Analysis of the quality of data from the Compulsory Notification Forms of Dengue and Chikungunya

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.18172

Keywords:

Compulsory notification; Dengue; Chikungunya fever; Continuing education.

Abstract

Notification forms are important documents as they contain information that composes epidemiological and statistical data responsible for indicators of health, prevention and disease control. Dengue and Chikungunya have generated great concerns in relation to public health worldwide, which reinforces and highlights the importance of health education actions about these diseases. The objective of this study is to analyze the data quality of the Compulsory Notification Forms for Dengue and Chikungunya, aiming to present strategies for actions in Permanent Health Education (EPS). The research method was chosen through quantitative and documentary study. Data collection was carried out on 1,934 Individual Notification Forms (FNI), Notification/Conclusion Forms and Investigation Forms for Dengue and Chikungunya Fever, which were filled in from January 1st to December 31st, 2019 in a municipality of the metropolitan region of Rio de Janeiro. The most reported disease was Chikungunya, present in 77.5% of the notifications, and the main notifying professional is the Nurse, responsible for 43.1% of the records. Only 0.8% of the notification forms are filled out completely correctly and, of the 71 variables surveyed, 29 showed failures in filling out. The percentage of duplicate records is 12.1%. The need for interventions to improve the quality of notifications is real and evident, as well as the creation of strategies in EPS, to raise awareness, encourage and provide structure for professionals to perform the notification with greater richness and quality of data.

References

Abath, M. B. et al. (2014). Avaliação da completitude, da consistência e da duplicidade de registros de violência do Sinan em Recife, Pernambuco, 2009-2012. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 23(1),131-142.

Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742014000100013&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 27 nov. 2019.

Andrade, S. R. et al. (2018). Análise documental nas teses de enfermagem: técnica de coleta de dados e métodos de pesquisa. Cogitare Enfermagem, (23)1, e53598.

Disponível em: Doi http://dx.doi.org/105380/ce.v23i1.53598. Acesso em: 18 fev. 2021.

Assis, V. C.; Amaral, M. P. H. & Mendonça, A. E. (2014). Análise da qualidade das notificações de dengue informadas no sistema de informação de agravos de notificação, na epidemia de 2010, em uma cidade polo da Zona da Mata do Estado de Minas Gerais. Rev. APS. 17(4), 429-437.

Brasil (1975). Ministério da Saúde. Lei n.º 6.259, de 30 de outubro de 1975. Dispõe sobre as organizações de Vigilância Epidemiológica, sobre o Programa Nacional de Imunizações, estabelece normas relativas à notificação compulsória de doenças, e dá outras providências.

Disponível em: <http://www.portalsinan.saude.gov.br/images/documentos/Legislacoes/Decreto_78231.pdf> Acesso em: 11 jun. 2019.

Brasil (2004). Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria n.º 2.529, de 23 de novembro de 2004. Institui o Subsistema Nacional de Vigilância Epidemiológica em Âmbito Hospitalar, integrando o Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica.

Disponível em: <http://www.saude.sp.gov.br/resources/cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/areas-de- vigilancia/nucleo-hospitalar-de-epidemiologia/nhe_portaria25292004.pdf> Acesso em: 09 jun. 2019.

Brasil (2006). Ministério da Saúde. Ficha de Notificação - Instruções para Preenchimento. Sinan Net.

Disponível em: http://portalsinan.saude.gov.br/images/documentos/Agravos/NINDIV/Notificacao_Individual_v5_instr.pdf> Acesso em: 28 set. 2020.

Brasil (2007). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Sistemas de Informações de Agravos de Notificações – Sinan: normas e rotinas. 2ed.

Disponível em: http://portalsinan.saude.gov.br/images/documentos/Portarias/Manual_Normas_e_Rotinas.pdf> Acesso em: 02 abr. 2020.

Brasil (2017a). Ministério da Saúde. Portaria de Consolidação nº 4, de 28 de setembro de 2017. Dispõe sobre a consolidação das normas sobre os sistemas e subsistemas do Sistema Único de Saúde.

Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prc0004_03_10_2017.html> Acesso em: 01 out. 2020.

Brasil (2017b). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Chikungunya: manejo clínico.

Disponível em: chikungunya_manejo_clinico.pdf (saude.gov.br)> Acesso em: 07 abr. 2021.

Brasil (2019a). Ministério da Saúde. Sistema de Vigilância em Saúde. Roteiro para o uso do Sinan Net, análise da qualidade da base de dados e cálculo de indicadores epidemiológicos e operacionais.

Disponível em: http://www.portalsinan.saude.gov.br/images/documentos/Agravos/Violencia/CADERNO_ANALISE_SINAN_Marco_2019_V1.pdf> Acesso em: 29 set. 2020.

Brasil (2019b). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de Vigilância em Saúde: volume único. 3ed.

Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2019/junho/25/guia-vigilancia-saude-volume-unico-3ed.pdf> Acesso em: 01 out. 2020.

Brasil (2019c). Ministério da Saúde. Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente. Arboviroses e gestação: Vigilância em Saúde e Assistência. Postagem em: 13 fev. 2020.

Disponível em: https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/atencao-mulher/arboviroses-e-gestacao-vigilancia-em-saude-e-assistencia/> Acesso em: 01 out. 2020.

Brasil (2020). Ministério da Saúde. Sistema de informações de Agravos de Notificação.

Disponível em: http://portalsinan.saude.gov.br/notificacoes> Acesso em: 28 set. 2020.

Costa, E. M. S. et al (2018). Avaliação da implantação do Programa de Controle da Dengue em dois municípios fronteiriços do estado de Mato Grosso do Sul, Brasil, 2016. Epidemol. Serv. Saúde. 27(4), e2017478.

Disponível em: Doi 10.5123/S1679-49742018000400007>. Acesso em: 23 mar. 2021.

Duarte, H. H. P. & Franca, E. B. (2018). Qualidade dos dados da vigilância epidemiológica da dengue em Belo Horizonte, MG. Rev. Saúde Pública. 40(1), 134-142. Documento eletrônico.

Disponível em: Doi http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910200600010002> Acesso em:05 dez. 2019.

Favero, L. P. et al (2009). Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Elsevier.

Ferreira, L. P. et al. (2018). Distúrbio de voz relacionado ao trabalho: proposta de uma ficha de notificação individual. Distúrb. Comum., 30(1), 170-178.

Disponível em: <https://doi.org/10.23925/2176-2724.2018v30i1p170-178> Acesso em: 07 jun. 2019.

Freire, P. (1989). Educação como prática da liberdade. 19ed. Paz e Terra.

Freitas, R. J. M. et al (2017). Atuação dos enfermeiros na identificação e notificação dos casos de violência contra a mulher. HU Revista. 43(2), 91-97.

Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/2585/pdf_1>. Acesso em: 19 fev. 2021.

Honório, N. A. et al (2015). Chikungunya: uma arbovirose em estabelecimento e expansão no Brasil. Cad. Saúde Pública. 31(5), 906-908.

Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2015000500003&lng=pt&nrm=iso> Acesso em: 11 fev. 2021.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2021). Cidades e Estados.

Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/rj/itaborai.html?>. Acesso em: 06 abr. 2021.

Marques, C. A. et al. (2020). Avaliação da não completude das notificações compulsórias de dengue registradas por município de pequeno porte no Brasil. Ciências e Saúde Coletiva. 25(3), 891-900.

Disponível em: Doi 10.1590/1413-81232020253.16162018. Acesso em: 02 abr. 2020.

Melo, M. A. S. et al. (2018). Percepção dos profissionais de saúde sobre os fatores associados à subnotificação no Sistema Nacional de Agravos de Notificação. Rev. Adm. Saúde.18(71), 1-17.

Disponível em: http://dx.doi.org/10.23973/ras.71.104. Acesso em: 28 set. 2020.

Muguande, O. F. et al (2011). Avaliação da qualidade do Sistema de Vigilância Epidemiológica de Doença de Chagas Aguda em Minas Gerais, 2005-2008. Epidemiol. Serv. Saúde. 20(3), 317-325. Documento eletrônico.

Disponível em: Doi 10.5123/S1679-49742011000300006> Acesso em: 05 dez. 2019.

Oliveira, M. E. P. et al (2009). Avaliação da completitude dos registros de febre tifoide notificados no SINAN pela Bahia. Epidemiol. Serv. Saúde. 18(3), 219-226. Documento eletrônico.

Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/pdf/ess/v18n3/v18n3a04.pdf> Acesso em: 12 fev. 2021.

Pereira, J. C. et al (2015). Perfil e seguimento dos pacientes com tuberculose em município prioritário no Brasil. Rev. Saúde Pública. 49(6), 1-12. Documento eletrônico.

Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910.2015049005304>. Acesso em: 05 dez. 2019.

Pimentel, A. (2001). O método da análise documental: seu uso numa pesquisa historiográfica. Cadernos de Pesquisa. 114, 183. Documento eletrônico.

Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/n114/a08n114> Acesso em: 05 dez. 2019.

Santos, C. V. B. & Brandespim, D. F. (2018). Características dos Recursos Humanos e desafios no trabalho de coordenadores de Vigilância em Saúde no interior de Pernambuco. Vigil. sanit. debate. 6(2), 54-60.

Disponível em: https://doi.org/10.22239/2317-269x.01027> Acesso em: 02 abr. 2020.

Silva Júnior, S. H. A. S. et al. (2016). Descrição dos registros repetidos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação, Brasil, 2008-2009. Epidemiol Serv Saúde. 25(3), 487-98.

Disponível em: Doi 10.5123/S1679-49742016000300005. Acesso em: 27 jul. 2020.

Souza, L. F. M. et al (2017). Análise dos casos de notificação de sífilis congênita em um hospital de referência de Niterói, 2008-2015. DST - Jornal Bras. Doenças Sex. Transm. 29(1), 17-21.

Disponível em: <10.5533/DST-2177-8264-201729105> Acesso em: 07 jun. 2019.

Triola, M. F. (2018). Introdução à Estatística. 10ed. LTC.

Published

29/07/2021

How to Cite

FELICIANO, T. .; CORDEIRO, B. C. . Analysis of the quality of data from the Compulsory Notification Forms of Dengue and Chikungunya. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e40810918172, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.18172. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18172. Acesso em: 20 sep. 2021.

Issue

Section

Health Sciences