Characterization of backyards and socioeconomic aspects of residents who grow medicinal plants in a rural settlement

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.20976

Keywords:

Family farmers; Medicinal flora; Countryside; North Region.

Abstract

In rural areas, as in settlements in the Brazilian Amazon region, family farmers grow medicinal plants in their backyards as an option in view of the deficiency in providing adequate health services and necessary medicines, in search of benefits for food and health. From this context, the objective was to characterize backyards and the socioeconomic profile of residents of the São Francisco settlement, in Canutama - AM, in order to verify the local reality. It is a descriptive research, using a qualitative and quantitative approach. For the survey of primary data, semi-structured interviews were conducted with 32 residents, using the “snowball” technique. 238 records of medicinal plants found in backyards were obtained, with women receiving 137 citations, while men received 101 citations, with women and the elderly being responsible for maintenance. Despite socioeconomic gaps, respondents seek to grow medicinal plants in their backyards based on experiences, knowledge and physical characteristics of the region. However, attention is needed regarding the legitimacy, access and effective performance of public policies, in addition to the availability and efficiency of technical assistance, especially in the Amazon region, whose knowledge about the elements of nature and its dynamics is used as survival resource, which can be seen as a new way of facing the relationship between man and nature, applying sustainable use strategies in public health policies.

Author Biographies

Dayanne de Souza Carvalho, Instituto de Educação, Agricultura e Ambiente

Mestrado em Ciências Ambientais pelo Instituto de Educação, Agricultura e Ambiente (IEAA/UFAM). Graduação em Engenharia Ambiental pelo Instituto de Educação, Agricultura e Ambiente (IEAA/UFAM).

Milton César Costa Campos, Universidade Federal da Paraíba

Professor Associado II do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba. Pós-Doutorado em Engenharia de Água e Solo pela Universidade Estadual de Campinas. Doutorado em Agronomia (Ciências do Solo) pela Universidade Federal Rural de Pernambuco.

Janaína Paolucci Sales de Lima, Universidade Federal do Amazonas

Professora Associada I da Universidade Federal do Amazonas e Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA/UFAM). Doutorado em Biotecnologia pela Universidade Federal do Amazonas.

References

Albuquerque, U. P., Lucena, R. F. P., & Lins Neto, E. M. F. (2010). Seleção dos participantes da pesquisa. In: Albuquerque, U. P., Lucena, R. F. P., & Cunha, L. V. F. C. (Orgs.). Métodos e técnicas na pesquisa etnobiológica e etnoecológica (pp. 21-37). Recife: NUPEEA.

Almeida, L. S., & Gama, J. R. V. (2014). Quintais agroflorestais: estrutura, composição florística e aspectos socioambientais em área de assentamento rural na Amazônia brasileira. Ciência Florestal, 24(4), 1041-1053.

Amaral, C. N., & Guarim Neto, G. (2008). Os quintais como espaços de conservação e cultivo de alimentos: um estudo na cidade de Rosário Oeste (Mato Grosso, Brasil). Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, 3(3), 329-341.

Araújo, J. S. (2017). Percepção agroecológica dos agricultores familiares do assentamento “São Francisco” no município de Canutama - AM. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais) - Universidade Federal do Amazonas, Instituto de Educação, Agricultura e Ambiente, Humaitá.

Azambuja, T. C., Chagas, J. C. N., & Ferreira, F. D. (2018). Teçume-Igapó: mulheres unidas pela Amazônia. Inclusão Social, 12, 172-182.

Bailey, K. (1994). Methods of social research. New York: The Free Press.

Barbosa, E. L. (2019). Políticas públicas no campo no assentamento São Francisco no sul do Amazonas. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais) - Universidade Federal do Amazonas, Instituto de Educação, Agricultura e Ambiente, Humaitá.

Barreto, H. C. A., Carvalho, D. S., & Lima, J. P. S. (2020). Manejo e uso de plantas medicinais na comunidade Nossa Senhora do Livramento, Amazonas, Brasil. Educação Ambiental em Ação, 18(70), 1-20.

Bastos, E. M., Chaves e Silva, M. E., Vieira, F. J., & Barros, R. F. M. (2018). Conhecimento botânico local em uma área de assentamento rural no Piauí, Nordeste do Brasil. Gaia Scientia, 12(2), 12-33. https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-1268.2018v12n2.34918.

Carvalho, S. P., Ferreira, G. A., Marin, J. O. B., Vargas, F., Belo, A. F. C. F., & Mendonça, D. C. (2009). Reforma Agrária: a realidade de um assentamento rural. CAMPO-TERRITÓRIO: Revista de Geografia Agrária, 4(8), 67-97.

Carvalho, D. S. (2019). Preservação dos Saberes Tradicionais de Plantas Medicinais no Assentamento São Francisco, Canutama, Amazonas. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais) - Universidade Federal do Amazonas, Instituto de Educação, Agricultura e Ambiente, Humaitá.

Cunha, S. A., & Bortolotto, I. M. (2011). Etnobotânica de plantas medicinais no assentamento Monjolinho, município de Anastácio, Mato Grosso do Sul, Brasil. Acta Botanica Brasilica, 25(3), 685-698. https://doi.org/10.1590/S0102-33062011000300022.

Elisabetsky, E. (2002). Etnofarmacologia como ferramenta na busca de substâncias ativas. In: Simões, C. M. O., Schenkel, E. P., Gosmann, G., Mello, J. C. P., Mentz, L. A., & Petrovick, P. R. (Orgs.). Farmacognosia: da planta ao medicamento (pp. 91-103). Porto Alegre/ Florianópolis: Ed. da UFRGS/Ed. da UFSC.

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. (2013). Sistema Brasileiro de Classificação de Solos (3. ed). Rio de Janeiro: Embrapa Solos.

Ferreira, L. B., Rodrigues, M. O., & Costa, J. M. (2016). Etnobotânica das plantas medicinais cultivadas nos quintais do bairro de Algodoal em Abaetetuba/PA. Revista Fitos, 10(3), 220-372.

Finatto, J., Altmayer, T., Martini, M. C., Rodrigues, M., Basso, V., & Hoehne, L. (2013). A importância da utilização da adubação orgânica na agricultura. Destaques Acadêmicos, 5(4), 85-93, 2013.

Flor, A. S. S. O., & Barbosa, W. L. R. (2015). Sabedoria popular no uso de plantas medicinais pelos moradores do bairro do Sossego no Distrito de Marudá - PA. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 17(4), 757-768. http://dx.doi.org/10.1590/1983-084X/14_064.

Freitas, A. V. L., Coelho, M. F. B., Maia, S. S. S., & Azevedo, R. A. B. (2012). Plantas medicinais: um estudo etnobotânico nos quintais do Sítio Cruz, São Miguel, Rio Grande do Norte, Brasil. Revista Brasileira de Biociências, 10, 48-59.

Gomes, K. B. P., Martins, R. C. C., Dias, C. A., & Matos, J. M. M. (2018a). Quintais agroflorestais: características agrossociais sob a ótica da agricultura familiar. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais, 9(4), 111-124. https://doi.org/10.6008/CBPC2179-6858.2018.004.0009.

Gomes, M. C., Nogueira, A. C. F., & Costa, F. S. (2018b). Assistência técnica e extensão rural em comunidades rurais do sul do Amazonas. Novos Cadernos NAEA, 21(2), 193-211.

Gomes, N. S., & Lima, J. P. S. (2017). Uso e comercialização de plantas medicinais em Humaitá, Amazonas. Revista Brasileira de Agroecologia, 12(1), 19-31.

Gomes, T. P. S., Ferrante, V. L. S. B., & Whitaker, D. C. A. (2019). Co-educação, reconhecimento e saberes tradicionais: um estudo com mulheres assentadas em Araraquara - SP. Retratos de Assentamentos, 22(2), 308-326. https://doi.org/10.25059/2527-2594/retratosdeassentamentos/2019.v22i2.388.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2017a). Canutama. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/am/canutama/panorama.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2017b). Canutama - Censo Agropecuário. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/am/canutama/pesquisa/24/76693.

IDAM - Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas. (2013). Canutama. http://www.idam.am.gov.br/municipio/canutama/.

INCRA - Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. (2017). INCRA nos Estados - Informações gerais sobre os assentamentos da Reforma Agrária. http://painel.incra.gov.br/sistemas/index.php.

INCRA - Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. (2020). Projetos de Reforma Agrária conforme fases de implementação. http://www.incra.gov.br/media/docs/reforma-agraria/assentamentos-geral.pdf.

Leal, L. S. G., Filipak, A., Duval, H. C., Ferraz, J. M. G., & Ferrante, V. L. S. B. (2020). Quintais produtivos como espaços da agroecologia desenvolvidos por mulheres rurais. Perspectivas em Diálogo: Revista de Educação e Sociedade, 7(14), 31-54.

Leandro, Y. A. S., Jardim, I. N., & Gavilanes, M. L. (2017). Uso de plantas medicinais nos cuidados de saúde dos moradores de assentamento no município de Anapu, Pará, Brasil. Biodiversidade, 16(2), 30-44.

Lima, J. M. S., Pinheiro, C. C. S., & Silva, M. F. (2015). Etnoconhecimento de plantas odontálgicas usadas no assentamento Tarumã-Mirim, Manaus, Amazonas. Scientia Amazonia, 4(2), 25-35.

Lima, K. N., & Pontes Filho, R. P. (2020). Agricultura familiar no contexto socioambiental amazônico. Revista Direitos Sociais e Políticas Públicas (UNIFAFIBE), 8, 283-306.

Lima, R. A., Xavier, R. A. T., & Cavalcante, F. S. (2020). The importance of the rescue and preservation of medicinal plants in the North Region in the last twenty years. Ciência e Natura, 42(7), 1-9.

Maia, S. G. C., & Bombarda Sobrinho, S. (2019). Análise etnobotânica da estrutura de quintais na fronteira Brasil/Paraguai. Ethnoscientia, 4, 1-17.

Marconi, M. A., & Lakatos, E. M. (1996). Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisas, elaboração e interpretação de dados (3. ed.). São Paulo: Atlas.

Medeiros, M. S., Augusto, L. G. S., Barca, S., Sacramento, D. S., Santiago Neta, I. S., Gonçalves, I. C., & Costa, A. M. (2018). A saúde no contexto de uma reserva de desenvolvimento sustentável: o caso de Mamirauá, na Amazônia Brasileira. Saúde e Sociedade, 27(1), 128-148. https://doi.org/10.1590/S0104-12902018170514.

Meirelles, F. A., Carrero, G. C., Fernandes Neto, J. G., Cenamo, M. C., & Guarido, P. C. P. (2018). Análise ambiental e socioeconômica dos municípios sob influência da rodovia BR-319. Manaus: IDESAM. https://idesam.org/publicacao/analise-municipios-br319.pdf.

Messias, M. C. T. B., Menegatto, M. F., Prado, A. C. C., Santos, B. R., & Guimarães, M. F. M. (2015). Uso popular de plantas medicinais e perfil socioeconômico dos usuários: um estudo em área urbana em Ouro Preto, MG, Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 17, 76-104. http://dx.doi.org/10.1590/1983-084X/12_139.

Moraes, M. D., & Sant’ana, A. L. (2016). Características socioeconômicas do assentamento Banco da Terra, Nova Xavantina (MT): uma análise sob a ótica da adoção ou construção de conhecimentos. Revista de Economia e Sociologia Rural, 53(4), 589-606. http://dx.doi.org/10.1590/1234-56781806-9479005304002.

Nogueira, E. M. L., Mascarenhas, S. A. N., Mendonça, M. F., Morais, L. M., & Costa, J. I. (2017). Recursos Naturais: Conflitos no uso dos recursos no sul do Amazonas e Alto Solimões, desafios da cidadania na Amazônia brasileira. In: Mascarenhas, S. A. N., & Araújo, J. N. (Coords.). Desafios para o exercício da cidadania, qualidade de vida e inclusão socioeconômica na Amazônia (pp. 327-346). São Paulo: Loyola.

NUPEAS - Núcleo de Pesquisa e Extensão em Ambiente, Socioeconomia e Agroecologia. (2016). Instalação de sistema de irrigação na Unidade Agrícola Participativa/UAP do PA São Francisco em Canutama/AM. http://nupeas.blogspot.com.br/2016/03/instalacao-de-sistema-de-irrigacao-na.html.

Oliveira, R. A., Silva, R. V., Neves, V. L. D., Nascimento, I. O., Oliveira, F. S., Nunes, S. E. A., & Belfort, M. G. S. (2018). Perfil etnobotânico de plantas utilizadas como medicinais na comunidade de Bom Jesus, município de Imperatriz - MA. Educação Ambiental em Ação, 17(66), 1-10.

Pereira, S. C. B., Jardim, I. N., Freitas, A. D. D., & Paraense, V. C. (2018). Levantamento etnobotânico de quintais agroflorestais em Agrovila no município de Altamira, Pará. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 13(2), 200-207. http://dx.doi.org/10.18378/rvads.v13i2.5292.

Pessoa Junior, E. S. F., Souza, W. B., Souza, K. S., Pio, M. C. S., & Santana, G. P. (2012). Terra preta de índio na região amazônica. Scientia Amazonia, 1, 1-8.

Prodanov, C. C., & Freitas, E. C. (2013). Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico (2. ed.). Novo Hamburgo: Feevale.

Rayol, B. P., & Miranda, I. S. (2019). Quintais agroflorestais na Amazônia Central: caracterização, importância social e agrobiodiversidade. Ciência Florestal, 29(4), 1614-1629. https://doi.org/10.5902/1980509829853.

Ricardo, L. M. (2011). O uso de plantas medicinais na medicina popular praticada em assentamentos do MST do estado do Rio de Janeiro: uma contribuição para o SUS. Dissertação (Mestrado em Ciências na área de Saúde Pública) - Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Rio de Janeiro.

Santos, L. S. N., Salles, M. G. F., Pinto, C. M., Pinto, O. R. O., & Rodrigues, I. C. S. (2018). O saber etnobotânico sobre plantas medicinais na comunidade da Brenha, Redenção, CE. Agrarian Academy - Centro Científico Conhecer, 5(9), 409-421.

Santos, E. G., Santos, S. S., Gonçalves, V. N., Souza, B. I., & Lucena, R. F. P. (2019). Utilização de recursos vegetais em áreas de quintais em uma comunidade rural localizada no entorno do Parque Nacional de Sete Cidades, Piauí, Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 6(13), 365-383. https://doi.org/10.21438/rbgas.061308.

Schiavo, M.; Schwambach, K. H., & Colet, C. F. (2017). Conhecimento sobre plantas medicinais e fitoterápicos de agentes comunitários de saúde de Ijuí/RS. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, 9(1), 57-63. https://doi.org/10.9789/2175-5361.2017.v9i1.57-63.

Silva, O. B., Rocha, D. M., & Pereira, N. V. (2020). O saber tradicional e uso de plantas medicinais por moradores do assentamento Padre Ezequiel em Mirante da Serra - RO, Brasil. Biodiversidade, 19, 77-96.

Souza, A. L., Silva, V. V., & Silva, T. A. (2018). Políticas públicas e suas influências ambientais em assentamentos rurais no sul do estado do Amazonas. Educação Ambiental em Ação, 16(63), 1-11.

Spanholi, M. L., & Barreto, M. R. (2018). Uso popular de recursos vegetais e perfil socioeconômico de moradores de comunidades rurais de Sinop, Mato Grosso, Brasil. Gaia Scientia, 12, 108-127. https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-1268.2018v12n1.33130.

Vásquez, S. P. F., Mendonça, M. S., & Noda, S. N. (2014). Etnobotânica de plantas medicinais em comunidades ribeirinhas do município de Manacapuru, Amazonas, Brasil. Acta Amazonica, 44(4), 457-472. https://doi.org/10.1590/1809-4392201400423.

Vieira, T. A., Rosa, L. S., & Santos, M. M. L. S. (2012). Agrobiodiversidade de quintais agroflorestais no município de Bonito, estado do Pará. Revista de Ciências Agrárias - Amazonian Journal of Agricultural and Environmental Sciences, 55(3), 159-166. http://dx.doi.org/10.4322/rca.2012.054.

Published

06/10/2021

How to Cite

CARVALHO, D. de S.; CAMPOS, M. C. C. .; LIMA, J. P. S. de . Characterization of backyards and socioeconomic aspects of residents who grow medicinal plants in a rural settlement. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e110101320976, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.20976. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20976. Acesso em: 8 dec. 2021.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences