Teacher training in focus: Brief historical overview, access and permanence

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.18405

Keywords:

Degrees; Policies; Access and permanence.

Abstract

It seems a cliché to talk about teacher training, more precisely about teacher education policies. For years, the degree course has been under different approaches, transmuting among different objectives, practices, curricula and professional profiles, according to current ideas that correspond to the transitory needs of governments. Currently, some advances have taken place in terms of rethinking degrees from the perspective of access and permanence, but there are still many gaps to be unraveled. Thus, from a bibliographical survey, this study aimed to discuss issues about teaching through a brief overview on its existence, some necessary differences between the degree and the baccalaureate, seeking to consolidate an identity as being endowed with the same rigors as other courses of graduation. And, finally, to point out some policies to strengthen demand, entry and permanence in the area of education in a purposefully superficial perspective in order to provoke debate in broader dimensions in the future. It could be verified then that, despite a very superficial genesis and the cooling of discourses of valuing teaching throughout history, teacher training has always gone through a fine line between emancipatory and mechanistic conceptions, but it continues to resist in the affirmation of its identity is marked by the indispensability of being at the center of debates at the micro and macro levels.

Author Biography

Gilmara Gonçalves Santos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais

Técnica em Assuntos Educacionais do IFNMG - Campus Araçuaí

References

Arruda, R. (Org.) (2017). Trabalho, subjetividade e formação humana em tempos de reestruturação do capitalismo. Rio de Janeiro: UERJ – LPP.

Burggrever, T., & Mormul, N. M. (2017). A importância do PIBID na formação inicial de professores: um olhar a partir do subprojeto de geografia da UNIOESTE-Francisco Beltrão. Revista de Ensino de Geografia, 8 (15), 98-122.

Correa, P. M. (2011). O paradigma da educação brasileira nas décadas de 70, 80 e 90. Artigonal. http://www.artigonal.com/ciencia-artigos/o-paradigma-da-educacao-brasileira-nas-decadas-de-70-80-e-90-4230215.html

Freitas, H. C. L. de. (2002). Formação de professores no Brasil: 10 anos de embate entre projetos de formação. Revista Educação e Sociedade, 23 (80), 136-167.

Godoy. A. S. (1995). Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de administração de Empresas, 35 (3), 20-29. https://www.scielo.br/j/rae/a/ZX4cTGrqYfVhr7LvVyDBgdb/?lang=pt&format=pdf

Guedes, N. C., & Ferreira, M. S. (2002). História e construção da profissionalização nos cursos de licenciaturas. Website da Sociedade Brasileira de História da Educação. http://sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe2/pdfs/Tema3/3112.pdf

Lei 4.024, de 20 de dezembro de 1961. (1961). Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF.

Lei n. 5.692, de 11 de agosto de 1971. (1971). Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências. República Federativa do Brasil, Brasília, DF.

Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001. (2001). Dispõe sobre o Fundo de Financiamento ao estudante do Ensino Superior e dá outras providências. Brasília, DF.

Lei nº 11.096, de 13 de janeiro de 2005. (2005). Institui o Programa Universidade para Todos - PROUNI, regula a atuação de entidades beneficentes de assistência social no ensino superior; altera a Lei no 10.891, de 9 de julho de 2004, e dá outras providências. Brasília, DF.

Libâneo, J. C. (2011). Adeus professor, adeus professora?: novas exigências educacionais e profissão docente. (13a ed.). São Paulo: Cortez.

Libâneo, J. C., Oliveira, J.F. de., & Toschi, M. S. (2012). Educação escolar: políticas, estrutura e organização. (10a ed.). São Paulo: Cortez.

Luckesi, C.C. (2011). Filosofia da educação. (3a ed). São Paulo: Cortez.

Martins, J. (2010). A pesquisa qualitativa. In FAZENDA, I. (Org). Metodologia da pesquisa educacional. (12a ed.). São Paulo: Cortez.

Marx, K. (2011). O 18 Brumário de Luís Bonaparte. São Paulo: Boitempo.

Morin, E. (2015). Introdução ao pensamento complexo. (5a ed.). Porto Alegre: Sulina.

Penin, S. T. de. S. (2002). Profissão Docente. Salto para o futuro, (14), 2-9. http://portaldoprofessor.mec.gov.br/storage/materiais/0000012181.pdf

Pereira, J. E. D. (1999). As licenciaturas e as novas políticas educacionais para a formação docente. Revista Educação e Sociedade, 20 (68), 109-125.

Pereira, J. E. D. (2000). Formação de professores: pesquisa, representações e poder. (1a ed.). Belo Horizonte: Autêntica,

Saviani, D. (1983). Educação: do senso comum à consciência filosófica. (3a ed.). São Paulo: Cortez.

Severino, A. J. (2007). Metodologia do trabalho científico. (23a ed.). São Paulo: Cortez.

Silveira, V. F. da., & Silva; I. F. (2009). Graduação, a escolha entre licenciatura e bacharelado. Website da Universidade Estadual de Londrina. http://www.uel.br/grupoestudo/gaes/pages/arquivos/GT4%20Artigo%20Vanessa%20Ferreira%20Graduacao%20a%20escolha.pdf

Souza, H. J. de. (2014). Como se faz análise de conjuntura. (34a ed). Petrópolis – RJ: Vozes.

Published

01/08/2021

How to Cite

PEREIRA, G. A. F.; SANTOS, G. G. Teacher training in focus: Brief historical overview, access and permanence. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e55010918405, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.18405. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18405. Acesso em: 18 sep. 2021.

Issue

Section

Review Article