Actions to combat racism in football in the early decades of the 21st century

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18721

Keywords:

Racism; Soccer; Anti-racist practices.

Abstract

This essay is an attempt to rewrite and analyze the process of building of the social representations in relation to the inclusion and rise of the black players mestizo in Brazilian soccer. Initially discussed with an attempt of understand the reproduction process of social representations about racism, from the media language and cases exposed by some players who were victims of the acts. Presenting framework with the most influential actions that have been developed over the years of combat and punishment against racial acts. In conclusion that social representation about of Brazilian soccer has been transformed since the beginning of the century; however, elements of the anterior central core are still present and manifest from the moment they compare with the criticism made of white players and those made of black and mestizo players. As critics directed at whites focus mainly on the athletic, while those directed at blacks and mestizos focus on the individual; that is; they are ethnic criticism. With this, let's investigate the expressions of this act and what these attitudes cause in the lives of athletes.

References

Abrahão, B. O. de L. (2010). O “preconceito de marca” e a ambiguidade do “racismo à brasileira” no futebol. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Universidade Gama Filho.

Bourdieu, P. (1983). Como é possível ser esportivo. In: Questões de Sociologia. Marco Zero.

Cavalcanti, E. A. & Capraro, A. M. (2009). Racismo no Futebol Sul-Americano: o caso Grafite versus Desábato/Racism in South American Soccer: Grafite Versus Desábato Case. Motriz. 15, 741-748.

Cervi, T. A. N. (2014). Intolerância e racismo no futebol: a racialização do outro. Revista eletrônica de jornalismo científico.

Fraga, G. W. (2009) “A derrota do Jeca” na imprensa brasileira: Nacionalismo, Civilização e Futebol na Copa do Mundo de 1950.Tese (Doutorado), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Gil, A. C. (1999).Métodos e técnicas de pesquisa social. (5aed.), Atlas.

Gil, A.C.(2002). Como elaborar projetos de pesquisa. (4a ed.), Editora Atlas S/A.

Gordon Junior, C. C. (2016). Eu já fui preto e sei o que é isso: história social dos negros no futebol brasileiro- segundo tempo. Pesquisa de Campo/Revista do Núcleo de Sociologia do Futebol, n.3/4, p.65-78.

Hatje, M. (2016) Grande Imprensa: Valores e/ou características veiculadas por jornais brasileiros para descrever a participação da seleção brasileira de futebol na Copa do Mundo de 1958: Tese (Doutorado em Educação Física). Santa Maria: PPG/Ciênciado Movimento Humano, Centro de Educação Física e Desporto, UFSM, 2016.

Huber, F. (2006). Racismo no futebol: Considerado um momento de união e de igualdade entre as pessoas, o futebol também traz casos de preconceito racial em sua história. Revista Eclética.

Ibarra, E. (2013). Os crimes de ódio. Pele e violência neonazista no Brasil. HLTC.

Luccas , A. (1998). Futebol e torcidas: Um estudo psicanalítico sobre o vínculo social Dissertação de mestrado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Mackedanz, C. F., Ferreira, E. T., Silva, G. G. da, Bender, L. B., Afonso, M. da R., & Rigo, L. C. (2021). O Negro no Futebol Brasileiro: Uma Revisão Sistemática a partir de Periódicos Nacionais da EF. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 24(2), 147–172. https://doi.org/10.35699/2447-6218.2021.34897

Oliveira, Ana F. (2020). Racismo em campo: Futebol brasileiro foi moldado nas bases do racismo, que ate hoje permeia campos e arquibancadas. 2020.

Oliveira, M. M. (2007) Como fazer pesquisa qualitativa. Vozes.

Pena, S. D. J. & Birchal, T. de S. (2006). A inexistência biológica versus a existência social de raças humanas: pode a ciência instruir o etos social. Revista USP, 68, 10-21.

Sanson, V. F. (1989). Ética e trabalho. De Zorzi.

Santos, J. R. (2011). História política do futebol brasileiro. Brasiliense.

Skolaud, M. (2015). Raça e racismo na história do futebol brasileiro. In M. L. Silva (Org.), 21 textos para discutir preconceito em sala de aula (pp.112-117). Gazeta; EDUNISC.

Soares, A. J. (2002). A identidade nacional e o racismo no futebol brasileiro. In: Proni, M. W. & Lucena, R. (orgs.) Esporte: história e sociedade. Autores Associados.

Telles, E. (2013). Racismo à brasileira: uma nova perspectiva sociológica. Relume Dumará.

Tonini, M. D. (2016). Dentro e fora dos gramados: Histórias orais de vida de futebolistas brasileiros negros no continente europeu. Tese de Mestrado. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas de São Paulo.

Tubino, M. J. G. (1993) Uma visão paradigmática das perspectivas do esporte para o início do século XXI. In: MOREIRA, W. W. (org.) Educação física & esportes: perspectivas para o século XXI. Papirus.

Published

21/08/2021

How to Cite

OLIVEIRA, G. V. de .; ROCHA, L. S. .; SILVA, K. dos S. . Actions to combat racism in football in the early decades of the 21st century. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e597101018721, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18721. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18721. Acesso em: 27 oct. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences