Incidence of osteomuscular injuries related to the work of woodworkers in the Municipality of São João del-Rei and region

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18819

Keywords:

RSI/WRMD; Ergonomics; Worker's health; Ache.

Abstract

Repetitive Strain Injuries or Work-Related Musculoskeletal Disorders (RSI/WMSD) are related to precarious and exhausting working conditions. RSI/WMSD affect carpentry workers, presenting the following symptoms: localized pain, radiating pain, paresthesia, feeling of heaviness, fatigue, discomfort and loss of strength. In the municipality of São João Del-Rei and region, there is a large number of self-employed workers in carpentry. The aim of the study was to evaluate the incidence of RSI/WMSD in a sample of woodworkers from São João Del-Rei/MG and region. The study is of the original type, quantitative and has a cross-sectional design. The sample number was 29 woodworkers, who were submitted to the Nordic Musculoskeletal Symptoms Questionnaire (NMSQ). The inclusion criteria were to be carpentry workers in São João Del-Rei and region, who agreed to participate in the research and signed the Informed Consent Term. In the last 7 days, 24.14% (n=7) of the participants reported pain, and 48.83% (n=13) of these reported pain in the lower back. In the last 12 months, 27.59% (n=8) of the participants reported pain, and 37.93% (n=11) had pain in the wrist or right hand, 75.86% (n=22) in the region lumbar and 27.59% (n=8) in the ankles or feet. As for pain intensity on a scale of 1 to 10, mean pain intensity was 6.33 in the right elbow, 5.5 in the left elbow, 5 in the thoracic region, 6.1 in the lumbar region, 6 in the ankles or feet. The main complaints were pain in the lower back, cervical spine, ankles and feet. It is concluded that carpentry leads to joint and muscle overload, and ergonomic instructions can help maintain health at work.

References

Andrade, C. B., & Monteiro, M. I. (2007). Envelhecimento e capacidade para o trabalho dos trabalhadores de higiene e limpeza hospitalar. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 41, 237-244.

Arruda, M. B. R. (2013). Segurança do trabalho versus trabalho em segurança: um panorama sobre os confrontos administrativos e normas correlatas.

BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde Brasil 2018 uma análise de situação de saúde e das doenças e agravos crônicos: desafios e perspectivas. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador. Dor relacionada ao trabalho: lesões por esforços repetitivos (LER): distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (Dort) / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador. – Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2012.

BRASIL. Lei de Execução Penal, nº 7.210, de 11 julho de 1984. Brasília, DF.

BRASIL. Justiça do Trabalho - Tribunal Superior do Trabalho. Jornada de trabalho: conheça as particularidades. Disponível em: <https://www.tst.jus.br/ jornada-de-trabalho>. Acesso em: 26/04/21.

Chiavegato Filho, L. G., & Pereira Jr, A. (2004). LER/DORT: multifatorialidade etiológica e modelos explicativos. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 8(14), 149-162.

Colim, A., Arezes, P., Flores, P., & Braga, A. C. (2016). Differences in muscular activity between obese and non-obese workers during manual lifting. Dyna, 83(196), 55-62. . Available from <http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0012-73532016000200008&lng=en&nrm=iso>

Estrela, C. (2018). Metodologia Científica: Ciência, Ensino, Pesquisa. Editora Artes Médicas.

Maia, A. L. S., Saito, C. A., Oliveira, J. A., Bussacos, M. A., Maeno, M., Lorenzi, R. L., & Santos, S. A. D. (2015). Acidentes de trabalho no Brasil em 2013: comparação entre dados selecionados da Pesquisa Nacional de Saúde do IBGE (PNS) e do Anuário Estatístico da Previdência Social (AEPS) do Ministério da Previdência Social. Boletim Fundacentro de Estatísticas de Acidentes de Trabalho.

Matias, C. N., & Damázio, L. C. M. (2009). CORRELAÇÃO ENTRE A PREVALÊNCIA DE DOR E ALTERAÇÕES POSTURAIS EM TRABALHADORES DE UMA FÁBRICA DE MÓVEIS CORRELATION BETWEEN THE PREVALENCE OF PAIN AND POSTURAL CHANGES IN WORKERS OF A FURNITURE FACTORYA. Revista de Atenção à Saúde (ISSN 2359-4330), 7(20).

Mendinueta Martínez, M., & Herazo Beltrán, Y. (2014). Percepción de molestias musculoesqueléticas y riesgo postural en trabajadores de una institución de educación superior. Revista Salud Uninorte, 30(2), 170-179. . Available from <http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0120-55522014000200008&lng=en&nrm=iso>

MIRANDA, Luís Cunha; CARNIDE, Filomena; LOPES, Maria de Fátima. Lesões musculoesqueléticas relacionadas com o trabalho: Magnitude do problema a nível nacional. Disponível em: https://www.dgs.pt/ficheiros- de-upload-3/pncdr-proj_relatoriolmert-pdf.aspx. Acesso em: 10/03/2018.

Oliveira, M. A. S. D., Fernandes, R. D. S. C., & Daher, S. S. (2014). Impacto do exercício na dor crônica. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 20, 200-203.

Pereira A. S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [free e-book]. Santa Maria/RS.

Pinheiro, F. A., Tróccoli, B. T., & Carvalho, C. V. D. (2002). Validação do Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares como medida de morbidade. Revista de Saúde Pública, 36, 307-312.

Santos, M., & Almeida, A. (2016). Principais riscos e fatores de risco ocupacionais dos marceneiros e carpinteiros, bem como doenças profissionais associadas e medidas de proteção recomendadas. Revista Portuguesa de Saúde Ocupacional.

Serranheira, F.; Uva, A.S. & Jorge, E.S. (2009). Estratégia de Avaliação de lesões músculo-esqueléticas de membros superiores ligadas ao trabalho aplicada na indústria de abate de desmancha de carne em Portugal. Rev. Brasileira de Saúde Ocupacional, vol. 34, no 119, São Paulo, Jan./June 2009.

Serranheira, F., & Uva, A. S. (2010). LER/DORT: que métodos de avaliação do risco?. Revista Brasileira de saúde ocupacional, 35, 314-326.

Thetkathuek, A., & Meepradit, P. (2018). Work-related musculoskeletal disorders among workers in an MDF furniture factory in eastern Thailand. International Journal of Occupational Safety and Ergonomics, 24(2), 207-217.

Tostes da Costa, T., Ribeiro de Oliveira, F., & Bandim Mariano, T. R. (2018). Análise dos riscos ocupacionais no ambiente de trabalho de uma marcenaria. InterfacEHS, 13(1).

Uva, A.S., Carnide, F., Serranheira, F., Miranda, L., & Lopes, M.. (2008). Lesões musculoesqueléticas relacionadas com o trabalho: guia para a prevenção.

Viegas, L. R. T., & Almeida, M. M. C. D. (2016). Perfil epidemiológico dos casos de LER/DORT entre trabalhadores da indústria no Brasil no período de 2007 a 2013. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 41.

Zavarizzi, C. D. P., & Alencar, M. D. C. B. D. (2018). Afastamento do trabalho e os percursos terapêuticos de trabalhadores acometidos por LER/Dort. Saúde em Debate, 42, 113-124.

Published

06/08/2021

How to Cite

ALVES, F. R. F. .; ROMANHA, J. C. .; PIMENTA, R. H. de L. .; SILVA, J. G. L. da; COELHO FILHO, L. N. .; COUTINHO, P. N. B.; GOUVÊA, C. F. .; LIMA, G. S. de M. .; ALMEIDA, P. S. .; ALMEIDA, A. P. R. .; LANNA NETO, M. P. .; COSTA, J. A. de S. .; CHIAVEGATO FILHO, L. G. .; DAMÁZIO, L. C. M. . Incidence of osteomuscular injuries related to the work of woodworkers in the Municipality of São João del-Rei and region. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e108101018819, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18819. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18819. Acesso em: 20 oct. 2021.

Issue

Section

Health Sciences