Challenges for implementing the Systematization of Nursing Care in Intensive Care: an integrative review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20603

Keywords:

Intensive care unit; Nursing Process; Nursing services.

Abstract

The Systematization of Nursing Care (SAE) is crucial to providing safe nursing care, as it provides nurses with technical, scientific and human resources, in addition to improving the quality of care provided to the client. Thus, the Intensive Care Unit (ICU) is one of the most complex care units in a hospital. The present study aims to analyze the challenges of the nursing team for the implementation of SAE in ICUs. This is an Integrative Review. To search for publications, the following descriptors were selected: Intensive care unit; Nursing Process; Nursing Services, using the Boolean operator AND for the crossing of descriptors. The search was carried out online in January 2021, in the databases CINAHL, MEDLINE, LILACS e BDENF. After applying the inclusion and exclusion criteria, a final sample of 10 articles was obtained. Two thematic categories were elaborated: "Difficulties experienced by nurses in the process of systematizing care in the ICU" and "Challenges related to structuring the process in the implementation of SAE in the ICUs". Thus, several challenges were identified for the implementation of SAE in ICUs, such as: lack of theoretical knowledge, reduced number of professionals; overload of work, lack of time and poor preparation of the forms. Thus, the introduction of disciplines that include SAE in nursing degrees as well as greater involvement of the hospital institution contribute to the achievement of benefits for the institution and for patients, through the implementation of SAE in a competent and qualified manner.

References

Abreu, A. J. P (2020). Desafios da equipe de enfermagem para a implementação do processo de enfermagem em unidades de terapia intensiva: revisão integrativa [dissertação]. Fortaleza: Centro Universitário Fametro – UNIFAMETRO.

Almeida, S., et al (2016). Computerized nursing process in the Intensive Care Unit: ergonomics and usability. Rev Esc Enferm USP.;50(6):996-1002.

Andrade, P. M et al.(2019). Sistematização da assistência de enfermagem: vantagens e dificuldades na sua aplicação sob a ótica de enfermeiros. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 11, n. 8, p. e588.

Azevedo, O. A et al (2019). Documentation of the nursing process in public health institutions. Rev Esc Enferm USP. v. 53:e03471.

Brasil. Ministério da Saúde (2016). Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 510, de 07 de abril de 2016. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília, Diário Oficial da União.

Costa, A. C & Silva, J. V (2020). Significados de sistematização da assistência de enfermagem sob a ótica de enfermeiros. Revista Práxis. V.12, n. 23.

Gutierres, L. S et al (2018). Good practices for patient safety in the operating room: nurses' recommendations. Rev Bras Enferm [Internet]; v.71, n 6.

Martins, M. C. T & Chianca, T. C. M (2016). Construção de um software com o com o Processo de Enfermagem em Terapia Intensiva. J. Health Inform. outubro -dezembro; 8(4):119-125

Mendes, K.D.S & Silveira, R.C.C.P.& Galvão, C.M (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm, v. 14, n. 4, p. 758 – 764, out.-dez, .

Moser, D. C, et. al. (2018. Sistematização da Assistência de Enfermagem: percepção dos enfermeiros. Rev Fun Care Online. V. 10(4):998-1007.

Nery, I. S. & Santos, A. G.& Sampaio, M. R. F. B (2013). Dificuldades para a implantação Sistematização da Assistência de Enfermagem em maternidades. Enfermagem em Foco. Brasília, DF, v. 4, n. 1, p. 11-14.

Neto, J.P & Schulze, C.J (2015). Direito à saúde: análise à luz da judicialização. Porto Alegre: Verbo Jurídico. Disponível em: https://www.lexml.gov.br/urn/urn:lex:br:rede.virtual.bibliotecas:livro:2015;001051541.

Nunes, R. M, et. al (2019). Sistematização da assistência de enfermagem e os desafios para sua implantação na unidade de terapia intensiva: uma revisão de literatura. Rev UNINGÁ. 56(S2):80-93.

Oliveira, M. R, et. al (2019). Nursing care systematization: perceptions and knowledge of the Brazilian nursing. Rev Bras Enferm. V.72(6):1547-53.

Santos, M. G, et. al. (2020). Boas Práticas de Enfermagem na Unidade de Terapia Intensiva: Desenvolvimento o histórico de enfermagem. Enferm Foco. 10, 193–201.

Silva, A. M, et. al. (2021). Percepções dos enfermeiros acerca da implementação do processo de enfermagem em uma unidade intensiva Rev Gaúcha Enferm.

Silva, M. C. N.(2017) Sistematização da assistência de Enfermagem: desafio para a prática profissional. Enfermagem em Foco. V. 8 (3).

Swiger, P. A, et al. (2016). Nursing workload in the acute-care setting: a concept analysis of nursing workload. Nurs Outlook. V.64(3):244-54;

Ursi, E.S & Gavão C.M (2006). Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura. Rev. Latino-Am. Enfermagem [online].vol.14, n.1, pp.124-131. ISSN 1518-8345.

Viana, M. R. P, et al.(2018). A Operacionalização do Processo de Cuidar em Enfermagem em uma Unidade de Terapia Intensiva Materna. Rev Fund Care Online. v. 10(3):696-703.

Published

26/09/2021

How to Cite

SILVA, L. dos S.; ALVES, A. K. R.; SILVA, B. B. L. da; NOGUEIRA, F. . D.; ALVES, F. R. de O.; VASCONCELOS, I. S. de; SILVA, T. L.; LAVOR, S. de O. R. Challenges for implementing the Systematization of Nursing Care in Intensive Care: an integrative review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 12, p. e3711011220603, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i12.20603. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20603. Acesso em: 4 mar. 2024.

Issue

Section

Health Sciences