Intrinsic and extrinsic risk factors that predispose to delirium in patients hospitalized in Intensive Care Unit: integrative review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21072

Keywords:

Delirium; Risk Factors; Intensive Care Unit.

Abstract

The meaning of the word delirium is attributed to the Latin “delirare”, which means “to be out of place.” On the articles included in this review, it was observed that there was a prevalence of studies published in the years of 2016 and 2020. As a result, after significant content analysis, he obtained the following predisposing factors: age equal to or greater than 60 years, the use of sedoanalgesics, invasive mechanical ventilation, physical restriction, dehydration and malnutrition, typical ICU environment and sleep disturbance. Given this study, we can say that delirium is a very common problem in patients admitted to the ICU. The first step to intervene in this situation is to prevent, creating delirium prevention protocols based on risk factors in order to call professionals' attention to patients who have a positive result for these factors. should be considered an emergency in the ICU, and educate professionals about it it is of utmost importance, so that they remain under constant neurological surveillance so that they can act assertively in the diagnosis and treatment of the same.

References

Bahia, A. A. (2016). Delirium No Paciente CTI. Repositório da Universidade Federal De Minas Gerais, Minas Gerais.

Bastos, A. S., Beccaria, L. M., Silva, D. C. & Barbosa, T. P. (2020). Prevalência de Delirium em pacientes de Terapia Intensiva e associação com sedoanalgesia, gravidade e mortalidade. Revista Gaúcha de Enfermagem, 41(4), 123-137.

Casarin, S. T., Porto, A. R., Gabatz, R. I. B., Bonow, C. A., Ribeiro, J. P. & Mota, M. S. (2020). tipos de revisão de literatura: considerações das editoras do Journal of Nursing. Journal of Nursing and Health, 10(5).

Da Silva, M. H. O., Camerini, F. G., Henrique, D. M., Almeida, L. F., Franco, A. S. & Pereira, S. R. M. (2018). Delirium Na Terapia Intensiva: Fatores Predisponentes E Prevenção De Eventos Adversos. Revista Baiana De Enfermagem, 32(3).

Eberle, C. C., Santos, A. A., Macedo Júnior, L. J. J. & Juliana Bessa Martins. (2019) O manejo não farmacológico do delirium sob a ótica de enfermeiros de uma Unidade de Terapia Intensiva adulto. Revista de Pesquisa: cuidado é fundamental online, 11(5), 1242-1249.

Faustinol, T. N., Pedreiral, L. C., Freitas, Y. S., Silva, M. O. & Amaral, J. B. (2016). Prevenção e monitorização do delirium no idoso: uma intervenção educativa. Revista Brasileira de Enfermagem, Rio de Janeiro, 4(69), 725-32.

Gati, J. P. S. (2017). Aspectos Linguísticos Do Discurso Delirante. Instituto de estudo da linguagem da Universidade Estadual de Campinas, São Paulo.

Gois, J., Vieira, T., Lourenço, B. S., Sousa, D. R. S., Valenin, L. & Reis. L. (2019). Assistência De Enfermagem Ao Paciente Com Delirium Na Unidade De Terapia Intensiva: Uma Revisão Integrativa. Revista Nursing, 22(23), 3214-3219.

Krebs, J. A., Osaku, J. F., Costa, C. R. L. M., Ogasawara, S. M., Costa, J. B., Taba, S., Jorge, A. C. & Duarte, P. D. D. (2018). a influência do delirium no tempo de ventilação mecânica em pacientes críticos: uma revisão sistemática. Arquivos Brasileiros de Ciências da Saúde, (43), 61-66.

Mori, S., TakedaJ. R. T., Carrara, F. S. A., Cohrs, C. R., Zanei, S. S. V. & Whitaker, I. Y. (2016). incidence and factors related to delirium in an Intensive Care Unit. Revista da escola de Enfermagem da USP, 50(4), 587-593.

Lima, M. L. M. N., Moreira, R. O., Okamoto, O. T. O. & Amaral, J. B. (2016). Delirium Em Terapia Intensiva: Revisão Sistemática. Repositório Institucional

Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Bahia.

Luz, L. F. & Manozzo, B. M. (2016). Associação do delirium com cognição, capacidade funcional e qualidade de vida no paciente crítico. SEFIC.

Luz, L. F. D. S., Santos, M. C. D., Ramos, T. A., Almeida, C. B. D., Rover, M. C., Dal’Pizzol, C. P. & Boniatti, M. M. (2020). Delirium e qualidade de vida em pacientes críticos: um estudo de coorte prospectivo. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, 32, 426-432.

Martins, J. B., dos Santos, A. A., de Macedo Júnior, L. J. J., & Eberle, C. C. (2019). Avaliação da prevalência de delirium em uma unidade de terapia intensiva pública. Enfermagem em Foco, 10(3).

Mesa, P., Previgliano, I. J., Altez, S., Favretto, S., Orellano, M., Lecor, C. & Ely, E. (2017). Delirium em uma unidade de terapia intensiva latino-americana. Estudo prospectivo em coorte em pacientes em ventilação mecânica. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, 29, 337-345.

Pereira, J. M., Barradas, F. J. D. R., Sequeira, R. M. C., Marques, M. D. C. M. P., Batista, M. J., Galhardas, M., & Santos, M. S. (2016). Delírium no doente crítico: fatores de risco modificáveis pelos enfermeiros. Revista de Enfermagem Referência, 4(9), 29-36.

Pereira, M. A. (2019). Modelagem dos processos de monitoramento do delirium utilizando o fluxograma do CAM-ICU: prototipagem de plataforma digital para atendimento ao paciente crítico.

Prayce, R., Quaresma, F., & Neto, I. G. (2018). Delirium: The 7th Vital Sign? Acta medica portuguesa, 31(1), 51-58.

Santos, F.S. Mecanismos fisiopatológicos do delirium. (2005). Revista. Psiquiatria, 3(32), 104-112.

Sosa, F. A., Roberti, J., Franco, M. T., Kleinert, M. M., Patrón, A. R., & Osatnik, J. (2018). Avaliação de delirium com uso do modelo PRE-DELIRIC em uma unidade de terapia intensiva na Argentina. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, 30, 50-56.

Souza, T. L., Azzolin, K. O. & Fernandes, V. R. (2018). Cuidados multiprofissionais para pacientes em delirium em terapia intensiva: revisão integrativa. Revista Gaúcha de Enfermagem, 39(7).

Veiga, V. C. & Rojas, S. S. O. (2018). Analgossedação e Delirium em Unidades de Terapia Intensiva Brasileiras: Como Estamos na Atualidade. Estudo ASDUTI. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, 30(2), 246-8.

Published

09/10/2021

How to Cite

SANTOS , J. P. .; SOUSA, N. M. P. .; SANTOS, J. P. .; PIRES, C. M. S. .; BAYMA, L. C. M. P. .; REIS, D. R. A. .; LIMA, M. E. S. .; BRITO, M. C. A. .; PEREIRA, L. P. L. A. .; SEREJO, A. P. M. .; FERREIRA, M. P. .; CONCEIÇÃO, J. L. da .; BASTOS , J. de S. .; MIRANDA, P. H. S. .; GUSMÃO , K. C. N. . Intrinsic and extrinsic risk factors that predispose to delirium in patients hospitalized in Intensive Care Unit: integrative review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e166101321072, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21072. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21072. Acesso em: 6 dec. 2021.

Issue

Section

Health Sciences