Depression in institutionalized elderly

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18620

Keywords:

Depression; Elderly; Institutionalization.

Abstract

With the demographic transition that took place in Brazil and in the world, there was a reduction in mortality and an increase in longevity, evidencing a population composed of elderly people. Depression affects a good portion of the elderly, especially those living in long-term care facilities (ILP), far from their families. The general objective of this study was to investigate the main factors associated with depression in institutionalized elderly people. It was an integrative review. The search strategy was carried out in computerized databases with free access to search for scientific articles, made available by the Virtual Health Library (BVS), Academic Google (GA), and the CAPES Journal Portal, from January to April 2020, using the following descriptors: “depression”. “elderly” and “institutionalization” with the Boolean operator “AND” for the specificity of the bibliographic survey. The inclusion criteria defined for the selection were: articles published in Portuguese that portrayed the theme, published and indexed in the aforementioned databases in the last five years, excluding those that were not available in full. A total of 234 articles were obtained, but according to the established inclusion and exclusion criteria, 10 studies were selected to make up the final sample. It was found that depression in institutionalized elderly is a reality, as well as the presence of various comorbidities, functional disability, little engagement in activities and little social participation, are factors that influence depression and, therefore, the quality of life of these subjects. It was concluded that the length of institutionalization, the lack of interpersonal relationships and loneliness constituted risk factors for depression.

References

Alves, M. B., et al,. (2017) Instituições de longa permanência para idosos: aspectos físico-estruturais e organizacionais. Esc. Anna Nery, 21(4), 01.

Belasco, A. G., & Okuno, M. F. P. Realidade e desafios para o envelhecimento. REBEn - Rev. Bras. Enfermagem, 72, 1- 2.

Confortin, S. C. et al. (2017). Condições de vida e saúde de idosos: resultados do estudo de coorte EpiFloripa Idoso. Epidemiol. Serv. Saúde, 26, 305-317.

Damasceno, D. G., Chivelli, C. A., & Lazinini, M. Q. (2019). Cuidando de idosos institucionalizados: representações de gestores e profissionais. Esc. Anna Nery, 23, 01.

Fagundes, K. V. D. L. et al.. (2017). Instituições de longa permanência como alternativa no acolhimento das pessoas idosas. Rev. Salud Pública, 19, 210-214, 2017.

Frutuoso, E. A. et al. (2019). Idosos institucionalizados e depressão: rastreamento dos sintomas. Enfermagem Brasil, 18, 422-429.

Gullich, I., Duro, S. M. S., & Cesar, J. A. (2016). Depressão entre idosos: um estudo de base populacional no Sul do Brasil. Rev. Bras. Epidemiologia, 19, 691-701,

Guimarães, L. A. et al.,(2019). Sintomas depressivos e fatores associados em idosos residentes em instituição de longa permanência. Ciênc. Saúde Coletiva, 24, 3275 – 3282,

Hartmann Junior, J. A. S., & Gomes, G. C. (2016). Depressão em idosos institucionalizados: padrões cognitivos e qualidade de vida. Ciências & Cognição, 21, 137-154.

Kratz, V. C. L. et al., (2018). Promoção de saúde de idosos institucionalizados e crenças quanto ao envelhecer: projeto intergeracional. Revista Saúde e Pesquisa, 11, 277-286.

Lampert, C. D. T., & Ferreira, V. R. T. (2018). Fatores associados à sintomatologia depressiva em idosos. Aval. Psicol. Itatiba, 17, 205 – 212.

Lopes, V. M. et al.,(2018). O que levou os idosos a institucionalização. Rev. Enferm UFPE, 12. 2428 – 2435.

Magalhães J. M. et al., (2016). Depressão em idosos na estratégia saúde da família: uma contribuição para a atenção primária. REME – Rev. Min Enfermagem, 20 e947,.01.

Maia, R. P. et all. Depressão em idosos institucionalizados. Temas em Saúde, 20, 314 – 326.

Martins, E. F., & Guimarães, F. P., (2017). Perfil dos idosos de uma instituição de longa permanência de uma cidade do interior de Minas Gerais. Rev. Brasileira de Ciências da Vida, 5, 01 – 22.

Matias, A. G. C. et al.(2016). Indicadores de depressão em idosos e os diferentes métodos de rastreamento. Einstein, 14, 6 - 11.

Melo, L. A. et al., (2018). Fragilidade, sintomas depressivos e qualidade de vida: um estudo com idosos institucionalizados. Rev baiana enfermagem, 32, 01- 09.

Miranda, G. M. D., Mendes, A. C. G., & Silva, A. L. A. (2016). O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Rev.bras. geriatr. Gerontol. 19, 507-519.

Moraes, B. S. et al., (2016). Sintomas da depressão associada ao abandono em idosos institucionalizados nos municípios de Firminópolis e São Luís De Montes Belos-Goiás. Revista Faculdade Montes Belos, 9, 106-141.

Nóbrega, I. P., Leal, M. C. C., & Marques, A. P. O. (2016). Prevalência de sintomas depressivos e fatores associados em idosos institucionalizados no município de Recife, Pernambuco. Estud. Interdiscipl. Envelhec. 21, 135-154.

Pinheiro, N. C. G. et al., (2016). Desigualdade no perfil dos idosos institucionalizados na cidade de Natal, Brasil. Ciênc. Saúde coletiva, 21, 3399 – 3405.

Raldi, G. V., Cantele, A. B., & Palmeiras, G. B. (2016). Avaliação da prevalência de depressão em idosos institucionalizados em uma ILPI no norte do RS. Revista de Enfermagem, 12, 48-63.

Silva, C. S. et al., (2016) A prevalência e alguns fatores de depressão em idosos institucionalizados. PUC – Goiás, 01 – 24.

Souza, M. T., Silva, M. D. & Carvalho, R. (2010) Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, 8, 102 – 106.

Veras, R. P., & Oliveira, M. (2018). Envelhecer no Brasil: a construção de um modelo de cuidado. Ciênc. saúde coletiva, 23, 1929 - 1936.

Published

18/08/2021

How to Cite

OLIVEIRA, A. S. S. .; MENDES, A. L. R. .; BRITO , S. F. L. de .; CORREIA, R. F. de O. .; RAMOS , L. P. A. .; NOLÊTO, B. C. .; MEDEIROS , S. B. de .; NASCIMENTO, I. do .; OLIVEIRA, I. F. de .; CAVALCANTE, A. L. .; CAVALCANTE, S. S. .; MACÊDO, F. de O. A. .; CARVALHO, G. D. .; NEVES, S. M. V. . Depression in institutionalized elderly . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e130101018620, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18620. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18620. Acesso em: 5 dec. 2021.

Issue

Section

Review Article