Downloads/62-4826-1-PB.pdf. http://dx.doi.org/10.5935/1981-2965.20120003

Oliveira, G. F., Nascimento S. F., Mello, A. H., Pereira, V. D. N., & Mendes, A. S. (2011). Caracterização Econômica e social dos pescadores do rio Tocantins em Marabá – Pará. Revista Agroecossistemas, 3(1, 18-23, 2011. file:///D:/Downloads/1238-5389-1-PB%20(1).pdf

Oliveira, J. L. Almeida, A. B. B., Freire, L. L., Albuquerque, M. S., Barbosa, J, C., Pereira, M. S., & Barbosa, U. P. S. (2018). Compostagem dos resíduos orgânicos em instituições de ensino: experiências do IFCE - Campus Juazeiro do Norte. Revista Ciência e Sustentabilidade, 4(1), 57-78. https://periodicos.ufca.edu.br/ojs/index.php/cienciasustentabilidade/article/view/287. https://doi.org/10.33809/2447-4606.41201857-78

Patino, C., Ferreira, J. C. Qual a importância do cálculo do tamanho amostral? Journal Brasileiro de Pneumologia, 42(2), 162. https://www.scielo.br/pdf/jbpneu/v42n2/pt_1806-3713-jbpneu-42-02-00162.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S1806-37562016000000114

Pereira, A. S. Shitsuka, D, M., Parreira, F. J. & Shitsuka. R. Metodologia da pesquisa científica. Santa Maria: UAB/NTE/UFSM.

Pinto, B. V. V., Vilarinho, Bezerra, A. E., Amorim, E., Valadão, R. C., & Oliveira, G. M. (2017). O Resíduo de pescado e o uso sustentável na elaboração de coprodutos. Revista Mundi Meio Ambiente e Agrárias, 2(2), 15. http://periodicos.ifpr.edu.br/index.php?journa l=MundiMAA&page=article&op=view&path%5B%5D=223. http://dx.doi.org/10.21575/25254790rmmaa.2017vol2n2223

Pinto, R. C. L. B., Santos, R. S., Maciel, W. L. S., Maciel, C. M. R. R., & Maciel Júnior, A. (2011). Sistema de comercialização de peixes nas feiras livres na sede do Município de Itapetinga-Ba. Revista Enciclopédia Biosfera, 7(13), 1249- 1258. https://www.conhecer.org.br/enciclop/2011b/ciencias%20ambientais/O%20sistema.pdf

Pires, D. R., Morais, A. C. N., Costa, J. F., Góes, L. C. D. S., & Oliveira, G. M. (2014). Aproveitamento do resíduo comestível do pescado: Aplicação e viabilidade. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 9(5), 34 – 46. https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/RVADS/article/view/2956/0

Pires, I. C. G.; Ferrão, G. E. (2017). Compostagem no Brasil sob a perspectiva da legislação ambiental. Revista trópica Ciências Agrárias e Biológicas, 9(1), 01-18. file:///D:/Downloads/5685-19757-1-PB.pdf

Prodanov, C. C., & Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. (2a ed.). Novo Hamburgo: Feevale.

Raiol, I. N. Castro, L. R. C., & Neves, D. I S. (2019). Diagnóstico do gerenciamento de resíduos sólidos na feira livre 8 de maio no distrito administrativo de Icoaraci em Belém – Pará. Revista Gestão & Sustentabilidade, 8(4), 182-198. http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/gestao_amb iental/article/view/7425. http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v8e42019182-198

Resolução n.º 326 de 30 de julho de 1997. Regulamento técnico sobre as condições higiênico-sanitárias e de boas práticas de fabricação para estabelecimentos produtores/industrializadores de alimentos. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/svs1/1997/prt0326_30_07_1997.html

Resolução Conama nº 275, de 25 de abril de 2001. Dispõe sobre o código de cores para os diferentes tipos de resíduos, a ser adotado na identificação de coletores e transportadores, bem como nas campanhas informativas para a coleta seletiva. http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=273

Resolução n.º 466 de 12 de dezembro de 2012. Estabelece a aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos: https://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

Resolução n.º 510 de 7 de abril de 2016. Modifica as diretrizes da resolução n.º 466. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html

Rodrigues, E. A. (2013). Avaliação dos resíduos gerados no processo produtivo de pescado na colônia de pescadores Z3, Pelotas – RS. (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal de Pelotas, RS. https://wp.ufpel.edu.br/esa/files/2013/10/TCC-EVELINE-ARAUJO3.pdf

Sanes, F. S. M., Strassburger, a. S., Araújo, F. B., Medeiros, A, B. (2015). Compostagem e fermentação de resíduos de pescado para produção de fertilizantes orgânicos. Revista Semina Ciências Agrárias, 36(3), 1241-1252. file:///D:/Downloads/16860-96709-1-PB%20(4).pdf. http://dx.doi.org/10.5433-0359.2015v3n3p1241

Santos, A. P. B. (2016). Caracterização e aproveitamento do resíduo de pescado junto aos pontos de comercialização da Baixada Santista - SP. (Tese de Doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo, SP. https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/74/74131/tde-21022017-145040/pt-br.php, http://dx.doi.org/10.11606/T.74.2017.tde.21022017-145040

Santos, A. T. L., Henrique, N. S., Shhlindwein, J. A., Ferreira, E., & Stachiw, R. (2014). Aproveitamento da fração orgânica dos resíduos sólidos urbanos para produção de composto orgânico. Revista Brasileira de Ciências da Amazônia, 3(1), 15-28. https://tratamentodeagua.com.br/wp-content/uploads/2016/06/Aproveitamento-da-fração-orgânica-dos-resíduos-sólidos-urbanos-para-produção-de-composto-orgânico.pdf

Santos, D. B. Machado, S., Sampaio, a. h. r., & Vieira, L. M. (2013). Avaliação das condições higiênico-sanitárias da feira livre da colônia dos pescadores no Município de Uruçuí- PI. Enciclopédia Biosfera,9(16), 2433-2442. https://www.conhecer.org.br/enciclop/2013a/miltidisciplinar/AVALIACAO%20DAS%20CONDICOES.pdf

Santos, J. G. (2012). A Logística Reversa como Ferramenta para a Sustentabilidade: Um Estudo Sobre a Importância das Cooperativas de Reciclagem na Gestão dos Resíduos Sólidos Urbanos. REUNA, 17(12), 81-96. https://www.conhecer.org.br/enciclop/2013a/mil tidisciplinar/AVALIACAO%20DAS%20CONDICOES.pdf.

Siebert, T. H. R., & Silva, R. A. (2019). Levantamento dos principais peixes comercializados na feira do pescado de Santarém – Pará, de setembro de 2017 a janeiro de 2018. Revista Brasileira de Engenharia de Pesca, 12(1), 62-74. https://ppg.revistas.uema.br/index.php/REPESCA/article/view/1834

http://dx,doi.org/1018817/repesca.v12i1.1834

Silva, A. M. C. B., Souza, R. A. L., Melo, Y, P, C., Zacardi, D. M., Paiva, R. S, & Nakayama, L. (2010). Diagnóstico da Piscicultura na Mesorregião Sudeste do Estado do Pará. Tropical Journal of Fisheries and Aquatic Sciences. 10(1), 55 – 65. https://cepnor.ufra.edu.br/index.php?journal=tjfas&page=article&op=view&path%5B%5D=1160#:~:text=Considera-se%20que%20a%20produção,por%20órgãos%20públicos%20e%20privados. http://dx.doi.org/1032519/tjfas.v10i1.1160

Silva, A, R. S., Melo, D. G., Moraes, F. J. S., Antônio, T., Coelho, T. P. M., & Silva, G. S. (2015). Impactos ambientais referentes à não coleta de lixo e reciclagem. Ciências Exatas e Tecnológicas, 2(3), 63-75. file:///D:/Downloads/2136-Texto%20do%20artigo-6993-1-10-20150526%20(1).pdf

Silva, C. A., & Andreoli, C. V. (2010). Compostagem como alternativa à disposição final dos resíduos sólidos gerados na Ceasa. Revista Engenharia Ambiental, 7(2),27-40. file:///D:/Downloads/EA-2010-411.pdf

Silva, M. A., Vargas, P. H. B., Martins, A, L. S., & Nascimento, K. L. (2020). Avaliação do controle de qualidade das frutas e hortaliças comercializados na feira livre de Valença/RJ. Research, Society and Development, 9(11), e1109119346. file:///D:/Downloads/9346-Article-132923-1-10-20201106%20(1).pdf. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9346

Silva, R. A. Bonnas, D. S., & Silva, P. F. (2015). Aproveitamento dos resíduos gerados no processamento de postas de surubim (Pseudoplatystoma corruscans) para elaboração de nuggets. Revista Contextos da Alimentação, 3(2), 38-48. http://www3.sp.senac.br/hotsites/blogs/revistacontextos/wp-content/uploads/2015/06/46_artigo_Contextos_ed-vol-3-n-2-ano-14.pdf

Soares, K. M. P., & Gonçalves, A. A. (2012). Qualidade de segurança do pescado. Revista Instituto Adolfo Lutz, 71(1), 1-10. http://periodicos.ses.sp.bvs.br/pdf/rial/v71n1/v71n1a01.pdf

Soares, V. M., Pereira, J. G., Izidoro, T. B., Martins, O. A., Pinto, J. P. A., & Biondi, G. F. (2011). Qualidade microbiológica de filés de peixe congelados distribuídos na cidade de Botucatu – SP. Revista Cientifica Ciências Biológica Saúde, 13(2),85-88. file:///D:/Downloads/1229-Texto%20do%20artigo-4754-1-10-20150703.pdf

Souza, E. R. O., Silva, B. P., Canto, O., & Pontes, A. N. (2019). Resíduos de peixe do Mercado de Ferro, Complexo do Ver-o-Peso, Belém, Pará. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável. 14(4), 562-570. https://editoraverde.org/gvaa.com.br/revista/index.php/RVADS/article/view/6687/6934

Valente, B. S., Xavier, E. G., Pereira, H. S., & Pilotto, M. V. T. (2014). Compostagem na gestão de resíduos de pescado de água doce. Boletim do Instituto de Pesca, 40(1), 95 – 103. https://www.pesca.sp.gov.br/40_1_95-103.pdf

Valente, B. S., Xavier, E. G., Pereira, H. S. & Pilloto, M. V. T. (2016). Compostagem de resíduos da filetagem de pescado marinho e casca de arroz. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, 17(2), 237-248. https://www.scielo.br/pdf/rbspa/v17n2/1519-9940-rbspa-17-2-0237.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/A1519-99402016000200011

Vallejo, F., & Monteiro L. (2014). Avaliação das Demandas e Potenciais Associados ao Gerenciamento de Resíduos Sólidos em Cidades Emergentes: O Caso do Município de Rio das Ostras, RJ. Revista Eletrônica Sistemas & Gestão, 9(2), 200-208. https://www.revistasg.uff.br/sg/article/view/V9N2A4. http://dx.doi.org/107177/sg.2014.V9.N2.A4

Vidotti, R. M., & Lopes, I. G. (2016). Resíduos orgânicos gerados na piscicultura. Pesquisa & Tecnologia, 13(2). http://www.aptaregional.sp.gov.br/acesse-os-artigos-pesquisa-e-tecnologia/1696-residuos-organicos-gerados-na-piscicultura/file.html#:~:text=Resíduos%20orgânicos%20da%20p iscicultura%20são ,o%20prato%20final%20do%20consumidor.

Published

21/04/2021

How to Cite

PEREIRA JUNIOR, A.; OLIVEIRA, M. M.; FEITOSA, S. G. Quantitative and qualitative evaluation of fish waste in three open markets, Marabá, Pará. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e51310414417, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.14417. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14417. Acesso em: 7 may. 2021.

Issue

Section

Engineerings