The importance of Food and Nutrition Education as a strategy for hypertensive elderly: An integrative review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.17832

Keywords:

Hypertension; Seniors; Food and nutrition education.

Abstract

Food and nutrition education is an important tool whose primary objective is to provide all people who use them with physical well-being, in addition to preventing the onset or worsening of pathologies, thus making possible greater longevity with maximum quality of life. The present study is an integrative review prepared methodologically according to the Manual of Methodological Guidelines of the Ministry of Health and the assistance of Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses Protocols. The search process was carried out in The Scientific Electronic Library Online, Virtual Health Library and PubMed (National Library of Medicine) databases, with use in the period corresponding to the months of January to June 2021. The results found through the electronic search in the databases totaled 8 articles. As for the discussions, the aim is to facilitate the understanding of the importance of food and nutrition education for the elderly. It is concluded that Food and Nutrition Education can act actively in the human aging process and can be considered a strategy to promote adequate and healthy eating, and thus promote health and quality of life, working with interdisciplinary and active tools aimed at the elderly in the context of Systemic Arterial Hypertension.

Author Biographies

Sâmia Camille Correia Lima, Faculdade do Vale do Jaguaribe

Discente do curso de nutrição da Faculdade do Vale do Jaguaribe

Cristiane Souto Almeida , Faculdade do Vale do Jaguaribe

Nutricionista,Professor univirsitária, Mestre em saúde coletiva (UECE).

Livia Viviane Guimarães do Couto , Faculdade do Vale do Jaguaribe

Nutricionista, Professora universitária,Especialista em nutrição clinica e terapia nutricional/ FVJ,Mestre em saúde e sociedade / Uern.

Jamille de Lima Santos, Escola de Saúde Pública do Ceará

Nutricionista,Residência em Cancerologia pela Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE). Residência em Saúde da Família e Comunidade pela ESP/CE. Pós-graduada em Nutrição Funcional e Fitoterapia pela Faculdade de Quixeramobim (UNIQ).

Marcília Ingrid Lima Barroso Nunes, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Profissional de educação física, Professora universitária, Especialista em Fisiologia do Exercício e Treinamento Funcional/FVJ, Mestranda em saúde e sociedade/UERN.

Silvana Medeiros de Araújo, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Profissional de Educação Física,Especialista em Fisiologia do Exercício e Treinamento Funcional/FVJ, Mestre em Saúde e Sociedade/UERN.

Paloma Katlheen Moura Melo, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Nutricionista, Professora universitária, Especialista em atenção básica/ saúde da família e comunidade/UERN, Mestre em Saúde e Sociedade/UERN. Doutoranda em Ciências Fisiológicas/UERN.

References

Alencar, A. P. A. et al (2016). Impacto do programa mais médicos na atenção básica de um município do sertão central nordestino. Revista Eletrônica Gestão & Sociedade, 10, 1290-1301

Alencar, M. S. S., Barros, J. F. O. & Carvalho, C. M. R. G. (2008). Os aportes sócio-políticos da educação nutricional na perspectiva de um envelhecimento saudável. Revista de Nutrição, 21, 369-381

Assis, Mônica de (Org.). et al. (2002). Promoção da saúde e envelhecimento: orientações para o desenvolvimento de ações educativas com idosos. CRDE UnATI UERJ,.

Boog, M. C. F. (2013). Educação em Nutrição: integrando experiências. Komedi.

Brasil. (2012a). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Ministério da Saúde,

Brasil. (2012b). Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para as Políticas Públicas. Ministério da Saúde.

Brasil. (2013). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN). Ministério da Saúde.

Brasil. (2013). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica/ Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde,.128 p.: il. (Cadernos de Atenção Básica, n. 37).

Cervato, Ana Maria et al. (2005). Educação nutricional para adultos e idosos: uma experiência positiva em Universidade Aberta para a Terceira Idade. Revista de Nutrição, 18, 41-52

Corbett, Mark S., Higgins, Julian P.T. & Woolacott, Nerys F. (2014). Assessing baseline imbalance in randomised trials: implications for the Cochrane risk of bias tool. Research Synthesis Methods, 5, 79-85.

Criscuolo, Carolina. (2009). Contribuições da educação nutricional junto a um grupo de idosos. 199 f. Tese (Mestrado em Alimentos e Nutrição) – Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara.

Duarte, L. T. (2008). Envelhecimento: processo biopsicossocial. Trabalho de Conclusão de Curso Virtual (“Educación para el Envejecimento”) – TIEMPO (El portal de Lapsico gerontoilogía).

Ferreira, Lucas L. et al. (2012). Perfil sociodemográfico e funcional de idosos institucionalizados. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, 17, 373-386.

Ferreira, O. G. L., Maciel, S. C., Costa, S. M. G., Silva, A. O. & Moreira, M. A. S. P. (2012). Envelhecimento Ativo E Sua Relação Com A Independência Funcional. Texto Contexto Enferm, 21, 513-8

França, C. J. & Carvalho, V. C. H. S. (2017). Estratégias de educação alimentar e nutricional na Atenção Primária à Saúde: uma revisão de literatura. Saúde Debate, 41, 932-948

Greenwood, S. A. & Fonseca, A. B. (2016). Espaços e caminhos da educação alimentar e nutricional no livro didático. Ciência e Educação. 22, 201-218.

Hardt, Ana Carolina et al. (2006). Um olhar a terceira idade: promovendo nutrição e saúde no asilo Irmão Joaquim. In: Encontro Nacional Dos Grupos Pet, 11., 2006, Florianópolis. Anais. Editora UFSC.

Henriques, K. C. A., Figueiredo, P., Goyatá, S. L. T., Terra, F. S. & Loureço, D. S. (2015). Plano de ação alimentar e nutricional da pessoa idosa. Revista Baiana de Enfermagem, 29, 50-58

Higgins, Julian P. T. et al. (2011). The Cochrane Collaboration’s tool for assessing risk of bias in randomised trials. Bmj, 343, d5928.

Jaime, P. C. et al. (2011). Ações de alimentação e nutrição na atenção básica: a experiência de organização no Governo Brasileiro. Revista de Nutrição, 24, 809-824

Lima, A. M. P., Ramos, J. L. S., Bezerra, I. M. P., Rocha, R. P. B., Batista, H. M. T. & Pinheiro, W. R. (2016). Depressão em idosos: uma revisão sistemática da literatura. R Epidemiol Control Infec, 6, 97-103.

Lima, F. K. S. M. & Pietsak, E. F. (2016). Saúde do idoso: atividade física, alimentação e qualidade de vida. Revista Extendere, 4, 49-62

Lopes, Livia Amaral Alonso. (2016). Risco de viés em ensaios controlados randomizados de intervenções farmacêuticas.

Martins, A. B. et al. (2014). Atenção Primária à Saúde voltada as necessidades dos idosos: da teoria à prática. Ciência & Saúde Coletiva, 19, 3403-3416

Martins, J. F. M. S. & Fé, M. A. M. (2020). Intervenção nutricional em idosos hipertensos pertencentes à unidade básica de saúde lagoa. Paulistana (PI).

Miranda, R. N. A., Carvalho, E. P., Amorim, Y. R., Santos, K. S. & Serrão, F. O. (2017). Conhecendo a saúde Nutricional de idosos Atendidos em uma

Organização não Governamental, Benevides / PA. Revista Conexão UEPG, 13, 512-29

Najas, M. S. & Nebuloni, C. C. (2005). Avaliação Nutricional. In: Ramos LR, Toniolo NJ. Geriatria e Geontologia. Manole

Nascente, F. M. N., Jardim, P. C. B. V., Peixoto, M. R. G., Monego, E. T., Moreira, H. G., Vitorino, P. V. O., Souza, W. K. S. B. & Scala, L. N. (2010). Hipertensão arterial e sua correlação com alguns fatores de risco em cidade brasileira de pequeno porte. Arquivos Brasileiros de Cardiológicos. 95 Epub.

Oliveira, M. A. C. & Pereira, I. C. (2013). Atributos essenciais da Atenção Primária e a Estratégia Saúde da Família. Revisa Brasileira de Enfermagem, 66, 158-164

Santos, H. A., Gomes, S. C. S. & Lima, R. J. C. P. (2018). Educação em saúde: uma estratégia no cuidado com idosos hipertensos. Pesquisa em Foco, 23, 194-206

Santos, R. D., Gagliardi, A. C. M., Magnoni, X. H. T. & Magnoni, C. D. et al. (2013). I Diretriz sobre o consumo de gorduras e saúde cardiovascular. Arq. Bras. Cardiol. 100

Sociedade Brasileira De Cardiologia - SBC. (2016). VII Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arq. Bras. de Cardiol, 7, 1-103.

Shea, Beverley J. et al. (2017). AMSTAR 2: a critical appraisal tool for systematic reviews that include randomised or non-randomised studies of healthcare interventions, or both. bmj, 358, j4008.

Shea, Beverley J. et al. (2009). AMSTAR é uma ferramenta de medição confiável e válida para avaliar a qualidade metodológica de revisões sistemáticas. Jornal de epidemiologia clínica, 62, 1013-1020.

Souza, P. C. D., Amorim, G. V. Q., Lima, A. A. F., Temoteo, M. A. S. & Araújo, I. L. S. B. (2018). Impacto de ações de educação alimentar e nutricional no perfil antropométrico e consumo alimentar de hipertensos. Revista eletrônica Estácio Recife, 4, 1-11.

White, H. J. & León, L. M. (2014). Orientações nutricionais em serviços de saúde: a percepção de idosos portadores de hipertensão e diabetes. Demetra, 9, 867-880.

Published

21/07/2021

How to Cite

LIMA, S. C. C. .; ALMEIDA , C. S. .; COUTO , L. V. G. do .; SANTOS, J. de L. .; NUNES, M. I. L. B. .; ARAÚJO, S. M. de .; MELO, P. K. M. . The importance of Food and Nutrition Education as a strategy for hypertensive elderly: An integrative review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e8010917832, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.17832. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/17832. Acesso em: 26 sep. 2021.

Issue

Section

Health Sciences