Factors related to the choice of way of delivery: an integrative review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21019

Keywords:

Childbirth; Delivery assistance; Normal delivery; Cesarean.

Abstract

Objective: To understand, based on data in the literature, the factors that are related to the choice of delivery method. Method: This is an integrative literature review prepared according to the steps, proposed by Mendes, Silveira and Galvão. The study covered the years 2015 to 2020 of the Scientific Electronic Library Online (Scielo) and Virtual Health Library ( Bireme). Results: Twelve articles were selected and analyzed, highlighting the factors related to the choice of delivery method. The study revealed that the choice of the mode of delivery is related to cultural and social factors and to an interventionist model, it is also noticed that women who performed their prenatal care in a private network manifest autonomy in choosing the decision. The cesarean, in addition to the convenience of scheduling the child's delivery, avoids pain and identifies that the decision is concentrated in the power of health professionals. Discussion: In this way, when we reflect on the routes of childbirth, we involve biological, psychological, social, cultural aspects and the experience of pain, the professional nurse has a fundamental role in the informative and educational conduct in prenatal care, solving their doubts, fears, anxieties. Conclusions: The study contributes to the training of professional nurses, training people who understand childbirth as a physiological event, aiming at a service based on the humanization of care that guarantees autonomy, female empowerment, improving the quality of care, especially with regard to guidelines provided to the pregnant woman, which will guide her for her best choice.

References

Aguiar, J. C., Versiani, C. C., Dias, C. L. O, et al. (20188). Indicadores de assistência as vias de parto. Rev enferm UFPE on line., 12(6):1674-80.

Almeida A. L. S, Nascimento E. R, & Coelho E. A. C. (2017). Práticas de enfermeiras para promoção da dignificação, participação e autonomia de mulheres no parto normal. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 19(3). http://www.scielo.br/pdf/ean/v19n3/1414-8145-ean-19-03-0424.pdf.

Barreto M. Vivência do parto normal ou cesáreo: a percepção de mulheres. (2016). https://www.scielo.br/pdf/tce/v21n2/a26v21n2.pdf

Batista Filho, M., & Rissin, A. (2018). Revista Brasileira Materno Infantil, Revista Brasileira Saúde Materno Infantil, Recife, 18 (1): http://www.scielo.br/pdf/rbsmi/v18n1/pt_1519-3829-rbsmi-18-01-0003.pdf

Betrán, P. et al. (1990-2016) A tendência crescente nas taxas de cesarianas: estimativas globais, regionais e nacionais: https://journals.plos.org/plosone/article/file?id=10.1371/journal.pone.0148343&type=printabl.

Boff A. L, Albernaz E. P, Kaufmann C. C, Neves I. H, & Figueiredo V. L. (2017). Impact of breastfeeding on the intelligence quotient of eight-year-old children. J Pediatr. 89: 346-53. http://www.scielo.br/pdf/jped/v89n4/v89n4a05.pdf

Braga T. L, & Santos S. C. C. (2017). Parto Humanizado Sob a Ótica da Equipe de Enfermagem do Hospital da Mulher Mãe Luzia. Revista eletrônica Estácio Saúde. http://periodicos.estacio.br/index.php/saudesantacatarina/article/viewFile/3641/1563

Brasil. Ministério da Saúde. Datasus. (2017). Informações de Saúde. Estatísticas vitais. Nascidos vivos desde 2000. https://datasus.saude.gov.br/desenv-de-software/

Brasil. (2015). Ministério da Saúde. Saúde da Criança: Aleitamento Materno e Alimentação complementar. Cadernos de Atenção Básica n° 23, (2a ed.).

Brasil. (2011). Nascer no Brasil: Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento. Questionário Hospitalar – Puérpera. http://www6.ensp.fiocruz.br/nascerbrasil/wpcontent/uploads/2014/10/questionario_hospitalar-puerpera.pdf

Brasil. (2015). Rede cegonha Gravidez, parto e nascimento com saúde, qualidade de vida e bem estar. Brasília http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/gravidez_parto_nascimento_saude_qualidade.pdf

Brasil. (2014) Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação em Saúde. Saúde Brasil 2013: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_brasil_2014_analise_situacao.pdf

Carvalho, B. A, & Barros C. (2015) Contato pele a pele ao nascer: um desafio para a promoção do aleitamento materno em maternidade pública no Nordeste brasileiro com o título de Hospital Amigo da Criança.http://www.scielo.br/pdf/ress/v25n2/2237-9622-ress-25-02-00281.pdf.

Cavalcanti M. C. et al. (2015). Avaliação Da Qualidade Do Registro Do Sisprenatal: Uma Comparação Com Os Dados Do Prontuário. Revista enfermagem UFPE on line., 9(Supl. 10):1461-8. https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/10859/12084

Cerqueira, R. R. (2018). A visita de enfermagem como (im)possibilidade de ação educativa às puérperas adolescentes no sistema de alojamento conjunto. http://www.repositorio-bc.unirio.br:8080/xmlui/handle/unirio/11886

Daly Panda, D. (2018). Factors influencing decision-making for caesarean section in Sweden – a qualitative study. BMC Pregnancy and Childbirth. Factors influencing decision-making for caesarean section in Sweden – a qualitative study | BMC Pregnancy and Childbirth | Full Text (biomedcentral.com)

Figueiredo, N., & Machado, W. (2015). Tratado Cuidados de Enfermagem Médico-Cirúrgico. VII, seção 6: Saúde do Homem e da Mulher. São Paulo.

Filho, C., & Vieira, N. (2015) Ações educativas no pré-natal: reflexão sobre a consulta de enfermagem como um espaço para educação em saúde. http://www.scielo.br/pdf/csc/v12n2/a24v12n2.pdf>.

Freitas P, Fontoura. & Moreira B. C. (2015) O parecer do Conselho Federal de Medicina, o incentivo à remuneração ao parto e as taxas de cesariana no Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 31(9):1839-1855. O parecer do Conselho Federal de Medicina, o incentivo à remuneração ao parto e as taxas de cesariana no Brasil (scielo.br)

Garcia, E. S. F, et al. (2018). As ações de Enfermagem no Cuidado à Gestante: Um Desafio à Atenção Primária de Saúde. Rev Fund Care Online. http://dx.doi. org/10.9789/2175-5361.2018.v10i3.863-870

Ibge. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Indicadores Sociais Municipais: uma análise dos resultados do universo do Censo Demográfico

Iorra, A. C. (2011). Métodos e técnicas de pesquisa social. (6a ed.), Atlas.

Jardim M. J. A, Silva A. A, Fonseca L. M. B, et al. (2019). Contribuições do Enfermeiro no Pré-Natal para a Conquista do Empoderamento da Gestante. Rev Fund Care. file:///C:/Users/Acer/Downloads/6370-40508-1-PB%20(1).pdf

Jorge H. M. F et al. (2015). Assistência pré-natal e políticas públicas de saúde da mulher: revisão integrativa. Revista Brasileira em Promoção Saúde https://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/2864/pdf

Koettker G. Joyce, Brüggemann M. Odaléa, Knobel Roxana. (2002-2012). Resultados maternos dos partos domiciliares planejados assistidos por enfermeiras da equipe hanami no sul do brasil, 2002-2012. maternal Results From Planned Home Births Assisted By Nurses From The Hanami Team In The South Of Brazil. (scielo.br)

Kottwitz, F., et al. (2018). Via de parto preferida por puérperas e suas motivações. Escola Anna Nery http://www.scielo.br/pdf/ean/v22n1/pt_1414-8145-ean-2177-9465-EAN-2017-0013.pdf

Marie Blomberg. (2018). Avoiding the first cesarean section–results of structured organizational and cultural changes. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26870916/.

Matos G. C D. E, Escobal A. P. L, Palma J. S et al. (2018). Parto normal ou cesárea na adolescência. Rev enferm UFPE on line. Parto normal ou cesárea na adolescência: de quem é a decisão? | Matos | Revista de Enfermagem UFPE on line

Mazoni S. & Carvalho E. (2017). Preferência de via de parto e experiência prévia de dores em puérperas atendidas em uma maternidade. https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/bde-32940#:~:text=Resultados%3A,a%20experi%C3%AAncia%20maisintensa%20j%C3%A1%20sentida.

Medeira, F. R. R. (2018). A visita de enfermagem como (im)possibilidade de ação educativa às puérperas adolescentes no sistema de alojamento conjunto Rio de Janeiro. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. file:///C:/Users/Acer/Desktop/Artigo%20Instrumento.pdf

Oliveira filho. J. F. et al. (2016). Contribuição do pré-natal para o parto normal na concepção do enfermeiro da estratégia saúde da família. R. Interd. 9(1), 161-170. https://revistainterdisciplinar.uninovafapi.edu.br/index.php/revinter/article/view/521

Oliveira, V. J., & Penna, C. M. M. (2017). Every birth is a story: process of choosing the route of delivery. Rev Bras Enferm. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0497

Pereira, D. (2015). A enfermagem e suas apostas no autocuidado: investimentos emancipatórios ou práticas de sujeição? http://www.scielo.br/pdf/reben/v64n1/v64n1a27.pdf>.

Pimentel, T. A., & Oliveira-filho, E. C. (2017). Fatores que influenciam na escolha da via de parto cirúrgica: uma revisão bibliográfica. Universitas: Ciências da Saúde, 14(2), 187-199. https://www.publicacoesacademicas.uniceub.br/cienciasaude/article/viewFile/4186/3279

Rett, M. T, Oliveira, D. M, Soares, E. C. G, Desantana, J. M, & Araújo, K. C. G. M. (2017). Satisfação e percepção de dor em puérperas: um estudo comparativo após parto vaginal e cesariana em maternidades públicas de Aracaju. https://www.portalnepas.org.br/abcshs/article/view/1005

Ribeiro, L. C. (2017). Nascer em belo horizonte: processo decisório e fatores obstétricos associados à via de nascimento. https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/ANDO-AMTK7D

Riscado, L. C., Jannotti, B. C., & Barbosa S. H. R. (2016). A decisão pela via de parto no Brasil: temas e tendências na produção da saúde coletiva http://www.scielo.br/pdf/tce/v25n1/0104-0707-tce-25-01-3570014.pdf

Rodrigues, R. F., Covos, S. J., Covos, F. J., & Rodrigues, C. B. (2018). Pré – Natal Humanizado: Estratégias De Enfermagem Na Prepração Para O Parto Ativo. Revista Saúde em Foco – Edição nº 10. http://portal.unisepe.com.br/unifia/wp-content/uploads/sites/10001/201 8/06/010_PR%C3%89_NAT AL_HUMANIZADO.pdf

Sanfelice, O. F. C., et al. (2014). Parto institucionalizado ao parto domiciliar. Rev Rene. file:///C:/Users/Acer/Downloads/3170-5930-1-SM.pdf

Santos, R. A. A., Melo, M. C. P., & Cruz, D. D. (2015). Trajetória de humanização do parto no Brasil a partir de uma revisão integrativa de literatura. Caderno Cultura. http://periodicos.urca.br/ojs/index.php/cadernos/article/view/838

Silva N. Z. M., Andrade D. B. A., & Bosi M. L. M. (2014). Acesso e acolhimento no cuidado pré-natal à luz de experiências de gestantes na Atenção Básica. Saúde Debate. 38(103), 805-816. http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v38n103/0103-1104-sdeb-38-103-0805.pdf

Silva T. C., Bisognin, P., Prates, L. A., et al. (2017). Práticas de atenção ao parto e nascimento: uma revisão integrativa Labor And Birth Care. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro. file:///C:/Users/Acer/Downloads/1294-6812-1-PB.pdf

Weidle G. W. (2015). Escolha da via de parto pela mulher: autonomia ou indução? Caderno de Saúde Coletiva Rio de Janeiro, http://www.scielo.br/pdf/cadsc/v22n1/1414-462X-cadsc-22-01-00046.pdf

Published

12/10/2021

How to Cite

PAIER, I.; ALEXANDRE, L. A.; ROTOLI, A.; GETELINA, C. O. . Factors related to the choice of way of delivery: an integrative review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e294101321019, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21019. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21019. Acesso em: 7 dec. 2021.

Issue

Section

Health Sciences